A mão

Parábolas e Ilustrações para Valores na Educação

Índice Ilustrações e parábolas

Dia de ação de Graças se aproximou e professora perguntou a alunos de primeiro grau para desenhar algo assim seria muito grato. Ele pensou que aquelas crianças, na sua maioria pobres, não teria muito o que agradecer. Eu sabia que a maioria deles pintado perus, cozido mercadorias, bolos, sorvetes, talvez a praia...
O professor ficou congelado com o desenho fornecido por Douglas: uma simples mão desenhada com dificuldade, sem graça.
O que gostaria de expressar com essa mão? de quem seria essa mão? A classe ficou cativada com o desenho de Douglas.
-Mestre, que é a mão de Deus que nos dá comida - disse um aluno.
-Eu acredito que é a mão do senhor que vende as andorinhas no portão da escola - se aventurou uma garotinha.
-É a mão de padeiro faz pão e bolos - disse outro.
-É a mão do médico que curou uma criança Douglas quando ele foi hospitalizado - gritou com entusiasmo.
Douglas permaneceu em silêncio, balançando a cabeça. O professor aproximou-se dele, carinhosamente se inclinou sobre a mesa dele e perguntei quem era aquela mão.
-É a que sua mão, Miss - disse esfumaçada.
Em seguida, lembrou o professor, muitas vezes, o recreio, havia levado a Douglas, um muito fraco e indefeso, a mão do filho. E ele entendeu que esse simples gesto para foi a experiência mais prazerosa na vida do Douglas.
Ser mestre é para ter sua mão aberta, disposta a ajudar onde precisar. Contra uma cultura que separa, exclui, rejeita ou faz o punho de mão batendo, abrimos nossas mãos e corações, ensinamos por palavra e exemplo, o valor da aceitação que cria alegria e segurança.
«Nosso faz estudantes lhes faltam pão e rosas», escreveu Célestin Freinet em suas parábolas de uma pedagogia popular (os ditos de Mateus). "O pão do corpo, que mantém o indivíduo em boa saúde fisiológica. O pão do espírito, que é chamado de instrução, conhecimento, realizações técnicas, sem o qual corre o risco de não atingir a saúde intelectual desejável. Mas as rosas também. Não luxo, mas necessidade vital.
As crianças precisam de pão, o pão do corpo e o pão do espírito, mas ainda têm mais necessidade do olhar de seu professor, sua voz, sua mão, seu pensamento e sua promessa. Você precisa sentir que encontraram seu professor e sua escola a ressonância que dá um significado e um propósito para sua vida. Eles precisam falar com alguém de quem ouvi-las, escreva para alguém que lê-los ou compreendê-los, produzir algo útil e bonita é a expressão de todos quanto chumbo neles generoso e superior.
A planta precisa de sol e céu azul; o animal não degenerou pela doma não sabe viver sem o ar ao vivo de liberdade. A criança precisa de pão e rosas".
Não nos esqueçamos de que as crianças aprendem o que vivem.
Se uma criança vidas criticadas aprendem a condenar.
Se uma criança vive com hostilidade, ele aprende a lutar.
Se uma criança vive envergonhada, que ele aprende a se sentir culpado.
Se uma criança vive com tolerância, aprenda a ser tolerante.
Se uma criança vive com incentivo, que ela aprende a confiar.
Se uma criança vive caro aprender a apreciar.
Se uma criança vive com equidade, aprenda a ser justo.
Se uma criança vive com segurança, aprenda a ter fé.
Se uma criança vive com aprovação, aprende a gostar.
Se uma criança vive com aceitação e amizade aprende a encontrar amor no mundo.
Traduzido para fins educacionais