Recapitulação da Escola do Ministério Teocrático agosto de 2014

Referências para Recapitulação da Escola do Ministério Teocrático agosto de 2014


Baixar as referências no arquivo PDF para PCs, Smartphones e Tablets ou impressão em formato de livreto

Baixar as referências no arquivo PDF para PCs, Smartphones e Tablets

Recapitulação da Escola do Ministério Teocrático agosto de 2014


As seguintes perguntas serão consideradas na Escola do Ministério Teocrático na semana de 25 de agosto de 2014.

1. Como Levítico 18:3 nos ajuda a evitar criar um senso distorcido do que é certo e do que é errado? (Efé. 4:17-19) [7 de jul.,w02 1/2 p. 29 § 4]


^ Lev. 18:3 Não deveis fazer assim como faz a terra do Egito, em que morastes; e não deveis fazer assim como faz a terra de Canaã, na qual vos introduzo; e não deveis andar nos seus estatutos.
^ Efé. 4:17-19 Isto, portanto, digo, e dou testemunho no Senhor, que não mais andeis assim como também as nações andam na improficuidade das suas mentes, 18 ao passo que estão mentalmente em escuridão e apartados da vida que pertence a Deus, por causa da ignorância que há neles, por causa da insensibilidade dos seus corações. 19 Tendo ficado além de todo o senso moral, entregaram-se à conduta desenfreada para fazerem com ganância toda sorte de impureza.

^ ***w02 1/2 p. 29 Perguntas dos Leitores***
O que não se deve desconsiderar é a nossa consciência dada por Deus. Todos nasceram com um senso do que é certo e do que é errado, do que é bom e do que é mau. (Romanos 2:15) A consciência lhes diz o que é normal e correto, e o que é desnatural e ofensivo, a menos que tenha sido distorcida ou cauterizada por práticas pervertidas. Jeová aludiu a isso quando deu aos israelitas a sua lei contra o casamento entre parentes carnais achegados. Lemos: “Não deveis fazer assim como faz a terra do Egito, em que morastes; e não deveis fazer assim como faz a terra de Canaã, na qual vos introduzo; e não deveis andar nos seus estatutos.” (Levítico 18:3) Os cristãos prezam a sua consciência baseada na Bíblia e não permitem que seja corrompida pelo senso distorcido das nações quanto ao que é certo e o que é errado. — Efésios 4:17-19.

2. O que a ordem em Levítico 19:2 nos ensina, e por que devemos nos esforçar em obedecer a ela? [7 de jul., w09 1/7 p. 9 § 5]


^ Lev. 19:2 “Fala à assembléia inteira dos filhos de Israel, e tens de dizer-lhes: ‘Deveis mostrar-vos santos, porque eu, Jeová, vosso Deus, sou santo.

^ ***w09 1/7 p. 9 “Eu, Jeová, vosso Deus, sou santo”***
A ordem sobre a santidade nos ajuda a entender melhor o modo como Jeová Deus pensa e age. Aprendemos, por exemplo, que para termos um relacionamento achegado com ele precisamos fazer o máximo para viver em harmonia com seus padrões de santa conduta. (1 Pedro 1:15, 16) Por manter esses padrões, podemos usufruir o melhor modo de vida possível. — Isaías 48:17.

3. O que o princípio por trás da antiga lei sobre respiga nos ensina? (Lev. 19:9, 10) [7 de jul.,w06 15/6 pp. 22-23 § 13]


^ Lev. 19:9, 10 “‘E quando ceifardes a colheita da vossa terra, não deves ceifar completamente o canto do teu campo e não deves apanhar a respiga da tua colheita. 10 Tampouco deves rebuscar as sobras do teu vinhedo e não deves apanhar as uvas espalhadas do teu vinhedo. Deves deixá-los para o atribulado e para o residente forasteiro. Eu sou Jeová, vosso Deus.

^ ***w06 15/6 pp. 22-23 “Quanto eu amo a tua lei!”***
13 O princípio por trás da lei da respiga não mudou. Jeová espera que seus servos sejam generosos, em especial com os necessitados. Quanto maior for a nossa generosidade, tanto maiores serão as nossas bênçãos. “Praticai o dar, e dar-vos-ão”, disse Jesus. “Derramarão em vosso regaço uma medida excelente, recalcada, sacudida e transbordante. Pois, com a medida com que medis, medirão a vós em troca.” — Lucas 6:38.

4. Por que podemos dizer que a lei de “olho por olho” não incentivava a vingança pessoal? (Lev. 24:19, 20) [14 de jul.,w09 1/9 p. 22 §§ 3-4]


^ Lev. 24:19, 20 E caso um homem cause defeito no seu colega, então, como ele fez, assim se lhe tem de fazer. 20 Fratura por fratura, olho por olho, dente por dente; a mesma sorte de defeito que ele cause ao homem é que se lhe deve causar.

