sexta-feira, outubro 09, 2015

1 Crônicas 5-6-7, Destaques da Bíblia: semana de 12 de outubro

ADS

Destaques da leitura da Bíblia: 1 Crônicas 5-7. Informações para o estudo pessoal

Ler e ouvir a leitura da Bíblia em JW.org:




Pesquisa para Destaques da Bíblia desta semana: 1 Crônicas 5-7


(1 CRÔNICAS 5:1)

“E os filhos de Rubem, primogênito de Israel — pois era o primogênito; mas por profanar o leito [conjugal] de seu pai deu-se o seu direito de primogênito aos filhos de José, filho de Israel, de modo que não foi registrado genealogicamente para o direito de primogênito.”

*** w05 1/10 p. 9 Destaques do livro de Primeiro das Crônicas ***
5:1, 2 — O que significou para José receber o direito de primogenitura? Significou que ele recebeu uma porção dupla da herança. (Deuteronômio 21:17) Portanto, ele se tornou o patriarca de duas tribos: Efraim e Manassés. Os outros filhos de Israel se tornaram o patriarca de apenas uma tribo cada um.

*** it-2 p. 451 Israel ***
Havia também a questão dos direitos do primogênito. Rubem, primogênito de Jacó, tinha direito a uma porção dupla da herança (veja De 21:17), mas perdeu esse direito porque cometeu imoralidade incestuosa com a concubina de seu pai. (Gên 35:22; 49:3, 4) Tais vagas, a vaga de Levi entre as 12, bem como a ausência daquele que tinha os direitos de primogênito, tinham de ser preenchidas.
De forma relativamente simples, Jeová ajustou ambos os assuntos por meio de um único ato. Efraim e Manassés, os dois filhos de José, foram promovidos à condição plena de cabeças tribais. (Gên 48:1-6; 1Cr 5:1, 2) Novamente se podiam contar 12 tribos, excluindo-se a de Levi, e também uma porção dupla das terras fora representativamente consignada a José, pai de Efraim e de Manassés. Assim, os direitos do primogênito foram retirados de Rubem, o primogênito de Léia, e dados a José, o primogênito de Raquel. (Gên 29:31, 32; 30:22-24) Assim, com tais ajustes, os nomes das 12 tribos (não-levitas) de Israel eram: Rubem, Simeão, Judá, Issacar, Zebulão, Efraim, Manassés, Benjamim, Dã, Aser, Gade e Naftali. — Núm 1:4-15.

(1 CRÔNICAS 5:2)

“Porque o próprio Judá mostrou-se superior entre os seus irmãos e o líder procedia dele; mas a primogenitura era de José —”

*** w05 1/10 p. 9 Destaques do livro de Primeiro das Crônicas ***
5:1, 2 — O que significou para José receber o direito de primogenitura? Significou que ele recebeu uma porção dupla da herança. (Deuteronômio 21:17) Portanto, ele se tornou o patriarca de duas tribos: Efraim e Manassés. Os outros filhos de Israel se tornaram o patriarca de apenas uma tribo cada um.

*** it-2 p. 451 Israel ***
Havia também a questão dos direitos do primogênito. Rubem, primogênito de Jacó, tinha direito a uma porção dupla da herança (veja De 21:17), mas perdeu esse direito porque cometeu imoralidade incestuosa com a concubina de seu pai. (Gên 35:22; 49:3, 4) Tais vagas, a vaga de Levi entre as 12, bem como a ausência daquele que tinha os direitos de primogênito, tinham de ser preenchidas.
De forma relativamente simples, Jeová ajustou ambos os assuntos por meio de um único ato. Efraim e Manassés, os dois filhos de José, foram promovidos à condição plena de cabeças tribais. (Gên 48:1-6; 1Cr 5:1, 2) Novamente se podiam contar 12 tribos, excluindo-se a de Levi, e também uma porção dupla das terras fora representativamente consignada a José, pai de Efraim e de Manassés. Assim, os direitos do primogênito foram retirados de Rubem, o primogênito de Léia, e dados a José, o primogênito de Raquel. (Gên 29:31, 32; 30:22-24) Assim, com tais ajustes, os nomes das 12 tribos (não-levitas) de Israel eram: Rubem, Simeão, Judá, Issacar, Zebulão, Efraim, Manassés, Benjamim, Dã, Aser, Gade e Naftali. — Núm 1:4-15.

