Pesquisar conteúdo aqui

Custom Search

Achegue-se a Jeová: Estudo com textos bíblicos | semana de 21 de setembro

Estudo Bíblico de Congregação | Informações de estudo para o livro: Achegue-se a Jeová


cl cap. 30 §§ 19-23, quadro na p. 309 (30 min)


19. O amor nos ajuda a reagir de que maneira quando outros nos ofendem?


19 “O amor . . . não fica encolerizado . . . , não leva em conta o dano.” O amor não se irrita facilmente com o que outros dizem ou fazem. É natural ficarmos contrariados quando outros nos ofendem. Mas, mesmo que tenhamos boas razões para ficarmos bravos, o amor nos ajudará a não continuar irritados. (Efésios 4:26, 27) Não manteremos como que um registro das palavras ou ações que nos magoaram, para não esquecê-las. Em vez disso, o amor nos levará a imitar nosso Deus amoroso. Como vimos no Capítulo 26, Jeová perdoa quando há base sólida para isso. Quando perdoa, ele esquece, quer dizer, jamais vai nos condenar por esses pecados no futuro. Não ficamos contentes de que Jeová não leva em conta o dano?
Efésios 4:26, 27 Fiquem irados, mas não pequem; não deixem que o sol se ponha enquanto ainda estiverem irados; 27 não deem chance ao Diabo.

20. Como devemos reagir quando um concrente é enlaçado pelo pecado e sofre as consequências?


20 “O amor . . . não se alegra com a injustiça.” Nesse texto, a Bíblia na Linguagem de Hoje diz: “Quem ama não fica alegre quando alguém faz uma coisa errada.” Outra tradução diz: “O amor nunca fica contente quando outros erram.” (Moffatt) O amor não deriva nenhum prazer da injustiça, de modo que não fazemos vista grossa a nenhum tipo de imoralidade. Mas como reagimos quando um concrente é enlaçado pelo pecado e sofre as consequências? O amor não permitirá que nos alegremos, como se disséssemos: “Bem feito! Ele merecia!” (Provérbios 17:5) Mas nós nos alegramos, sim, quando um irmão que errou toma as medidas necessárias para recuperar-se de sua queda espiritual.
Provérbios 17:5 5 Quem zomba do pobre insulta Aquele que o fez,Quem se alegra com a desgraça dos outros não ficará impune.

“Um caminho que ultrapassa isso”


21-23. (a) O que Paulo queria dizer quando escreveu: “O amor nunca falha”? (b) O que analisaremos no último capítulo?


21 “O amor nunca falha.” O que Paulo queria dizer com essas palavras? Como se nota no contexto, ele comentava os dons do espírito que os cristãos do primeiro século receberam. Esses serviam como sinais de que o favor de Deus estava com essa congregação recém-formada. Mas nem todos os cristãos tinham o poder de curar, profetizar ou falar em línguas. Isso, porém, não importava, pois de qualquer maneira os dons milagrosos com o tempo cessariam. Contudo, uma coisa permaneceria, algo que todos os cristãos poderiam cultivar e que era mais duradouro e permanente do que qualquer dom milagroso. De fato, Paulo o chamou de “um caminho que ultrapassa isso”. (1 Coríntios 12:31) Que “caminho” era esse? O caminho do amor.
1 Coríntios 12:31 Mas persistam em se empenhar pelos maiores dons. Contudo, ainda lhes mostrarei um caminho superior.

O povo de Jeová é identificado pelo amor que tem uns pelos outros


22 De fato, o amor cristão que Paulo descreveu “nunca falha”, isto é, nunca tem fim. Até hoje o amor fraternal abnegado identifica os verdadeiros seguidores de Jesus. Não vemos evidência desse amor nas congregações dos adoradores de Jeová em toda a Terra? Essa qualidade existirá para sempre, porque Jeová promete vida eterna aos seus servos fiéis. (Salmo 37:9-11, 29) Continuemos fazendo todo o possível para ‘prosseguir andando em amor’. Assim, sentiremos a felicidade maior que vem de dar. Mais do que isso, poderemos continuar a viver — e amar — por toda a eternidade, imitando nosso Deus amoroso, Jeová.
Salmo 37:9-11 9 Pois os maus serão eliminados,Mas os que esperam em Jeová possuirão a terra. ו [vau] 10 Apenas mais um pouco, e os maus deixarão de existir;Você olhará para onde estavam,E eles não estarão lá. 11 Mas os mansos possuirão a terraE terão grande alegria na abundância de paz.
Salmo 37:29 Os justos possuirão a terraE viverão nela para sempre.

23 Neste capítulo, que conclui a seção sobre o amor, vimos como podemos demonstrar amor uns pelos outros. Mas, em vista dos muitos modos em que nos beneficiamos do amor de Jeová — bem como do seu poder, justiça e sabedoria —, faríamos bem em perguntar: ‘Como posso mostrar a Jeová que realmente o amo?’ Essa pergunta será analisada no último capítulo.

Perguntas para Meditação


2 Coríntios 6:11-13 O que significa ‘alargar-nos’ em nossas afeições e como podemos aplicar esse conselho?


2 Coríntios 6:11-13 Nós abrimos a nossa boca para falar com vocês, coríntios, e abrimos amplamente o nosso coração. 12 Não estamos limitando nossos sentimentos por vocês, mas vocês estão limitando seus ternos sentimentos por nós. 13 Assim, como retribuição — falo como a meus filhos —, abram também amplamente o seu coração.

1 Pedro 1:22 Como essas palavras mostram que nosso amor pelos concrentes deve ser sincero, genuíno e cordial?


1 Pedro 1:22 Agora que vocês se purificaram pela sua obediência à verdade, tendo como resultado o amor fraternal sem hipocrisia, amem uns aos outros intensamente, de coração.

1 João 3:16-18 Como podemos demonstrar que “o amor de Deus” permanece em nós?


1 João 3:16-18 Por meio disto chegamos a conhecer o amor: ele entregou a vida por nós, e nós temos a obrigação de entregar a vida pelos nossos irmãos. 17 Mas se alguém tem os bens deste mundo e vê o seu irmão passando necessidade, e ainda assim se recusa a lhe mostrar compaixão, de que modo o amor de Deus permanece nele? 18 Filhinhos, devemos amar não em palavras nem com a língua, mas em ações e em verdade.

1 João 4:7-11 Qual é a maior motivação para demonstrar amor pelos nossos concrentes?


1 João 4:7-11 Amados, continuemos a amar uns aos outros, porque o amor vem de Deus, e todo aquele que ama nasceu de Deus e conhece a Deus. 8 Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor. 9 Por meio disto se revelou o amor de Deus em nosso caso: Deus enviou o seu Filho unigênito ao mundo para que ganhássemos a vida por meio dele. 10 O amor consiste no seguinte: não que nós tenhamos amado a Deus, mas que ele nos amou e enviou seu Filho como sacrifício propiciatório pelos nossos pecados. 11 Amados, se foi assim que Deus nos amou, então nós também temos a obrigação de amar uns aos outros.


Clique na imagem para Baixar informações completas em arquivos digitais para Computador desktop, Laptop, Tablet, celular e Smartphone

Baixar informações para o estúdio pessoal para Computador desktop, Laptop, Tablet, celular e Smartphone

Baixar informações para o estúdio pessoal para Computador desktop, Laptop, Tablet, celular e Smartphone