Pular para o conteúdo principal

Nossas Reuniões Tudo Em Um (TEU) ‒ Semana A Começar Em 9 de junho

ss14 pp. 1-4 Programa da Escola do Ministério Teocrático para 2014

9 de jun. Leitura da Bíblia: Levítico 1-5
N.° 1: Levítico 4:16-31
N.° 2: Quem a Bíblia chama de “santos” (rs p. 349 §§1-3)
N.° 3: Absalão — Beleza física, orgulho e mentiras levaram à ruína (it-1 p. 31 §§2-6)
w14 15/4 pp. 1-2 Sumário

9-15 DE JUNHO DE 2014
Você vê “Aquele que é invisível”?
PÁGINA 8 • CÂNTICOS: 81, 132
ws14 15/4 pp. 1-2 Sumário

9-15 DE JUNHO DE 2014
Você vê “Aquele que é invisível”?
PÁGINA 9 • CÂNTICOS: 81, 132


Nossas Reuniões Tudo Em Um (TEU)

Nossas Reuniões Tudo Em Um (TEU): 9 de junho



Estudo Bíblico de Congregação

Achegue-se a Jeová

Capítulo 8. Poder de restauração — Jeová ‘faz novas todas as coisas’


Referências e textos bíblicos


- 9 -
Mateus 13:24-30 outra ilustração, dizendo: “O reino dos céus tem-se tornado semelhante a um homem que semeou excelente semente no seu campo. 25 Enquanto os homens dormiam, veio seu inimigo e semeou por cima joio entre o trigo, e foi embora. 26 Quando a lâmina cresceu e produziu fruto, apareceu também o joio. 27 Vieram assim os escravos do dono de casa e disseram-lhe: ‘Amo, não semeaste excelente semente no teu campo? Donde lhe veio então o joio?’ 28 Disse-lhes ele: ‘Um inimigo, um homem, fez isso.’ Disseram-lhe: ‘Queres, pois, que vamos e o reunamos?’ 29 Ele disse: ‘Não; para que não aconteça que, ao reunirdes o joio, desarraigueis também com ele o trigo. 30 Deixai ambos crescer juntos até a colheita; e na época da colheita direi aos ceifeiros: Reuni primeiro o joio e o amarrai em feixes para ser queimado, depois ide ajuntar o trigo ao meu celeiro.’”
Atos 20:29, 30 que depois de eu ter ido embora entrarão no meio de vós lobos opressivos e eles não tratarão o rebanho com ternura, 30 e dentre vós mesmos surgirão homens e falarão coisas deturpadas, para atrair a si os discípulos.
- 10 -
João 4:24 é Espírito, e os que o adoram têm de adorá-lo com espírito e verdade.”
Efésios 4:22-24 que deveis pôr de lado a velha personalidade que se conforma ao vosso procedimento anterior e que está sendo corrompida segundo os seus desejos enganosos; 23 mas que deveis ser feitos novos na força que ativa a vossa mente, 24 e que vos deveis revestir da nova personalidade, que foi criada segundo a vontade de Deus, em verdadeira justiça e lealdade.
Gálatas 5:22, 23 outro lado, os frutos do espírito são amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, 23 brandura, autodomínio. Contra tais coisas não há lei.
- 11 -
Mateus 5:3 os cônscios de sua necessidade espiritual, porque a eles pertence o reino dos céus.
- 12 -
Isaías 25:8 realmente tragará a morte para sempre, e o Soberano Senhor Jeová certamente enxugará as lágrimas de todas as faces. E de toda a terra ele tirará o vitupério de seu povo, pois o próprio Jeová falou [isso].
Isaías 35:1-7 O ermo e a região árida exultarão, e a planície desértica jubilará e florescerá como o açafrão. 2 Sem falta florescerá e realmente jubilará com exultação e com grito de júbilo. Terá de se lhe dar a própria glória do Líbano, o esplendor do Carmelo e de Sarom. Haverá os que verão a glória de Jeová, o esplendor de nosso Deus. 3 Fortalecei as mãos fracas e firmai os joelhos vacilantes. 4 Dizei aos de coração ansioso: “Sede fortes. Não tenhais medo. Eis que vosso próprio Deus chegará com a própria vingança, Deus, até mesmo com retribuição. Ele mesmo chegará e vos salvará.” 5 Naquele tempo abrir-se-ão os olhos dos cegos e destapar-se-ão os próprios ouvidos dos surdos. 6 Naquele tempo o coxo estará escalando como o veado e a língua do mudo gritará de júbilo. Pois no ermo terão arrebentado águas, e torrentes na planície desértica. 7 E o solo crestado pelo calor se terá tornado como um banhado de juncos, e a terra sedenta, como fontes de água. No lugar de permanência de chacais, para [eles] um lugar de repouso, haverá grama verde com canas e plantas de papiro.
- 13 -
Gênesis 1:28 Deus os abençoou e Deus lhes disse: “Sede fecundos e tornai-vos muitos, e enchei a terra, e sujeitai-a, e tende em sujeição os peixes do mar, e as criaturas voadoras dos céus, e toda criatura vivente que se move na terra.”
Isaías 55:10, 11 assim como desce dos céus a chuvada e a neve, e não volta àquele lugar, a menos que realmente sature a terra e a faça produzir e brotar, e se dê de fato semente ao semeador e pão ao comedor, 11 assim mostrará ser a minha palavra que sai da minha boca. Não voltará a mim sem resultados, mas certamente fará aquilo em que me agradei e terá êxito certo naquilo para que a enviei.
Lucas 23:43 ele lhe disse: “Deveras, eu te digo hoje: Estarás comigo no Paraíso.”
- 14 -
Re 21:5 O que estava sentado no trono disse: “Eis que faço novas todas as coisas.” Ele diz também: “Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras.”
2 Pedro 3:13 há novos céus e uma nova terra que aguardamos segundo a sua promessa, e nestes há de morar a justiça.
Re 20:3 lançou-o no abismo, e fechou e selou [este] sobre ele, para que não mais desencaminhasse as nações até que tivessem terminado os mil anos. Depois destas coisas terá de ser solto por um pouco.
- 15 -
Isaías 9:6, 7 um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o domínio principesco virá a estar sobre o seu ombro. E será chamado pelo nome de Maravilhoso Conselheiro, Deus Poderoso, Pai Eterno, Príncipe da Paz. 7 Da abundância do domínio principesco e da paz não haverá fim, sobre o trono de Davi e sobre o seu reino, para o estabelecer firmemente e para o amparar por meio do juízo e por meio da justiça, desde agora e por tempo indefinido. O próprio zelo de Jeová dos exércitos fará isso.
Isaías 11:1-9 E do toco de Jessé terá de sair um renovo; e das suas raízes frutificará um rebentão. 2 E sobre ele terá de pousar o espírito de Jeová, o espírito de sabedoria e de compreensão, o espírito de conselho e de potência, o espírito de conhecimento e do temor de Jeová; 3 e deleitar-se-á no temor de Jeová. E não julgará pelo que meramente parece aos seus olhos, nem repreenderá simplesmente segundo a coisa ouvida pelos seus ouvidos. 4 E terá de julgar com justiça os de condição humilde e terá de dar repreensão com retidão em benefício dos mansos da terra. E terá de golpear a terra com a vara da sua boca; e ao iníquo entregará à morte com o espírito de seus lábios. 5 E a justiça terá de mostrar ser o cinto de seus quadris, e a fidelidade, o cinto de seus lombos. 6 E o lobo, de fato, residirá por um tempo com o cordeiro e o próprio leopardo se deitará com o cabritinho, e o bezerro, e o leão novo jubado, e o animal cevado, todos juntos; e um pequeno rapaz é que será o condutor deles. 7 E a própria vaca e a ursa pastarão; juntas se deitarão as suas crias. E até mesmo o leão comerá palha como o touro. 8 E a criança de peito há de brincar sobre a toca da naja; e a criança desmamada porá realmente sua própria mão sobre a fresta de luz da cobra venenosa. 9 Não se fará dano, nem se causará ruína em todo o meu santo monte; porque a terra há de encher-se do conhecimento de Jeová assim como as águas cobrem o próprio mar.
- 16 -
Mateus 15:30 então grandes multidões, trazendo coxos, aleijados, cegos, mudos e muitos outros, e quase que os lançavam aos seus pés, e ele os curava;
Jó 33:25 a sua carne mais fresca do que na infância; Volte ele aos dias do seu vigor juvenil.’

Escola do Ministério Teocrático

N.° 1: Levítico 4:16-31


N.° 2: Quem a Bíblia chama de “santos” (rs p. 349 §§1-3)

rs p. 349 §§1-3 Santos

A Bíblia definitivamente faz menção de santos que estão nos céus. Fala-se de Jeová como sendo “o Santo [grego, há•gi•on]”. (1 Ped. 1:15, 16; veja Levítico 11:45.) Jesus Cristo é descrito como “o Santo [há•gi•os] de Deus”, quando estava na terra, e como “o Santo [há•gi•os]” no céu. (Mar. 1:24; Rev. 3:7, BJ) Os anjos também são “santos”. (Atos 10:22, BJ) O mesmo termo básico no grego original é aplicado a um número considerável de pessoas na terra.
Atos 9:32, 36-41, BJ: “Pedro, que percorria todas essas regiões, foi ter também com os santos [ha•gí•ous] que habitavam em Lida. Havia em Jope, entre os discípulos, uma mulher chamada Tabita [que morrera] . . . [Pedro] voltando-se para o corpo, disse: ‘Tabita, levanta-te.’ Ela abriu os olhos, cravando-os em Pedro, e sentou-se. Pedro estendeu-lhe a mão e levantou-a. Chamou os santos e as viúvas, e a apresentou a eles viva.” (Claramente, estes santos ainda não estavam nos céus, tampouco apenas um indivíduo notável como Pedro era considerado santo.)
2 Cor. 1:1; 13:12, BJ: “Paulo, apóstolo de Cristo Jesus pela vontade de Deus, e Timóteo, o irmão, à Igreja de Deus que está em Corinto, assim como a todos os santos [ha•gí•ois] que se encontram na Acaia inteira.” “Saudai-vos mutuamente com o ósculo santo. Saúdam-vos todos os santos.” (Todos esses primitivos cristãos que foram purificados pelo sangue de Cristo e reservados para o serviço de Deus quais prospectivos co-herdeiros com Cristo foram mencionados como santos. O serem reconhecidos como santos obviamente não foi deixado para depois de sua morte.)