(1 CRÔNICAS 5:6)

“Beerá seu filho, a quem Tilgate-Pilneser, rei da Assíria, levou ao exílio, sendo ele maioral dos rubenitas.”

*** it-1 p. 257 Assíria ***
Anteriormente, em seu reinado, Tiglate-Pileser III tinha iniciado a política de trasladar as populações das áreas conquistadas, para assim reduzir a possibilidade de futuras insurreições, e então passou a deportar alguns dos israelitas. (1Cr 5:6, 26)

*** it-1 p. 324 Beerá ***
Beerá
[Poço].
Maioral rubenita levado ao exílio pelo rei assírio Tiglate-Pileser III, aparentemente durante o reinado de Peca (c. 778-759 AEC). — 1Cr 5:6.

(1 CRÔNICAS 5:9)

“Mesmo ao leste ele morava até onde se entra no ermo junto ao rio Eufrates, porque o próprio gado deles se tornara numeroso na terra de Gileade.”

*** it-2 p. 61 Eufrates ***
Primeiro Crônicas 5:9 declara que certos descendentes de Rubem, no período anterior ao reinado de Davi, estenderam sua morada “até onde se entra no ermo junto ao rio Eufrates”. Todavia, visto que o Eufrates dista uns 800 km, quando se viaja “ao leste de Gileade” (1Cr 5:10), isto talvez simplesmente signifique que os rubenitas estenderam seu território ao L de Gileade até a beira do deserto Sírio, que prossegue até o Eufrates. (CBC reza: “até à entrada do deserto, que vai até o Eufrates”; BJ: “atingia a beira do deserto que o Eufrates limita”.)

(1 CRÔNICAS 5:10)

“E nos dias de Saul fizeram guerra aos agarenos, que vieram a cair pela sua mão; e assim moravam nas suas tendas em todo o país ao leste de Gileade.”

*** it-1 p. 63 Agareno ***
Agareno
[possivelmente: De (Pertencente a) Agar].
Aparentemente, era um povo pastoril que residia em tendas ao L de Gileade. Nos dias do Rei Saul, os israelitas que moravam ao L do Jordão derrotaram os agarenos, tomando 100.000 cativos, bem como milhares de camelos, jumentos e ovelhas. (1Cr 5:10, 18-22) O salmista alistou os agarenos entre outros inimigos de Israel, tais como os edomitas, os moabitas, os amonitas e os amalequitas. (Sal 83:2-7) Entretanto, durante o governo de Davi, Jaziz, o agareno, estava encarregado dos rebanhos reais. — 1Cr 27:31.
Muitos peritos acreditam que os agarenos são provavelmente os mesmos que os A• graí•oi mencionados pelos antigos geógrafos Estrabão, Ptolomeu e Plínio. Não se pode determinar com certeza se eram descendentes de Agar, conforme alguns supõem.

(1 CRÔNICAS 5:20)

“E vieram a ser ajudados contra eles, de modo que os agarenos e todos os que estavam com eles foram entregues na sua mão, pois clamaram a Deus por socorro na guerra e ele se deixou suplicar a seu favor por confiarem nele.”

*** w05 1/10 p. 9 Destaques do livro de Primeiro das Crônicas ***
5:10, 18-22. Nos dias do Rei Saul, as tribos ao leste do Jordão, embora estivessem em quantidade inferior — menos da metade —, conseguiram derrotar os agarenos. Isso aconteceu porque os homens valentes dessas tribos confiavam em Jeová e buscaram a sua ajuda. Tenhamos plena confiança em Jeová à medida que travamos uma guerra contra os inimigos que são mais numerosos do que nós. — Efésios 6:10-17.

(1 CRÔNICAS 5:23)

“Quanto aos filhos da meia tribo de Manassés, moravam no país desde Basã até Baal-Hermom, e Senir, e monte Hermom. Eles mesmos vieram a ser numerosos.”

*** it-1 p. 291 Baal-Hermom ***
Baal-Hermom
[Dono de Hermom].
Este nome aparece em Juízes 3:3 e em 1 Crônicas 5:23. No primeiro caso, descreve um ponto na região habitada pelos sidônios e pelos heveus, que não foram conquistados pelos israelitas, e refere-se aqui ao “monte Baal-Hermom”. Este costuma ser identificado com o próprio monte Hermom, mas talvez se refira à cadeia de montanhas do Antilíbano em geral, ou a uma parte dela. Em 1 Crônicas 5:23, “Baal-Hermom” é usado junto com Senir e o monte Hermom, e a região de Basã, para delinear o território ocupado pela meia-tribo de Manassés. Embora possa referir-se a uma cidade ou a um lugar perto do monte Hermom, também pode designar a região montanhosa do Hermom. — Veja HERMOM.

