PESQUISAR CONTEÚDO

Custom Search

Biografia de John Carpenter

O horror veia sangue fluindo

16 de janeiro de 1948
John Carpenter nasceu em Nova Iorque, em 16 de janeiro de 1948, e sua paixão por cinema e para a fantasia horror começa desde tenra idade, fascinada pela visão de "destino..." (1953) por Jack Arnold, o jovem carpinteiro decide que o cinema é sua vida. Em meados dos anos 70 é ele começou sua aventura no mundo do celulóide escrever três roteiros para três filmes: um é um western, nunca percebido, que você tinha que chamar de "Rio de sangue", o segundo é o thriller "os olhos de Laura Mars (1978) por Irwin Kershner e finalmente" Bad moon rising "(1986) Harley Cockliss. O primeiro filme dirigido por "Dark star" de John Carpenter, uma espécie de paródia de "2001: um Odisséia do espaço" (1968, Stanley Kubrick), mas o primeiro filme real para o qual o diretor de Nova York é relatar e amar é muito violento "Distrito 13? As brigadas de morte "em que um punhado de policiais e presos tentando salvar sua pele de um ataque por um grupo de lunáticos que querem invadir uma delegacia de polícia.
Carpinteiro conseguiu criar um filme meio de suspense e terror com cenas de violência terrível, incluindo o assassinato de uma criança. Os bandidos de "Distrito 13" não parece até homens, ato sem falar um com o outro, eles não tem moral e embora dizimados pela polícia, continuam como autômatos de assalto de delegacia de polícia. O filme não obter qualquer sucesso em casa enquanto na Europa é apreciado (embora levantamentos são ridículos, enfim) e carpinteiro começa a fazer proselitismo. Isso leva a 1978, o ano graças ao dinheiro do produtor Moustapha Akkad, é oferecido no John Carpenter a chance de dirigir um relógio filmes-thriller de horror sobre as façanhas de um louco assassino que mata sem hesitação e jovens vítimas. O orçamento é limitado, mas o diretor consegue churn para fora o que ainda é considerado um dos melhores filmes de terror já feitos: "Halloween".
É o filme que revela ao mundo o talento visionário de carpinteiro e que cria um verdadeiro ícone do cinema de Gênero: o assassino Michael Myers vestida como um mecânico com o rosto coberto por uma máscara branca (que, que nem todo mundo sabe, reproduzida a semelhança do rosto do ator William Shatner, o Capitão Kirk da primeira série de Star Trek). "Halloween" sai nos cinemas nesse ano e o sucesso é planetário: marca o nascimento de salsher-filme (filme com assassinatos em série) e lança um Jamie Lee Curtis muito jovem, que se tornará o ícone de filme. Carpinteiro não só direciona "Hallowen", mas também cuida da trilha sonora de muito bem sucedida; o filme após um primeiro semestre bastante "concedido", que segue o clichê do clássico o causador, (assassino escondido nas sombras, anônimas, suspense) então surpreendendo o público com um completamente inesperado: Michael Myers é imortal, nada e ninguém podem detê-lo, ele atira nele e ele se levanta, ele apunhala e ele não recebe qualquer lesão, não é apenas um assassino, mas o mal era representado.
Finalmente, o mundo descobriu o carpinteiro talentoso que agora tem a chance de realizar projetos mais ambiciosos. Visto o sucesso da proliferação das imitações de "Halloween" (ver "sexta-feira 13") os produtores do filme decidiram produzir um segundo episódio que Carpenter cuidado o roteiro e a trilha sonora mas confia o diretor r. Rosenthal; o filme não tem muito sucesso e é certamente menor do que o primeiro. John Carpenter, em seguida, produz um terceiro capítulo, onde não há nenhuma figura de Michael Myers, e isso vai ser um fracasso retumbante. Antes destas duas sequências carpinteiro em 1979 tinha dirigido a bela história de fantasma "Fog" na qual uma horda de zumbis invade um fantasmas da pequena cidade em retaliação dos seus habitantes, que cem anos antes tinha causado a morte.
O filme é muito bem conservado e perfeito em todos os seus pontos de vista: medo, suspense, narrativa e habilidade imaginativa, tudo funciona perfeitamente, mas apesar do filme não tem uma resposta adequada do público e críticos. No início da ' 80 carpinteiro direciona outros dois filmes muito importantes. O primeiro é "1997 escapar de Nova York", situado em um futuro próximo onde os criminosos são relegados a cidade fantasma, em uma das quais termina nada menos do que o Presidente dos Estados Unidos. Para salvar o exército usa um dos criminosos mais perigosos em circulação "Russell Park" (personagem interpretado por um magistral Kurt Russell e isso vai se tornar um cult) que irá salvá-lo em troca de sua liberdade. De acordo com muitos "1997" permanece um do melhor filme de ficção científica das últimas décadas tem sido capaz de nos dar.
É no campo da ficção de horror que John Carpenter direciona sua obra-prima: "a coisa" (1982), remake do filme "a coisa de outro mundo" (1951). O protagonista é mais uma vez, Kurt Russell (protagonista de "grandes problemas em little China, 1986), ator favorito do diretor. O placar desta vez foi confiado a nossa Ennio Morricone, mas encontrou o filme são os efeitos especiais bonitos, criados por Rob Bottin, quem com látex e próteses dá mutações horríveis que nunca tinham sido vistas antes na tela grande. Mais sombrio e claustrofóbico de "Alien", assustador e sinistro como "O Exorcista" o filme tinha que ser um sucesso mundial e em vez disso, foi um dos mais grave flop do cineasta que quase fez o banco rota de produção Universal. E tudo isto porque no mesmo ano grassava nas telas "E.T.", de Steven Spielberg, e ninguém ia acreditar em alienígena vilão, todas viram seres sobrenaturais como concurso pupazzoni para acariciar e abraçar e não como terríveis pragas mutantes que afligem corpos e mentes.