N.° 3: Absalão — Beleza física, orgulho e mentiras levaram à ruína (it-1 p. 31 §§2-6)

it-1 p. 31 §§2-6 Absalão

[Pai [isto é, Deus] É Paz].
O terceiro dentre seis filhos varões de Davi, nascidos em Hébron. Sua mãe era Maacá, filha de Talmai, rei de Gesur. (2Sa 3:3-5) Absalão tornou-se pai de três filhos e uma filha. (2Sa 14:27) Ele é evidentemente chamado Abisalão em 1 Reis 15:2, 10. — Veja 2Cr 11:20, 21.
A beleza física imperava na família de Absalão. Ele era nacionalmente elogiado por sua notável beleza; seus cabelos, que cresciam profusamente, sem dúvida tornando-se ainda mais pesados pelo uso de óleo ou de ungüentos, pesavam cerca de 200 siclos (cerca de 2,3 kg) quando cortados anualmente. A irmã dele, Tamar, também era linda, e a filha dele, com o mesmo nome da tia, tinha “aparência muitíssimo bela”. (2Sa 14:25-27; 13:1) Ao invés de ser proveitosa, porém, tal beleza contribuiu para alguns eventos feios que causaram imenso pesar ao pai de Absalão, Davi, bem como a outros, e produziram grande tumulto na nação.
Assassinato de Amnom. A beleza de Tamar, irmã de Absalão, fez com que Amnom, meio-irmão mais velho dele, ficasse apaixonado por ela. Fingindo-se doente, Amnom conseguiu que Tamar fosse enviada a seus aposentos, a fim de cozinhar para ele, e então a violentou. O amor erótico de Amnom transformou-se em ódio depreciativo, e ele mandou que Tamar fosse posta na rua. Rasgando sua veste listrada que a distinguira como filha virgem do rei, e com cinzas sobre a cabeça, Tamar encontrou-se com Absalão. Este rapidamente avaliou a situação e expressou imediatamente suspeitas contra Amnom, indicando anterior apercebimento do desejo apaixonado de seu meio-irmão. Absalão, contudo, instruiu sua irmã a não levantar nenhuma acusação e levou-a para morar na casa dele. — 2Sa 13:1-20.
Segundo John Kitto, tomar Absalão conta de Tamar, ao invés de o pai dela o fazer, harmonizava-se com o costume oriental de que, numa família polígama, os filhos da mesma mãe são os mais intimamente achegados, e as filhas “ficam sob o cuidado e a proteção especiais de seu irmão, o qual, . . . em tudo o que atinge a segurança e a honra delas, é mais procurado do que o próprio pai”. (Daily Bible Illustrations [Ilustrações Bíblicas Diárias], Samuel, Saul e Davi, 1857, p. 384) Muito antes, foram Levi e Simeão, dois irmãos germanos de Diná, que resolveram vingar a desonra de sua irmã. — Gên 34:25.
Sabendo da humilhação de sua filha, Davi reagiu com grande ira, mas, talvez devido a que não se fizera nenhuma acusação direta ou formal, com o apoio de evidência ou de testemunhas, não tomou nenhuma ação judicativa contra o ofensor. (De 19:15) É possível que Absalão preferisse não criar caso da violação da lei levítica por parte de Amnom (Le 18:9; 20:17), a fim de evitar publicidade desagradável para sua família e seu nome, mas, sem embargo, nutria ódio homicida a Amnom, ao passo que, exteriormente, se controlava até o momento propício de executar a vingança ao seu próprio modo. (Compare isso com Pr 26:24-26; Le 19:17.) Deste ponto em diante, sua vida é um estudo de perfídia, ocupando a maior parte de seis capítulos de Segundo Samuel. — 2Sa 13:21, 22.
Passaram-se dois anos. Chegou a época da tosquia das ovelhas, ocasião festiva, e Absalão organizou uma festa em Baal-Hazor, cerca de 22 km ao NNE de Jerusalém, convidando os filhos do rei e o próprio Davi. Quando seu pai se escusou de comparecer, Absalão pressionou-o a concordar em enviar Amnom, seu primogênito, em seu lugar. (Pr 10:18) Na festa, quando Amnom se estava “sentindo bem por causa do vinho”, Absalão ordenou que seus servos o matassem. Os outros filhos retornaram a Jerusalém, e Absalão foi para o exílio junto a seu avô sírio, no reino de Gesur, ao L do mar da Galiléia. (2Sa 13:23-38) A “espada” predita pelo profeta Natã tinha então penetrado na “casa” de Davi, e continuaria ali pelo resto de sua vida. — 2Sa 12:10.

Destaques da Bíblia

Destaques do livro de Levítico 1-5


HAVIA-SE passado menos de um ano desde que os israelitas foram libertados da servidão egípcia. Agora, organizados numa nova nação, estavam em caminho para a terra de Canaã. O propósito de Jeová era que uma nação santa morasse naquela terra. No entanto, o estilo de vida e as práticas religiosas dos cananeus eram muito degradantes. Portanto, o verdadeiro Deus deu à congregação de Israel regulamentos que a manteria separada para o Seu serviço. Esses se encontram registrados no livro bíblico de Levítico. Escrito pelo profeta Moisés no ermo de Sinai, pelo visto em 1512 AEC, o livro não abrange mais do que um mês lunar. (Êxodo 40:17; Números 1:1-3) Vez após vez, Jeová exorta seus adoradores a serem santos. — Levítico 11:44; 19:2; 20:7, 26.
As Testemunhas de Jeová hoje não estão sob a Lei dada por Deus por meio de Moisés. A morte de Jesus Cristo aboliu essa Lei. (Romanos 6:14; Efésios 2:11-16) No entanto, os regulamentos encontrados em Levítico podem beneficiar-nos, ensinando-nos muito sobre a adoração do nosso Deus, Jeová.

OFERTAS SAGRADAS — VOLUNTÁRIAS E COMPULSÓRIAS

(Levítico 1:1-7:38)
Algumas das ofertas e dos sacrifícios da Lei eram voluntárias, ao passo que outras eram compulsórias. Por exemplo, a oferta queimada era voluntária. O animal inteiro era apresentado a Deus, assim como Jesus Cristo entregou a sua vida de forma voluntária como sacrifício de resgate. O sacrifício de participação em comum era compartilhado. Uma parte era apresentada a Deus no altar, e as outras duas partes eram consumidas: uma pelo sacerdote e a outra pelo ofertante. De forma similar, para os cristãos ungidos, a Comemoração da morte de Cristo é uma refeição de participação em comum. — 1 Coríntios 10:16-22.
A oferta pelo pecado e a oferta pela culpa eram compulsórias. A primeira expiava pecados cometidos por engano ou sem intenção. A segunda visava satisfazer a Deus quando um direito havia sido violado ou restaurava certos direitos do transgressor arrependido — ou ambas as coisas. Havia também ofertas de cereais, feitas em reconhecimento das provisões generosas de Jeová. Todos esses assuntos são de interesse para nós, porque os sacrifícios exigidos pelo pacto da Lei prefiguravam Jesus Cristo e o seu sacrifício ou os benefícios que este traz. — Hebreus 8:3-6; 9:9-14; 10:5-10.

Perguntas bíblicas respondidas:

2:11, 12 — Por que Jeová não aceitava o mel “como oferta feita por fogo”? O mel mencionado aqui não pode referir-se ao das abelhas. Embora esse mel não fosse permitido como “oferta feita por fogo”, estava incluído entre ‘as primícias dos produtos do campo’. (2 Crônicas 31:5) De modo que o mel mencionado no texto evidentemente era o suco, ou caldo, de frutas. Visto que esse tipo de mel podia fermentar, era inaceitável como oferta sobre o altar.
2:13 — Por que tinha de se oferecer sal junto “com toda oferta”? Não se fazia isso para aumentar o sabor dos sacrifícios. Em todo o mundo, o sal é usado como conservante. É possível que fosse apresentado com as ofertas por representar a ausência de corrupção e decomposição.
Lições para nós:
3:17. Visto que a gordura era considerada a melhor ou mais seleta parte, a proibição de comê-la evidentemente dava a entender aos israelitas que a melhor parte pertencia a Jeová. (Gênesis 45:18) Isso nos lembra que devemos dar o nosso melhor a Jeová. — Provérbios 3:9, 10; Colossenses 3:23, 24.

Lev. 1:9, 13
Sacrifícios que Deus aprova
11 Sob o pacto da Lei, para ter o Seu favor, o povo de Deus lhe oferecia sacrifícios aceitáveis. “Caso ofereçais a Jeová um sacrifício de participação em comum”, diz Levítico 19:5, “deveis sacrificá-lo para ganhar aprovação para vós”. Nesse mesmo livro bíblico lemos também: “Caso ofereçais um sacrifício de agradecimento a Jeová, deveis sacrificá-lo para ganhar aprovação para vós.” (Lev. 22:29) Quando os israelitas ofereciam sacrifícios animais adequados no altar de Jeová, a fumaça que subia era como “cheiro repousante” para o Deus verdadeiro. (Lev. 1:9, 13) Essas expressões de amor de seu povo ‘acalmavam’ e ‘reanimavam’ a Deus. (Gên. 8:21, nota) Nesses aspectos da Lei encontramos um princípio que se aplica nos nossos dias. Pessoas que oferecem sacrifícios aceitáveis a Jeová ganham a sua aprovação. Que sacrifícios ele aceita? Considere dois aspectos da vida: nossa conduta e nosso modo de falar.

Levítico 2:2
14 A oferta de cereais é descrita no capítulo 2 de Levítico. Era uma oferta voluntária de flor de farinha, usualmente umedecida com azeite, acrescentando-se olíbano. “O sacerdote tem de apanhar dela seu punhado de sua flor de farinha e de seu azeite, junto com todo o seu olíbano; e ele tem de fazê-la fumegar sobre o altar como lembrança dela, como oferta feita por fogo, de cheiro repousante para Jeová.” (Levítico 2:2) O olíbano era um dos ingredientes do incenso sagrado queimado no altar de incenso no tabernáculo e no templo. (Êxodo 30:34-36) Pelo visto, o Rei Davi pensava nisso quando disse: “Seja minha oração preparada como incenso diante de ti, a elevação das palmas das minhas mãos como a oferta de cereais da noitinha.” — Salmo 141:2.
Levítico 3:17
15 Outra oferta voluntária era o sacrifício de participação em comum, descrito no capítulo 3 de Levítico. O nome também pode ser traduzido como “um sacrifício de ofertas de paz”. No hebraico, a palavra “paz” denota muito mais do que apenas estar livre de guerra ou de perturbação. “Na Bíblia denota isso, bem como a condição ou relação de paz com Deus, prosperidade, alegria e felicidade”, diz o livro Studies in the Mosaic Institutions (Estudos nas Instituições Mosaicas). De modo que não se ofereciam sacrifícios de participação em comum para fazer as pazes com Deus, como que para apaziguá-lo, mas para expressar gratidão ou para celebrar a bendita condição de paz com Deus, usufruída pelos aprovados por ele. Os sacerdotes e o ofertante participavam do sacrifício depois de se terem oferecido a Jeová o sangue e a gordura. (Levítico 3:17; 7:16-21; 19:5-8) De maneira bela e simbólica, o ofertante, os sacerdotes e Jeová Deus participavam da refeição, indicando a relação pacífica existente entre eles.

