Nossas Reuniões Tudo Em Um (TEU) ‒ Semana A Começar Em 12 de maio

Todas as nossas reuniões em um: 12 de maio


--Escola do Ministério Teocrático
--Destaques da Bíblia
--Reunião de Serviço
--Estudo de Livro de Congregação
--Estudo de A Sentinela


Nossas Reuniões Tudo Em Um (TEU)


Estudo Bíblico de Congregação


Capítulo 7

Poder protetor — ‘Deus é para nós um refúgio’


- 1 -
Deuteronômio 8:15 te fez andar através do grande e atemorizante ermo de serpentes venenosas e de escorpiões, e de terra sedenta sem água, que te fez sair água da rocha de pederneira,
- 2 -
Êxodo 19:4 mesmos vistes o que fiz aos egípcios, para vos carregar sobre asas de águias e vos trazer a mim.
- 3 -
Deuteronômio 32:9-11 o quinhão de Jeová é seu povo; Jacó é o lote que ele herda. 10 Veio a achá-lo numa terra erma E num deserto vago, uivante. Começou a cercá-lo, a tomar conta dele, Para resguardá-lo como a menina de seu olho. 11 Assim como a águia remexe seu ninho, Paira sobre os seus filhotes, Estende as suas asas, toma-os, Carrega-os nas suas plumas,
Salmo 36:7 preciosa é a tua benevolência, ó Deus! E os próprios filhos dos homens se refugiam na sombra das tuas asas.
- 4 -
Gênesis 17:1 Quando Abrão atingiu a idade de noventa e nove anos, então apareceu Jeová a Abrão e lhe disse: “Eu sou o Deus Todo-poderoso. Anda diante de mim e mostra-te sem defeito.
- 5 -
Salmo 46:1 Deus é para nós refúgio e força, Uma ajuda encontrada prontamente durante aflições.
Tito 1:2 base duma esperança de vida eterna que Deus, que não pode mentir, prometeu antes dos tempos de longa duração,
- 6 -
Salmo 23:1 Jeová é o meu Pastor. Nada me faltará.
Salmo 100:3 que Jeová é Deus. Foi ele quem nos fez, e não nós a nós mesmos. [Somos] seu povo e ovelhas do seu pasto.
1 Samuel 17:34, 35 Davi prosseguiu, dizendo a Saul: “Teu servo tornou-se pastor de seu pai entre o rebanho, e chegou um leão, e também um urso, e [cada um] levou embora um ovídeo da grei. 35 E eu saí atrás dele e o golpeei, e [o] livrei da sua boca. Quando começou a se levantar contra mim, agarrei-o pela sua barba e o golpeei, e o entreguei à morte.
João 10:12, 13 empregado, que não é pastor e a quem não pertencem as ovelhas como suas próprias, observa o lobo vir e abandona as ovelhas, e foge — e o lobo as arrebata e espalha — 13 porque é um empregado e não se importa com as ovelhas.
- 7 -
Ezequiel 34:11-16 assim disse o Soberano Senhor Jeová: “Eis aqui estou, eu mesmo, e vou buscar as minhas ovelhas e cuidar delas. 12 Com o cuidado de alguém que apascenta a sua grei no dia em que chega a estar no meio das suas ovelhas que foram espalhadas, assim cuidarei das minhas ovelhas; e vou livrá-las de todos os lugares aos quais foram espalhadas no dia de nuvens e de densas trevas. 13 E vou fazê-las sair dentre os povos e reuni-las das terras, e vou fazê-las chegar ao seu solo e apascentá-las nos montes de Israel, junto aos regos e junto a todos os lugares de morada da terra. 14 Apascentá-las-ei num bom pasto e seu lugar de permanência virá a estar nos montes altos de Israel. Ali se deitarão num bom lugar de permanência e pastarão num pasto gordo sobre os montes de Israel.” 15 “‘“Eu mesmo apascentarei as minhas ovelhas e eu mesmo as farei deitar-se”, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová. 16 “Procurarei a perdida e trarei de volta a dispersa, e pensarei a quebrada e fortalecerei a doentia, mas aniquilarei a gorda e a forte. A esta apascentarei com julgamento.”
Isaías 40:11 pastor ele pastoreará a sua própria grei. Com o seu braço reunirá os cordeiros; e [os] carregará ao colo. Conduzirá [com cuidado] as que amamentam.
- 8 -
Provérbios 18:10 nome de Jeová é uma torre forte. O justo corre para dentro dela e recebe proteção.

Ir arriba

Escola do Ministério Teocrático


N.° 1: Êxodo 29:19-30


N.° 2: Jesus não dividiu a Lei mosaica em parte “cerimonial” e parte “moral” (rs p. 333 §4–p. 334 §1)

rs p. 333 §4–p. 334 §1 Sábado
Mat. 5:17, 21, 23, 27, 31, 38: “Não penseis que vim destruir a Lei ou os Profetas. Não vim destruir, mas cumprir.” Note agora o que Jesus incluiu nos seus comentários adicionais. “Ouvistes que se disse aos dos tempos antigos: ‘Não deves assassinar [Êxo. 20:13; o Sexto Mandamento]’ . . . Se tu, pois, trouxeres a tua dádiva ao altar [Deut. 16:16, 17; não faz parte dos Dez Mandamentos] . . . Ouvistes que se disse: ‘Não deves cometer adultério [Êxo. 20:14; o Sétimo Mandamento].’ Outrossim, foi dito: ‘Quem se divorciar de sua esposa, dê-lhe certificado de divórcio [Deut. 24:1; não faz parte dos Dez Mandamentos].’ Ouvistes que se disse: ‘Olho por olho e dente por dente [Êxo. 21:23-25; não faz parte dos Dez Mandamentos].’” (Portanto, Jesus misturou referências aos Dez Mandamentos com referências a outras partes da Lei, sem fazer distinção entre eles. Devemos nós diferenciá-los?)
Quando se perguntou a Jesus: “Instrutor, qual é o maior mandamento na Lei?” será que ele isolou os Dez Mandamentos? Ao contrário, replicou: “‘Tens de amar a Jeová, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua mente.’ Este é o maior e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é: ‘Tens de amar o teu próximo como a ti mesmo.’ Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas.” (Mat. 22:35-40) Se alguns se apegarem aos Dez Mandamentos (Deut. 5:6-21), dizendo que são obrigatórios aos cristãos, mas que o resto não é, não estão realmente rejeitando o que Jesus disse (citando de Deut. 6:5; Lev. 19:18) sobre quais são os maiores mandamentos?