Mesmo a crítica foi feroz, indo tão longe a ponto de definir carpinteiro "pornógrafo do horror" mas depois (como muitas vezes acontece), com vários anos de distância, reavaliar "a coisa" até que ele entre os melhores filmes que já direcionado. Em última análise, um grande filme arruinado por ser lançado na hora errada. Carreira de carpinteiro continuou ao fracasso em fracasso: ou a próximo "Christine, a máquina infernal" adaptada da história de Stephen King Obtém o sucesso esperado. Em 1987, o diretor encontra sua veia horror com salpicos "Príncipe das trevas", história do advento das forças do mal sobre a terra; menos inovador e original em comparação com outros filmes do mesmo diretor, este horror é apreciado sobretudo para seqüências do filme real splatter, com puro, uma espécie de horror filme momentos no meio do caminho entre "Zumbis" por George Romero e "demônios" de baba.
No ano seguinte, John Carpenter volta à ficção de horror com "vivem" em que se imagina o mundo submetido a seres extraterrestres que se escondem sob forma humana falsa e controlando o mundo graças os meios de comunicação. Um roteiro original, com o qual o cineasta faz um filme "politicamente" envolvidos que, em uma espécie de paralelo com a história do filme, escondido sob o disfarce de um horror ficção científica, a sua verdadeira natureza de condenação feroz de uma certa sociedade americana e seus métodos. Uma ótima idéia "limitada" por baixo do orçamento. Naquela época de horror "real", com o belo "in the mouth of madness" (1994), estrelado por Sam Neill do "Jurrassik Park". Splatter, loucura, assassinato, seres mutantes e tudo o que você quer ver em um filme de terror, tudo temperado com suspense e notáveis habilidades na direção.
Um dos melhores filmes de horror dos últimos anos. Por razões econômicas, no ano seguinte, John dirige remake de "a aldeia dos amaldiçoados" certamente o pior filme de terror já dirigido pelo diretor de grande Nova Iorque. Em 1998 que em projetos de oficina dois: um criado e o outro não. O primeiro é "Vampiros" um horror-western no qual um estilo de caçador de vampiros (um enorme James Woods) John Wayne dá vampiros caça terrível. Humor, machismo, salpico: é novamente grande carpinteiro, embora a um nível inferior de seu maior esplendor.
O outro projeto era "Halloween 20 anos depois" e, em seguida, dirigido por Steve Miner, que foi para marcar o grande retorno Michale Myers. Carpinteiro não pode gerenciar ambos os filmes: ele preferiu "Vampiros", mas a audiência dos fãs de horror (não sempre competente, na maioria jovens e, portanto, atraído por horror-adolescentes) não da razão; resultado: "Dia das bruxas" 20 batidas e muito, os lucros de "Vampiros". "Fantasmas de Marte", de 2001, é uma história de horror sci-fi definida em Marte, num futuro não muito distante, em que os homens, tendo colonizado o planeta vermelho, eles tentam explorar todos os recursos; Mas uma antiga civilização marciana desperta e não tem intenção de cumprir com as necessidades dos seres humanos.
Este filme (apresentado fora de competição no Festival de Veneza) é uma espécie de summa de "obsessões" do seu cinema: a heroína é forte e "indestrutível" (Natasha Henstridge toma o lugar do Jamie Lee Curtis de "Nevoeiro" e "Halloween"), alien force, escondido atrás de uma forma humana, é preparada para assumir a humanidade ("a coisa", "vivem"), a configuração do western (muito parecido com "vampiros") com um cerco no reformatório , onde bandidos e policiais se unem para salvar seu Bacon ("Distrito 13"). A única novidade é representada pelo estilo de narrativa: na verdade, a história é contada através de uma série de flashbacks, que atravessa as histórias de vários personagens que se entrelaçam uns com os outros, incomum para um filme por Carpenter, diretor que prefere uma abordagem "clássica", focado na idéia de unidade de espaço e tempo. Para os fãs do gênero não faltam, como em "Vampiros", as sequências do splatter, com cabeças cortadas e os membros em todos os lugares, enquanto os efeitos digitais, provavelmente devido ao baixo orçamento, não demonstrar à altura de produções modernas.
O grande John Carpenter, desta vez, talvez, menos um pouco de orgulho, com um filme auto-indulgente (do título que, na língua original, é "Do John Carpenter fantasmas de Marte") e falta de novidades reais (como aconteceu com "Insone" de o Dario Argento); um pouco longe de ser obras-primas como "a coisa" ou "in the mouth of madness" porém ainda agradável, especialmente para os fãs do diretor. Parece que o diretor está trabalhando em um filme "puramente horror" que ele disse "será lançado pelo cinema abanava, abalada pela profunda...".
Artigo aportado pela equipe de colaboradores.

PESQUISAR CONTEÚDO

Custom Search

LINKS PATROCINADOS

ADDTHIS