Lev. 3:1, nota
11 Certos sacrifícios estipulados na Lei mosaica eram considerados ofertas de participação em comum. Significavam paz com Jeová. O ofertante e sua família comiam a carne do animal sacrificado, talvez num dos refeitórios do templo. O sacerdote celebrante e os outros sacerdotes a serviço no templo recebiam uma parte da carne. (Lev. 3:1, nota; 7:31-33) O adorador oferecia seu sacrifício motivado puramente pelo desejo de ter uma boa relação com Deus. Era como se o adorador, sua família, os sacerdotes e o próprio Jeová participassem alegremente numa refeição, em paz.
12 Haveria privilégio maior do que, simbolicamente falando, estender um convite a Jeová para uma refeição assim e ele o aceitar? É óbvio que nesse caso o anfitrião desejaria oferecer o seu melhor para um convidado tão honrado. A provisão dos sacrifícios de participação em comum, como parte da ‘estrutura da verdade’, apontava para o fato de que, por meio do sacrifício maior de Jesus, todos os humanos que desejam podem ter uma relação achegada e pacífica com o Criador. Hoje, podemos ter a amizade e a companhia de Jeová ao sacrificarmos voluntariamente nossos recursos e energias no seu serviço.

Lev 3:9
A Lei a Respeito da Gordura. No terceiro capítulo de Levítico, Jeová deu aos israelitas instruções a respeito do uso da gordura em sacrifícios de participação em comum. Ao oferecerem gado bovino ou cabritos, deviam fazer fumegar sobre o altar a gordura que cobre os lombos e os intestinos, e a que havia sobre os rins, bem como a gordurosa acrescência sobre o fígado. No caso das ovelhas, a inteira cauda gorda devia igualmente ser ofertada. (As ovelhas da Síria, da Palestina, da Arábia e do Egito têm cauda gorda, freqüentemente chegando a pesar 5 kg ou mais.) A Lei dizia especificamente: “Toda a gordura pertence a Jeová . . . Não deveis comer nenhuma gordura nem sangue algum.” — Le 3:3-17.
A gordura queimaria com intensidade e seria cabalmente consumida sobre o altar. Nenhuma gordura oferecida sobre o altar devia ser deixada até a manhã seguinte; provavelmente se estragaria e se tornaria malcheirosa, algo bem impróprio para qualquer parcela das ofertas sagradas. — Êx 23:18.

Levítico 3:17
Em Neemias 8:10, os judeus foram ordenados a ‘comer as coisas gordurosas’, embora a Lei declare em Levítico 3:17: “Não deveis comer nenhuma gordura.” Como podemos conciliar essas declarações?
Na língua original, as palavras traduzidas “as coisas gordurosas”, em Neemias 8:10, e “gordura”, em Levítico 3:17, são diferentes. A palavra hebraica hhélev, traduzida “gordura” em Levítico 3:17, refere-se à gordura de animais ou de homens. (Lev. 3:3; Juí. 3:22) O contexto do versículo 17 mostra que os israelitas não deviam comer as camadas de gordura ao redor dos intestinos e dos rins dos animais para sacrifício, nem a gordura sobre os lombos, porque “toda a gordura pertence a Jeová”. (Lev. 3:14-16) Portanto, a gordura dos animais oferecidos em sacrifício a Jeová não devia ser consumida.
Por outro lado, a palavra traduzida por “as coisas gordurosas”, em Neemias 8:10, é mash•man•ním, e esta é a única ocorrência da palavra nas Escrituras Hebraicas. É derivada do verbo shamén, que significa “ser gordo, engordar”. A idéia básica do grupo de palavras relacionadas com esse verbo parece ser prosperidade e bem-estar. (Note Isaías 25:6.) Uma das palavras mais comumente derivadas desse verbo é o substantivo shé•men, que em geral é traduzido “azeite” ou ‘azeite de oliva’. (Deut. 8:8, Bíblia na Linguagem de Hoje; Lev. 24:2) Como usado em Neemias 8:10, mash•man•ním parece referir-se a alimento preparado com grande quantidade de óleo e até mesmo incluir a carne com vestígios de gordura, mas não camadas de pura gordura animal.
Embora os israelitas fossem proibidos de consumir as camadas de gordura animal, eles podiam ingerir alimentos ricos e saborosos. Algumas coisas, como bolos de cereal, eram cozidas, não em gordura animal, mas em óleo vegetal, geralmente azeite de oliva. (Lev. 2:7) Assim, a obra Estudo Perspicaz das Escrituras explica que “coisas gordurosas” aqui “refere-se a porções ricas, coisas que não são magras ou secas, mas deliciosas, incluindo coisas gostosas preparadas com óleos vegetais”.
Naturalmente, os cristãos sabem que a proibição contra comer a gordura era parte da Lei. No entanto, eles não estão sujeitos à Lei, incluindo seus requisitos relacionados ao sacrifício de animais. — Rom. 3:20; 7:4, 6; 10:4; Col. 2:16, 17.

Lev 4:22
Embora os maiorais devessem ser respeitados, não estavam isentos de obedecer à lei de Deus. Quando pecavam contra a Lei, tinham de satisfazer os regulamentos dela a respeito de tais pecados. Por causa da sua posição de responsabilidade e do efeito da conduta, do exemplo e da influência deles sobre outros, fazia-se uma distinção nas suas individuais ofertas pelo pecado, pela violação desintencional duma ordem de Deus. Exigia-se do sumo sacerdote oferecer um novilho, devendo o maioral oferecer um cabritinho, e qualquer pessoa dentre os demais do povo, quer uma cabritinha, quer uma cordeirinha. — Le 4:3, 22, 23, 27, 28, 32.

Lev. 4:27, 28
9 Mas que dizer da situação em que a Lei mosaica exigia da pessoa uma oferta pelo pecado ou pela culpa devido a uma falha de sua parte? Você acha que a obrigatoriedade do sacrifício afetaria a disposição e atitude da pessoa em oferecê-lo? Haveria a possibilidade de esses sacrifícios terem sido oferecidos de má vontade? (Lev. 4:27, 28) Não, se a pessoa desejasse sinceramente preservar uma boa relação com Jeová.
10 De modo similar hoje, talvez descubra que irrefletidamente, sem querer ou por descuido, você pode ter ofendido um irmão. A sua consciência talvez o acuse de uma falha na sua conduta. Qualquer pessoa que leve a sério seu serviço a Jeová faria todo o possível para corrigir a falha, não é mesmo? Isso poderia significar pedir sinceras desculpas ao ofendido ou, em caso de transgressão grave, buscar a ajuda espiritual de amorosos superintendentes cristãos. (Mat. 5:23, 24; Tia. 5:14, 15) Portanto, corrigir um pecado cometido contra o próximo ou contra o próprio Deus tem o seu custo. No entanto, por meio de tais “sacrifícios” nós restauramos a relação com Jeová e com o nosso irmão e ganhamos uma consciência limpa. Isso, por sua vez, nos reafirma que os melhores caminhos são os de Jeová.

Levítico 5:1
De quem é a responsabilidade?
Quando os anciãos ficam sabendo de transgressões graves, chegam-se à pessoa envolvida para dar ajuda e correção necessárias. É responsabilidade dos anciãos julgar transgressores na congregação cristã. Eles mantêm-se vigilantes sobre a condição espiritual da congregação, a fim de ajudar e admoestar os que estão para dar um passo imprudente ou errado. — 1 Coríntios 5:12, 13; 2 Timóteo 4:2; 1 Pedro 5:1, 2.
Mas e se você não for ancião e souber de uma transgressão grave cometida por outro cristão? Há orientações sobre isso na Lei que Jeová deu à nação de Israel. A Lei declarava que se alguém testemunhasse atos de apostasia, sedição, assassinato ou outros crimes graves, era sua responsabilidade relatar isso e depor sobre o assunto. Levítico 5:1 diz: “Ora, caso uma alma peque por ter ouvido uma maldição pública, e seja testemunha, ou tenha presenciado isso ou veio a sabê-lo, então, se não o relatar, terá de responder pelo seu erro.” — Note Deuteronômio 13:6-8; Ester 6:2; Provérbios 29:24.
Embora não estejam sob a Lei mosaica, os cristãos na atualidade podem ser guiados pelos princípios encontrados nela. (Salmo 19:7, 8) Assim, se souber de uma transgressão grave de um concristão, o que deverá fazer?
Tratar do assunto
Primeiramente, é preciso que haja razão válida para crer que realmente houve uma transgressão grave. “Não te tornes sem base uma testemunha contra o teu próximo”, declarou um sábio. “Então terias de ser néscio com os teus lábios.” — Provérbios 24:28.
Talvez você decida ir diretamente aos anciãos. Não é errado fazer isso. Em geral, porém, o proceder mais amoroso é falar com a pessoa envolvida. Talvez as coisas não sejam o que parecem. Ou talvez o caso já esteja sendo cuidado pelos anciãos. Converse calmamente sobre o assunto com a pessoa. Se ainda há razão para crer que foi cometido um erro grave, encoraje-a a falar com os anciãos e pedir ajuda, e explique por que é sensato fazer isso. Não fale com outros sobre o assunto, pois isso seria tagarelice.
Se a pessoa não contar o problema aos anciãos depois de um período razoável, você deve contar. Um ou dois anciãos considerarão então o assunto com o acusado. Os anciãos têm de “pesquisar, e investigar, e indagar cabalmente” para confirmar que se cometeu um erro. Se esse for o caso, eles cuidarão do assunto segundo as orientações bíblicas. — Deuteronômio 13:12-14.

Levítico 5:1
15 Como já mencionamos, é importante manter confidência em certos assuntos, em especial quando outros dividem conosco seus sentimentos e pensamentos. É muito errado e danoso divulgar informações confidenciais sobre alguém. No entanto, quando é cometido um pecado grave, os que têm a obrigação bíblica de tratar do assunto — os anciãos na congregação — devem ser informados. (Leia Levítico 5:1.) Portanto, se soubermos de um irmão ou de uma irmã que se envolveu nesse tipo de transgressão, temos de incentivar tal pessoa a procurar os anciãos e buscar sua ajuda. (Tia. 5:13-15) Se ela não fizer isso dentro de um período razoável, porém, temos de relatar a transgressão.

Levítico 5:1
“Você estará protegendo um amigo se ajudá-lo a esconder seus pecados.” A verdade é que nós estaríamos prejudicando muito o pecador se o ajudássemos a esconder seus pecados. Cometer pecados graves é sinal de que a pessoa está espiritualmente doente; ocultar esses pecados é como esconder de um médico qualificado os sintomas de uma doença grave. (Tiago 5:14, 15) O transgressor talvez tenha medo de ser disciplinado, mas a disciplina é uma expressão do amor de Jeová e pode até mesmo salvar a vida dele. (Provérbios 3:12; 4:13) Além disso, o pecador que não mostra arrependimento pode representar um verdadeiro perigo para outros na congregação. Você gostaria de contribuir para que outros sejam afetados pela atitude errada que levou o transgressor ao pecado? (Levítico 5:1; 1 Timóteo 5:22) Portanto, faça o necessário para que o pecador leve o assunto aos anciãos da congregação.