N.° 3: Abraão — Obediência, abnegação e coragem são qualidades que agradam a Jeová (it-1 p. 28 §§1-4)

it-1 p. 28 §§1-4 Abraão
Peregrinação em Canaã. Tendo então 75 anos, Abraão passou a mudar sua família de Harã para a terra de Canaã, onde viveu os restantes cem anos de sua vida, em tendas, como residente temporário e migrante. (Gên 12:4) Foi depois da morte de seu pai Tera que Abraão saiu de Harã, em 1943 AEC, e atravessou o rio Eufrates, evidentemente no dia 14 do mês que mais tarde veio a ser conhecido como nisã. (Gên 11:32; Êx 12:40-43, LXX) Foi nessa época que entrou em vigor o pacto entre Jeová e Abraão, e começou o período de 430 anos de residência temporária, até se começar a celebrar o pacto da Lei, com Israel. — Êx 12:40-42; Gál 3:17.
Evidentemente, Abraão, com seus rebanhos e suas manadas, passou por Damasco e prosseguiu até chegar a Siquém (situada a 48 km ao N de Jerusalém), perto das grandes árvores de Moré. (Gên 12:6) Aqui Jeová apareceu de novo a Abraão, confirmando e ampliando Sua promessa pactuada por declarar: “Vou dar esta terra à tua descendência.” (Gên 12:7) Abraão não só construiu um altar para Jeová aqui, mas, ao ir para o sul, atravessando o país, construiu outros altares pelo caminho; e invocava o nome de Jeová. (Gên 12:8, 9) Com o tempo, uma severa fome obrigou Abraão a mudar-se temporariamente para o Egito, e, a fim de proteger sua vida, apresentou Sara como sua irmã. Isto resultou em Faraó levar a bela Sara para sua casa, para ser sua esposa, mas, antes que pudesse violá-la, Jeová fez com que Faraó a devolvesse. Abraão voltou então para Canaã, para o lugar do acampamento entre Betel e Ai, e de novo invocou “o nome de Jeová”. — Gên 12:10-13:4.
Tornou-se então necessário, devido ao tamanho crescente de seus rebanhos e de suas manadas, que Abraão e Ló se separassem. Ló escolheu a bacia do baixo Jordão, região bem regada, “semelhante ao jardim de Jeová”, e mais tarde montou seu acampamento perto de Sodoma. (Gên 13:5-13) Abraão, de sua parte, depois de lhe ser dito que percorresse o país em toda a sua extensão, passou a morar entre as grandes árvores de Manre, em Hébron, cerca de 30 km ao SSO de Jerusalém. — Gên 13:14-18.
Quando quatro reis aliados, chefiados pelo rei elamita Quedorlaomer, tiveram êxito em esmagar uma revolta de cinco reis cananeus, Sodoma e Gomorra foram saqueadas, e Ló foi levado cativo, junto com todos os seus bens. Abraão, ao saber disso, rapidamente juntou 318 de seus servos domésticos treinados. Junto com os seus confederados, Aner, Escol e Manre, fez uma marcha forçada em intensa perseguição deles por talvez tantos quantos 300 km em direção ao norte, para além de Damasco, e, com a ajuda de Jeová, derrotou uma força muito superior. Ló foi assim liberto e recuperaram-se os bens roubados. (Gên 14:1-16, 23, 24) Enquanto Abraão voltava dessa grande vitória, um “sacerdote do Deus Altíssimo”, Melquisedeque, que também era o rei de Salém, saiu e o abençoou, e Abraão, por sua vez, “deu-lhe um décimo de tudo”. — Gên 14:17-20.

Ir arriba

Destaques da Bíblia


Destaques do livro de Êxodo 27-29


Êxodo 27:20
Por que as oliveiras eram tão valorizadas nos tempos bíblicos?
▪ As oliveiras e os vinhedos estavam entre as bênçãos que Deus prometeu a seu povo por serem leais a ele. (Deuteronômio 6:10, 11) Até hoje, a oliveira é muito valorizada nas regiões onde cresce. Ela pode produzir em grande quantidade por centenas de anos sem precisar de muitos cuidados. Uma árvore cultivada pode florescer até mesmo em solo rochoso e aguentar secas frequentes. Se ela for derrubada, sua raiz dá vários brotos que podem se desenvolver em novas árvores.
Nos tempos bíblicos, a casca e as folhas da oliveira eram valorizadas porque podiam ser usadas para baixar a febre. Além disso, a resina que sai dos ramos velhos tem cheiro de baunilha e era usada para fazer perfumes. Mas essa árvore era valorizada principalmente como fonte de alimento — suas azeitonas e em especial seu azeite. Metade da polpa de uma azeitona madura é puro azeite.
Uma boa árvore podia produzir cerca de 60 litros de azeite por ano. O azeite também era usado como cosmético para o corpo e o cabelo, como bálsamo para feridas e contusões, para iluminação e em cerimônias e eventos religiosos. — Êxodo 27:20; Levítico 2:1-7; 8:1-12; Rute 3:3; Lucas 10:33, 34.

Êxodo 28:1
5 Jeová tomou outras providências para cuidar das necessidades espirituais de seu povo. Mesmo antes de chegarem à Terra Prometida, Ele ordenou que construíssem o tabernáculo, o centro da adoração verdadeira. Providenciou também um sacerdócio para ensinar a Lei, para oferecer sacrifícios de animais e para queimar incenso de manhã e à noite. Deus empossou o irmão mais velho de Moisés, Arão, como o primeiro sumo sacerdote de Israel, e designou os filhos de Arão para ajudá-lo a cumprir seus deveres. — Êxodo 28:1; Números 3:10; 2 Crônicas 13:10, 11.

Êxodo 28:36
6 Nosso coração não está naturalmente inclinado para a castidade. Temos de direcioná-lo nesse sentido. Um modo de fazer isso é meditar sobre o verdadeiro valor da castidade. Essa qualidade está intimamente relacionada com a santidade, que significa limpeza, pureza, ausência da pecaminosidade. A santidade é uma qualidade preciosa, sendo parte da própria natureza de Jeová Deus. Centenas de versículos bíblicos associam essa qualidade com Jeová. Realmente, a Bíblia diz que “a santidade pertence a Jeová”. (Êxodo 28:36) No entanto, o que essa elevada qualidade tem a ver conosco, humanos imperfeitos?
7 Jeová nos diz na sua Palavra: “Tendes de ser santos, porque eu sou santo.” (1 Pedro 1:16) Podemos sim imitar a santidade de Jeová; podemos ser limpos diante dele por mantermos a nossa castidade. Portanto, quando nos refreamos de atos impuros, aviltantes, procuramos alcançar um privilégio elevado e emocionante — o de refletir uma característica bela do Deus Altíssimo! (Efésios 5:1) Não devemos presumir que isso esteja além do nosso alcance, porque Jeová é um Amo sábio e razoável, que nunca exige de nós mais do que podemos fazer. (Salmo 103:13, 14; Tiago 3:17) É verdade que continuar espiritual e moralmente casto exige esforço. No entanto, o apóstolo Paulo observou que ‘a sinceridade e a castidade se devem ao Cristo’. (2 Coríntios 11:3) Não devemos a Cristo e a seu Pai a obrigação de fazer todo esforço possível para nos manter moralmente castos? Afinal, seria impossível retribuir-lhes plenamente todo o amor que demonstraram por nós. (João 3:16; 15:13) Temos o privilégio de expressar nossa gratidão por levarmos uma vida moralmente limpa. Ao meditarmos assim sobre a castidade, passaremos a dar valor a ela, protegendo o nosso coração.

Êxodo 28:36, 37
2 No hebraico bíblico, a palavra “santo” transmite a idéia de separado. Na adoração, “santo” se aplica ao que é separado do uso comum, ou ao que é tido como sagrado. Jeová é santo em sentido absoluto. Ele é chamado de “Santíssimo”. (Provérbios 9:10; 30:3) No Israel antigo, o sumo sacerdote usava uma lâmina de ouro presa no turbante, com as palavras “a santidade pertence a Jeová” gravadas nela. (Êxodo 28:36, 37) Querubins e serafins celestiais, postados ao redor do trono de Jeová, são retratados nas Escrituras proclamando: “Santo, santo, santo é Jeová.” (Isaías 6:2, 3; Revelação [Apocalipse 4:6-8]) Essa repetição enfatiza que Jeová é santo, limpo e puro no grau superlativo. De fato, ele é a Fonte de tudo o que é sagrado.
3 O nome de Jeová é sagrado, ou santo. O salmista exclamou: “Elogiem eles o teu nome. Grande e atemorizante, santo ele é.” (Salmo 99:3) Jesus nos ensinou a orar: “Nosso Pai nos céus, santificado seja o teu nome [ou: “seja tido por sagrado; seja tratado como santo”, nota].” (Mateus 6:9) Maria, mãe de Jesus, declarou: “Minha alma magnifica a Jeová . . . o Poderoso tem feito grandes ações para comigo, e santo é o seu nome.” (Lucas 1:46, 49) Como servos de Jeová, consideramos sagrado o nome dele e evitamos fazer qualquer coisa que possa desonrar esse nome santo. Além disso, temos o mesmo conceito de Jeová sobre santidade, ou seja, consideramos sagradas as coisas que são sagradas para ele. — Amós 5:14, 15.

