Biografia de Louis Braille

Ler as leituras

4 de janeiro de 1809
6 de janeiro de 1852
Louis Braille, o inventor do sistema de escrita e leitura em relevo para cegos que leva seu nome, nasceu em 4 de janeiro de 1809 em Coupvray, uma pequena cidade não muito longe de Paris. Seu pai, Simon-René Braille é sapateiro artesão. Com a idade de quatro, jogando com o equipamento na loja de seu pai, Louis tragicamente perde um olho. Após um curto período de tempo devido a infecção causada pelo acidente, vai perder também o segundo.
Escolas de regolarmmente de atendente Louis; sem a capacidade de ler e escrever, mas não conseguiu manter o ritmo. A 1819, quando, na idade de 10 anos, é bem-vinda no Instituto dos cegos (instituição des Jeunes Aveugles), Paris é uma das primeiras instituições do mundo para os meninos cegos, fundado a 25 anos antes por Valentin Haüy. A vida não era fácil: os meninos foram ensinados um comércio que exigem habilidades manuais, tais como isso do taxidermista de cadeiras. Quebras de lazer e aos domingos, os meninos estavam livres para caminhar ao redor do parque, com a particularidade de ser amarrados juntos com uma corda comprida. Entre as atividades havia mesmo lendo pelo toque; os personagens eram os mesmos que os utilizados para impressão, acentuados por um fio de cobre, colocado na parte da frente da folha, que a ponta do dedo índice reconhecida tocando o papel. Eles não foram ensinados a escrever. Nos anos do Instituto Braille, além de receber uma educação major, se dedicou à música.
Torna-se hábil organista, muito apreciada por muitas vezes sendo necessário em várias igrejas para cerimônias religiosas. Em 1827, Louis Braille é inserido o corpo docente do Instituto. Através do ensino não tem como verificar e analisar as dificuldades apresentadas pela educação da juventude, que são cega. No tempo que leva para ler uma linha, um rapaz cego, um menino talentoso com a visão podia ler duas páginas. Um dia um soldado, Charles Barbier, paga uma visita ao Instituto. Estes encontros Braille e fala com ele de uma forma que foi concebida para transmitir informações à noite, no escuro, nas trincheiras: consistia em sistema de doze pontos que representam sons diferentes. Partir deste taco a brilhante idéia de Braille vai sair, em 1829, quando o cara tem apenas 20 anos. Braille simplifica o sistema, reduzindo-a uma combinação de seis pontos; por meio desta combinação é possível representar todas as letras do alfabeto. Após um longo estudo, assim escrevendo sistema salienta que levará seu nome. O Braille mesmo se estenderá também para o método de representação de notação musical e a matemática. Para escrever o trabalho com folhas de papel pesado, colocado acima de uma barra de ferro, que é executado em um slide. Movendo o cursor regra determina as linhas, um abaixo do outro. Você escreve com um furador que bateu ponto gera cones de papel rígida.
O sistema é prático e extremamente simplificada: a combinação de pontos, um a seis, é perfurada com uma constante, de acordo com um determinado bin no intervalo entre duas linhas. A letra A é equivalente a um ponto no canto superior esquerdo; a letra C é dois pontos ao lado do outro; a letra G é representada por quatro pontos e assim por diante. Louis Braille aplica-se para seu método no Instituto onde ele é um professor. Poucos anos depois que o novo sistema serão adoptados em todo o mundo. Alfabeto tátil, inventado por Louis Braille permitiu que os cegos a ler e escrever de forma independente e em seguida, comunicar, mesmo que apenas entre aqueles que estão familiarizados com este sistema particular, fazendo um passo histórico na integração dos cegos na sociedade. Louis Braille moure em Paris apenas 43 anos, em 6 de janeiro de 1852, seguindo uma forma grave de TB. Em 1952 seu corpo repousa no Panteão de Paris, em reconhecimento ao seu trabalho em nome da humanidade.
Artigo aportado pela equipe de colaboradores.