Levítico 5:2-11
Ele leva em conta nossas limitações
“POR mais que eu me esforçasse, sempre achava que nunca era o suficiente.” Foi isso o que uma mulher disse sobre seus esforços para agradar a Deus. Será que Jeová Deus aceita o melhor que seus adoradores conseguem fazer? Ele leva em conta a capacidade e circunstâncias deles? Para responder a essas perguntas, vale a pena considerar o que a Lei mosaica diz em Levítico 5:2-11 sobre certas ofertas.
Sob a Lei, Deus exigia vários sacrifícios, ou ofertas, para expiar os pecados. Nos casos mencionados nessa passagem, a pessoa tinha pecado irrefletidamente ou sem intenção. (Versículos 2-4) Quando o assunto era trazido à sua atenção, ela precisava confessar o pecado e apresentar uma oferta pela culpa — “uma cordeira ou uma cabritinha”. (Versículos 5, 6) E o que dizer se a pessoa fosse pobre e não tivesse uma cordeira ou uma cabritinha para oferecer? Será que a Lei exigia que ela pedisse o animal a alguém, contraindo assim uma dívida? Ou teria de trabalhar para conseguir comprar o animal, adiando a expiação pelos seus pecados?
Refletindo a terna consideração de Jeová, a Lei dizia: “Se [ela], porém, não tiver recursos suficientes para trazer um ovídeo, então terá de trazer a Jeová, como sua oferta pela culpa, pelo pecado que cometeu, duas rolas ou dois pombos novos.” (Versículo 7) A frase “se . . . não tiver recursos suficientes” também pode ser traduzida “se . . . sua mão não alcançar”. Se um israelita fosse muito pobre e não conseguisse comprar uma ovelha, então Deus aceitava com prazer algo que estivesse ao alcance do ofertante — duas rolas ou dois pombos.
E se a pessoa não tivesse nem mesmo meios de comprar duas aves? “Então terá de trazer como sua oferta pelo pecado que cometeu a décima parte de um efa [oito ou nove xícaras] de flor de farinha como oferta pelo pecado”, dizia a Lei. (Versículo 11) Para quem era muito pobre, Jeová decidiu fazer uma exceção e permitir que a oferta pelo pecado fosse sem sangue. Em Israel, a pobreza não impedia ninguém de ter a bênção da expiação ou o privilégio de ficar em paz com Deus.
O que a lei das ofertas pela culpa nos ensina sobre Jeová? Que ele é um Deus compreensivo, que sente compaixão e que leva em conta as limitações de seus adoradores. (Salmo 103:14) Jeová deseja que nos acheguemos a ele e cultivemos um bom relacionamento com ele, mesmo que enfrentemos circunstâncias desafiadoras como idade avançada, saúde fraca, obrigações familiares ou outras. Podemos ser consolados por saber que Jeová Deus se agrada quando fazemos tudo o que está ao nosso alcance.

Levítico 5:7, 11
15 Considere outro exemplo da razoabilidade de Jeová, conforme manifestada na Lei mosaica. Se um israelita fosse tão pobre que não pudesse oferecer um cordeiro ou um bode como sacrifício, ele podia oferecer duas rolas ou dois pombos. Mas que dizer se o israelita fosse tão pobre que não tivesse condições de pagar nem mesmo dois pombos? Nesse caso, Jeová permitia que o necessitado oferecesse um pouco de farinha. No entanto, note este importante detalhe: não podia ser uma farinha qualquer, mas sim “flor de farinha”, o tipo usado para convidados de honra. (Gên. 18:6) Por que isso é significativo? — Leia Levítico 5:7, 11.
16 Bem, imagine que você seja israelita e muito pobre. Ao chegar ao tabernáculo com um pouco de farinha para oferecer como sacrifício, você nota israelitas mais abastados trazendo animais. Você talvez se sinta constrangido por causa de seu aparentemente insignificante sacrifício de farinha. Daí você se lembra que, aos olhos de Jeová, sua oferta é significativa. Por quê? Uma das razões é que Jeová exigia que a farinha fosse de alta qualidade. É como se Jeová dissesse aos israelitas mais pobres: ‘Eu sei que você não pode oferecer tanto como os outros, mas sei também que o que você está me dando é o seu melhor.’ Realmente, Jeová mostra razoabilidade por levar em conta as limitações e as circunstâncias de seus servos. — Sal. 103:14
Lev 5:15.
Todas as coisas santas para Jeová eram sagradas e não podiam ser encaradas levianamente ou usadas de modo comum, profano. Um exemplo disso é a lei a respeito do dízimo. Se um homem reservasse como dízimo uma parte, digamos, da sua safra de trigo, e depois ele ou um dos da sua família inadvertidamente tomasse parte dele para uso doméstico, tal como para cozinhá-lo, o homem era culpado de violar a lei de Deus a respeito de coisas sagradas. A Lei exigia que desse ao santuário uma compensação de quantidade igual, mais 20 por cento, além de oferecer como sacrifício um carneiro sadio do rebanho. Assim se gerava grande respeito pelas coisas sagradas pertencentes a Jeová. — Le 5:14-16.

Reunião de Serviço

15 min: Já tentou? Consideração, com participação da assistência. Primeiro, por meio de um discurso, recapitule brevemente as informações nos seguintes artigos recentes de Nosso Ministério do Reino: “Novas modalidades de testemunho em lugares públicos” (km7/13), “Como ajudar os que não acreditam em Deus ou na Bíblia” (km12/13) e “Use seu itinerário de revistas para abrir estudos bíblicos” (km1/14). Depois, convide os irmãos na assistência a comentar como têm aplicado as sugestões desses artigos e que benefícios tiveram por fazer isso.
15 min: “Agosto: um mês a ser lembrado!” Perguntas e respostas, pelo superintendente do serviço. Entregue um exemplar do novo folhetoOnde Encontrar as Respostas mais Importantes da Vida? para cada um na assistência e analise seu conteúdo. Fale sobre o que a congregação fará para cobrir o território.
Cântico 107 e oração

15 min: Já tentou?

Consideração, com participação da assistência. Primeiro, por meio de um discurso, recapitule brevemente as informações nos seguintes artigos recentes de Nosso Ministério do Reino: “Novas modalidades de testemunho em lugares públicos” (km7/13), “Como ajudar os que não acreditam em Deus ou na Bíblia” (km12/13) e “Use seu itinerário de revistas para abrir estudos bíblicos” (km1/14). Depois, convide os irmãos na assistência a comentar como têm aplicado as sugestões desses artigos e que benefícios tiveram por fazer isso.

^ ***km 7/13 pp. 4-6 Novas modalidades de testemunho em lugares públicos***

Novas modalidades de testemunho em lugares públicos

1 Os cristãos do primeiro século faziam mais do que pregar de casa em casa. Eles também pregavam publicamente. (Atos 20:20) Por exemplo, eles iam ao templo, sabendo que encontrariam muitas pessoas lá. (Atos 5:42) Quando esteve em Atenas, o apóstolo Paulo pregava às pessoas na feira todos os dias. (Atos 17:17) Hoje, nossa principal maneira de divulgar as boas novas continua a ser o ministério de casa em casa. Entretanto, também vamos a estacionamentos, lojas, parques, ruas movimentadas e outros lugares a fim de pregar às pessoas onde quer que estejam. Cada publicador é incentivado a pregar em lugares públicos onde for possível, e muitos terão a oportunidade de participar em duas novas e emocionantes modalidades de testemunho em lugares públicos.
2 Testemunho público especial em regiões metropolitanas: Como mencionado nas páginas 16 e 17 do Anuário de 2013, em novembro de 2011, começou em caráter experimental uma nova modalidade de testemunho em lugares públicos. Mesas e carrinhos com cartazes chamativos e publicações em vários idiomas foram posicionados estrategicamente em lugares com grande fluxo de pessoas na cidade de Nova York, Estados Unidos. Todos os dias, milhares de pessoas passam por ali, incluindo muitas que moram em condomínios fechados ou que, na maior parte do tempo, não estão em casa. Os resultados foram impressionantes. Num mês recente, foram distribuídos 3.797 revistas e 7.986 livros. Muitas pessoas pediram um estudo bíblico. Visto que o objetivo principal era iniciar estudos bíblicos, todos os endereços deixados pelos interessados foram imediatamente encaminhados às respectivas congregações para que essas pessoas fossem visitadas.
3 Em vista dos bons resultados, essa modalidade está sendo expandida por todo o mundo em cidades densamente povoadas. A sede local decidirá que cidades serão beneficiadas. Em geral são cidades com terminais de transporte ou com significativa concentração de prédios de escritórios ou de apartamentos, com grande fluxo de pessoas. Depois disso, a sede contatará as congregações que participarão e proverá mais informações. Geralmente nessa modalidade são usados pioneiros regulares e especiais, embora pioneiros auxiliares também sejam usados em alguns lugares.
4 Como é realizado: Os envolvidos no testemunho público especial em regiões metropolitanas em geral esperam que alguém venha até à mesa ou ao carrinho de publicações. Daí, quando uma pessoa se aproxima, ela é incentivada a pegar qualquer publicação que lhe interesse. Os pioneiros, usando as Escrituras, respondem prontamente quaisquer perguntas que a pessoa faça. Se ela pegar alguma publicação, os pioneiros não mencionam donativos. Mas se a pessoa perguntar como nossa obra é financiada, eles podem explicar que donativos podem ser enviados para o endereço mencionado na publicação. Quando possível, eles perguntam: “Gostaria que alguém lhe visitasse?” ou “Sabia que, levando a publicação, você tem direito a um curso bíblico de graça?”.
5 É muito recompensador participar nessa modalidade. Um casal escreveu: “Ficar ali na mesa e ver milhares de pessoas passarem todos os dias fez com que pensássemos na vasta obra que está sendo feita para alcançar pessoas em todo mundo. Ver essa massa de gente, e pensar em como Jeová realmente se importa com cada pessoa, fortaleceu nossa determinação de continuar a nos dedicar à obra de pregação. Imaginamos Jeová examinando o coração de todos aqueles que passam por nós e procurando os merecedores. Nós nos sentimos mais próximos dos anjos, nossos companheiros na pregação.”
6 Testemunho em lugares públicos organizado localmente: Além do testemunho público especial em regiões metropolitanas, outra nova modalidade está sendo organizada por muitos corpos de anciãos no território local da congregação. Nessa modalidade, os publicadores usam uma mesa ou um carrinho de publicações num lugar movimentado no território da congregação. Isso é diferente do testemunho público especial em regiões metropolitanas, que usa membros de várias congregações para pregar em áreas com grande fluxo de pessoas nas cidades escolhidas pela sede. — Veja o quadro “É preciso boa cooperação”.
7 Os anciãos devem considerar se o território da congregação possui áreas com grande fluxo de pessoas e definir se seria prático organizar o testemunho em lugares públicos. Mesas ou carrinhos de publicações podem ser usados em lugares como terminais de transporte, praças públicas, parques, ruas movimentadas, grandes shoppings, universidades, aeroportos e lugares onde são realizados eventos anuais. É vantajoso colocar uma mesa no mesmo lugar, nos mesmos dias e horários. Constatou-se que é mais eficaz ter mesas dentro de grandes shoppings do que fora de grandes lojas, visto que as pessoas que se encaminham para essas lojas estão pensando apenas em suas compras e acabam não reparando em nossos cartazes e publicações. Em alguns lugares, como em calçadas movimentadas, talvez seja mais adequado usar um pequeno carrinho de publicações. Os anciãos podem baixar de nosso site arquivos especiais dos cartazes das revistas A Sentinela e Despertai! e do livro Bíblia Ensina. Esses arquivos foram preparados especificamente para ser usados nessa modalidade de testemunho em lugares públicos. Os que participarão nesse serviço devem proceder de maneira semelhante aos que dão testemunho público especial em regiões metropolitanas e devem seguir de perto as orientações do superintendente do serviço. Se alguma pessoa interessada que não mora em seu território deixar seu endereço, eles devem prontamente preencher o formulário Queira Visitar (S-43) e entregá-lo ao secretário.
8 Participe no testemunho em lugares públicos:Algumas congregações talvez não tenham em seu território um local movimentado que justifique colocar uma mesa ou usar um carrinho de publicações. Mas, mesmo nessas congregações, os publicadores são incentivados a participar no testemunho em lugares públicos. Há alguma área comercial ou loja muito movimentada em seu território? Há algum parque ou outro lugar onde as pessoas costumam ir? Em seu território, são realizados eventos públicos periodicamente? Se existem locais ou situações assim, você ainda poderá participar no testemunho em lugares públicos.
9 É da vontade de Jeová que “toda sorte de homens sejam salvos e venham a ter um conhecimento exato da verdade”. (1 Tim. 2:4) Por isso, tentamos alcançar o máximo possível de pessoas com a mensagem do Reino antes que chegue o fim. (Mat. 24:14) Em muitos lugares é um desafio encontrar as pessoas em casa. Mas talvez seja possível falar com elas quando as encontramos em lugares públicos. O testemunho em lugares públicos talvez seja a única forma de terem oportunidade de ouvir as boas novas. Portanto, ‘efetuemos plenamente nosso ministério’ por pregar às pessoas onde quer que elas estejam. — 2 Tim. 4:5.