Êxodo 28:36
11 Será que Jeová não poderia simplesmente ter perdoado Adão e Eva? O perdão nunca foi uma opção nesse caso. Como humanos perfeitos, Adão e Eva decidiram de modo proposital rejeitar a soberania de Jeová em favor da liderança de Satanás. Não é de admirar que não tenha havido nenhum sinal de arrependimento da parte desses rebeldes. Contudo, quando uma pessoa pergunta por que Jeová não os perdoou, o que ela na realidade quer saber é por que Ele simplesmente não foi menos exigente e tolerou a existência do pecado e da rebelião. A resposta envolve uma qualidade essencial à própria natureza de Jeová: a sua santidade. — Êxodo 28:36; 39:30.
12 A Bíblia enfatiza a santidade de Jeová centenas de vezes. Mas, infelizmente, poucas pessoas neste mundo corrupto entendem essa qualidade. Jeová é limpo, puro e alheio a toda pecaminosidade. (Isaías 6:3; 59:2) Ele providenciou um meio de remir o pecado, eliminá-lo, mas não o tolerará para sempre. Se fosse da vontade de Jeová tolerar eternamente o pecado, não teríamos esperança para o futuro. (Provérbios 14:12) No seu devido tempo, Jeová restaurará toda a criação a um estado de santidade. Isso é certo, pois é a vontade do Deus Santo.

Êx 28:39
As Vestes do Cargo. Além de usar vestes de linho similares às dos subsacerdotes nas suas atividades usuais (Le 16:4), o sumo sacerdote usava em certas ocasiões vestes especiais de glória e de beleza. Os capítulos 28 e 39 de Êxodo descrevem tanto o feitio como a confecção destas vestes sob a direção de Moisés, conforme ordenado por Deus. A veste mais íntima (exceto os calções de linho que iam “desde os quadris até às coxas”, usados por todos os sacerdotes “para cobrir a carne nua”; Êx 28:42) era a veste comprida (hebr.: kut•tó•neh) feita de linho fino (provavelmente branco) em tecido enxadrezado. Esta veste comprida parece ter tido mangas compridas e ter chegado até os tornozelos. Era provavelmente inteiriça. Uma faixa de linho fino retorcido, tecida com fios azuis, roxos e carmíneos, cingia o corpo, provavelmente à altura da cintura. — Êx 28:39; 39:29.
O turbante, evidentemente diferente da cobertura para a cabeça dos subsacerdotes, também era de linho fino. (Êx 28:39) Na dianteira do turbante estava presa uma lâmina lustrosa de ouro, tendo gravadas nela as palavras: “A santidade pertence a Jeová.” (Êx 28:36) Esta lâmina era chamada de “sinal sagrado de dedicação”. — Êx 29:6; 39:30.

Êxo. 28:42, 43
Mostrar dignidade na adoração
17 Devemos mostrar dignidade em especial na adoração a Jeová. “Guarda os teus pés, sempre que fores à casa do verdadeiro Deus”, diz Eclesiastes 5:1. Foi dito tanto a Moisés como a Josué que tirassem as sandálias quando pisassem num lugar sagrado. (Êxo. 3:5; Jos. 5:15) Fazer isso era uma demonstração de respeito e reverência. Sacerdotes israelitas eram obrigados a usar calções de linho para “cobrir a carne nua”. (Êxo. 28:42, 43) Isso evitava qualquer exposição indecente quando servissem junto ao altar. Todos os membros de uma família sacerdotal deviam se apegar ao padrão divino de dignidade.

Êxo. 29:5-7
2 Naturalmente, os pastores judeus sabiam que a palavra “Messias”, ou “Cristo”, se referia ao “Ungido” de Deus. (Êxo. 29:5-7) Mas como poderiam aprender mais e convencer outros de que o bebê mencionado pelo anjo seria o Messias designado por Jeová? Por examinar profecias das Escrituras Hebraicas e compará-las com as atividades e a vida dessa criança.

Êxodo 29:6
2 No entanto, o que significa “dedicação” em sentido bíblico? “Dedicar” traduz um verbo hebraico que tem o sentido de “manter apartado (separado); estar apartado; recolher-se”. No Israel antigo, o Sumo Sacerdote Arão usava no seu turbante “o sinal sagrado de dedicação”, que era uma brilhante lâmina de ouro puro, com as palavras “Santidade pertence a Jeová”, em hebraico, gravadas nela. Isto servia de lembrete para o sumo sacerdote, de que tinha de evitar fazer algo que profanasse o santuário, “porque [havia] sobre ele o sinal de dedicação, o óleo de unção de seu Deus”. — Êxodo 29:6; 39:30; Levítico 21:12.

Êxo. 29:38-42
14 Jesus é “o Cordeiro de Deus”. (João 1:29, 36) Na Bíblia, as ovelhas desempenharam um papel importante no perdão de pecados e na aproximação a Deus. Por exemplo, depois que Abraão mostrou que estava determinado a oferecer seu filho, foi-lhe dito que não causasse dano ao rapaz e, em lugar de Isaque, foi-lhe provido um carneiro. (Gên. 22:12, 13) Quando os israelitas foram libertados do Egito, as ovelhas de novo desempenharam um papel importante, dessa vez como parte da “páscoa de Jeová”. (Êxo. 12:1-13) Além disso, a Lei mosaica previa o sacrifício de vários animais, incluindo ovelhas e cabritos. — Êxo. 29:38-42; Lev. 5:6, 7.
15 Nenhum desses sacrifícios — de fato, nenhum sacrifício oferecido por humanos — poderia trazer alívio permanente do pecado e da morte. (Heb. 10:1-4) Jesus, por outro lado, é “o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”. Só isso já faz de Jesus um tesouro que suplanta qualquer tesouro material já encontrado. Portanto, é bom tirar tempo para estudar cabalmente o tema do resgate e exercer fé nessa provisão maravilhosa. Por fazermos isso, podemos esperar receber uma grande bênção e recompensa — glória e honra com Cristo no céu para o “pequeno rebanho” e vida eterna no Paraíso na Terra para as “outras ovelhas”. — Luc. 12:32; João 6:40, 47; 10:16.

