1 Crônicas 12-13-14-15, Destaques da Bíblia: semana de 26 de outubro

ADSBYGOOGLE

Destaques da leitura da Bíblia: 1 Crônicas 12-15. Informações para o estudo pessoal

Ler e ouvir a leitura da Bíblia em JW.org:




Pesquisa para Destaques da Bíblia desta semana: 1 Crônicas 12-15


26 DE OUT. LEITURA DA BÍBLIA: 1 CRÔNICAS 12-15


(1 CRÔNICAS 12:8)

“E havia alguns dos gaditas que se separaram para o lado de Davi no lugar de difícil acesso, no ermo, homens poderosos, valentes, homens do exército, para a guerra, prontos com o escudo grande e a lança, cujas faces eram faces de leões, e eles eram iguais às gazelas nos montes em velocidade.”

*** w05 1/10 p. 10 Destaques do livro de Primeiro das Crônicas ***
12:8 — Em que sentido as faces dos guerreiros gaditas eram como “faces de leões”? Esses homens valentes estavam do lado de Davi no ermo. Seu cabelo havia crescido muito, dando-lhes a aparência de um leão feroz.

*** it-1 p. 190 Armas, armadura ***
O “escudo grande” (hebr.: tsin•náh) era carregado pela infantaria fortemente armada (2Cr 14:8) e às vezes por um escudeiro. (1Sa 17:7, 41) Era oval, ou retangular como uma porta. Pelo que parece, um similar “grande escudo” é indicado em Efésios 6:16 pela palavra grega thy•re•ós (de thý•ra, que significa “porta”). O tsin•náh era bastante grande para cobrir o corpo inteiro. (Sal 5:12) Ocasionalmente era usado para estabelecer uma sólida frente de combate com lanças estendidas. O escudo grande é às vezes mencionado junto com a lança como forma de referência a armas em geral. — 1Cr 12:8, 34; 2Cr 11:12.

(1 CRÔNICAS 12:18)

“E o próprio espírito envolveu a Amasai, cabeça dos trinta: “Teus [somos], ó Davi, e contigo [estamos], ó filho de Jessé. Paz, paz seja contigo, e paz com aquele que te ajuda, Pois o teu Deus te ajudou.” Portanto, Davi recebeu-os e os pôs entre os cabeças das tropas.”

*** it-1 p. 105 Amasa ***
Alguns contendem que Amasa deve ser identificado com Amasai, um daqueles que se juntaram ao exército de Davi em Ziclague, mas tal identificação é incerta. — 1Cr 12:18.

(1 CRÔNICAS 12:21)

“E eles, da sua parte, foram ajudar Davi contra a guerrilha, porque todos eles eram homens poderosos de valor, e vieram a ser chefes no exército;”

*** it-1 p. 52 Adná ***
1. Valente oficial militar de Manassés, que desertou de Saul para o exército de Davi, em Ziclague. Ele lutou ao lado de Davi na perseguição à guerrilha de amalequitas, que devastou o acampamento de Davi em Ziclague, e ele veio a ser chefe no exército de Davi. — 1Cr 12:20, 21; 1Sa 30:1, 2, 17-19.

(1 CRÔNICAS 12:23)

“E estes eram os números dos cabeças dos equipados para o exército que chegaram a Davi em Hébron para transferir a ele o reinado de Saul, de acordo com a ordem de Jeová.”

*** it-1 p. 650 O tempo de Davi ***
Hébron 2Sa 2:1-4, 11; 3:2-5, 12, 20-27, 32; 4:8-12;
5:1-5; 15:7-10; 1Cr 12:23-40

(1 CRÔNICAS 12:27)

“E Jeoiada era o líder [dos filhos] de Arão, e com ele havia três mil e setecentos.”