[Quadro na página 5]

É preciso boa cooperação

Tem-se relatado que publicadores de congregações vizinhas às vezes realizam o testemunho em lugares públicos na mesma rua, estacionamento, terminal de transporte ou na frente das mesmas lojas. Publicadores de congregações diferentes têm deixado revistas no mesmo saguão, sala de espera ou lavanderia e têm pregado nas mesmas lojas. Às vezes, isso tem irritado os comerciantes e a vizinhança, até quando os publicadores não estão pregando ali ao mesmo tempo. Por isso, geralmente é melhor permanecer no território designado da congregação quando for pregar em lugares públicos.
Se publicadores desejam pregar em lugares públicos no território de uma congregação vizinha, eles devem falar com seu superintendente do serviço. Daí, antes de os publicadores iniciarem a pregação ali, ele contatará o superintendente do serviço da outra congregação para obter permissão. Quando congregações de idiomas diferentes são designadas para pregar numa mesma área, os superintendentes do serviço devem se comunicar entre si para não irritar desnecessariamente as pessoas na vizinhança. Essa boa cooperação permitirá que “todas as coisas ocorram decentemente e por arranjo”. — 1 Cor. 14:40.

^ ***km 12/13 pp. 3-6 Como ajudar os que não acreditam em Deus ou na Bíblia***

Como ajudar os que não acreditam em Deus ou na Bíblia

1 Para que uma pessoa sirva a Jeová, ela precisa primeiro aprender o que a Bíblia ensina. Mas alguns não acreditam que ela é a Palavra de Deus porque são de religiões não cristãs. Já outros não acreditam que Deus existe e não acham que a Bíblia tem algum valor para eles. Que publicações podem ajudar aqueles que não se interessariam pelo livro Bíblia Ensina logo de início? Veja algumas sugestões baseadas nos comentários de irmãos de cerca de 20 países.
2 Os que não acreditam em Deus: Se uma pessoa diz que não acredita em Deus, podemos tentar descobrir o motivo. É por que ela acredita na evolução? Ela perdeu a fé em Deus porque vê muita injustiça no mundo ou hipocrisia na religião? A pessoa vem de um país em que a maioria das pessoas não acredita em Deus? Alguns que dizem não acreditar em Deus talvez na realidade nunca tenham sentido essa necessidade. Nesses casos, muitos publicadores costumam perguntar: “Você sempre pensou assim?” Daí, escutam o que a pessoa diz sem interromper. Quando conseguimos entender por que a pessoa não acredita em Deus, é mais fácil saber o que dizer ou que publicação oferecer. — Pro. 18:13.
3 Mostre respeito pela pessoa e pela opinião dela. Um publicador dos Estados Unidos recomendou: “É muito importante respeitar o direito de cada pessoa de decidir em que acreditar. Não queremos vencer debates. Então, é melhor fazer perguntas que levam a pessoa a pensar no assunto e a tirar suas próprias conclusões.” Um superintendente de circuito diz que, depois de ouvir a opinião da pessoa, costuma perguntar: “Já pensou na possibilidade de . . . ?”
4 Para muitos budistas, a ideia de um Criador supremo é um tanto estranha. Alguns publicadores na Grã-Bretanha gostam de usar a brochura Como Ter Verdadeira Paz e Felicidade ao pregar a eles. O publicador considera os primeiros parágrafos da brochura e depois as seções “Existe realmente um Criador supremo?” e “Um guia prático para beneficiar toda a humanidade”. Depois disso, ele talvez possa apresentar o livro Bíblia Ensina e dizer ao morador: “Mesmo que você não acredite em Deus, vale a pena estudar a Bíblia porque ela tem muitas orientações que podem melhorar sua vida.” Nos Estados Unidos, um pioneiro que trabalha no campo chinês disse: “Muitos no nosso território gostam de ler. Eles geralmente leem a publicação toda antes da próxima visita e gostam de conversar. Mas não veem a importância de ter um estudo da Bíblia. Por isso, acho interessante oferecer a brochura Boas Notíciasna primeira visita, porque ela foi escrita de um modo que deixa o morador à vontade para conversar.” Um superintendente de circuito no campo chinês nos Estados Unidos disse que um publicador pode até usar o livro Bíblia Ensina na primeira visita. Mas, em vez de iniciar o estudo no capítulo 1, que fala sobre Deus, é melhor usar o capítulo 2, que mostra que a Bíblia é um livro prático.
5 Além disso, é muito importante ter paciência, pois leva tempo para alguém desenvolver fé em Deus. A pessoa não vai se convencer de que existe um Criador logo na primeira conversa. Mas com o tempo ela talvez diga que essa é uma ideia razoável ou que entende por que alguns chegaram a essa conclusão.
6 Os que não se interessam pela Bíblia ou não acreditam nela: Muitas vezes, pessoas que reconhecem a existência de Deus não estão interessadas no que a Bíblia ensina porque não acreditam que ela seja a Palavra de Deus. Talvez vivam em países não cristãos e relacionem a Bíblia com a cristandade. Outras vivem em países conhecidos como cristãos, mas em que a religião não é levada a sério. Por causa disso, acham que a Bíblia não tem utilidade para elas. Como podemos ajudar essas pessoas a se interessar pela Bíblia e, com o tempo, aceitar um estudo no livro Bíblia Ensina?
7 O Betel da Grécia escreveu: “Uma excelente maneira de ajudar os que não têm interesse na Bíblia é simplesmente abri-la e mostrar ao morador o que ela ensina. Muitos publicadores perceberam que o poder que a Bíblia tem de influenciar o coração de uma pessoa é maior do que qualquer coisa que possam dizer. (Heb. 4:12) Muitas pessoas quiseram estudar a Bíblia depois de ver o nome de Deus escrito nela.” O Betel da Índia escreveu: “Muitos hindus se interessam em saber a verdade sobre a vida e a morte. A promessa da Bíblia, de um mundo sem discriminação de castas, ou grupos sociais, também os atrai.” Chamar a atenção para um problema local pode abrir a oportunidade de mostrar na Bíblia como o Reino de Deus resolverá esse problema.
8 Algumas pessoas não se interessam pela Bíblia porque estão decepcionadas com as religiões da cristandade. Nesse caso, deixe claro que as religiões da cristandade têm distorcido os ensinos da Bíblia. O Betel da Índia escreveu: “Às vezes, temos de ajudar as pessoas a entender que as igrejas não são donas da Bíblia.” Os irmãos ali disseram que os hindus geralmente ficam impressionados com a seção 4 da brochura Qual É o Objetivo da Vida? Como Encontrá-lo? porque ela explica como as igrejas tentaram corromper e destruir a Palavra de Deus. Um pioneiro no Brasil costuma dizer aos moradores: “Você nunca pensou em fazer uma pesquisa da Bíblia, sem compromisso religioso? Acho que você vai ficar surpreso com o que pode aprender.”
9 Jeová analisa o coração de cada pessoa e atrai os sinceros à adoração verdadeira. (1 Sam. 16:7; Pro. 21:2; João 6:44) Mas muitos desses sinceros nunca aprenderam sobre Deus ou não tiveram oportunidades de conhecer a Bíblia. A pregação dá a essas pessoas uma oportunidade de ‘serem salvas e terem um conhecimento exato da verdade’. (1 Tim. 2:4) De início, alguns talvez não tenham interesse em estudar o livro O Que a Bíblia Realmente Ensina?.Mas não desista! Continue a ajudar essas pessoas, usando alguma publicação que seja interessante para elas. Com o tempo, você talvez consiga passar para o livro Bíblia Ensina, nossa principal ajuda para dirigir estudos bíblicos.

[Quadro na página 4]

Se o morador diz que não acredita em Deus, tente o seguinte:

• Para descobrir o motivo, pergunte ao morador: “Você sempre pensou assim?”
• Se ele for budista, use as páginas 9-12 da brochuraComo Ter Verdadeira Paz e Felicidade.
• Se ele acredita na evolução, você pode usar:
A série “Teve um Projeto?”, na revista Despertai!
O vídeo As Maravilhas da Criação Revelam a Glória de Deus
A parte 4 da brochura Como Ter uma Vida Satisfatória ou as brochuras A Vida — Teve um Criador? e A Origem da Vida — Cinco Perguntas Que Merecem Resposta
• Se ele perdeu a fé em Deus por causa da injustiça e do sofrimento, você pode usar:
O capítulo 10 do livro Existe um Criador Que Se Importa com Você?
A parte 6 da brochura Importa-se Deus Realmente Conosco?, e a seção 6 da brochura Qual É o Objetivo da Vida? Como Encontrá-lo?
• Passe para o livro Bíblia Ensina quando o morador começar a achar razoável a ideia de que Deus existe. Talvez seja melhor começar com o capítulo 2 ou outro capítulo que ele ache interessante.