(1 CRÔNICAS 5:26)

“Por conseguinte, o Deus de Israel incitou o espírito de Pul, rei da Assíria, sim, o espírito de Tilgate-Pilneser, rei da Assíria, de modo que levou ao exílio os dos rubenitas, e dos gaditas, e da meia tribo de Manassés, e os levou a Hala, e a Habor, e a Hara, e ao rio Gozã, [ficando eles lá] até o dia de hoje.”

*** it-1 pp. 256-257 Assíria ***
Tiglate-Pileser III. O primeiro rei assírio a ser mencionado nominalmente na Bíblia é Tiglate-Pileser III (2Rs 15:29; 16:7, 10), também chamado “Pul” em 2 Reis 15:19. Em 1 Crônicas 5:26 são usados ambos os nomes, e isto levou alguns no passado a encará-los como reis distintos. No entanto, a Lista de Reis A, babilônica, menciona “Pulu”, indicando que ambos os nomes se aplicam à mesma pessoa. Alguns sugerem que este rei era originalmente conhecido como Pul e que assumiu o nome de Tiglate-Pileser ao ascender ao trono assírio.

*** it-1 p. 257 Assíria ***
Anteriormente, em seu reinado, Tiglate-Pileser III tinha iniciado a política de trasladar as populações das áreas conquistadas, para assim reduzir a possibilidade de futuras insurreições, e então passou a deportar alguns dos israelitas. (1Cr 5:6, 26)

*** it-1 p. 469 Cativeiro ***
Esdras, ao compilar Crônicas, escreveu que muitos daqueles dispersos em várias cidades no L ‘ficam lá até o dia de hoje’ (c. 460 AEC). (1Cr 5:26)

*** it-2 p. 250 Gozã ***
Em 2 Reis 17:6 e 18:11, algumas traduções rezam “Habor, o rio de Gozã” (IBB, BJ), em vez de “Habor, junto ao [ou: perto do] rio Gozã” (NM, So), tornando assim Gozã um lugar, nestes textos. Mas a versão “Habor, o rio de Gozã”, não se harmoniza com 1 Crônicas 5:26. Nesta passagem, Habor é alistada entre Hala e Hara; e Hara, não Habor, é alistada antes de Gozã. Isto indica que Habor e o “rio de Gozã” (IBB) não são sinônimos. Portanto, aqueles que identificam Gozã sempre como lugar se vêem obrigados a rejeitar a referência de Crônicas. No entanto, visto que o hebraico permite uma tradução coerente de “rio Gozã” em todos os três textos, há motivos para se crer que foi na vizinhança de um rio chamado Gozã que o rei da Assíria fixou alguns dos israelitas exilados do reino setentrional. O Qezel Owzan, do NO do Irã, tem sido sugerido como possível identificação do “rio Gozã”. Ele nasce nos montes ao SE do lago Urmia (no que costumava ser a terra dos medos), e por fim desemboca como o Sefid Rud, ou rio Branco (nome aplicado ao seu curso inferior), na parte SO do mar Cáspio. Segundo outro ponto de vista, o Gozã é um rio da Mesopotâmia.

*** it-2 p. 276 Habor ***
Habor
Cidade ou distrito para o qual o rei assírio Tiglate-Pileser III exilou muitos israelitas do reino de dez tribos. (1Cr 5:26) Alguns peritos associaram esta Habor com Abhar, uma cidade situada junto ao rio Qezel Owzan, no NO do Irã, a uns 210 km ao O de Teerã. Em 2 Reis 17:6 e 18:11, alguns preferem a versão “Habor, rio de Gozã” (CBC, IBB), e eles sugerem a identificação de Habor com um tributário do Eufrates, o rio Cabur do SE da Turquia e do NE da Síria. Todavia, de acordo com 1 Crônicas 5:26, esta frase pode, em vez disso, ser vertida por “Habor, junto ao rio Gozã”. — NM, Al; veja GOZÃ.

