Biografia de Juan Alvarez - Juan Álvarez Benítez

(27/01/1790 - 27/08/1867)

Juan Álvarez
Juan Álvarez Benítez
Juan Nepomuceno Álvarez Hurtado
Militar e político mexicano, Presidente (1855)

Nascido a 27 de janeiro de 1790, em Santa María em Atoyac o Concepción, Guerrero, no seio de uma família rica, que o enviou para estudar no colegio Ignacio (Avilés), na Cidade do México.
Embora seu nome era Juan Nepomuceno Álvarez Hurtado, foi adicionado o sobrenome de Benitez para nascer no estado de Guerrero. A sul costa deste estado tinha uma vila chamada Coyuca de Benitez e recebeu este nome como um segundo sobrenome.
Em novembro de 1810 entrou para as fileiras do Exército Insurgente de Morelos, no México. Ele participou na luta de Aguacatillo, Tres Palos, Arroio do moinho e Tonaltepec, também lutou em La Sábana e ganhou o posto de Capitão; pelos méritos da campanha. Antes do ano de 1810, ele recebeu um tiro que atravessou as pernas dela. Ele foi promovido a comandante do Regimento de Guadalupe.
Com Hermenegildo Galeana participou do assalto à Praça de Tixtla, na madrugada de 15 de maio de 1811, novamente deixando feridos e desta vez alcançar a patente de Coronel. Em 1813 Ele fortificou a montanha de Veladero, que assumiu até 1814, quando ele foi espancado por Armijo em Pie de la Cuesta. Acapulco levou os espanhóis no ano de 1824.
Alvarez, apoiou a constituição do México, como a República federal e lutou contra o autoritarismo monárquico de Agustín de Iturbidee Anastasio Bustamante de Antonio López de Santa Anna. Em 1850 foi eleito governador de Guerrero e em 1854, proclamada o Plano de Ayutla, que pôs fim à ditadura de Santa Anna.
Ele foi eleito como Presidente em 1855, embora ele renunciou no mesmo ano por problemas de saúde, durante este período, mostrou suas idéias republicanas, federalistas e liberais. Ele chamou o Congresso que dois anos mais tarde seria promulgada a constituição de 1857; é promulgada a Lei Juarez, que eliminou os Juizados Especiais e que altera o sistema de privilégios. Novamente, ele lutou ao lado do Presidente Benito Juárez (1858-1871), antes da intervenção francesa de 1861.
Cônjuge de Faustina Benitez, foi o pai de Diego e Encarnación Álvarez Benítez.
Juan Álvarez morreu em 27 de agosto de 1867 na Cidade do México.