Achegue-se a Jeová: Estudo com textos bíblicos | semana de 7 de setembro

Estudo Bíblico de Congregação | Informações de estudo para o livro: Achegue-se a Jeová

cl cap. 30 §§ 1-9 (30 min)

Capítulo 30

“Prossegui andando em amor”


1-3. Qual é o resultado quando imitamos o exemplo de Jeová em demonstrar amor?


“HÁ MAIS felicidade em dar do que há em receber.” (Atos 20:35) Essas palavras de Jesus destacam uma verdade importante: o amor altruísta é recompensador em si mesmo. Embora receber amor dê muita felicidade, há felicidade ainda maior em dar, ou demonstrar, amor a outros.
Atos 20:35 Em tudo eu lhes mostrei que, trabalhando arduamente assim, vocês devem ajudar os fracos e ter em mente as palavras do Senhor Jesus, que disse: ‘Há mais felicidade em dar do que em receber.’”

2 Ninguém sabe disso melhor do que nosso Pai celestial. Como vimos nos capítulos anteriores desta seção, Jeová é o exemplo supremo de amor. Ninguém demonstrou amor de maneiras mais grandiosas ou por um período mais longo do que ele. É de admirar, então, que ele seja chamado de “Deus feliz”? — 1 Timóteo 1:11.
1 Timóteo 1:11 o qual está de acordo com as gloriosas boas novas do Deus feliz, que foram confiadas a mim.

3 Nosso Deus amoroso deseja que procuremos ser como ele, em especial no que se refere a demonstrar amor. Efésios 5:1, 2 nos diz: “Tornai-vos imitadores de Deus, como filhos amados, e prossegui andando em amor.” Quando imitamos o exemplo de Jeová em demonstrar amor, sentimos a felicidade maior que vem de dar. Também temos a satisfação de saber que agradamos a Jeová, pois a sua Palavra nos incentiva a ‘amarmos uns aos outros’. (Romanos 13:8) Mas há outras razões para ‘prosseguirmos andando em amor’.
Efésios 5:1, 2 Portanto, tornem-se imitadores de Deus, como filhos amados, 2 e continuem andando em amor, assim como também o Cristo nos amou e se entregou por nós como oferta e sacrifício, um aroma agradável a Deus.
Romanos 13:8 Não devam nada a ninguém, a não ser amar uns aos outros, pois quem ama o seu próximo cumpre a Lei.

Por que o amor é essencial


4, 5. Por que é importante que demonstremos amor abnegado a concrentes?


4 Por que é importante que demonstremos amor a concrentes? Dito de maneira simples, o amor é a essência do cristianismo verdadeiro. Se não demonstrarmos essa qualidade, não poderemos desenvolver um relacionamento achegado com outros cristãos e, mais importante ainda, nossos esforços não terão valor aos olhos de Jeová. Veja como a Palavra de Deus destaca essas verdades.
5 Na última noite de sua vida terrestre, Jesus disse aos seus seguidores: “Eu vos dou um novo mandamento, que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros. Por meio disso saberão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor entre vós.” (João 13:34, 35) “Assim como eu vos amei” — essa é a ordem para os cristãos: mostrar o mesmo tipo de amor que Jesus demonstrou. No Capítulo 29, vimos que Jesus deu um exemplo maravilhoso em demonstrar amor abnegado, colocando as necessidades e os interesses de outros à frente dos seus. Nós também devemos demonstrar amor altruísta de forma tão clara que ele fique evidente até para os de fora da congregação cristã verdadeira. De fato o amor fraternal abnegado é o sinal que nos identifica como verdadeiros seguidores de Cristo.
João 13:34, 35 Eu lhes dou um novo mandamento: Amem uns aos outros; assim como eu amei vocês, amem também uns aos outros. 35 Por meio disto todos saberão que vocês são meus discípulos: se tiverem amor entre si.”

6, 7. (a) Como sabemos que a Palavra de Jeová dá grande ênfase a se demonstrar amor? (b) As palavras de Paulo, registradas em 1 Coríntios 13:4-8, enfocam que aspecto do amor?