Ir arriba

Reunião de Serviço


Cântico 75
15 min: Todas as nações se achegarão à adoração verdadeira. (Isa. 2:2) Entreviste dois publicadores, um que esteja na verdade há muitos anos e outro que esteja há relativamente pouco tempo. O que fez com que eles se interessassem pela verdade? Que desafios tiveram de enfrentar? O que mais chamou a atenção deles na primeira vez que assistiram a uma reunião? Que lembrança eles têm da primeira vez que saíram à pregação? Como os outros irmãos da congregação os ajudaram a fazer progresso espiritual?
15 min: “Como Ser um Publicador Melhor — Prepare bem sua introdução.” Consideração, com participação da assistência. Faça uma demonstração breve de duas partes. Primeiro mostre uma introdução que não foi bem preparada e depois, uma que foi bem preparada. Conforme o tempo permitir, inclua alguns pontos importantes daspáginas 215-219 do livro Escola do Ministério.
Cântico 117 e oração

15 min: Todas as nações se achegarão à adoração verdadeira. (Isa. 2:2)

Entreviste dois publicadores, um que esteja na verdade há muitos anos e outro que esteja há relativamente pouco tempo. O que fez com que eles se interessassem pela verdade? Que desafios tiveram de enfrentar? O que mais chamou a atenção deles na primeira vez que assistiram a uma reunião? Que lembrança eles têm da primeira vez que saíram à pregação? Como os outros irmãos da congregação os ajudaram a fazer progresso espiritual?
^ Isa. 2:2 E na parte final dos dias terá de acontecer [que] o monte da casa de Jeová ficará firmemente estabelecido acima do cume dos montes e certamente se elevará acima dos morros; e a ele terão de afluir todas as nações.

15 min: “Como Ser um Publicador Melhor — Prepare bem sua introdução.”

Consideração, com participação da assistência. Faça uma demonstração breve de duas partes. Primeiro mostre uma introdução que não foi bem preparada e depois, uma que foi bem preparada. Conforme o tempo permitir, inclua alguns pontos importantes daspáginas 215-219 do livro Escola do Ministério.

COMO SER UM PUBLICADOR MELHOR — PREPARE BEM SUA INTRODUÇÃO

Por que é importante: 

Se a nossa introdução não chamar a atenção do morador, ele pode terminar a conversa antes de conseguirmos falar algum ponto bíblico. Assim, muitos publicadores acham que as primeiras palavras são a parte mais importante de sua apresentação. É verdade que temos exemplos de apresentações em Nosso Ministério do Reino e no livro Raciocínios. Para que possamos ser flexíveis, esses exemplos nem sempre incluem uma introdução completa. Mas, mesmo que uma apresentação-modelo esteja completa, os publicadores podem decidir fazer alguma alteração ou preparar sua própria apresentação. Então, vamos nos sair melhor se prepararmos bem as nossas primeiras palavras, em vez de dizer qualquer coisa que venha à nossa mente quando o morador nos atender. — Pro. 15:28.

Como fazer:

• Escolha um assunto com base na publicação que será oferecida e que seja de interesse das pessoas no território.
• Prepare com cuidado as primeiras frases que dirá logo depois de cumprimentar o morador. Talvez possa dizer: “O motivo de eu visitá-lo é . . . ”, “Muitos estão preocupados com . . . ”, “Gostaria de saber sua opinião sobre . . . ” ou algo parecido. As frases curtas e simples normalmente são as melhores. Alguns publicadores preferem decorar a introdução.
• Faça uma pergunta de ponto de vista que leve o morador a participar da conversa. (Mat. 17:25) Lembre-se de que o morador estava pensando em outras coisas antes de você chegar, então não faça uma pergunta muito complicada ou que deixe o morador sem graça.

Durante este mês, tente o seguinte:

• Reserve parte do tempo da adoração em família para preparar e ensaiar as primeiras palavras que você vai usar.
• Na pregação, comente com os outros irmãos o que você planejou dizer. (Pro. 27:17) Mude de introdução se ela não estiver dando bons resultados.
^ Pro. 15:28 O coração do justo medita a fim de responder, mas a boca dos iníquos borbulha com coisas más.
^ Mat. 17:25 Ele disse: “Sim.” No entanto, quando entrou na casa, Jesus adiantou-se-lhe por dizer: “O que achas, Simão? De quem recebem os reis da terra os direitos ou o imposto por cabeça? Dos seus filhos ou dos estranhos?”
^ Pro. 27:17 O ferro se aguça com o próprio ferro. Assim um homem aguça a face de outro.

^ ***be p. 215-p. 219 Introdução que desperta interesse***

Estudo 38

Introdução que desperta interesse

O que você deve fazer?

Nas primeiras frases, dizer algo que capte a atenção da assistência e contribua diretamente para alcançar o seu objetivo.

Por que é importante?