*** it-1 p. 175 Arão ***
Descendentes Sacerdotais de Arão. A expressão “aronitas” aparece nas versões Rei Jaime e Moffat (em inglês) em 1 Crônicas 12:27; 27:17, e neste último texto também na versão Almeida atualizada. (O texto massorético, em hebraico, simplesmente usa o nome Arão. LXX [edição de Lagarde, em 1Cr 12:27] diz “dos filhos de Arão”.) É evidente que a palavra “Arão” aqui é usada em sentido coletivo, parecido ao uso do nome Israel, e representa a casa de Arão ou seus descendentes masculinos, no tempo de Davi, que eram da tribo de Levi e serviam como sacerdotes. (1Cr 6:48-53) A Tradução do Novo Mundo reza: “E Jeoiada era o líder [dos filhos] de Arão, e com ele havia três mil e setecentos” (1Cr 12:27), colocando entre colchetes as palavras “dos filhos”, para indicar que foram adicionadas.

(1 CRÔNICAS 12:33)

“De Zebulão, os que saíam para o exército, pondo-se em formação de batalha com todas as suas armas de guerra, havia cinqüenta mil, e para se reunirem [a Davi] não foram de coração dúplice.”

*** it-1 p. 555 Coração ***
Alguém pode também ter “coração dúplice” (literalmente: com um coração e um coração), tentando servir a dois amos, ou dizendo enganosamente uma coisa, ao passo que pensa outra. (1Cr 12:33; Sal 12:2 n.) Jesus denunciou fortemente tal hipocrisia dúplice. — Mt 15:7, 8.

(1 CRÔNICAS 12:34)

“E de Naftali havia mil chefes, e com eles, com escudo grande e lança, trinta e sete mil.”

*** it-1 p. 190 Armas, armadura ***
O “escudo grande” (hebr.: tsin•náh) era carregado pela infantaria fortemente armada (2Cr 14:8) e às vezes por um escudeiro. (1Sa 17:7, 41) Era oval, ou retangular como uma porta. Pelo que parece, um similar “grande escudo” é indicado em Efésios 6:16 pela palavra grega thy•re•ós (de thý•ra, que significa “porta”). O tsin•náh era bastante grande para cobrir o corpo inteiro. (Sal 5:12) Ocasionalmente era usado para estabelecer uma sólida frente de combate com lanças estendidas. O escudo grande é às vezes mencionado junto com a lança como forma de referência a armas em geral. — 1Cr 12:8, 34; 2Cr 11:12.

(1 CRÔNICAS 13:5)

“Por conseguinte, Davi congregou todo o Israel, desde o rio do Egito até à entrada de Hamate, para trazer a arca do [verdadeiro] Deus desde Quiriate-Jearim.”

*** w05 1/10 p. 10 Destaques do livro de Primeiro das Crônicas ***
13:5 — O que é “o rio do Egito”? Alguns chegaram à conclusão de que essa expressão se refere a um braço do rio Nilo. No entanto, geralmente entende-se que se faz referência aqui ao “vale da torrente do Egito”, ou seja, um desfiladeiro comprido que fazia fronteira com o sudoeste da Terra Prometida. — Números 34:2, 5; Gênesis 15:18.

(1 CRÔNICAS 13:10)

“Então se acendeu a ira de Jeová contra Uzá, de modo que o golpeou por ter estendido a sua mão à Arca, e ele morreu ali perante Deus.”

