quarta-feira, junho 24, 2015

Biografia de Clorinda Matto de Turner | Escritor peruano.

ADS

Escritor peruano, nasceu em Cuzco em 11 de setembro de 1852 e morreu em Buenos Aires em 25 de outubro de 1909. Clorinda Matto de Turner era filha de Ramón Matto Torres e Grimanesa Usandivaras Gárate, quem é batizado com o nome de Grimanesa Martina, que seria posteriormente alterada, a Clorinda. Durante sua infância que ele alternou fica na cidade de Cusco e a família do tesouro de Paullo-Chico, localizado na província de Calca. Ele estudou na escola nossa Senhora das Mercedes de Cuzco, onde ele aparece registrada como bolsa de estudante, até a idade de dezesseis anos, quando ele deixou a escola para dedicar-se à obra de sua casa (1868).
Em 1871, depois de casar com o comerciante inglês Joseph Turner, Clorinda Matto foi transferido para a aldeia de tinta, onde continuou a carreira literária que começou alguns anos antes, escrever versos e artigos que foram publicados sob diversos pseudônimos em publicações regionais como El Heraldo, El ferroviária, El Rodadero, El Eco de los Andes e El Mercurio. Em abril de 1876, o escritor fundou a revista El Recreo e no ano seguinte, visitou pela primeira vez a capital peruana, onde teve a oportunidade de participar nos recolhimentos literários organizados pelo escritor argentino Juana Manuela Gorriti (28-II-1877), as noites que depois continuaria a própria Clorinda. Até então já colaborou com as principais publicações literárias do país assinando artigos com seu nome ou o pseudônimo de "Carlota Dimont".
Durante a guerra com o Chile (1879-83), Clorinda Matto de Turner viveu na tinta e, após a morte de seu marido, em 3 de março de 1881, teve de gerir os bens do casamento. No final de 1883, mudou-se para Arequipa para levar o chefe de redação do jornal La Bolsa, um dos mais importantes da cidade. Em abril de 1886, estabeleceu-se em Lima, cidade onde foi rapidamente incorporada as principais instituições culturais do peruano círculo literário e a capital do Ateneo de Lima. Em 1888 pela União Ibero-americana de Madrid concordou de nomeá-lo um membro honorário.
Em outubro de 1889, Clorinda Matto de Turner assumiu o comando do semanal El Peru ilustrado, a mais importante publicação literária do país na época, que sofreu um forte revés alguns meses chegaram. O motivo foi a publicação da história Magdala do escritor brasileiro Henrique Coelho Netto (23-VIII-1890), considerada um sacrilégio, a causa do Arcebispo de Lima Manuel Antonio Bandini proibir sob pena de pecado mortal, a leitura, venda e distribuição de El Peru ilustrado. Embora Clorinda Matto alegou que a história tinha sido publicada sem o seu consentimento e, por engano, é a Igreja lançou uma campanha contra ele, escondendo o real motivo para a raiva: a publicação de um ano antes do romance pássaros sem ninho, que foi denunciado a corrupção do clero. Finalmente, depois de ser desassociado, em 11 de julho de 1891 Matto apresentada sua renúncia para ser levantado a censura eclesiástica contra o semanário.
Determinado a tornar-se independente após sua áspero passo ilustrado o Peru, em fevereiro de 1892 fundou com seus irmãos, sua própria impressão, o equitativa, que publicou o jornal bi-semanal Los Andes (só durou um ano), do qual Clorinda Matto de Turner defendeu o governo do general Andrés À. Cáceres, com cuja festa simpatizava abertamente. Em 17 de março de 1895, as tropas rebeldes sob o comando de Piérola Nicolás entraram na capital peruana e trancado em combate com as forças do governo. Os rebeldes saquearam a casa Matto compartilhada com seu irmão David e apreenderam, mas poderia fugir e refugiar-se em um amigo. Em seguida, o Presidente Cáceres tinha sido derrotado e a justa impressão tinha sido saqueada e saquearam suas máquinas. Então, em 1895, Clorinda Matto optou por embarcar para Valparaíso, de onde foi para Santiago, em seguida, Mendoza e, finalmente, Buenos Aires, onde se estabeleceram.
