Pesquisar conteúdo aqui

Custom Search

Qual é a história dos livros?

Os livros consistem de um conjunto de folhas de papel, organizados e vinculados que compõem um trabalho ou volume. Este trabalho pode ser literário, científico ou técnico e filosófico, entre muitos outros temas.

Livros, como eles são compreendidos de forma clássica, é que o volume, escrito em folhas de papel. O que, posteriormente a ser finalizado, vai na venda através das livrarias. Os livros podem discutir questões mais, da vida do ser humano. Há cozinha, carro, cachorro, ficção, drama, suspense, assustadoras e mágicos mundos de fantasia.

Agora, no que se refere o que é a história dos livros, isto começa com folhas de barro. Ferro, que foi escrito por um furador, que estava desenvolvendo, principalmente desenhos expressando a idéia geral, que o desenhou. É tão precária, o início da história dos livros. História que, foi forjada em uma maneira muito vagarosa e lenta.

Posteriormente, a história dos livros, leva a uma mudança radical, da mão do papiro. Rolo de papel, que foi usado pelos romanos, os egípcios e os gregos. Este tipo de papel, que foi extraído o junco que existia nas margens do Rio Nilo, foram acumuladas através de uma barra de papel. A maioria dos Papiros de, livros da antiguidade, eram bastante longa. Mas na maioria dos casos, seu tamanho foi reduzido e eles escreveram por vários destes, que eram mantidos sob a forma de volumes reais.

Para obter uma cópia do papiro, uma vez que a história ainda não tinha entregue para a humanidade, a imprensa, eles tiveram que pagar um preço muito alto. Já cópia destes, foi realizada pela mão de diferentes escribas. Que está atrasado, pelo contrário, na cópia da maioria dos Papiros de. Portanto, sendo por isso cansativo trabalho, é que eles estavam cobrando tão caro.

Caminho de volta, na história dos livros, pergaminho, aparece no 2º século a.c. Tem sua base de fabricação, o couro dos animais do tempo. A graça dos pergaminhos, é que eles poderiam durar alguns anos mais, que os papiros. O que é desasían muito rapidamente, para preservar seu conteúdo, a menos que cópias deles, em uma base contínua são separadas.

Posteriormente, na história dos livros, são códices, no século IV. Ou livros, em latim. Que eram folhas diferentes, sob a forma de um livreto, que eram feitos de madeira e cobertas com cera. Portanto, com algo afiado, eu poderia escrever sobre eles, e se fosse necessário, ele pode apagar. Da mesma forma, nesses livros, por vezes folhas de pergaminho, alternado em que moda, foi ainda mais fácil de escrever. Com o passar do tempo, folhas de madeira, foram mudando o couro.

Na idade média, os livros foram principalmente escritos por vários mosteiro de monges, que existiu na Europa. Ainda escreveram-los à mão. Muitos deles eram cópias dos clássicos da Grécia e Roma. A maioria destes livros, possuídos embutimentos valiosos, ouro e outros bem materiais. Portanto, nesta parte da história, que tem lugar na era da União de fé com a razão, os livros eram muito caros. Portanto, apenas alguns monarcas, poderia ser dada ao luxo de comprá-los.

Isso sim, para o Renascimento Europeu, em 1456, o alemão Johann Gutenberg, cria a primeira impressão Ocidental baseada os tipos metálicos móveis. A primeira impressão é a "Bíblia de Gutenberg".

Dentre os fatores que contribuem para este fato histórico, que marca um antes e um depois, na história dos livros, é aquele papel que existe. Aquele que foi aprendida pelos europeus, os muçulmanos.

Após este fato, na história do livro, praticamente, nada mudou. A única coisa que tem sido alcançada, é ainda mais pela mecanização do processo, torná-lo mais rapidamente, a partir da Revolução Industrial. Aconteceu a mesma coisa, com a maior parte da produção mundial de bens finais. Além disso, hoje existem livros eletrônicos ou ebooks, que vamos explorar em outro artigo.
Traduzido para fins educacionais
Significados, definições, conceitos de uso diário