*** w05 1/2 pp. 26-27 Jeová sempre faz o que é certo ***
Por que Jeová tirou a vida de Uzá?
18 Outro assunto que para alguns talvez seja difícil de entender tem a ver com Davi tentar levar a arca do pacto para Jerusalém. A arca havia sido colocada numa carroça conduzida por Uzá e seu irmão. A Bíblia relata: “Por fim chegaram até a eira de Nacom, e Uzá estendeu então a mão à arca do verdadeiro Deus e segurou-a, porque o gado quase causara um transtorno. Nisso se acendeu a ira de Jeová contra Uzá, e o verdadeiro Deus o golpeou ali pelo ato irreverente, de modo que morreu ali perto da arca do verdadeiro Deus.” Alguns meses depois, uma segunda tentativa de transportar a arca foi bem-sucedida, porque os levitas coatitas carregaram-na sobre os ombros, assim como Jeová havia ordenado. (2 Samuel 6:6, 7; Números 4:15; 7:9; 1 Crônicas 15:1-14) Alguns talvez perguntem: ‘Por que Jeová agiu de maneira tão rigorosa? Uzá só queria proteger a arca.’ Para não tirarmos conclusões erradas, é bom considerar alguns pormenores úteis.
19 Temos de nos lembrar que é impossível Jeová agir de modo injusto. (Jó 34:10) Seria desamoroso se ele fizesse isso, mas sabemos, por estudar a Bíblia inteira, que “Deus é amor”. (1 João 4:8) Além disso, as Escrituras nos dizem que ‘justiça e juízo são o lugar estabelecido do trono de Deus’. (Salmo 89:14) Então, como poderia Jeová agir de modo injusto? Se ele fizesse isso estaria arruinando justamente o que constitui a base de sua soberania.
20 Não devemos nos esquecer também que Uzá deveria saber que não era correto agir daquela forma. A arca representava a presença de Jeová. A Lei indicava que pessoas não-autorizadas não deviam tocar nela, deixando claro que os violadores seriam punidos com a morte. (Números 4:18-20; 7:89) Portanto, o transporte daquela arca sagrada não deveria ser tratado como algo sem importância. É evidente que Uzá era um levita (embora não um sacerdote) e, portanto, devia estar familiarizado com a Lei. Além disso, anos antes a arca havia sido levada para a casa de seu pai por motivos de segurança. (1 Samuel 6:20-7:1) Permaneceu ali por cerca de 70 anos, até que Davi decidiu transferi-la. Assim, é provável que desde criança Uzá conhecesse as leis que envolviam a arca.
21 Conforme já mencionado, Jeová pode ler o coração. Visto que sua palavra descreve a atitude de Uzá como “ato irreverente”, Ele deve ter visto nesse homem alguma motivação egoísta que o relato não revela claramente. Será que Uzá era um homem presunçoso, que tinha a tendência de ultrapassar os devidos limites? (Provérbios 11:2) Será que conduzir em público a arca que sua família havia guardado o deixou convencido? (Provérbios 8:13) Será que sua fé era tão fraca a ponto de pensar que a mão de Jeová era curta demais para segurar a arca sagrada que simbolizava Sua presença? Qualquer que tenha sido o caso, podemos ter certeza de que Jeová fez o que era certo. Ele provavelmente viu no coração de Uzá algo que o fez trazer um julgamento rápido. — Provérbios 21:2.

(1 CRÔNICAS 13:11)

“E Davi ficou irado por ter Jeová irrompido numa brecha contra Uzá; e aquele lugar veio a ser chamado de Peres-Uzá até o dia de hoje.”

*** w05 1/10 p. 11 Destaques do livro de Primeiro das Crônicas ***
13:11. Em vez de ficar com raiva de Jeová e culpá-lo quando nossos esforços não dão certo, devemos analisar a situação e tentar ver por que fracassamos. Sem dúvida, Davi fez isso. Ele aprendeu de seus erros e mais tarde conseguiu levar a Arca com sucesso para Jerusalém, usando o método mais adequado.

(1 CRÔNICAS 14:11)

“Portanto, Davi subiu a Baal-Perazim e foi golpeá-los ali. Davi disse então: “O [verdadeiro] Deus irrompeu através dos meus inimigos, por minha mão, como uma brecha feita por águas.” É por isso que se chamou aquele lugar pelo nome de Baal-Perazim.”

*** w91 1/6 p. 21 par. 2 Continuemos avisando a respeito da obra incomum de Jeová ***
1 Crônicas 14:8-17

*** w91 1/6 p. 21 par. 1 Continuemos avisando a respeito da obra incomum de Jeová ***
Obedecendo a Jeová, Davi derrotou cabalmente o poderoso exército filisteu em Baal-Perazim. Mas os filisteus não admitiram a derrota. Pouco depois eles retornaram para novamente devastar e pilhar na baixada de Refaim, e Davi de novo buscou a orientação de Jeová.

*** it-1 p. 650 O tempo de Davi ***
Baal-Perazim 1Cr 14:8-12

*** it-1 p. 666 Davi ***
Quando os filisteus souberam que Davi era rei de todo o Israel, vieram para depô-lo. Como no passado (1Sa 23:2, 4, 10-12; 30:8), Davi indagou a Jeová quanto a se devia subir contra eles. “Sobe”, foi a resposta, e Jeová lançou-se com tal sobrepujante destruição sobre o inimigo, que Davi chamou o lugar de Baal-Perazim, que significa “Senhor [Dono] das Rupturas”. Num novo confronto, a estratégia de Jeová mudou, e ele ordenou a Davi contornar os filisteus e golpeá-los pela retaguarda. — 2Sa 5:17-25; 1Cr 14:8-17.