6 E se não demonstrarmos amor? “Se eu . . . não tiver amor”, disse o apóstolo Paulo, “tenho-me tornado um pedaço de latão que ressoa ou um címbalo que retine”. (1 Coríntios 13:1) Um címbalo que retine produz um som desagradável. E um pedaço de latão que ressoa? Outras versões usam as expressões “um gongo barulhento” ou “o ruído de um gongo”. Que ilustrações apropriadas! A pessoa sem amor é como um instrumento musical que faz um barulho alto e estridente, que repele em vez de atrair. Como uma pessoa assim poderia ter relacionamentos achegados com outros? Paulo também disse: “Se eu tiver toda a fé, de modo a transplantar montanhas, mas não tiver amor, nada sou.” (1 Coríntios 13:2) Imagine só! Uma pessoa sem amor ‘não presta para nada’, não importa que obras realize. (Novo Testamento, Interconfessional) Não fica claro que a Palavra de Jeová dá grande ênfase a se demonstrar amor?
1 Coríntios 13:1 Se eu falar em línguas de homens e de anjos, mas não tiver amor, sou um gongo que ressoa ou um címbalo que retine.
1 Coríntios 13:2 E se eu tiver o dom de profecia e entender todos os segredos sagrados e todo o conhecimento, e se eu tiver toda a fé, a ponto de mover montanhas, mas não tiver amor, nada sou.

7 Mas como podemos demonstrar essa qualidade ao lidar com outros? Para nos ajudar a responder a essa pergunta, analisemos as palavras de Paulo, encontradas em 1 Coríntios 13:4-8. Esses versículos não se concentram no amor de Deus por nós nem no nosso amor por Ele. Em vez disso, o enfoque das palavras de Paulo é em como devemos demonstrar amor uns pelos outros. Ele descreveu certas coisas que o amor é e outras que ele não é.
1 Coríntios 13:4-8 O amor é paciente e bondoso. O amor não é ciumento. Não se gaba, não é orgulhoso, 5 não se comporta indecentemente, não procura os seus próprios interesses, não se irrita com facilidade. Não leva em conta o dano. 6 Não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. 7 Suporta todas as coisas, acredita em todas as coisas, espera todas as coisas, persevera em todas as coisas. 8 O amor nunca acaba. Mas, quer haja dom de profecia, será eliminado; quer haja dom de línguas, cessará; quer haja dom de conhecimento, será eliminado.

O que o amor é


8. Como a longanimidade pode nos ajudar nos nossos tratos com outros?


8 “O amor é longânime.” Ser longânime significa suportar pacientemente as outras pessoas. (Colossenses 3:13) Todos precisamos demonstrar esse tipo de paciência, não é verdade? Visto que somos criaturas imperfeitas servindo ombro a ombro, é de esperar que, de vez em quando, nossos irmãos cristãos nos irritem e que nós também os incomodemos. Mas a paciência e o autocontrole podem nos ajudar a lidar com pequenas desavenças e atritos que surgirem nos nossos tratos com outros, preservando assim a paz da congregação.
Colossenses 3:13 Continuem a suportar uns aos outros e a perdoar uns aos outros liberalmente, mesmo que alguém tenha razão para queixa contra outro. Assim como Jeová os perdoou liberalmente, vocês devem fazer o mesmo.

9. De que maneiras podemos demonstrar benignidade a outros?


9 “O amor é . . . benigno.” A benignidade é demonstrada por atos prestativos e palavras que revelam consideração pelos outros. O amor nos motiva a procurar maneiras de demonstrar benignidade, em especial para com os mais necessitados. Por exemplo, um concrente idoso talvez se sinta solitário e precise de uma visita de encorajamento. Uma mãe sem cônjuge ou uma irmã que vive num lar dividido em sentido religioso pode estar precisando de ajuda. Uma pessoa doente ou que passa por problemas graves talvez precise ouvir palavras bondosas de um amigo leal. (Provérbios 12:25; 17:17) Quando tomamos a iniciativa de demonstrar benignidade dessas maneiras, comprovamos que nosso amor é genuíno. — 2 Coríntios 8:8.
Provérbios 12:25 A ansiedade sobrecarrega o coração do homem,Mas a boa palavra alegra o coração.
Provérbios 17:17 O verdadeiro amigo ama em todos os momentosE se torna um irmão em tempos de aflição.
2 Coríntios 8:8 Não digo isso como uma ordem, mas para informá-los da diligência de outros e para pôr à prova a sinceridade do amor de vocês.


Clique na imagem para Baixar informações completas em arquivos digitais para Computador, Tablet computer, Smartphone

Baixar informações para o estúdio pessoal para Computador, Tablet computer, Smartphone

Baixar informações para o estúdio pessoal para Computador, Tablet computer, Smartphone