A introdução pode determinar se certas pessoas vão escutar o que se diz e com quanta atenção o farão.
A INTRODUÇÃO é uma parte fundamental de qualquer discurso. Se você realmente despertar o interesse dos ouvintes, eles estarão mais propensos a ouvir com atenção o que se seguirá. No ministério de campo, se a sua introdução não despertar o interesse, talvez não consiga prosseguir com a apresentação. Num discurso no Salão do Reino, as pessoas não vão deixar o local, mas talvez comecem a pensar em outras coisas, se você não tiver cativado seu interesse.
Ao preparar a introdução, tenha em mente os seguintes objetivos: (1) captar a atenção da assistência, (2) identificar com clareza o assunto e (3) mostrar por que o assunto é importante para os ouvintes. Há casos em que esses três objetivos podem ser alcançados quase simultaneamente. Às vezes, porém, podem receber atenção separada, e a ordem em que isso é feito pode variar.
Como captar a atenção da assistência. O simples fato de as pessoas terem se reunido para ouvir um discurso não significa necessariamente que estejam preparadas para dar indivisa atenção ao assunto. Por que não? A vida delas está repleta de coisas que requerem atenção. Talvez estejam preocupadas com algum problema em casa ou com outra ansiedade da vida. O desafio do orador é captar e prender a atenção da assistência. Existe mais de uma maneira de fazer isso.
Um dos discursos mais famosos já proferidos foi o Sermão do Monte. Quais foram suas palavras iniciais? Segundo o relato de Lucas, Jesus disse: “Felizes sois vós, pobres, . . . felizes sois vós os que agora tendes fome, . . . felizes sois vós os que agora chorais, . . . felizes sois sempre que os homens vos odiarem.” (Luc. 6:20-22) Por que isso despertou interesse? Usando poucas palavras, Jesus reconheceu alguns dos graves problemas que seus ouvintes enfrentavam. Daí, em vez de discuti-los delongadamente, ele mostrou que as pessoas que tinham tais problemas podiam mesmo assim ser felizes, e fez isso de um modo que levou seus ouvintes a desejarem ouvir mais.
Pode-se fazer bom uso de perguntas para despertar interesse, mas essas devem ser do tipo apropriado. Se as perguntas indicarem que você vai simplesmente falar sobre coisas que a assistência já ouviu várias vezes, o interesse talvez logo diminua. Não faça perguntas que embaracem os ouvintes, ou que os coloquem sob luz desfavorável. Em vez disso, procure frasear as perguntas de um modo que estimule o raciocínio. Pause brevemente depois de cada pergunta, para que os ouvintes tenham tempo de formular uma resposta mental. Se sentirem que entraram num diálogo mental com você, a atenção deles estará garantida.
Outra boa maneira de captar a atenção é contar um caso da vida real. Mas, se esse for embaraçoso para alguém na assistência, poderá anular o seu objetivo. Se os ouvintes lembrarem do episódio, mas não da lição que ele transmite, o objetivo não terá sido alcançado. Qualquer narrativa feita na introdução deve lançar base para algum aspecto significativo do corpo do discurso. Embora alguns detalhes talvez sejam necessários para dar vida à narrativa, não a torne desnecessariamente longa.
Alguns oradores começam a falar usando uma notícia recente, uma citação de um jornal local ou uma declaração de alguma autoridade reconhecida. Isso também poderá ser eficaz, se tais informações forem realmente compatíveis com o assunto e apropriadas para a assistência.
Se seu discurso fizer parte de um simpósio, ou de uma Reunião de Serviço, em geral será melhor usar uma introdução breve e direta. Num discurso público, limite-se ao tempo concedido para a introdução, pois é no corpo do discurso que as informações de maior valor serão transmitidas à assistência.
Ocasionalmente, você talvez fale a ouvintes cépticos, ou mesmo hostis. Como conseguirá captar a atenção deles? Estêvão, um cristão do primeiro século descrito como ‘homem cheio de espírito e de sabedoria’, foi levado à força perante o Sinédrio judaico. Ali, ele fez uma eloquente defesa do cristianismo. Como começou? De modo respeitoso e referindo-se a um assunto sobre o qual havia consenso. “Homens, irmãos e pais, ouvi. O Deus da glória apareceu a nosso antepassado Abraão.” (Atos 6:3; 7:2) No Areópago, em Atenas, o apóstolo Paulo adaptou sua introdução a uma assistência muito diferente, dizendo: “Homens de Atenas, eu observei que em todas as coisas pareceis mais dados ao temor das deidades do que os outros.” (Atos 17:22) Em resultado de introduções eficazes, essas duas plateias estavam dispostas a ouvir mais.
No serviço de campo, também é preciso captar a atenção das pessoas. Se a visita não tiver sido combinada, o morador talvez esteja ocupado com outras coisas. Em algumas partes do mundo, espera-se que visitantes não convidados digam logo o que desejam. Em outros lugares, o costume exige que se cumpram certas formalidades antes de dizer o motivo da visita. — Luc. 10:5.
Seja como for, a cordialidade genuína pode ajudar a criar um clima favorável a uma conversa. Muitas vezes, é melhor começar falando de algo que se relacione diretamente com o que a pessoa está pensando no momento. Como se pode determinar isso? Bem, o que a pessoa estava fazendo quando você a encontrou? Talvez trabalhando na lavoura, cuidando do quintal, consertando o carro, cozinhando, lavando roupa ou cuidando de crianças. Estava entretida com alguma coisa — lendo o jornal ou observando algo na rua? Há indícios de que ela tenha interesse especial em pescaria, esportes, música, viagens, computadores ou algo assim? Muitas vezes, a pessoa está apreensiva com certa notícia que ouviu no rádio ou viu na televisão. Uma pergunta ou breves observações sobre algum desses assuntos podem resultar numa conversa agradável.
O diálogo de Jesus com uma samaritana, junto a uma fonte de água perto de Sicar, é um belo exemplo de como iniciar uma conversa visando dar testemunho. — João 4:5-26.
É preciso preparar cuidadosamente a introdução, em especial se o território de sua congregação é trabalhado com frequência. Caso contrário, talvez não consiga dar testemunho.
Especifique o assunto. Numa reunião congregacional, o presidente da reunião, ou o orador anterior, em geral apresenta você à assistência e anuncia o tema de seu discurso. No entanto, pode ser proveitoso você mencionar o assunto nas palavras introdutórias para lembrar a assistência do que vai falar. Uma das maneiras de fazer isso é repetir textualmente o tema do discurso. Seja como for, na introdução, deve-se focalizar a atenção no assunto que será tratado e então desenvolver o tema aos poucos durante o discurso.
Quando enviou seus discípulos para pregar, Jesus identificou claramente a mensagem que deviam transmitir. “Ao irdes, pregai, dizendo: ‘O reino dos céus se tem aproximado.’” (Mat. 10:7) A respeito de nossos dias, Jesus disse: “Estas boas novas do reino serão pregadas.” (Mat. 24:14) Somos exortados a ‘pregar a palavra’, isto é, apegar-nos à Bíblia ao dar testemunho. (2 Tim. 4:2) Antes de abrir a Bíblia, ou de dirigir a atenção para o Reino, porém, muitas vezes é preciso identificar algo que seja de preocupação atual. Poderá falar sobre crime, desemprego, injustiças, guerras, como ajudar os jovens, doenças ou morte. Mas não fale demais sobre assuntos negativos; sua mensagem é positiva. Procure direcionar a conversa para a Palavra de Deus e a esperança do Reino.
Mostre por que o assunto é importante para os ouvintes. Se você vai falar diante da congregação, poderá ter razoável certeza de que os ouvintes estarão de certo modo interessados no que tem a dizer. Mas será que ouvirão com o mesmo interesse de quem aprende algo que definitivamente lhe diz respeito? Prestarão atenção porque percebem que aquilo que ouvem se enquadra na situação deles e porque você estimula neles o desejo de agir? Isso acontecerá apenas se, ao preparar o discurso, você levar em conta os ouvintes — suas circunstâncias, preocupações e atitudes. Se fez assim, inclua na introdução algo que indique isso.
Quer fale da tribuna, quer dê testemunho a uma pessoa, um dos melhores meios de despertar interesse num assunto é envolver os ouvintes. Mostre como os problemas e as necessidades deles, ou as perguntas que talvez tenham, se relacionam com o assunto que você apresenta. Se deixar claro que irá além de generalidades e que abordará aspectos específicos da matéria, eles ouvirão ainda mais atentamente. Para isso, é preciso preparar-se bem.
Como fazer a introdução. O que você diz na introdução é fundamental, mas como o diz pode também despertar o interesse. Por isso, a sua preparação deve envolver não apenas o que vai dizer, mas também como vai dizê-lo.
A escolha de palavras é importante para alcançar seu objetivo, de modo que talvez ache vantajoso preparar bem as duas ou três frases iniciais. Frases curtas e simples em geral são as melhores. Para um discurso na congregação, talvez queira escrevê-las no esboço, ou talvez prefira decorá-las a fim de que suas palavras iniciais tenham todo o impacto que merecem. Apresentar sem pressa uma introdução eficaz pode ajudá-lo a ganhar a tranquilidade necessária para continuar o discurso.
Quando preparar a introdução. As opiniões variam nesse aspecto. Alguns oradores experientes acreditam que a preparação de um discurso deve começar com a introdução. Outros que estudaram oratória opinam que a introdução deve ser preparada depois de terminado o corpo do discurso.
Você certamente precisa saber sobre que assunto vai falar, e que pontos principais pretende desenvolver, antes de poder elaborar os detalhes de uma introdução adequada. Mas como fazer, caso seu discurso se baseie num esboço impresso? Depois de ler o esboço, se lhe ocorrer uma ideia para a introdução, com certeza não há nada de mal em anotá-la. Lembre-se também de que, para a introdução ser eficaz, é preciso levar em conta tanto a assistência como a matéria do esboço.

COMO DESPERTAR INTERESSE NA INTRODUÇÃO

Leve em conta os ouvintes — suas circunstâncias, preocupações, atitudes, ou o que já sabem a respeito do assunto.
Determine que aspectos desse assunto serão de interesse e valor especial para eles.
EXERCÍCIOS: (1) Antes de sair na pregação de casa em casa, prepare uma introdução que se adapte tanto à mensagem como a um acontecimento recente no território. (2) Analise o primeiro parágrafo de cinco ou seis artigos de A Sentinela e Despertai!. Procure descobrir o que torna eficaz cada uma das introduções.

Ir arriba

Estudo de A Sentinela


A Sentinela (Edição de Estudo) Março de 2014

Como manter uma atitude positiva

“Mesmo que o homem viva muitos anos, alegre-se ele em todos eles.” — ECL. 11:8.

COMO RESPONDERIA?
• O que pode tornar um desafio manter uma atitude positiva?
• Como podemos usar a Bíblia para manter uma atitude positiva?
• Como o exemplo da viúva necessitada, de Elias e do escritor do Salmo 102 pode nos ajudar a desenvolver uma atitude positiva?