(1 CRÔNICAS 14:12)

“Por conseguinte, deixaram ali os seus deuses. Davi disse então [a palavra], e eles foram assim queimados no fogo.”

*** it-1 p. 291 Baal-Perazim ***
O relato em 2 Samuel 5:21 afirma que Davi e seus homens ‘levaram assim embora os ídolos abandonados pelos filisteus’. O relato paralelo em 1 Crônicas 14:12 mostra a ação final tomada, declarando: “Davi disse então a palavra, e eles [os ídolos] foram assim queimados no fogo.”

(1 CRÔNICAS 14:15)

“E suceda que, quando ouvires o ruído da marcha nas copas dos lentiscos, então sai à luta, porque o [verdadeiro] Deus terá ido na tua frente para golpear o acampamento dos filisteus.””

*** w91 1/6 p. 21 par. 2 Continuemos avisando a respeito da obra incomum de Jeová ***
2 Desta vez foi-lhe dito que fosse com as suas tropas para a retaguarda dos filisteus. Jeová disse: “Quando ouvires o ruído de marcha nas copas dos lentiscos, nesta hora age com determinação, porque nesta hora Jeová terá ido na tua frente para golpear o acampamento dos filisteus.” E assim se deu. Davi esperou até que Jeová produzisse o ruído de marcha nas copas dos lentiscos — talvez por meio de um forte vento. Imediatamente, Davi e suas tropas saíram do esconderijo e atacaram os distraídos filisteus, derrotando-os numa grande matança. Os ídolos religiosos que os filisteus deixaram no campo de batalha foram recolhidos e destruídos. — 2 Samuel 5:17-25; 1 Crônicas 14:8-17.

*** it-1 p. 300 Baca ***
Um balsameiro da família dos choupos (Populus euphratica) é recomendado por alguns botânicos, principalmente pela facilidade com que qualquer brisa agita suas folhas, produzindo um farfalhar. Todavia, a Bíblia não especifica como se produziu “o ruído de marcha” (quer por meio das folhas, dos ramos, quer por alguma outra parte da planta), e ela simplesmente indica que ocorreu “nas copas” das plantas. Pode ter sido um mero farfalhar que serviu de sinal, ou, conforme alguns sugerem, pode ter sido um ruído de certa intensidade, produzido por um vento impetuoso, que serviu para encobrir ou mesmo para simular o ruído dum exército em marcha. — 2Sa 5:24; 1Cr 14:15.

(1 CRÔNICAS 15:20)

“e Zacarias, e Aziel, e Semiramote, e Jeiel, e Uni, e Eliabe, e Maaséias, e Benaia, com instrumentos de cordas afinados segundo Alamote,”

*** it-1 pp. 76-77 Alamote ***
Alamote
[Donzelas; Moças].
Evidentemente um termo referente à execução de música. Refere-se provavelmente às vozes de soprano de moças ou ao falsete de meninos. Em 1 Crônicas 15:20, descreve-se instrumentos de cordas como “afinados segundo Alamote”, termo que é transliterado. Entretanto, no cabeçalho do Salmo 46, ‛ala•móhth é traduzido por “Donzelas”.
Em 1 Crônicas 15:21, no versículo que segue a citação acima, outra expressão musical é transliterada, a saber, shemi•níth, referindo-se a “harpas afinadas segundo Seminite”. Nos cabeçalhos dos Salmos 6 e 12, esta palavra é traduzida por “oitava inferior”. Embora os dois termos, Alamote e Seminite, não necessariamente sejam opostos em sentido, alguns peritos acham que se contrastam entre si. O conteúdo dos respectivos salmos também parece indicar isso: Ambos os salmos (6 e 12), que contêm shemi•níth nos seus cabeçalhos, são um tanto plangentes, portanto, viriam acompanhados por uma escala mais sombria, mais baixa; ao passo que o Salmo 46, que contém ‛ala•móhth no seu cabeçalho, é alegre e razoavelmente teria acompanhamento ou seria cantado numa escala mais elevada. — Veja HARPA; MÚSICA.