[Quadro na página 5]

Se o morador não acredita na Bíblia, tente o seguinte:

• Considere os capítulos 17 e 18 do livroA Vida — Qual a Sua Origem? A Evolução ou a Criação?.
• Para os hindus, use a brochura Por Que Devemos Adorar a Deus com Amor e Verdade?.
• Para os judeus, use as páginas 6-13 da brochuraHaverá Algum Dia um Mundo sem Guerra?.
• Converse sobre como os conselhos da Bíblia podem melhorar a vida. Estas são algumas das publicações que destacam o valor prático da Bíblia:
A série “Ajuda para a Família”, da Despertai!
O vídeo A Bíblia: O Poder Dela na Sua Vida
As seções 9 e 11 da brochura Boas Notícias de Deus para Você!, as páginas 22-26 da brochura Um Livro para Todas as Pessoas e a parte 2 da brochura Como Ter uma Vida Satisfatória
Para os budistas, use as páginas 3-7 da brochura O Caminho para a Paz e Felicidade.
Para os muçulmanos, use a seção 3 da brochuraVerdadeira Fé — O Segredo de uma Vida Feliz.
Se no seu território alguns têm preconceito contra a Bíblia, você não precisa dizer logo de início que os conselhos são baseados nela. Espere para dizer isso depois de algumas visitas.
• Fale sobre o cumprimento das profecias da Bíblia. Você pode usar as seguintes publicações:
O vídeo A Bíblia — História Exata, Profecias Confiáveis
As páginas 27-29 da brochura Um Livro para Todas as Pessoas
• Quando o morador fizer alguma pergunta sobre um ensino da Bíblia, você poderá passar para o livroBíblia Ensina.

[Quadro na página 6]

Se o morador disser que não acredita em Deus, você pode dizer:

• “Posso explicar rapidamente o que me convenceu de que existe um Criador?” Daí, mostre alguns pontos nas páginas 94-96 do livro Raciocínios ou traga uma publicação que você gostou de ler.
• “Mas e se Deus existisse, como você gostaria que ele fosse?” A maioria dos moradores talvez diga que gostaria que ele fosse um Deus de amor, justiça, compaixão e imparcial. Mostre na Bíblia que Deus tem essas qualidades. (Talvez seja possível mostrar o capítulo 1 do livro Bíblia Ensina, a partir do parágrafo 6.)

Se o morador disser que não acredita na Bíblia, você pode dizer:

• “Já ouvi muitas pessoas dizerem isso. Alguns acham que a Bíblia não tem nada a ver com a ciência ou que os padrões da Bíblia estão ultrapassados. Mas você já teve a oportunidade de ler a Bíblia? [Permita uma resposta. Depois mostre a introdução na página 3 da brochura Um Livro para Todas as Pessoas e depois a ofereça ao morador.] Muitos deixaram de acreditar na Bíblia porque a religião distorceu alguns dos ensinos dela. Na próxima vez que eu vier, gostaria de considerar um exemplo nas páginas 4 e 5.”
• “Muitas pessoas pensam como você. Será que posso mostrar na Bíblia algo que me deixou impressionado? [Leia Jó 26:7 ou Isaías 40:22, textos que mostram que a Bíblia é cientificamente exata.] A Bíblia também dá conselhos bons para ajudar as famílias. Eu gostaria de mostrar um desses conselhos na próxima vez que vier.”
• “Obrigado por sua sinceridade. Mas, se Deusrealmente tivesse escrito um livro para nós, o que você acha que ele diria?” Depois mostre um texto da Bíblia que esteja de acordo com o que a pessoa disse.

^ ***km 1/14 p. 3 Use seu itinerário de revistas para abrir estudos bíblicos***

Use seu itinerário de revistas para abrir estudos bíblicos

1 Muitas pessoas talvez não tenham interesse em um estudo bíblico, mas gostam de ler nossas revistas. Por isso, há muito tempo os publicadores são incentivados pela organização de Jeová a ter um itinerário de revistas. Quando leem regularmente as nossas revistas, as pessoas podem criar gosto pela Palavra de Deus. (1 Ped. 2:2) Com o tempo, algo nas revistas talvez toque o coração delas e as motive a aceitar um estudo bíblico.
2 ‘Regue’ as sementes da verdade: Em vez de simplesmente deixar as revistas e ir embora, envolva o morador na conversa e tente fazer amizade com ele. Conhecendo melhor as circunstâncias, interesses e crenças dele, poderá desenvolver conversas mais significativas. (Pro. 16:23) Prepare-se para cada visita. Se possível, destaque brevemente um ponto e um texto relacionado nas revistas, regando desse modo as sementes da verdade no coração dele. (1 Cor. 3:6) Anote a data de cada visita, as revistas deixadas e os assuntos e textos considerados.
3 Com que frequência voltar? Seria bom levar as revistas mais recentes pelo menos uma vez por mês. Mas, dependendo das suas circunstâncias e do interesse da pessoa, poderá visitá-la mais vezes. Por exemplo, uma ou duas semanas depois de deixar as revistas, poderá voltar e dizer: “Eu passei aqui para mostrar um ponto que achei interessante nas revistas que deixei com você.” Isso pode aumentar a vontade dela de ler algum artigo específico. Se ela já tiver lido, pergunte o que achou da matéria e faça algumas observações breves. Se a pessoa gosta de ler nossas publicações, você poderá voltar e mostrar a ela a oferta para o mês — tratado, brochura ou livro.
4 Não espere que a pessoa peça um estudo. Tome a iniciativa. Mesmo que ela tenha recusado estudar no passado, mostre de vez em quando a seção “Perguntas Bíblicas Respondidas” de A Sentinela e veja se ela está disposta a considerá-la. Talvez você possa iniciar um estudo na porta. Mas se não conseguir, continue levando as revistas para cultivar o interesse dela.

15 min: “Agosto: um mês a ser lembrado!”

Perguntas e respostas, pelo superintendente do serviço. Entregue um exemplar do novo folhetoOnde Encontrar as Respostas mais Importantes da Vida? para cada um na assistência e analise seu conteúdo. Fale sobre o que a congregação fará para cobrir o território.

AGOSTO: UM MÊS A SER LEMBRADO!

Um novo folheto será distribuído no mundo todo

1. Que campanha especial será realizada no mundo todo?
1 Em breve, vai fazer cem anos que nasceu o Reino de Deus. Por isso, agora é um momento excelente para honrar a Jeová por meio de uma campanha especial. Durante o mês de agosto, faremos a distribuição mundial do novo folheto Onde Encontrar as Respostas mais Importantes da Vida?. Esse folheto incentiva os leitores a procurar respostas em sua Bíblia e explica como o site jw.org pode ajudar.
2. Como podemos participar no “alto grito em louvor a Jeová” que será dado em agosto?
2 “Um alto grito em louvor a Jeová”: A fim de ajudar os publicadores batizados a fazer mais na pregação, uma provisão especial foi feita para os que desejam ser pioneiros auxiliares no mês de agosto. Eles poderão cumprir o requisito de 30 horas. Agosto terá cinco sextas-feiras, sábados e domingos, o que facilitará a muitos publicadores, que trabalham ou estudam durante a semana, serem pioneiros auxiliares. Se você tem um estudante que está fazendo progresso ou um filho que gostaria de ser publicador, não demore em falar com o coordenador do corpo de anciãos. Será muito animador eles participarem nesse mês tão importante já como publicadores! Apesar de muitos pioneiros regulares tirarem férias em agosto, depois de cumprir o requisito anual de horas, talvez eles possam ajustar sua programação para participar plenamente nessa campanha especial. As famílias devem desde já planejar como vão participar no “alto grito em louvor a Jeová” que será dado em agosto. — Esd. 3:11; Pro. 15:22.
3. O que podemos esperar dessa campanha especial?
3 Apesar de já termos feito campanhas assim, esperamos que essa seja inesquecível. Será que vamos alcançar auges de horas, publicadores e pioneiros auxiliares no último mês do ano de serviço de 2014? Jeová certamente abençoará os esforços de seu povo em dar o maior testemunho de todos os tempos no mês de agosto. — Mat. 24:14.

^ parágrafo 2 Esd. 3:11 E começaram a responder, louvando e agradecendo a Jeová, “porque ele é bom, pois a sua benevolência para com Israel é por tempo indefinido”. Quanto a todo o povo, eles deram um alto grito em louvor a Jeová por causa do lançamento do alicerce da casa de Jeová.
^ parágrafo 2 Pro. 15:22 Há frustração de planos quando não há palestra confidencial, mas na multidão de conselheiros há consecução.
^ parágrafo 3 Mat. 24:14 E estas boas novas do reino serão pregadas em toda a terra habitada, em testemunho a todas as nações; e então virá o fim.

Estudo de A Sentinela

“[Moisés] permanecia constante como que vendo Aquele que é invisível.” — HEB. 11:27.

COMO ‘VER AQUELE QUE É INVISÍVEL’ . . .

o protegerá contra o medo do homem?
o motivará a ter uma participação plena no serviço de pregação?
o ajudará a se manter firme durante a grande tribulação?