(Salmo 144:15) Feliz o povo para quem é assim!” Feliz o povo cujo Deus é Jeová!
(João 6:44) Ninguém pode vir a mim, a menos que o Pai, que me enviou, o atraia; e eu o ressuscitarei no último dia.
(Jeremias 31:3) De longe apareceu-me o próprio Jeová, [dizendo:] “E eu te amei com um amor por tempo indefinido. Por isso é que te atraí com benevolência.
(2 Coríntios 4:16) Por isso não desistimos; porém, ainda que o homem que somos por fora se definhe, certamente o homem que somos por dentro está sendo renovado de dia em dia.
- 2 -
(Eclesiastes 11:8) pois, mesmo que o homem viva muitos anos, alegre-se ele em todos eles. E lembre-se ele dos dias de escuridão, embora possam ser muitos; cada [dia] que chega é vaidade.
- 3 -
(Salmo 71:9) Não me lances fora no tempo da velhice; Não me deixes quando meu poder falhar.
(Provérbios 13:12) A expectativa adiada faz adoecer o coração, mas a coisa desejada, quando vem, é árvore de vida.
(Eclesiastes 7:7) Pois a mera opressão pode fazer o sábio agir como doido, e uma dádiva pode destruir o coração.
(Jeremias 17:9) “O coração é mais traiçoeiro do que qualquer outra coisa e está desesperado. Quem o pode conhecer?
(1 João 3:20) quanto a tudo em que os nossos corações nos possam condenar, porque Deus é maior do que os nossos corações e ele sabe todas as coisas.
(Jó 4:18, 19) Eis que ele não tem fé nos seus servos, E a seus mensageiros acusa de defeito. 19 Quanto mais com os que moram em casas de barro, Cujo alicerce está no pó! São esmigalhados mais depressa do que uma traça.
- 4 -
(Salmo 23:4) Ainda que eu ande pelo vale da sombra tenebrosa, Não temerei mal nenhum, Porque tu estás comigo; Tua vara e teu bastão são as coisas que me consolam.
(2 Coríntios 10:4, 5) Porque as armas de nosso combate não são carnais, mas poderosas em Deus para demolir as coisas fortemente entrincheiradas. 5 Pois estamos demolindo raciocínios e toda coisa altiva levantada contra o conhecimento de Deus; e trazemos todo pensamento ao cativeiro, para fazê-lo obediente ao Cristo;
- 5 -
(2 Coríntios 13:5) Persisti em examinar se estais na fé, persisti em provar o que vós mesmos sois. Ou não reconheceis que Jesus Cristo está em união convosco? A menos que estejais reprovados.
(Tiago 2:10, 11) Pois, quem observar toda a Lei, mas der um passo em falso num só ponto, tem-se tornado ofensor contra todos eles. 11 Pois, aquele que disse: “Não deves cometer adultério”, disse também: “Não deves assassinar.” Ora, se não cometeres adultério, mas assassinares, tens-te tornado transgressor da lei.
- 6 -
(Isaías 55:8, 9) “Pois os vossos pensamentos não são os meus pensamentos, nem os meus caminhos, os vossos caminhos”, é a pronunciação de Jeová. 9 “Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim os meus caminhos são mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, do que os vossos pensamentos.
- 8 -
(Lucas 21:1-4) 21 Erguendo então os olhos, viu os ricos lançarem suas dádivas nos cofres do tesouro. Viu então certa viúva necessitada lançar [neles] duas pequenas moedas de muito pouco valor 3 e disse: “Eu vos digo verazmente: Esta viúva, embora pobre, lançou [neles] mais do que todos eles. 4 Porque todos estes lançaram [neles] dádivas do que lhes sobrava, mas esta [mulher], de sua carência, lançou [neles] todo o seu meio de vida.”
(Lucas 20:47) e que devoram as casas das viúvas, e, como pretexto, fazem longas orações. Estes receberão um julgamento mais pesado.”
- 12 -
(1 Reis 19:4) E ele mesmo entrou no ermo, caminho de um dia, e por fim chegou e sentou-se debaixo de certa giesta-das-vassouras. E começou a pedir que a sua alma morresse e a dizer: “Basta! Agora, ó Jeová, tira a minha alma, pois não sou melhor do que os meus antepassados.”
(Jó 6:3) Pois agora ela é mais pesada do que mesmo as areias dos mares. Por isso é que as minhas próprias palavras foram conversa irrefletida.
- 13 -
(1 Reis 18:37-40) Responde-me, ó Jeová, responde-me, para que este povo saiba que tu, Jeová, és o [verdadeiro] Deus e que tu mesmo fizeste o coração deles voltar atrás.” 38 Nisto veio cair fogo da parte de Jeová e passou a consumir a oferta queimada e a lenha, bem como as pedras, e o pó, e lambeu a água que havia no rego. 39 Quando todo o povo o viu, lançaram-se imediatamente com as suas faces [por terra] e disseram: “Jeová é o [verdadeiro] Deus! Jeová é o [verdadeiro] Deus!” 40 Elias disse-lhes então: “Pegai os profetas de Baal! Não deixeis escapar nem sequer um deles!” Pegaram-nos imediatamente, e Elias os fez levar para baixo ao vale da torrente do Quisom e os abateu ali.
(1 Reis 19:2-4) Em vista disso, Jezabel enviou um mensageiro a Elias, dizendo: “Assim façam os deuses e assim lhe acrescentem mais, se nesta hora, amanhã, eu não fizer a tua alma igual à alma de cada um deles!” 3 E ele ficou com medo. Por conseguinte, levantou-se e começou a ir embora, pela sua alma, e chegou a Berseba, que pertence a Judá. Ali deixou então seu ajudante para trás. 4 E ele mesmo entrou no ermo, caminho de um dia, e por fim chegou e sentou-se debaixo de certa giesta-das-vassouras. E começou a pedir que a sua alma morresse e a dizer: “Basta! Agora, ó Jeová, tira a minha alma, pois não sou melhor do que os meus antepassados.”
- 15 -
(1 Reis 19:5-8) Por fim ele se deitou e adormeceu debaixo da giesta-das-vassouras. Mas, eis que aí tocou nele um anjo. Ele lhe disse então: “Levanta-te, come.” 6 Quando olhou, ora, eis que havia junto à sua cabeça um bolo redondo sobre pedras aquecidas e uma bilha de água. E ele começou a comer e a beber, deitando-se depois outra vez. 7 Mais tarde voltou o anjo de Jeová pela segunda vez, e tocou nele e disse: “Levanta-te, come, porque a viagem é demais para ti.” 8 Levantou-se, pois, e comeu e bebeu, e foi indo no poder desta nutrição por quarenta dias e quarenta noites, até o monte do [verdadeiro] Deus, Horebe.
(1 Reis 19:15-19) Jeová disse-lhe então: “Vai, volta pelo teu caminho ao ermo de Damasco; e tens de entrar e ungir Hazael como rei sobre a Síria. 16 E a Jeú, neto de Ninsi, deves ungir como rei sobre Israel; e a Eliseu, filho de Safate, de Abel-Meolá, deves ungir como profeta em teu lugar. 17 E terá de acontecer que aquele que escapar da espada de Hazael, Jeú entregará à morte; e quem escapar da espada de Jeú, Eliseu entregará à morte. 18 E deixei sete mil remanescer em Israel, todos os joelhos que não se dobraram diante de Baal e toda boca que não o beijou.” 19 Conseqüentemente, ele se foi dali e achou Eliseu, filho de Safate, enquanto arava com doze juntas diante de si e estava com a décima segunda. Assim, Elias passou por ele e lançou sobre ele seu manto oficial.
- 16 -