*** it-2 pp. 284-285 Hara ***
Hara
Lugar para o qual o rei assírio Tilgate-Pilneser (Tiglate-Pileser III) transportou israelitas cativos. (1Cr 5:26) Referências similares (2Rs 17:6; 18:11) a um posterior exílio assírio falam de israelitas serem levados para as “cidades dos medos” (texto massorético) ou para os “montes dos medos”. (LXX) Muitos peritos acham que a versão da Septuaginta seja a correta e sugerem que em 1 Crônicas 5:26 “Hara” (Ha•ráʼ, talvez uma forma aramaica da palavra hebraica para “monte” [har]) tornou-se nome próprio quando a frase “dos medos” foi inadvertidamente omitida. Se esta suposição for correta, “Hara” talvez se tenha aplicado aos “montes dos medos” ao L do vale do rio Tigre. Todavia, alguns dos que consideram a Gozã de 2 Reis 17:6 e 18:11 um lugar (como em BJ, BV, IBB), não um rio, acreditam que “Hara” possivelmente foi a designação local duma região montanhosa da Turquia.

*** it-2 p. 511 Jeremias ***
4. Um dos cabeças de casas paternas no setor da tribo de Manassés ao L do Jordão, nos dias dos reis. Os rubenitas, os gaditas e a meia tribo de Manassés ao L do Jordão (entre eles, os descendentes deste Jeremias) “começaram a agir de modo infiel para com o Deus de seus antepassados e foram ter relações imorais com os deuses dos povos do país, que Deus tinha aniquilado de diante deles. Por conseguinte, o Deus de Israel incitou o espírito de Pul, rei da Assíria, e o espírito de Tilgate-Pilneser, rei da Assíria, de modo que [nos dias de Peca, rei de Israel] levou ao exílio os dos rubenitas, e dos gaditas, e da meia tribo de Manassés, e os levou a Hala, e a Habor, e a Hara, e ao rio Gozã”. — 1Cr 5:23-26; 2Rs 15:29.

(1 CRÔNICAS 6:8)

“Aitube, por sua vez, tornou-se pai de Zadoque; Zadoque, por sua vez, tornou-se pai de Aimaás.”

*** it-1 p. 282 Azarias ***
4. Um dos príncipes de Salomão. (1Rs 4:2) Ele é chamado de filho do sacerdote Zadoque; pode ter sido o irmão de Aimaás. — 1Cr 6:8.

(1 CRÔNICAS 6:22)

“Os filhos de Coate foram Aminadabe seu filho, Corá seu filho, Assir seu filho,”

*** it-1 p. 110 Aminadabe ***
2. Talvez um nome alternativo de Izar, filho de Coate e pai de Corá. (1Cr 6:22; compare isso com os vv. 2, 18, 37, 38 ; Êx 6:18; 21; Núm 3:19, 27.) Algumas cópias da Septuaginta grega apresentam “Izar” em vez de “Aminadabe” em 1 Crônicas 6:22 (6:7, LXX).

*** it-2 p. 192 Genealogia ***
Identificação dos Parentescos. Na determinação dos parentescos, freqüentemente é necessário verificar o contexto ou fazer um confronto de listas paralelas ou de textos de partes diferentes da Bíblia. Por exemplo, “filho” pode na realidade significar neto, ou apenas descendente. (Mt 1:1) Novamente, uma lista de nomes pode parecer ser o registro de irmãos, filhos do mesmo homem. Um exame mais detido e a comparação com outros textos, porém, pode mostrar que é o registro duma linhagem genealógica, dando os nomes de alguns filhos, e também de alguns netos ou descendentes posteriores. Gênesis 46:21, evidentemente, alista tanto os filhos como os netos de Benjamim como “filhos”, conforme se pode ver na comparação com Números 26:38-40.
A mesma situação é encontrada até nas genealogias de algumas das famílias principais. Por exemplo, 1 Crônicas 6:22-24 alista dez “filhos de Coate”. Mas, no versículo 18 , e em Êxodo 6:18, encontramos apenas quatro filhos atribuídos a Coate. E o exame do contexto mostra que a lista dos “filhos de Coate”, em 1 Crônicas 6:22-24, é na realidade parte duma genealogia de famílias da linhagem de Coate, que tinham membros representativos presentes para serem designados por Davi para certos deveres no templo.

(1 CRÔNICAS 6:27)

“Eliabe seu filho, Jeroão seu filho, Elcana seu filho.”

*** it-1 p. 788 Eliabe ***
3. Levita da família dos coatitas e antepassado de Samuel, o profeta. (1Cr 6:22, 27, 28, 33, 34) Em 1 Crônicas 6:34, seu nome é dado como Eliel, e em 1 Samuel 1:1, como Eliú.