Referências e textos bíblicos


Êxodo 3:10;Êxodo 10:28;Êxodo 11:4-8;Êxodo 12:5-7;Hebreus 11:27-28;Mateus 5:8;Êxodo 3:11;Jó 28:28;Êxodo 4:11;Gênesis 12:17-19;Gênesis 41:14,39-41;Êxodo 1:22;Êxodo 2:1-10;Provérbios 29:25;Isaías 51:12-13;Êxodo 3:7-10;Mateus 10:18-20;Êxodo 12:3-7;Hebreus 11:28;Êxodo 18:1-6;Salmos 78:49-51;Êxodo 12:21;Revelação 14:7;Revelação 18:4;João 10:16;2 Coríntios 5:20;Revelação 7:1;Ezequiel 3:17-19;Lucas 10:25-37;Êxodo 14:10-12;Êxodo 14:4;Êxodo 14:13-14;Hebreus 11:29;Êxodo 14:31;Revelação 17:16;Ezequiel 38:10-12,14-16;Ezequiel 38:18-23;Joel 2:31-32;Deuteronômio 34:10;Provérbios 3:6;
9-15/6/2014 (w 15/4/2014)
- 1 -

(Êxodo 3:10) E agora vem, e deixa-me enviar-te a Faraó, e faze que meu povo, os filhos de Israel, saia do Egito.”
- 2 -

(Êxodo 10:28) De modo que Faraó lhe disse: “Sai da minha frente! Guarda-te! Não tentes ver novamente a minha face, porque no dia em que vires a minha face morrerás.”
(Êxodo 11:4-8) E Moisés prosseguiu, dizendo: “Assim disse Jeová: ‘Por volta da meia-noite sairei pelo meio do Egito, 5e terá de morrer todo primogênito na terra do Egito, desde o primogênito de Faraó que está sentado no seu trono, até o primogênito da serva que está junto ao moinho manual e todo primogênito de animal. 6E certamente virá a haver um grande clamor em toda a terra do Egito, tal como ainda nunca ocorreu, e tal como nunca mais ocorrerá. 7Mas nenhum cão agitará avidamente sua língua contra qualquer dos filhos de Israel, desde o homem até o animal; para que saibais que Jeová pode fazer distinção entre os egípcios e os filhos de Israel.’ 8E todos estes servos teus certamente descerão a mim e se prostrarão diante de mim, dizendo: ‘Vai, tu e todo o povo que segue as tuas pisadas.’ E depois é que sairei.” Com isso saiu de diante de Faraó em ira acesa.
(Êxodo 12:5-7) O ovídeo para vós deve mostrar-se sadio, macho de um ano. Podeis escolhê-lo dentre os carneirinhos ou dentre os cabritos. 6E terá de continuar a ser resguardado por vós até o dia quatorze deste mês, e toda a congregação da assembléia de Israel terá de abatê-lo entre as duas noitinhas. 7E terão de tomar do sangue e esparrinhá-lo sobre as duas ombreiras e sobre a parte superior do portal pertencente às casas em que o comerão.
(Hebreus 11:27-28) Pela fé abandonou o Egito, mas sem temer a ira do rei, porque permanecia constante como que vendo Aquele que é invisível. 28Pela fé tinha celebrado a páscoa e a aspersão do sangue, para que o destruidor não tocasse nos primogênitos deles.
- 3 -

(Mateus 5:8) “Felizes os puros de coração, porque verão a Deus.
- 4 -

(Êxodo 3:11) No entanto, Moisés disse ao [verdadeiro] Deus: “Quem sou eu para ir a Faraó e para ter de fazer os filhos de Israel sair do Egito?”
- 5 -

(Jó 28:28) E prosseguiu, dizendo ao homem: ‘Eis o temor de Jeová — isso é sabedoria, E desviar-se do mal é compreensão.’”
(Êxodo 4:11) A isso Jeová lhe disse: “Quem designou a boca ao homem ou quem designa o mudo, ou o surdo, ou o de vista clara, ou o cego? Não sou eu, Jeová?
- 6 -

(Gênesis 12:17-19) Jeová tocou então Faraó e os da sua casa com grandes pragas, por causa de Sarai, esposa de Abrão. 18Em vista disso, Faraó chamou Abrão e disse: “Que é isto que me fizeste? Por que não me informaste de que ela era a tua esposa? 19Por que disseste: ‘Ela é minha irmã’, de modo que eu estava para tomá-la por minha esposa? E agora, eis a tua esposa. Toma-a e vai-te!”
(Gênesis 41:14,39-41) E Faraó foi mandar chamar José, para que o trouxessem rapidamente da masmorra. Ele se barbeou então e trocou as suas capas, e entrou até Faraó. 39Faraó disse depois a José: “Visto que Deus te fez saber tudo isso, não há ninguém tão discreto e sábio como tu. 40Tu estarás pessoalmente sobre a minha casa, e todo o meu povo te obedecerá implicitamente. Somente com respeito ao trono serei maior do que tu.” 41E Faraó acrescentou a José: “Vê! Eu deveras te constituo sobre toda a terra do Egito.”
(Êxodo 1:22) Por fim, Faraó ordenou a todo o seu povo, dizendo: “Todo filho recém-nascido deveis lançar no rio Nilo, mas toda filha deveis preservar viva.”
(Êxodo 2:1-10) No ínterim, certo homem da casa de Levi foi e tomou uma filha de Levi. 2E a mulher ficou grávida e deu à luz um filho. Quando ela viu quão bem-parecido ele era, manteve-o escondido por três meses lunares. 3Quando não o pôde mais esconder, então tomou para ele uma arca de papiro e revestiu-a de betume e piche, e colocou nela o menino e a pôs entre os juncos à beira do rio Nilo. 4Além disso, a irmã dele postou-se a certa distância para descobrir o que seria feito dele. 5Depois de um tempo desceu a filha de Faraó para banhar-se no rio Nilo, e suas criadas de companhia andavam ao longo do rio Nilo. E ela avistou a arca no meio dos juncos. Enviou imediatamente a sua escrava para apanhá-la. 6Quando a abriu, pôde ver o menino, e eis que o rapazinho chorava. Teve por isso compaixão dele, embora dissesse: “Este é um dos meninos dos hebreus.” 7A irmã dele disse então à filha de Faraó: “Devo ir e chamar especialmente para ti uma ama dentre as mulheres hebréias, a fim de que amamente o menino para ti?” 8De modo que a filha de Faraó lhe disse: “Vai!” A donzela foi imediatamente e chamou a mãe do menino. 9A filha de Faraó disse-lhe então: “Toma contigo este menino e amamenta-o para mim, e eu mesma te darei teu salário.” Concordemente, a mulher tomou o menino e amamentou-o. 10E o menino cresceu. Trouxe-o então à filha de Faraó, de modo que se tornou filho para ela; e ela passou a chamá-lo pelo nome de Moisés e a dizer: “É porque o tirei da água.”
- 8 -

(Provérbios 29:25) Tremer diante de homens é o que arma um laço, mas quem confia em Jeová será protegido.
(Isaías 51:12-13) “Eu é que sou Aquele que vos consola. “Quem és tu para temer o homem mortal que morrerá, e o filho da humanidade que será constituído em mera erva verde? 13E para te esqueceres de Jeová, Aquele que te fez, Aquele que estendeu os céus e lançou o alicerce da terra, de modo que estiveste constantemente apavorado, o dia inteiro, por causa do furor daquele que [te] assediava, como se ele estivesse pronto para [te] arruinar? E onde está o furor daquele que [te] assediava?
- 9 -

(Êxodo 3:7-10) E Jeová acrescentou: “Indubitavelmente, tenho visto a tribulação do meu povo que está no Egito e tenho ouvido seu clamor por causa daqueles que os compelem a trabalhar; porque eu bem sei das dores que sofrem. 8E estou para descer, a fim de livrá-los da mão dos egípcios e para fazê-los subir daquela terra para uma terra boa e espaçosa, para uma terra que mana leite e mel, para o lugar dos cananeus, e dos hititas, e dos amorreus, e dos perizeus, e dos heveus, e dos jebuseus. 9E agora, eis que chegou a mim o clamor dos filhos de Israel e eu vi também a opressão com que os egípcios os oprimem. 10E agora vem, e deixa-me enviar-te a Faraó, e faze que meu povo, os filhos de Israel, saia do Egito.”
(Mateus 10:18-20) Ora, sereis arrastados perante governadores e reis, por minha causa, em testemunho para eles e para as nações. 19No entanto, quando vos entregarem, não fiqueis ansiosos quanto a como ou o que haveis de falar; porque naquela hora vos será dado o que haveis de falar; 20pois, quem fala não sois apenas vós, mas é o espírito de vosso Pai, que fala por meio de vós.
- 10 -

(Êxodo 12:3-7) Fala à assembléia inteira de Israel, dizendo: ‘No décimo dia deste mês devem tomar para si, cada um, um ovídeo por casa ancestral, um ovídeo por casa. 4Mas, se a família se mostrar pequena demais para o ovídeo, então ele e seu vizinho mais próximo terão de levá-lo para a sua casa, segundo o número de almas; deveis cada um calcular proporcionalmente ao que come, quanto ao ovídeo. 5O ovídeo para vós deve mostrar-se sadio, macho de um ano. Podeis escolhê-lo dentre os carneirinhos ou dentre os cabritos. 6E terá de continuar a ser resguardado por vós até o dia quatorze deste mês, e toda a congregação da assembléia de Israel terá de abatê-lo entre as duas noitinhas. 7E terão de tomar do sangue e esparrinhá-lo sobre as duas ombreiras e sobre a parte superior do portal pertencente às casas em que o comerão.
(Hebreus 11:28) Pela fé tinha celebrado a páscoa e a aspersão do sangue, para que o destruidor não tocasse nos primogênitos deles.
- 11 -

(Êxodo 18:1-6) Ora, Jetro, sacerdote de Midiã, sogro de Moisés, chegou a ouvir de tudo o que Deus tinha feito por Moisés e por Israel, seu povo, como Jeová fizera Israel sair do Egito. 2Assim, Jetro, sogro de Moisés, tomou Zípora, esposa de Moisés, depois de ela ter sido mandada embora, 3e os dois filhos dela, o nome de um sendo Gersom, “porque”, disse ele, “tornei-me residente forasteiro numa terra estrangeira”; 4e o nome do outro era Eliézer, “porque”, conforme disse, “o Deus de meu pai é meu ajudador, visto que me livrou da espada de Faraó”. 5Portanto, Jetro, sogro de Moisés, e os filhos e a esposa deste vieram ter com Moisés no ermo, onde estava acampado, junto ao monte do [verdadeiro] Deus. 6Então mandou dizer a Moisés: “Eu, teu sogro Jetro, vim ter contigo, e comigo estão também tua esposa e seus dois filhos com ela.”
(Salmos 78:49-51) Foi enviar sobre eles sua ira ardente, Fúria, e verberação, e aflição, Delegações de anjos trazendo calamidade. 50Ele passou a preparar uma senda para a sua ira. Não refreou a alma deles da própria morte; E entregou a vida deles à própria pestilência. 51Por fim golpeou todos os primogênitos no Egito, O princípio da sua faculdade de procriação, nas tendas de Cã.
(Êxodo 12:21) Moisés chamou prontamente todos os anciãos de Israel e disse-lhes: “Retirai e tomai para vós gado miúdo segundo as vossas famílias, e abatei a vítima pascoal.
- 12 -

(Revelação 14:7) dizendo com voz alta: “Temei a Deus e dai-lhe glória, porque já chegou a hora do julgamento por ele, e assim, adorai Aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.”
(Revelação 18:4) E ouvi outra voz saída do céu dizer: “Saí dela, povo meu, se não quiserdes compartilhar com ela nos seus pecados e se não quiserdes receber parte das suas pragas.
(João 10:16) “E tenho outras ovelhas, que não são deste aprisco; a estas também tenho de trazer, e elas escutarão a minha voz e se tornarão um só rebanho, um só pastor.
(2 Coríntios 5:20) Somos, portanto, embaixadores, substituindo a Cristo, como se Deus instasse por nosso intermédio. Rogamos, como substitutos de Cristo: “Sede reconciliados com Deus.”
- 13 -