(Gálatas 6:2) Prossegui em levar os fardos uns dos outros e cumpri assim a lei do Cristo.
(Salmos 121:1, 2) 121 Levantarei meus olhos para os montes. Donde virá a minha ajuda? Minha ajuda procede de Jeová, Aquele que fez o céu e a terra.
- 17 -
(Romanos 14:4) Quem és tu para julgares o servo doméstico de outro? Para o seu próprio amo está em pé ou cai. Deveras, far-se-á que ele fique em pé, pois Jeová pode fazê-lo ficar em pé.
- 18 -
(Jeremias 20:11) Mas Jeová estava comigo como um poderoso terrível. Por isso é que os que me perseguem tropeçarão e não prevalecerão. Certamente serão muito envergonhados, porque não terão prosperado. [Sua] humilhação de duração indefinida será tal que não será esquecida.
(Mateus 25:23) Seu amo disse-lhe: ‘Muito bem, escravo bom e fiel! Foste fiel em poucas coisas. Designar-te-ei sobre muitas coisas. Entra na alegria do teu amo.’
- 19 -
(Salmos 102:1-28) 102 Ó Jeová, ouve deveras a minha oração; E chegue a ti o meu próprio clamor por ajuda. 2 Não escondas de mim a tua face no dia em que eu estiver em sério aperto. Inclina-me teu ouvido; No dia em que eu chamar, apressa-te em responder-me. 3 Pois os meus dias findaram igual à fumaça, E meus próprios ossos ficaram incandescentes como uma lareira. 4 Meu coração foi golpeado como a vegetação e se ressecou, Pois me esqueci de comer meu alimento. 5 Por causa do som do meu suspiro Apegaram-se-me os ossos à carne. 6 Pareço-me deveras ao pelicano do ermo. Tornei-me como o mocho dos lugares desolados. 7 Fiquei emaciado E tornei-me igual a um pássaro isolado sobre o telhado. 8 Meus inimigos me têm vituperado o dia inteiro. Os que me fazem de tolo juraram até mesmo por mim. 9 Pois comi as próprias cinzas como pão; E as coisas que bebo misturei até mesmo com choro, 10 Por causa da tua verberação e da tua indignação; Pois tu me levantaste para me lançar fora. 11 Meus dias são como a sombra que declinou E eu mesmo estou ressequido como a mera vegetação. 12 Quanto a ti, ó Jeová, morarás por tempo indefinido, E a recordação de ti será para geração após geração. 13 Tu mesmo te levantarás, terás misericórdia com Sião, Pois é a época para ser-lhe favorável, Porque chegou o tempo designado. 14 Pois os teus servos acharam prazer nas pedras dela E dirigem seu favor ao seu pó. 15 E as nações temerão o nome de Jeová E todos os reis da terra a tua glória. 16 Porque Jeová há de construir Sião; Ele terá de aparecer na sua glória. 17 Ele há de virar-se para a oração dos que foram despojados [de tudo] E não desprezará a sua oração. 18 Isto está escrito para a geração futura; E o povo que vai ser criado louvará a Jah. 19 Pois ele olhou para baixo desde a sua altura sagrada, Jeová mesmo, dos próprios céus, olhou para a terra, 20 Para ouvir o suspiro do prisioneiro, Para soltar os destinados à morte; 21 Para que o nome de Jeová seja declarado em Sião E seu louvor em Jerusalém, 22 Quando os povos estiverem reunidos juntos, E para os reinos servirem a Jeová. 23 No caminho ele atribulou meu poder, Encurtou meus dias. 24 Passei a dizer: “Ó meu Deus, Não me retires na metade dos meus dias; Teus anos são por todas as gerações. 25 Há muito lançaste os alicerces da própria terra E os céus são o trabalho das tuas mãos. 26 Eles é que perecerão, mas tu mesmo continuarás de pé; E todos eles se gastarão como a roupa. Tu os substituirás assim como a uma vestimenta e eles terminarão a sua vez. 27 Mas tu és o mesmo, e os teus próprios anos não se completarão. 28 Os filhos dos teus servos continuarão residindo; E sua própria descendência será firmemente estabelecida diante de ti.”
(Salmos 102:1-28) 102 Ó Jeová, ouve deveras a minha oração; E chegue a ti o meu próprio clamor por ajuda. 2 Não escondas de mim a tua face no dia em que eu estiver em sério aperto. Inclina-me teu ouvido; No dia em que eu chamar, apressa-te em responder-me. 3 Pois os meus dias findaram igual à fumaça, E meus próprios ossos ficaram incandescentes como uma lareira. 4 Meu coração foi golpeado como a vegetação e se ressecou, Pois me esqueci de comer meu alimento. 5 Por causa do som do meu suspiro Apegaram-se-me os ossos à carne. 6 Pareço-me deveras ao pelicano do ermo. Tornei-me como o mocho dos lugares desolados. 7 Fiquei emaciado E tornei-me igual a um pássaro isolado sobre o telhado. 8 Meus inimigos me têm vituperado o dia inteiro. Os que me fazem de tolo juraram até mesmo por mim. 9 Pois comi as próprias cinzas como pão; E as coisas que bebo misturei até mesmo com choro, 10 Por causa da tua verberação e da tua indignação; Pois tu me levantaste para me lançar fora. 11 Meus dias são como a sombra que declinou E eu mesmo estou ressequido como a mera vegetação. 12 Quanto a ti, ó Jeová, morarás por tempo indefinido, E a recordação de ti será para geração após geração. 13 Tu mesmo te levantarás, terás misericórdia com Sião, Pois é a época para ser-lhe favorável, Porque chegou o tempo designado. 14 Pois os teus servos acharam prazer nas pedras dela E dirigem seu favor ao seu pó. 15 E as nações temerão o nome de Jeová E todos os reis da terra a tua glória. 16 Porque Jeová há de construir Sião; Ele terá de aparecer na sua glória. 17 Ele há de virar-se para a oração dos que foram despojados [de tudo] E não desprezará a sua oração. 18 Isto está escrito para a geração futura; E o povo que vai ser criado louvará a Jah. 19 Pois ele olhou para baixo desde a sua altura sagrada, Jeová mesmo, dos próprios céus, olhou para a terra, 20 Para ouvir o suspiro do prisioneiro, Para soltar os destinados à morte; 21 Para que o nome de Jeová seja declarado em Sião E seu louvor em Jerusalém, 22 Quando os povos estiverem reunidos juntos, E para os reinos servirem a Jeová. 23 No caminho ele atribulou meu poder, Encurtou meus dias. 24 Passei a dizer: “Ó meu Deus, Não me retires na metade dos meus dias; Teus anos são por todas as gerações. 25 Há muito lançaste os alicerces da própria terra E os céus são o trabalho das tuas mãos. 26 Eles é que perecerão, mas tu mesmo continuarás de pé; E todos eles se gastarão como a roupa. Tu os substituirás assim como a uma vestimenta e eles terminarão a sua vez. 27 Mas tu és o mesmo, e os teus próprios anos não se completarão. 28 Os filhos dos teus servos continuarão residindo; E sua própria descendência será firmemente estabelecida diante de ti.”
(Salmos 102:3, 4) Pois os meus dias findaram igual à fumaça, E meus próprios ossos ficaram incandescentes como uma lareira. 4 Meu coração foi golpeado como a vegetação e se ressecou, Pois me esqueci de comer meu alimento.
(Salmo 102:6) Pareço-me deveras ao pelicano do ermo. Tornei-me como o mocho dos lugares desolados.
(Salmo 102:11) Meus dias são como a sombra que declinou E eu mesmo estou ressequido como a mera vegetação.
