Achegue-se a Jeová | Estudo Bíblico: 15 de Junho

Informações de estudo para o livro: Achegue-se a Jeová

CAPÍTULO 26

UM DEUS “PRONTO A PERDOAR”

1-3. (a) Que fardo pesado o salmista Davi tinha de levar e como ele obteve consolo para o seu coração aflito? (b) Quando pecamos, que fardo talvez tenhamos de suportar, mas o que Jeová nos assegura?


“MEUS próprios erros passaram acima da minha cabeça”, escreveu o salmista Davi. “Iguais a uma carga pesada, são pesados demais para mim. Fiquei entorpecido e quebrantado ao extremo.” (Salmo 38:4, 8) Davi sabia que o fardo duma consciência culpada podia ser muito pesado. Mas ele obteve consolo para seu coração aflito. Estava ciente de que, embora odeie o pecado, Jeová não odeia o pecador, desde que este realmente se arrependa e rejeite seu proceder pecaminoso. Com plena fé na disposição de Jeová de conceder misericórdia aos arrependidos, Davi disse: “Tu, ó Jeová, . . . estás pronto a perdoar.” — Salmo 86:5.
Salmo 38:4 4 Pois os meus erros pairam acima da minha cabeça;Como um fardo pesado, são demais para eu carregar.
Salmo 38:8 8 Fiquei entorpecido e me sinto completamente esmagado;Meu coração angustiado me faz gemer profundamente.
Salmo 86:5 5 Porque tu, ó Jeová, és bom e estás sempre pronto a perdoar;É imenso o teu amor leal por todos os que te invocam.

2 Quando pecamos, talvez tenhamos de suportar, também, o fardo esmagador duma consciência pesada. Mas sentir remorso é saudável, porque pode induzir-nos a tomar medidas positivas para corrigir nossos erros. Há o perigo, contudo, de sermos esmagados pela culpa. Nosso coração talvez nos condene, insistindo que Jeová nunca nos perdoará, não importa quanto estejamos arrependidos. Se formos ‘tragados’ pela culpa, Satanás tentará nos fazer acreditar que Jeová nos considera inúteis ou que não somos dignos de servi-lo e que, portanto, só nos resta desistir. — 2 Coríntios 2:5-11.
2 Coríntios 2:5-11 Ora, se alguém causou tristeza, ele entristeceu não a mim, mas a todos vocês, até certo ponto — para não ser severo demais no que digo. 6 Essa censura da parte da maioria é suficiente para esse homem; 7 agora, ao contrário, vocês devem perdoá-lo bondosamente e consolá-lo, para que ele não seja vencido pela excessiva tristeza. 8 Eu os exorto, portanto, a reafirmar o seu amor por ele. 9 Pois é também por isso que lhes escrevi: para ver se vocês dariam provas de que são obedientes em todas as coisas. 10 Se vocês perdoarem alguém por alguma coisa, eu também perdoo. De fato, o que perdoei (se eu tiver perdoado alguma coisa), foi para o bem de vocês, à vista de Cristo, 11 para que não sejamos vencidos por Satanás, pois não desconhecemos as suas tramas.

3 É isso que Jeová pensa? De modo algum! O perdão é um aspecto do seu grande amor. Em sua Palavra, ele nos assegura que, quando mostramos genuíno arrependimento de coração, ele está disposto a nos perdoar. (Provérbios 28:13) Para que nunca cheguemos à conclusão de que o perdão de Deus é inalcançável para nós, vamos examinar por que e como ele perdoa.
Provérbios 28:13 Quem encobre as suas transgressões não será bem-sucedido,Mas aquele que as confessa e abandona será tratado com misericórdia.

Por que Jeová está “pronto a perdoar”

4. De que Jeová se lembra quanto à nossa natureza, e como isso afeta o modo como ele nos trata?


4 Jeová está ciente das nossas limitações. “Ele mesmo conhece bem a nossa formação, lembra-se de que somos pó”, diz o Salmo 103:14. Ele não se esquece de que somos criaturas de pó, fracas devido à imperfeição. A declaração de que ele conhece “a nossa formação” lembra-nos de que, na Bíblia, Jeová é comparado a um oleiro, e nós a vasos de barro que ele molda. (Jeremias 18:2-6) O Grande Oleiro modera seus tratos conosco por causa da fragilidade de nossa natureza pecaminosa e de acordo com o modo como reagimos à sua orientação.
Salmo 103:14 Pois ele sabe bem como somos formados,Lembra-se de que somos pó.
Jeremias 18:2-6 “Desça até a casa do oleiro, e ali o farei ouvir as minhas palavras.” 3 Então desci até a casa do oleiro, e ele estava trabalhando nas rodas de oleiro. 4 Mas o vaso de barro que o oleiro estava fazendo estragou nas suas mãos. De modo que o oleiro trabalhou novamente o barro e fez outro vaso, conforme ele achava melhor. 5 Então recebi a seguinte palavra de Jeová: 6 “‘Será que eu não posso fazer com vocês o mesmo que esse oleiro fez, ó casa de Israel?’ diz Jeová. ‘Como o barro nas mãos do oleiro, assim são vocês nas minhas mãos, ó casa de Israel.