^ ***w09 1/9 p. 22 Como lidar com ofensas***
“Olho por olho”
Algumas pessoas recorrem à Bíblia para justificar suas atitudes vingativas. Elas dizem: “Mas a Bíblia não fala de ‘olho por olho, dente por dente’?” (Levítico 24:20) À primeira vista, a lei de “olho por olho” parece incentivar a vingança. Mas na verdade ela servia para evitar atos injustificados de vingança. Como assim?
Caso um israelita agredisse outro israelita a ponto de este ficar cego de um olho, a Lei previa uma punição justa. No entanto, não cabia à vítima tomar a iniciativa de punir o agressor ou outra pessoa de sua família. A Lei exigia que o caso fosse apresentado às autoridades competentes — os juízes designados. Assim, o assunto seria resolvido da forma correta. O povo sabia que quem cometesse deliberadamente um ato criminoso ou violento contra outra pessoa poderia receber uma punição correspondente. Isso servia como forte restrição. Mas havia mais coisas envolvidas nesse assunto.

5. Quando seria errado um israelita cobrar juros num empréstimo e quando seria permitido ele fazer isso? (Lev. 25:35-37) [21 de jul., w04 15/5 p. 24 § 3]


^ Lev. 25:35-37 “‘E caso teu irmão fique pobre e assim esteja financeiramente fraco ao teu lado, então tens de ampará-lo. Como residente forasteiro e colono tem de ficar vivo contigo. 36 Não cobres dele juros e usura, mas tens de ter temor de teu Deus; e teu irmão tem de ficar vivo contigo. 37 Não deves dar-lhe teu dinheiro [cobrando] juros e não deves dar teu alimento por usura.

^ ***w04 15/5 p. 24 Destaques do livro de Levítico***
25:35-37 — Era sempre errado que os israelitas cobrassem juros? Quando o dinheiro era emprestado para fins comerciais, quem o emprestava podia cobrar juros. No entanto, a Lei proibia cobrar juros por empréstimos feitos para aliviar a pobreza. Era errado aproveitar-se dos revezes financeiros de um vizinho pobre. — Êxodo 22:25.

6. Por que geralmente se faz referência a 12 tribos de Israel quando na verdade havia 13 tribos? (Núm. 1:49, 50) [28 de jul., w08 1/7 p. 21]


^ Núm. 1:49, 50 “Somente a tribo de Levi não deves registrar e não deves incluir a soma deles entre os filhos de Israel. 50 E tu mesmo encarrega os levitas do tabernáculo do Testemunho e de todos os seus utensílios, e de tudo o que pertence a ele. Eles mesmos carregarão o tabernáculo e todos os seus utensílios, e eles mesmos ministrarão nele; e devem acampar-se em volta do tabernáculo.

^ ***w08 1/7 p. 21 Você Sabia?***
Por que geralmente se faz referência a 12 tribos de Israel quando na verdade havia 13 tribos?
As tribos, ou famílias, de Israel descenderam dos filhos de Jacó, cujo nome foi mudado para Israel. Esse patriarca teve 12 filhos — Rubem, Simeão, Levi, Judá, Dã, Naftali, Gade, Aser, Issacar, Zebulão, José e Benjamim. (Gênesis 29:32–30:24; 35:16-18) Onze tribos receberam o nome desses irmãos, mas nenhuma o de José. Em vez disso, duas tribos receberam o nome de seus filhos, Efraim e Manassés, que foram reconhecidos plenamente como cabeças tribais. Portanto, Israel tinha 13 tribos. Então, por que a Bíblia em geral fala de 12?
Primeiro, entre os israelitas, os homens da tribo de Levi foram escolhidos para servir no tabernáculo de Jeová e mais tarde no templo. Portanto, eles eram isentos do serviço militar. Jeová disse a Moisés: “Somente a tribo de Levi não deves registrar e não deves incluir a soma deles entre os filhos de Israel. E tu mesmo encarrega os levitas do tabernáculo do Testemunho e de todos os seus utensílios, e de tudo o que pertence a ele.” — Números 1:49, 50.
Segundo, os levitas não ganharam um território na Terra Prometida. Em vez disso, receberam 48 cidades espalhadas por todo o Israel. — Números 18:20-24; Josué 21:41.
Por esses dois motivos, a tribo de Levi normalmente não era incluída na lista das tribos. Assim, em geral, dizia-se que as tribos de Israel eram 12. — Números 1:1-15.

7. Em relação a ter consideração com os idosos, que lição tiramos do relato sobre o serviço compulsório dos levitas emNúmeros 8:25, 26? [11 de ago., w04 1/8 p. 25 § 1]


^ Núm. 8:25, 26 Mas, depois da idade de cinqüenta anos retirar-se-á da companhia de serviço e não fará mais nenhum serviço. 26 E ele terá de ministrar aos seus irmãos na tenda de reunião, cuidando da obrigação, mas não deve fazer nenhum serviço. De acordo com isso é que farás com os levitas nas suas obrigações.”