(Salmo 102:10) Por causa da tua verberação e da tua indignação; Pois tu me levantaste para me lançar fora.
- 20 -
(Salmos 102:19-21) Pois ele olhou para baixo desde a sua altura sagrada, Jeová mesmo, dos próprios céus, olhou para a terra, 20 Para ouvir o suspiro do prisioneiro, Para soltar os destinados à morte; 21 Para que o nome de Jeová seja declarado em Sião E seu louvor em Jerusalém,
(Salmos 102:1-28) 102 Ó Jeová, ouve deveras a minha oração; E chegue a ti o meu próprio clamor por ajuda. 2 Não escondas de mim a tua face no dia em que eu estiver em sério aperto. Inclina-me teu ouvido; No dia em que eu chamar, apressa-te em responder-me. 3 Pois os meus dias findaram igual à fumaça, E meus próprios ossos ficaram incandescentes como uma lareira. 4 Meu coração foi golpeado como a vegetação e se ressecou, Pois me esqueci de comer meu alimento. 5 Por causa do som do meu suspiro Apegaram-se-me os ossos à carne. 6 Pareço-me deveras ao pelicano do ermo. Tornei-me como o mocho dos lugares desolados. 7 Fiquei emaciado E tornei-me igual a um pássaro isolado sobre o telhado. 8 Meus inimigos me têm vituperado o dia inteiro. Os que me fazem de tolo juraram até mesmo por mim. 9 Pois comi as próprias cinzas como pão; E as coisas que bebo misturei até mesmo com choro, 10 Por causa da tua verberação e da tua indignação; Pois tu me levantaste para me lançar fora. 11 Meus dias são como a sombra que declinou E eu mesmo estou ressequido como a mera vegetação. 12 Quanto a ti, ó Jeová, morarás por tempo indefinido, E a recordação de ti será para geração após geração. 13 Tu mesmo te levantarás, terás misericórdia com Sião, Pois é a época para ser-lhe favorável, Porque chegou o tempo designado. 14 Pois os teus servos acharam prazer nas pedras dela E dirigem seu favor ao seu pó. 15 E as nações temerão o nome de Jeová E todos os reis da terra a tua glória. 16 Porque Jeová há de construir Sião; Ele terá de aparecer na sua glória. 17 Ele há de virar-se para a oração dos que foram despojados [de tudo] E não desprezará a sua oração. 18 Isto está escrito para a geração futura; E o povo que vai ser criado louvará a Jah. 19 Pois ele olhou para baixo desde a sua altura sagrada, Jeová mesmo, dos próprios céus, olhou para a terra, 20 Para ouvir o suspiro do prisioneiro, Para soltar os destinados à morte; 21 Para que o nome de Jeová seja declarado em Sião E seu louvor em Jerusalém, 22 Quando os povos estiverem reunidos juntos, E para os reinos servirem a Jeová. 23 No caminho ele atribulou meu poder, Encurtou meus dias. 24 Passei a dizer: “Ó meu Deus, Não me retires na metade dos meus dias; Teus anos são por todas as gerações. 25 Há muito lançaste os alicerces da própria terra E os céus são o trabalho das tuas mãos. 26 Eles é que perecerão, mas tu mesmo continuarás de pé; E todos eles se gastarão como a roupa. Tu os substituirás assim como a uma vestimenta e eles terminarão a sua vez. 27 Mas tu és o mesmo, e os teus próprios anos não se completarão. 28 Os filhos dos teus servos continuarão residindo; E sua própria descendência será firmemente estabelecida diante de ti.”
(Salmo 102:7) Fiquei emaciado E tornei-me igual a um pássaro isolado sobre o telhado.
(Salmo 102:17) Ele há de virar-se para a oração dos que foram despojados [de tudo] E não desprezará a sua oração.
- 21 -
(Salmos 102:1-28) 102 Ó Jeová, ouve deveras a minha oração; E chegue a ti o meu próprio clamor por ajuda. 2 Não escondas de mim a tua face no dia em que eu estiver em sério aperto. Inclina-me teu ouvido; No dia em que eu chamar, apressa-te em responder-me. 3 Pois os meus dias findaram igual à fumaça, E meus próprios ossos ficaram incandescentes como uma lareira. 4 Meu coração foi golpeado como a vegetação e se ressecou, Pois me esqueci de comer meu alimento. 5 Por causa do som do meu suspiro Apegaram-se-me os ossos à carne. 6 Pareço-me deveras ao pelicano do ermo. Tornei-me como o mocho dos lugares desolados. 7 Fiquei emaciado E tornei-me igual a um pássaro isolado sobre o telhado. 8 Meus inimigos me têm vituperado o dia inteiro. Os que me fazem de tolo juraram até mesmo por mim. 9 Pois comi as próprias cinzas como pão; E as coisas que bebo misturei até mesmo com choro, 10 Por causa da tua verberação e da tua indignação; Pois tu me levantaste para me lançar fora. 11 Meus dias são como a sombra que declinou E eu mesmo estou ressequido como a mera vegetação. 12 Quanto a ti, ó Jeová, morarás por tempo indefinido, E a recordação de ti será para geração após geração. 13 Tu mesmo te levantarás, terás misericórdia com Sião, Pois é a época para ser-lhe favorável, Porque chegou o tempo designado. 14 Pois os teus servos acharam prazer nas pedras dela E dirigem seu favor ao seu pó. 15 E as nações temerão o nome de Jeová E todos os reis da terra a tua glória. 16 Porque Jeová há de construir Sião; Ele terá de aparecer na sua glória. 17 Ele há de virar-se para a oração dos que foram despojados [de tudo] E não desprezará a sua oração. 18 Isto está escrito para a geração futura; E o povo que vai ser criado louvará a Jah. 19 Pois ele olhou para baixo desde a sua altura sagrada, Jeová mesmo, dos próprios céus, olhou para a terra, 20 Para ouvir o suspiro do prisioneiro, Para soltar os destinados à morte; 21 Para que o nome de Jeová seja declarado em Sião E seu louvor em Jerusalém, 22 Quando os povos estiverem reunidos juntos, E para os reinos servirem a Jeová. 23 No caminho ele atribulou meu poder, Encurtou meus dias. 24 Passei a dizer: “Ó meu Deus, Não me retires na metade dos meus dias; Teus anos são por todas as gerações. 25 Há muito lançaste os alicerces da própria terra E os céus são o trabalho das tuas mãos. 26 Eles é que perecerão, mas tu mesmo continuarás de pé; E todos eles se gastarão como a roupa. Tu os substituirás assim como a uma vestimenta e eles terminarão a sua vez. 27 Mas tu és o mesmo, e os teus próprios anos não se completarão. 28 Os filhos dos teus servos continuarão residindo; E sua própria descendência será firmemente estabelecida diante de ti.”
(Salmo 102:12) Quanto a ti, ó Jeová, morarás por tempo indefinido, E a recordação de ti será para geração após geração.
(Salmo 102:27) Mas tu és o mesmo, e os teus próprios anos não se completarão.
(Salmos 102:20, 21) Para ouvir o suspiro do prisioneiro, Para soltar os destinados à morte; 21 Para que o nome de Jeová seja declarado em Sião E seu louvor em Jerusalém,
- 22 -
(Mateus 24:13) Mas, quem tiver perseverado até o fim é o que será salvo.

Ir arriba

Referências consultadas em: Watchtower Library 2013

Baixar o arquivo com todas as referências

Baixar o arquivo com todas as referências