Em 14 de dezembro de 1895 Matto deu uma palestra pública no Ateneu de Buenos Aires sob o sugestivo título de "Os trabalhadores do pensamento na América do Sul", em fevereiro do ano seguinte, fundou a revista Americana Bucaro, tornar-se o órgão oficial da sociedade intelectual proteccionistas, de janeiro de 1897 e quem iria editar até pouco antes de sua morte. Em 1896 foi incorporado como um professor da analogia na Escola Normal de professores da Capital Federal e também dava aulas na Escola Normal americana e a escola de negócios de mulheres.
Matto colaborou em várias publicações tais como La Prensa, La Nación, La Razón e El Tiempo de Buenos Aires, o Jornal nacional de literatura e ciências sociais , em Montevidéu, El Cojo ilustrado de Caracas e três Américas, Nova Yorke nem foi eleito membro do Conselho Nacional das mulheres da Argentina. Em maio de 1908, ele embarcou para a Europa para visitar a França, Inglaterra, Suíça, Alemanha e Espanha, país onde leccionou no Ateneo de Madrid e a União Ibero-americana. No final do ano, Clorinda Matto de Turner retornou a Buenos Aires para retomar suas atividades, que não durou nem um ano, desde que ela ficou doente, e no ano seguinte morreu de congestão pulmonar. Anos mais tarde, uma resolução legislativa de peruanodispuso o Congresso a repatriação dos restos mortais do escritor.
Obras de Clorinda Matto de Turner
Ele fez suas primeiras publicações do gênero tradicional, que Ricardo Palma tinha posto em voga em toda a América Latina. O primeiro livro de Clorinda Matto de Turner foi panfletos, lendas, biografias e tradições de Cuzco (Arequipa, 1884), publicado com um prefácio de Palma, onde ele chamou "seu melhor discípulo". Na mesma linha, seguido Cuzco tradições, crônicas, looseleaf. Segundo Tomé (Lima, 1886), com prefácio de José Antonio de Lavalle. O historiador peruano Horacio Urteaga Villanueva tem mostrado que a maioria dessas tradições é baseada nos Anais de Cuzco por Diego Esquivel e Navia, então inédita.
O melhor trabalho de Clorinda Matto de Turner é sua produção romanesca, especialmente aves sem ninho (1889), publicado simultaneamente em Lima e Buenos Aires e traduzido para o inglês em 1904. Costumes e romance romântico situa-se numa aldeia imaginária nos Andes peruanos, com a intenção de mostrando os males sociais na região, com especial ênfase sobre o abuso e a exploração dos índios por parte do clero e o serviço civil político.
O livro que conte a história, com base em um evento real, um frade de ciúme louco mata um dos seus paroquianos, causados uma enorme controvérsia na sociedade peruana e fez que Clorinda Matto de Turner é considerado o iniciador do indianismo de América moderno, nascido das mãos do romance do boliviano Alcides Arguedas raça de bronze. Matto mais tarde publicou outros dois romances dentro de uma tendência naturalista, a natureza (Lima, 1891) e herança (Lima, 1895), em que revisita os personagens de pássaros sem ninho e mudou-se para a cidade de Lima.
Outros livros de Clorinda Matto de Turner são esboços a lápis de famosos americanos (Lima, 1889), conjunto de esboços biográficos; o drama em três atos Hima-Sumac (Lima, 1892), que tinha sido estreou no Teatro de Arequipa em 1884 e na Olympus de Lima em 1988; Lendas e cortes (Lima, 1893); Boreal, miniaturas e porcelanas (Buenos Aires, 1902), que inclui histórias autobiográficas, perfis e artigos; Quatro palestras na América do Sul (Buenos Aires, 1909) e viagem de recreação (Valencia, 1909), onde ele relata sua viagem à Europa. Finalmente, vale mencionar os textos preparados para o ensino, que inclui elementos de literatura de acordo com o Regulamento de uso público da instrução do sexo oposto (Arequipa, 1884) e analogia. Segundo ano de gramática espanhola em escolas normais, de acordo com o programa oficial (Buenos Aires, 1897), ao qual são adicionadas em quechua versões preparadas por ordem a American Bible Society do Evangelho de João e Luke, atos dos Apóstolos e o carta do St Paul aos romanos.
Publicado para fins educacionais com permissão de: Biografías y Vidas
Biografias de personagens históricos e personalidades

Conteúdo recomendado