^ ***w04 1/8 p. 25 Destaques do livro de Números***
8:25, 26. A fim de garantir que as designações de serviço dos levitas fossem cuidadas corretamente, e levando em consideração a idade deles, ordenou-se aos homens mais velhos que fossem dispensados do serviço compulsório. No entanto, eles podiam oferecer-se para ajudar outros levitas. Hoje em dia, embora os proclamadores do Reino não se aposentem, o princípio dessa lei nos dá uma lição valiosa. Quando um cristão, por causa da idade avançada, não puder cumprir certas obrigações, ele poderá fazer o que estiver ao seu alcance.

8. Depois de terem saído do Egito por meio de um milagre, por que os israelitas passaram a se queixar, e que lição importante podemos aprender dessa passagem bíblica? (Núm. 11:4-6) [18 de ago., w95 1/3 pp. 15-16 § 10]


^ Núm. 11:4-6 E a multidão mista que havia no seu meio expressou almejos egoístas, e também os filhos de Israel começaram a chorar novamente e a dizer: “Quem nos dará carne para comer? 5 Como nos lembramos dos peixes que costumávamos comer de graça no Egito, dos pepinos e das melancias, e dos alhos-porros, e das cebolas, e do alho! 6 Mas agora a nossa alma está ressequida. Nossos olhos não vêem nada senão o maná.”

^ ***w95 1/3 p. 16 Vivamos à altura da nossa dedicação “dia após dia”***
10 Primeiro, Paulo advertiu-nos a não estarmos ‘desejosos de coisas prejudiciais’. (1 Coríntios 10:6) Isto talvez nos lembre a ocasião em que os israelitas se queixaram de ter apenas o maná para comer. Jeová enviou-lhes codornizes. Algo similar tinha acontecido mais ou menos um ano antes, no ermo de Sim, pouco antes de os israelitas declararem sua dedicação a Jeová. (Êxodo 16:1-3, 12, 13) Mas, a situação não era exatamente a mesma. Da primeira vez, quando Jeová forneceu codornizes, ele não repreendeu os israelitas por terem murmurado. Esta vez, porém, a situação era diferente. “A carne estava ainda entre os seus dentes, antes que pudesse ser mastigada, quando se acendeu a ira de Jeová contra o povo e Jeová começou a atingir o povo com uma matança muito grande.” (Números 11:4-6, 31-34) O que havia mudado? Como nação dedicada, eram agora considerados responsáveis. Sua falta de apreço pelas provisões de Jeová levou-os a se queixarem dele, apesar de terem prometido fazer tudo o que Jeová falara! Queixar-se hoje da mesa de Jeová é similar. Alguns deixam de apreciar as provisões espirituais de Jeová por meio do “escravo fiel e discreto”. (Mateus 24:45-47) Lembre-se, porém, de que a nossa dedicação requer que sejamos gratos pelo que Jeová tem feito por nós e que aceitemos o alimento espiritual suprido por Ele.

9. O que aprendemos da reação que Moisés teve ao saber que Eldade e Medade começaram a agir como profetas? (Núm. 11:27-29) [18 de ago., w04 1/8 p. 26 § 4]


^ Núm. 11:27-29 E um jovem foi correndo e o comunicou a Moisés, dizendo: “Eldade e Medade estão procedendo como profetas no acampamento!” 28 Então Josué, filho de Num, ministro de Moisés desde a sua idade viril, respondeu e disse: “Meu senhor Moisés, reprime-os!”29 No entanto, Moisés disse-lhe: “Tens ciúmes em meu lugar? Não; quisera eu que todo o povo de Jeová fosse profeta, porque Jeová poria seu espírito sobre eles!”

^ ***w04 1/8 p. 26 Destaques do livro de Números***
Lições para nós:
11:27-29. Moisés dá um excelente exemplo de como devemos reagir quando outros recebem privilégios no serviço de Jeová. Em vez de procurar glória para si mesmo, Moisés não sentiu ciúmes, mas ficou feliz quando Eldade e Medade começaram a agir como profetas.

10. Que princípio importante aprendemos da ordem que os israelitas receberam de “fazer para si franjas nas abas das suas vestes”? (Núm. 15:37-39) [25 de ago., w04 1/8 p. 26 § 7]


^ Núm. 15:37-39 E Jeová prosseguiu, dizendo a Moisés o seguinte:38 “Fala aos filhos de Israel, e tens de dizer-lhes que têm de fazer para si franjas nas abas das suas vestes, nas suas gerações, e têm de pôr um cordel azul por cima das franjas da aba: 39 ‘E tem de servir-vos de franja, e tendes de vê-la e lembrar-vos de todos os mandamentos de Jeová e cumpri-los, e não deveis estar seguindo os vossos corações e os vossos olhos, os quais estais seguindo em relações imorais.


^ ***w04 1/8 p. 26 Destaques do livro de Números***
15:37-41. A franja, que era uma característica peculiar das vestes dos israelitas, destinava-se a lembrar-lhes que eram um povo separado para a adoração de Deus e para obedecer aos seus mandamentos. Não devemos nós também viver segundo as normas de Deus e mostrar que somos diferentes do mundo?

Referências consultadas em: Watchtower Library 2013 CD‒ROM

Baixar as referências no arquivo PDF para PCs, Smartphones e Tablets

Baixar as referências no arquivo PDF para PCs, Smartphones e Tablets