5. Como o livro de Romanos descreve até que ponto vai o domínio do pecado sobre nós?


5 Jeová entende o poder que o pecado exerce sobre nós. As Escrituras descrevem o pecado como uma força poderosa, que segura o homem nas suas garras mortíferas. Até que ponto vai o domínio do pecado? No livro de Romanos, o apóstolo Paulo explica: estamos “debaixo de pecado”, assim como soldados estão sob a autoridade dum comandante (Romanos 3:9); ele tem ‘reinado’ sobre a humanidade (Romanos 5:21); “reside”, ou “mora”, em nós (Romanos 7:17, 20); sua “lei” opera continuamente em nós, na realidade, tentando controlar nosso modo de agir. (Romanos 7:23, 25) Que domínio poderoso o pecado exerce sobre nossa carne decaída! — Romanos 7:21, 24.
Romanos 3:9 Então, o que concluímos? Estamos em melhor situação? De jeito nenhum! Pois já provamos que tanto os judeus como os gregos estão todos debaixo do pecado,
Romanos 5:21 Com que objetivo? Para que, assim como o pecado reinou junto com a morte, assim também a bondade imerecida reinasse por meio da justiça e levasse à vida eterna, por intermédio de Jesus Cristo, nosso Senhor.
Romanos 7:17 Mas então não sou mais eu quem está agindo; é o pecado que mora em mim.
Romanos 7:20 Se, então, faço o que não quero, já não sou eu quem o faz; é o pecado que mora em mim.
Romanos 7:23 mas vejo em meu corpo outra lei guerreando contra a lei da minha mente e me levando cativo à lei do pecado que está no meu corpo.
Romanos 7:25 Dou graças a Deus, por meio de Jesus Cristo, nosso Senhor! Assim, com a minha mente, eu mesmo sou escravo da lei de Deus, mas, com a minha carne, escravo da lei do pecado.
Romanos 7:21 Percebo assim a seguinte lei no meu caso: quando quero fazer o que é certo, está presente em mim o que é mau.
Romanos 7:24 Homem miserável que eu sou! Quem me livrará do corpo que é submetido a essa morte?

6, 7. (a) Como Jeová encara os que buscam seu perdão com o coração arrependido? (b) Por que nunca devemos abusar da misericórdia de Deus?


6 Portanto, Jeová sabe que para nós é impossível sermos perfeitamente obedientes, não importa quanto tentemos. Ele nos assegura amorosamente que, se buscarmos sua misericórdia com o coração arrependido, ele nos concederá o perdão. O Salmo 51:17 diz: “Os sacrifícios a Deus são um espírito quebrantado; um coração quebrantado e esmagado não desprezarás, ó Deus.” Jeová nunca rejeitará ou repudiará um coração “quebrantado e esmagado” pelo fardo da culpa.
Salmo 51:17 Os sacrifícios que agradam a Deus são um espírito quebrantado;Um coração quebrantado e esmagado, ó Deus, não rejeitarás.

7 Significa isso, porém, que podemos abusar da misericórdia de Deus, usando nossa natureza pecaminosa como desculpa para o pecado? De modo algum! Jeová não é governado por mero sentimentalismo. Sua misericórdia tem limites. Ele de modo algum perdoará os que obstinadamente praticam pecados de forma deliberada sem mostrar arrependimento. (Hebreus 10:26) Por outro lado, quando detecta arrependimento de coração, ele está pronto a perdoar. Vamos analisar agora algumas das expressões vívidas usadas na Bíblia para descrever essa maravilhosa faceta do amor de Jeová.
Hebreus 10:26 Pois, se praticarmos o pecado deliberadamente depois de termos recebido o conhecimento exato da verdade, não há mais nenhum sacrifício pelos pecados,

Até que ponto vai o perdão de Jeová?

8. O que podemos dizer que Jeová faz quando perdoa nossos pecados, e que confiança isso nos dá?


8 O arrependido Davi disse: “Finalmente te confessei meu pecado e não encobri meu erro. . . . E tu mesmo perdoaste o erro dos meus pecados.” (Salmo 32:5) A expressão “perdoaste” traduz uma palavra hebraica cujo sentido básico é “levantar” ou “levar”. Conforme usada aqui, ela significa remover “a culpa, o pecado, a transgressão”. De modo que Jeová como que levantou e levou embora os pecados de Davi. Sem dúvida, isso aliviou o sentimento de culpa que ele vinha suportando. (Salmo 32:3) Nós também podemos ter plena confiança em Deus, porque ele leva embora os pecados dos que procuram seu perdão à base da fé no sacrifício resgatador de Jesus. — Mateus 20:28.
Salmo 32:5 5 Finalmente te confessei o meu pecado;Não encobri o meu erro. Eu disse: “Confessarei minhas transgressões a Jeová.” E tu perdoaste meu erro e meus pecados. (Selá)
Salmo 32:3 3 Enquanto fiquei calado, meus ossos se definharam por eu gemer o dia inteiro.
Mateus 20:28 assim como o Filho do Homem veio, não para ser servido, mas para servir e dar a sua vida como resgate em troca de muitos.”

9. A que distância Jeová põe de nós os nossos pecados?


9 Davi usou outra expressão vívida para descrever o perdão de Jeová: “Tão longe quanto o leste está do oeste, para tão longe Ele removeu de nós as nossas transgressões.” (O grifo é nosso; Salmo 103:12, The Amplified Bible) A que distância o leste fica do oeste? Pode-se dizer que eles estão no ponto mais distante um do outro; esses dois pontos cardeais nunca se encontram. Um erudito diz que essa expressão significa “o mais longe possível, o mais longe que alguém possa imaginar”. As palavras inspiradas de Davi nos ensinam que, quando perdoa, Jeová coloca os nossos pecados o mais longe que podemos imaginar.
Salmo 103:12 Tão longe como o nascente é do poente,Tão longe ele põe de nós as nossas transgressões.

Clique na imagem para Baixar informações completas em arquivos digitais para Computador, Tablet computer, Smartphone

Baixar informações para o estúdio pessoal para Computador, Tablet computer, Smartphone

Baixar informações para o estúdio pessoal para Computador, Tablet computer, Smartphone