PESQUISAR CONTEÚDO

Custom Search

Demócrito » Origens e história

Democritus (Tomisti)

Demócrito (c. 460 - c. 370 A.C.) foi um filósofo grego e mais jovem contemporâneo de Sócrates, nascido em Abdera (embora outras fontes citem Mileto) que, com seu mestre Leucipo, foi o primeiro a propor um universo atômico. Muito pouco é conhecido de Leucipo e nenhum de seus trabalhos sobreviveu, mas ele é conhecido por escritores antigos, como professor de Demócrito e aparentemente escreveu sobre muitos assuntos além do atomismo.
Conhecido como o 'filósofo risonho' devido à importância que ele colocou em 'alegria', Demócrito foi o primeiro filósofo a postular que o que chamamos de Via Láctea era a luz das estrelas, atingindo nossa percepção e que o universo pode de fato ser um verso multi com outros planetas sustentar vida (uma teoria que os físicos hoje estão cada vez mais reconhecendo como matematicamente provável).
Demócrito argumentou que o mundo, incluindo os seres humanos, é composto de partículas muito pequenas que ele chamou de 'atomos'.
Em resposta à alegação de Parmenides que a mudança é impossível e tudo é um, Demócrito, entre outros, tentou encontrar uma maneira de mostrar como a mudança e movimento possível, mantendo a unidade do mundo físico. Com Leucipo, Demócrito argumentou que o mundo, incluindo os seres humanos, é composto de partículas muito pequenas que ele chamou de 'atomos' ("un-executáveis" em grego) e que estes átomos compõem tudo o que ver e são. Quando nascemos, nossos átomos são mantidos juntos por uma forma do corpo com uma alma dentro, também composto de átomos e, enquanto vivemos, percebemos que tudo o que fazemos por uma apreensão de átomos fora do corpo, sendo recebido e interpretado pela alma dentro do corpo. Então quando os átomos foram combinados em um determinado formulário olharmos para esse formulário e dizer "É um livro" e quando eles foram combinados em outro que dizemos, "que é uma árvore", mas, no entanto, esses átomos se combinam, eles são todos um só, 'un-cutable' e indestrutível. Quando morremos nosso corpo perde energia e nossos átomos dispersarem como já não há vivalma lá dentro o cadáver para gerar o calor que une os átomos do corpo em forma.
De acordo com Aristóteles, Demócrito afirmou que a alma era composta de átomos de fogo, enquanto o corpo era da terra-átomos e os átomos de terra necessária a energia do fogo para a coesão. Ainda assim, Aristóteles também afirma, isto não quis dizer estes átomos eram átomos diferentes, prefiro que eram como letras do alfabeto que, apesar de serem todas as letras, stand para sons diferentes e, combinados de várias maneiras, soletrar palavras diferentes. Para usar um exemplo muito simples, as letras ' n ', tinha ' 'A' pode ser combinada para soletrar a palavra 'e' ou, com uma combinação diferente, soletre o nome 'Dan' que, enquanto ele tem um significado diferente e distinto de ' e ' ainda é composto das mesmas letras.
Embora tenha havido algumas reivindicações feita pelo materialistas que Demócrito atômica visão da vida humana nega a possibilidade de vida após a morte, isso não é necessariamente verdade. Como Demócrito parece ter visto a alma como o causando movimento e 'vida' e 'pensei' foi o movimento físico de átomos indestrutíveis, 'un-cutable', é possível que uma alma tão sobreviveria a morte corporal.
A linha famosa por Leucipo que "nada acontece ao acaso; Tudo acontece sem motivo e por necessidade"é um pensamento que informa uma grande quantidade de Demócrito própria escrita especialmente sua alegação de que"tudo acontece de acordo com a necessidade"em que os átomos operar de uma certa maneira, e então, claro, o que acontece na vida faz isso sem a necessidade desta operação. Enquanto esta alegação que parecem negar a possibilidade de livre-arbítrio humano, Demócrito escreveu extensivamente sobre ética e claramente acreditava que podia fazer escolhas de livre-arbítrio dentro dos parâmetros do determinismo atômico.

PESQUISAR CONTEÚDO

Custom Search

LINKS PATROCINADOS

ADDTHIS