Biografia de Nicolas Chamfort

6 de abril de 1741
13 de abril de 1794
Sébastien-Roch Nicolas (conhecido como Chamfort) nasceu em 6 de abril de 1741, em Clermont-Ferrand. Órfão quando criança, é adotada por um rico comerciante, que lhe dá a oportunidade de estudar no collegio del Grassins em Paris. Depois de praticar como um tutor, aprofundou seu conhecimento da literatura na Alemanha. Logo em seguida, obtém um sucesso considerável em virtude de suas obras teatrais: entre outros, incluem "La jeune indienne", comédia em verso de 1764, e os balés "Palmire, Almaise," compostos no ano seguinte Zenis et. Durante esse tempo, ele estreou como um poeta assinando a coleção "L'Homme de lettres", em 1765, seguido por "Grandeza de l'homme", dois anos mais tarde. Em 1768, publicou "O veritè"; Entretanto, ele também foi experimentado como uma política ensaísta e crítico literário: em 1767 foi a ópera "L'influence des grands ècrivains."
O grande sucesso veio com "Marchand de Smyrne", comédia de 1770, após o qual Chamfort é atingido por uma doença séria, que vai desde a atividade composicional por alguns anos. Já, durante a revolução francesa se tornou um jacobino ardente, homem de Talleyrand e Mirabeau: no entanto, sua unconventionality logo assume e leva-lo em posições críticas, ao invés do regime político estabelecido durante a revolução; por este motivo, durante o reinado de terror de risco até ser preso. Nicolas Chamfort morre com a idade de 53 anos, em 13 de abril de 1794 em Paris, após os ferimentos sérios após tentar cometer suicídio. Particularmente pessimista perante a sociedade, Chamfort acredita que os seres humanos são inevitavelmente, levou a um estado de desespero devido a relação especial entre a humanidade e o sistema. Ele é lembrado hoje como um dos pensadores mais lindas e brilhantes dos tempos modernos, especialmente através de seu "Maximes et Pensèes", definitivamente apreciada, entre outros, por John Stuart Mill.
Artigo aportado pela equipe de colaboradores.