*** it-2 p. 288 Harpa ***
Por causa da incerteza que cerca a identificação exata do kin•nóhr, e especialmente o né•vel (instrumento de cordas), qualquer tentativa de comparar os dois instrumentos é especulativa. Primeiro Crônicas 15:20, 21, menciona “instrumentos de cordas [neva•lím (plural)] afinados segundo Alamote, . . . harpas [kin•no•róhth (plural)] afinadas segundo Seminite”. Se “Alamote” se referir a uma escala musical mais alta e “Seminite” a uma escala mais baixa, isto poderia dar a entender que o kin•nóhr era o instrumento maior, de tonalidade mais baixa. Por outro lado, também se poderia dar o inverso (segundo o consenso geral), se Alamote e Seminite, deveras, forem aqui mencionados por serem afinações excepcionais destes instrumentos. De qualquer modo, os dois instrumentos eram portáteis.

(1 CRÔNICAS 15:21)

“e Matitias, e Elifeleu, e Micnéias, e Obede-Edom, e Jeiel, e Azazias, com harpas afinadas segundo Seminite, para agir como regentes;”

*** it-1 pp. 76-77 Alamote ***
Em 1 Crônicas 15:21, no versículo que segue a citação acima, outra expressão musical é transliterada, a saber, shemi•níth, referindo-se a “harpas afinadas segundo Seminite”. Nos cabeçalhos dos Salmos 6 e 12, esta palavra é traduzida por “oitava inferior”. Embora os dois termos, Alamote e Seminite, não necessariamente sejam opostos em sentido, alguns peritos acham que se contrastam entre si. O conteúdo dos respectivos salmos também parece indicar isso: Ambos os salmos (6 e 12), que contêm shemi•níth nos seus cabeçalhos, são um tanto plangentes, portanto, viriam acompanhados por uma escala mais sombria, mais baixa; ao passo que o Salmo 46, que contém ‛ala•móhth no seu cabeçalho, é alegre e razoavelmente teria acompanhamento ou seria cantado numa escala mais elevada. — Veja HARPA; MÚSICA.

*** it-2 p. 288 Harpa ***
Por causa da incerteza que cerca a identificação exata do kin•nóhr, e especialmente o né•vel (instrumento de cordas), qualquer tentativa de comparar os dois instrumentos é especulativa. Primeiro Crônicas 15:20, 21, menciona “instrumentos de cordas [neva•lím (plural)] afinados segundo Alamote, . . . harpas [kin•no•róhth (plural)] afinadas segundo Seminite”. Se “Alamote” se referir a uma escala musical mais alta e “Seminite” a uma escala mais baixa, isto poderia dar a entender que o kin•nóhr era o instrumento maior, de tonalidade mais baixa. Por outro lado, também se poderia dar o inverso (segundo o consenso geral), se Alamote e Seminite, deveras, forem aqui mencionados por serem afinações excepcionais destes instrumentos. De qualquer modo, os dois instrumentos eram portáteis.

Clique na imagem para Baixar informações completas em arquivos digitais para Computador desktop, Laptop, Tablet, celular e Smartphone


Baixar informações para o estúdio pessoal para Computador desktop, Laptop, Tablet, celular e Smartphone

Baixar informações para o estúdio pessoal para Computador desktop, Laptop, Tablet, celular e Smartphone



Imprima o artigo e como citá-lo

Título do artigo:
1 Crônicas 12-13-14-15, Destaques da Bíblia: semana de 26 de outubro
URL do post:
https://edukavita.blogspot.com/2015/10/1-cronicas-12-13-14-15-destaques-da.html
Nome do website:
Enciclopédia Culturama
Pessoal editorial:
Equipe de colaboradores
Data de publicação:

Posts mais vistos

O que é demisexualidad | Conceitos de Psicologia.

Sammu-Ramat e Semiramis: A inspiração e o mito | Origem e História

Pelve - Definição, conceito, significado, o que é Pelve

Educação Formal - Definição, conceito, significado, o que é Educação Formal

Farmacologia - Definição, conceito, significado, o que é Farmacologia