*** it-1 pp. 792-793 Eliel ***
2. Levita da família dos coatitas e antepassado do profeta Samuel. (1Cr 6:33, 34) Ele evidentemente é chamado Eliú em 1 Samuel 1:1 e Eliabe em 1 Crônicas 6:27.

*** it-1 p. 800 Eliú ***
2. Antepassado do profeta Samuel; filho de Toú. (1Sa 1:1) Evidentemente, Eliú é também chamado Eliabe e Eliel. — 1Cr 6:27, 34.

(1 CRÔNICAS 6:28)

“E os filhos de Samuel foram o primogênito [Joel] e o segundo, Abias.”

*** it-2 p. 581 Joel ***
5. Primogênito do profeta Samuel; descendente do N.° 2 e pai de Hemã, cantor levita. (1Cr 6:28, 33, 36; 15:17) Joel e seu irmão mais moço, Abias, tinham sido designados juízes por seu pai, mas sua desonestidade no cargo forneceu ao povo uma desculpa para pedir um rei humano. — 1Sa 8:1-5.
Em 1 Crônicas 6:28, o texto massorético (e certas traduções) diz que “Vasni” era o primogênito de Samuel. Os peritos, porém, concordam em geral que “Joel” era o que constava do hebraico original, leitura retida pela Pesito siríaca e pela edição lagardiana da Septuaginta grega. (Veja 1Sa 8:2.) A similaridade entre “Joel” e a terminação duma palavra precedente no texto (“Samuel”) possivelmente fez com que um escriba inadvertidamente deixasse fora o nome “Joel”. Pelo que parece, ele então confundiu a palavra hebraica wehash•she•ní (que significa “e o segundo [filho]”) com o nome próprio “Vasni” e inseriu a letra waw (e) antes do nome Abias.

(1 CRÔNICAS 6:34)

“filho de Elcana, filho de Jeroão, filho de Eliel, filho de Toá,”

*** it-1 p. 788 Eliabe ***
3. Levita da família dos coatitas e antepassado de Samuel, o profeta. (1Cr 6:22, 27, 28, 33, 34) Em 1 Crônicas 6:34, seu nome é dado como Eliel, e em 1 Samuel 1:1, como Eliú.

*** it-1 pp. 792-793 Eliel ***
2. Levita da família dos coatitas e antepassado do profeta Samuel. (1Cr 6:33, 34) Ele evidentemente é chamado Eliú em 1 Samuel 1:1 e Eliabe em 1 Crônicas 6:27.

*** it-1 p. 800 Eliú ***
2. Antepassado do profeta Samuel; filho de Toú. (1Sa 1:1) Evidentemente, Eliú é também chamado Eliabe e Eliel. — 1Cr 6:27, 34.

(1 CRÔNICAS 6:69)

“e Aijalom com os seus pastios, e Gate-Rimom com os seus pastios;”

*** it-1 pp. 72-73 Aijalom ***
Depois da conquista de Canaã por Josué, Aijalom foi designada para a tribo de Dã. (Jos 19:40-42) Mais tarde foi designada para os filhos de Coate, como cidade levita. — Jos 21:24.
Os danitas no começo não conseguiram expulsar de Aijalom os amorreus, mas parece que Efraim, do N, veio ajudá-los e então “a mão da casa de José ficou tão pesada que [os amorreus] foram obrigados a trabalho forçado”. (Jz 1:34, 35) Este talvez seja o motivo de 1 Crônicas 6:69 alistar Aijalom como pertencente a Efraim e como dada por eles aos coatitas. (Veja, porém, o caso correspondente de GATE-RIMOM N.° 1.)

*** it-2 p. 182 Gate-Rimom ***
Gate-Rimom
[Lagar de Vinho Junto à Romãzeira].
1. Cidade de Dã (Jos 19:40, 41, 45) designada aos levitas coatitas. (Jos 21:20, 23, 24) Primeiro Crônicas 6:66-70 parece constituir Gate-Rimom em cidade efraimita. Todavia, à base do relato paralelo em Josué 21:23, 24, hebraístas acreditam que, por erro de escriba, uma parte do texto foi acidentalmente omitida e perdida. De modo que sugerem que se insira o seguinte (correspondendo a Jos 21:23) antes de 1 Crônicas 6:69: “E da tribo de Dã: Elteque e seus pastios, Gibetom e seus pastios . . .” Esta pode ter sido a versão original. Todavia, não se deve desperceber a possibilidade de que Gate-Rimom era uma cidade danita encravada no território de Efraim.