(Revelação 7:1) Depois disso vi quatro anjos em pé nos quatro cantos da terra, segurando firmemente os quatro ventos da terra, para que nenhum vento soprasse sobre a terra, ou sobre o mar, ou sobre qualquer árvore.
- 14 -

(Ezequiel 3:17-19) “Filho do homem, constituí-te vigia para a casa de Israel, e terás de ouvir a fala procedente da minha boca e terás de avisá-los da minha parte. 18Quando eu disser ao iníquo: ‘Positivamente morrerás’, e tu realmente não o avisares e não falares para avisar o iníquo do seu caminho iníquo, a fim de preservá-lo vivo, ele, sendo iníquo, morrerá no seu erro, mas o seu sangue demandarei da tua própria mão. 19Mas, no que se refere a ti, se tiveres avisado o iníquo e ele realmente não recuar de sua iniqüidade e de seu caminho iníquo, ele é que morrerá pelo seu erro; mas tu, tu terás livrado a tua própria alma.
(Lucas 10:25-37) Então, eis que se levantou certo homem versado na Lei, para prová-lo, e disse: “Instrutor, por fazer o que hei de herdar a vida eterna?” 26Ele lhe disse: “O que está escrito na Lei? Como é que lês?” 27Em resposta, disse: “‘Tens de amar a Jeová, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de toda a tua força, e de toda a tua mente’, e, ‘o teu próximo como a ti mesmo’.” 28Ele lhe disse: “Respondeste corretamente; ‘persiste em fazer isso e obterás a vida’.” 29Mas, querendo mostrar-se justo, o homem disse a Jesus: “Quem é realmente o meu próximo?” 30Em resposta, Jesus disse: “Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e caiu entre salteadores, que tanto o despojaram como lhe infligiram golpes, e foram embora, deixando-o semimorto. 31Ora, por coincidência, certo sacerdote descia por aquela estrada, mas, quando o viu, passou pelo lado oposto. 32Do mesmo modo também um levita, quando, descendo, chegou ao lugar e o viu, passou pelo lado oposto. 33Mas, certo samaritano, viajando pela estrada, veio encontrá-lo, e, vendo-o, teve pena. 34De modo que se aproximou dele e lhe atou as feridas, derramando nelas azeite e vinho. Depois o pôs no seu próprio animal e o trouxe a uma hospedaria, e tomou conta dele. 35E no dia seguinte tirou dois denários, deu-os ao hospedeiro e disse: ‘Toma conta dele, e tudo o que gastares além disso, eu te pagarei de volta ao retornar para cá.’ 36Qual destes três te parece ter-se feito próximo do homem que caiu entre os salteadores?” 37Ele disse: “Aquele que agiu misericordiosamente para com ele.” Jesus disse-lhe então: “Vai e faze tu o mesmo.”
- 15 -

(Êxodo 14:10-12) Quando Faraó chegou perto, os filhos de Israel começaram a levantar os olhos e eis que os egípcios vinham marchando atrás deles; e os filhos de Israel ficaram muito amedrontados e começaram a clamar a Jeová. 11E passaram a dizer a Moisés: “É porque não há nenhumas sepulturas no Egito que nos trouxeste para cá, para morrermos no ermo? Que é que nos fizeste, conduzindo-nos para fora do Egito? 12Não foi esta a palavra que te falamos no Egito, dizendo: ‘Deixa-nos, para servirmos os egípcios’? Pois é melhor servirmos os egípcios do que morrermos no ermo.”
(Êxodo 14:4) Assim, hei de deixar o coração de Faraó ficar obstinado e ele certamente irá no encalço deles, e eu obterei glória para mim por meio de Faraó e todas as suas forças militares; e os egípcios saberão certamente que eu sou Jeová.” Concordemente, fizeram exatamente assim.
- 16 -

(Êxodo 14:13-14) Moisés disse então ao povo: “Não tenhais medo. Mantende-vos firmes e vede a salvação da parte de Jeová, que ele realizará hoje para vós. Pois os egípcios que hoje deveras vedes, nunca mais vereis, não, nunca mais. 14O próprio Jeová lutará por vós e vós mesmos ficareis calados.”
(Hebreus 11:29) Pela fé passaram através do Mar Vermelho como em terra seca, mas, quando os egípcios se aventuraram nele, foram tragados.
(Êxodo 14:31) Israel chegou também a ver a grande mão que Jeová pôs em ação contra os egípcios; e o povo começou a temer a Jeová e a ter fé em Jeová e em Moisés, seu servo.
- 17 -

(Revelação 17:16) E os dez chifres que viste, e a fera, estes odiarão a meretriz e a farão devastada e nua, e comerão as suas carnes e a queimarão completamente no fogo.
(Ezequiel 38:10-12,14-16) “Assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘E naquele dia terá de acontecer que subirão coisas ao teu coração e certamente inventarás um ardil maligno; 11e terás de dizer: “Subirei contra a terra campestre. Chegarei aos que têm sossego, morando em segurança, todos eles habitando sem muralha, e eles não têm nem mesmo tranca e portas.” 12Será para ganhar muito despojo e fazer grande saque, a fim de fazer a tua mão voltar aos lugares devastados, novamente habitados, e a um povo reunido dentre as nações, que está acumulando riqueza e bens, morando no meio da terra. 14“Portanto, profetiza, ó filho do homem, e tens de dizer a Gogue: ‘Assim disse o Soberano Senhor Jeová: “Não [o] saberás tu naquele dia quando meu povo de Israel morar em segurança? 15E hás de vir do teu lugar, das partes mais remotas do norte, tu e muitos povos contigo, todos eles montados em cavalos, uma grande congregação, sim, uma numerosa força militar. 16E forçosamente subirás contra o meu povo de Israel como nuvens cobrindo a terra. Isto ocorrerá na parte final dos dias, e eu certamente te trarei contra a minha terra, com o fim de que as nações me conheçam quando eu me santificar em ti perante os seus olhos, ó Gogue.”’
- 18 -

(Ezequiel 38:18-23) “‘E terá de acontecer naquele dia, no dia em que Gogue chegar ao solo de Israel’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová, ‘que meu furor me subirá no nariz. 19E terei de falar no meu fervor, no fogo da minha fúria. Naquele dia seguramente ocorrerá um grande tremor no solo de Israel. 20E, por minha causa, forçosamente tremerão os peixes do mar, e as criaturas voadoras dos céus, e os animais selváticos do campo, e todas as coisas rastejantes que se arrastam sobre o solo, e todo o gênero humano na superfície do solo, e realmente serão derrubados os montes e terão de cair os caminhos escarpados, e até mesmo toda muralha cairá por terra.’ 21“‘E vou chamar contra ele uma espada em toda a minha região montanhosa’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová. ‘A espada de cada um virá a ser contra o seu próprio irmão. 22E vou pôr-me em julgamento contra ele, com peste e com sangue; e farei cair um aguaceiro inundante e pedras de saraiva, fogo e enxofre sobre ele, e sobre as suas tropas, e sobre os muitos povos com ele. 23E eu hei de magnificar-me, e santificar-me, e dar-me a conhecer aos olhos de muitas nações; e terão de saber que eu sou Jeová.’
(Joel 2:31-32) O próprio sol será transformado em escuridão e a lua em sangue, antes de chegar o grande e atemorizante dia de Jeová. 32E terá de acontecer que todo aquele que invocar o nome de Jeová salvar-se-á; pois no monte Sião e em Jerusalém virão a estar os que escaparam, assim como Jeová disse, e entre os sobreviventes que Jeová está chamando.”
- 19 -

(Deuteronômio 34:10) Mas, nunca mais se levantou em Israel um profeta semelhante a Moisés, a quem Jeová conhecia face a face,
(Provérbios 3:6) Nota-o em todos os teus caminhos, e ele mesmo endireitará as tuas veredas.

Referências consultadas em: Watchtower Library 2013 CD‒ROM

Baixar o arquivo com todas as referências

Baixar o arquivo com todas as referências

Posts mais vistos

Bigamia - Definição, conceito, significado, o que é Bigamia

Bigamia: definições, conceitos e significados Definição de bigamia Bigamia. O status do homem ou a mulher casada com duas pessoas ao mesmo tempo. Não é permitido no mundo ocidental.
Bigamia é um termo jurídico que se refere à situação que ocorre quando uma pessoa entra em qualquer número de casamentos 'secundários', além do original, que é reconhecido legalmente; e você pode ser punido com prisão. Muitos países têm leis específicas que proíbe a bigamia e considerado crime qualquer casamento infantil.
Bigamia entra a classificação da poligamia, que é mais geral. Isso gera:
"O tipo de casamento em que é permitido para uma pessoa ser casada com várias pessoas ao mesmo tempo."
De acordo com esta definição:
• Poligamia decompõe-se em: "poli = muitos" e "veado = casamento", referindo-se aos "vários casamentos".
Tempo:
• Bigamia é decomposto em: "bi = dois" e "veado = casamento", referindo-se ao "apenas doi…

O que é demisexualidad | Conceitos de Psicologia.

O que é demisexualidad?Desde o final do século XX, a sexualidade tornou-se um muito menos tabu e colonizou todas as esferas da vida. Sexo na arte, ciência sexo, sexo na família e até mesmo na escola. Afinal, não há nada de errado: Se você falar mais de sexo, mais se sabe, vai ter menos preconceitos e é muito mais saudável e responsável.Os seres humanos são seres sexuais desde o nascimento até a nossa morte e, portanto, a sexualidade é parte de todos os aspectos de nossa personalidade. A sexualidade é muito mais do que atração sexual e relacionamentos, portanto, mesmo se uma pessoa não experimentar desejos sexuais de qualquer tipo, é um erro chamar assexuada e que, além de não sentir atração sexual, a pessoa continua a ser um ser sexual.
Mas vamos deixar de lado a assexualidade chamada e se concentrar por um momento sobre a demisexualidad. Sobre o que é isso? É uma condição física? Será que a orientação sexual? Ou o que?
O que é exatamente o demisexualidad?O demisexualidad não é …

Farmacologia - Definição, conceito, significado, o que é Farmacologia

Definição de compêndio de Farmacologia ‒ de conceitos e significados 1. Definição de farmacologia Farmacologia (em grego, pharmacon (φάρμακον), drogas e logos (λόγος), ciência) é a ciência que estuda a origem, as ações e as propriedades das substâncias químicas sobre organismos vivos. Em um sentido mais restrito, é considerado o estudo da farmacologia da droga, é que aqueles têm efeitos benéficos ou tóxicos. Farmacologia tem aplicações clínicas quando substâncias são utilizadas no diagnóstico, prevenção e tratamento de uma doença ou para alívio de seus sintomas.
Você também pode falar de farmacologia como o estudo unificado de propriedades de substâncias químicas e organismos vivos e todos os aspectos de suas interações, orientados para o tratamento, diagnóstico e prevenção de doenças.
Farmacologia como ciência engloba o conhecimento da história, origem e uso de drogas, bem como suas propriedades físicas e químicas, associações, efeitos da droga no corpo e o impacto d…