(1 CRÔNICAS 6:70)

“e da metade da tribo de Manassés: Aner com os seus pastios e Bileão com os seus pastios, à família dos filhos de Coate que tinham sobrado.”

*** it-2 p. 182 Gate-Rimom ***
Gate-Rimom
[Lagar de Vinho Junto à Romãzeira].
1. Cidade de Dã (Jos 19:40, 41, 45) designada aos levitas coatitas. (Jos 21:20, 23, 24) Primeiro Crônicas 6:66-70 parece constituir Gate-Rimom em cidade efraimita. Todavia, à base do relato paralelo em Josué 21:23, 24, hebraístas acreditam que, por erro de escriba, uma parte do texto foi acidentalmente omitida e perdida. De modo que sugerem que se insira o seguinte (correspondendo a Jos 21:23) antes de 1 Crônicas 6:69: “E da tribo de Dã: Elteque e seus pastios, Gibetom e seus pastios . . .” Esta pode ter sido a versão original. Todavia, não se deve desperceber a possibilidade de que Gate-Rimom era uma cidade danita encravada no território de Efraim.

*** it-2 pp. 357-358 Ibleão ***
Ibleão
[possivelmente duma raiz que significa “engolir”].
Cidade no território de Issacar, mas designada com suas aldeias dependentes a Manassés. Os manassitas, porém, deixaram de desapossar os cananeus de Ibleão. (Jos 17:11-13; Jz 1:27) Ibleão parece ser a mesma que Bileão, em Manassés, dada aos levitas coatitas. (1Cr 6:70) Mas, o texto paralelo que menciona cidades levitas no território da metade da tribo de Manassés (Jos 21:25) diz “Gate-Rimom”, em vez de “Bileão” ou “Ibleão”. Geralmente se atribui isso a um erro de escriba, “Gate-Rimom”, o nome de uma cidade em Dã, provavelmente tendo sido por engano repetida do versículo 24 .

(1 CRÔNICAS 7:6)

“[Os filhos de] Benjamim foram Bela, e Bequer, e Jediael, três.”

*** it-1 p. 243 Asbel,asbelitas ***
Asbel, asbelitas
Asbel era filho de Benjamim, alistado como terceiro em Gênesis 46:21, mas como segundo em 1 Crônicas 8:1. Em 1728 AEC, ele entrou no Egito junto com a família de Jacó. Parece ser chamado de Jediael em 1 Crônicas 7:6, 10. Os asbelitas, descendentes dele, foram registrados no censo feito nas planícies desérticas de Moabe, por volta de 1473 AEC.

(1 CRÔNICAS 7:14)
“Os filhos de Manassés foram Asriel, que a sua concubina síria deu à luz. (Ela deu à luz Maquir, pai de Gileade.”


*** it-1 p. 250 Asriel ***
De acordo com 1 Crônicas 7:14, Asriel era filho de Manassés, que sua concubina síria lhe deu à luz. No entanto, parte duma aparente declaração parentética que segue reza: “Ela deu à luz Maquir, pai de Gileade.” Portanto, conforme não é incomum em genealogias bíblicas, Asriel talvez fosse aqui chamado de “filho” de Manassés apenas no sentido de ser um dos seus posteriores descendentes (por meio de Maquir, filho de Manassés com sua concubina síria). Mas, é possível que Manassés tivesse tanto um filho direto como um bisneto com o mesmo nome. “Os filhos de Asriel” estavam entre os descendentes de Manassés aos quais Josué distribuiu lotes de terra na Terra da Promessa. — Jos 17:1-4.

(1 CRÔNICAS 7:20)

“E os filhos de Efraim foram Sutela, e Berede seu filho, e Taate seu filho, e Eleada seu filho, e Taate seu filho,”

*** it-1 p. 786 Eleade ***
Eleade
[Deus Deu Testemunho].
Provavelmente filho de Efraim, que foi morto, junto com seu irmão Ezer, pelos homens de Gate, “porque desceram para tomar seu gado”. — 1Cr 7:20, 21; veja EFRAIM N.° 1.

Clique na imagem para Baixar informações completas em arquivos digitais para Computador desktop, Laptop, Tablet, celular e Smartphone

Baixar informações para o estúdio pessoal para Computador desktop, Laptop, Tablet, celular e Smartphone

Baixar informações para o estúdio pessoal para Computador desktop, Laptop, Tablet, celular e Smartphone


Conteúdo recomendado