PESQUISAR CONTEÚDO

Custom Search

SALMOS 11-18 | Tesouros da Palavra de Deus: semana de 16-22 de maio

NOSSA VIDA E MINISTÉRIO CRISTÃO — TEXTOS BÍBLICOS E REFERÊNCIAS

LER E OUVIR A BÍBLIA ON-LINE NO JW.ORG:

TESOUROS DA PALAVRA DE DEUS | SALMOS 11-18


“QUEM PODE SER HÓSPEDE NA TENDA DE JEOVÁ?”: (10 MIN)


Ser hóspede na tenda de Jeová significa que a pessoa é amiga de Deus, alguém que confia nele e o obedece. O Salmo 15 explica o que Jeová procura num amigo.
O HÓSPEDE DE JEOVÁ PRECISA . . .
• ser leal
• falar a verdade mesmo no seu íntimo
• honrar seus companheiros de adoração
• cumprir sua palavra, mesmo quando for difícil
• ajudar os que passam por necessidade sem esperar nada em troca
O HÓSPEDE DE JEOVÁ EVITA . . .
• fazer fofoca e caluniar
• fazer o que é mau aos outros
• se aproveitar de seus irmãos cristãos
• se associar com os que não servem nem obedecem a Jeová
• aceitar suborno

Sal 15:1, 2 — Devemos falar a verdade mesmo no íntimo. (w03 1/8 14 § 18; w89 15/9 26 § 7)


Salmo 15:1, 2 Tradução do Novo Mundo
15 Ó Jeová, quem pode ser hóspede na tua tenda?
Quem pode residir no teu santo monte?
2 Aquele que anda de modo íntegro,
Que faz o que é certo
E que fala a verdade no coração.
Jeová, o Deus da verdade
18. (a) O que é preciso para se ter amizade com Deus? (b) O que se considerará no próximo artigo?
18 Quem quiser ser amigo de Jeová tem de falar a verdade ‘no coração’, não apenas com os lábios. Os verdadeiros amigos de Deus precisam de um coração honesto e evidenciar ter “fé sem hipocrisia”, porque atos verazes vêm do coração. (1 Timóteo 1:5; Mateus 12:34, 35) Quem é amigo de Deus não é sinuoso ou enganoso, porque “Jeová detesta o homem . . . que engana”. (Salmo 5:6) As Testemunhas de Jeová, em toda a Terra, se empenham arduamente em ser verazes, imitando o seu Deus. Esse assunto será considerado no próximo artigo.
w89 15/9 pp. 26-27 Quem pode ser amigo de Deus?
“E fala a verdade no seu coração”
Se desejamos ter amizade com Deus, não podemos mentir ou recorrer à fala macia, com coração dúplice. (Salmo 12:2) Temos de ‘falar a verdade no nosso coração’, não apenas da boca para fora. Sim, temos de ser honestos no íntimo, e temos de evidenciar “fé sem hipocrisia”. (1 Timóteo 1:5) Algumas pessoas mentem ou falam meias verdades para salvar as aparências. Outros colam nos exames escolares ou falsificam declarações de imposto. Tais ações revelam falta de amor para com o que é verdade. Mas, a veracidade e as ações corretas emanam do próprio coração dos amigos de Deus. (Mateus 15:18-20) Eles não são sinuosos nem enganadores. — Provérbios 3:32; 6:16-19.

Sal 15:3 — Devemos sempre falar bem dos outros. (w89 15/10 12 §§ 10-11; w89 15/9 27 §§ 2-3; it-3 797)


Salmo 15:3 Tradução do Novo Mundo
3 Ele não usa a língua para caluniar.
Não faz nenhum mal ao seu próximo
E não difama seus amigos.
w89 15/10 p. 12 pars. 10-12 Guarde-se contra a tagarelice prejudicial!
10 Referindo-se aos que reverenciam a Deus, o Salmo 15:1 pergunta: “Ó Jeová, quem será hóspede na tua tenda? Quem residirá no teu santo monte?” A respeito de tal pessoa, o salmista Davi responde: “Não caluniou com a sua língua. Não fez nenhum mal ao seu companheiro, e não levantou nenhum vitupério contra o seu conhecido íntimo.” (Salmo 15:3) Aqui a palavra “caluniou” vem de um vocábulo hebraico que significa “ir a pé” e, assim, “andar por aí”. Ordenou-se aos israelitas: “Não andeis por aí espalhando calúnia entre o teu povo.” (Levítico 19:16, New International Version) Quem quer que ‘ande por aí espalhando calúnia’ não é hóspede nem amigo de Deus.
11 Os amigos de Deus não fazem nada de mal a seus companheiros e não propagarão, nem aceitarão como verdadeiros, quaisquer relatos vituperadores a respeito de conhecidos íntegros. Em vez de espalhar falsos relatos a respeito de concrentes e aumentar os vitupérios vis dos ímpios que eles já têm de suportar, devemos falar bem deles. Jamais desejaremos aumentar as cargas de nossos irmãos e irmãs fiéis por dizer coisas vituperadoras sobre eles.
w89 15/9 pp. 26-28 Quem pode ser amigo de Deus?
“E fala a verdade no seu coração”
Se desejamos ter amizade com Deus, não podemos mentir ou recorrer à fala macia, com coração dúplice. (Salmo 12:2) Temos de ‘falar a verdade no nosso coração’, não apenas da boca para fora. Sim, temos de ser honestos no íntimo, e temos de evidenciar “fé sem hipocrisia”. (1 Timóteo 1:5) Algumas pessoas mentem ou falam meias verdades para salvar as aparências. Outros colam nos exames escolares ou falsificam declarações de imposto. Tais ações revelam falta de amor para com o que é verdade. Mas, a veracidade e as ações corretas emanam do próprio coração dos amigos de Deus. (Mateus 15:18-20) Eles não são sinuosos nem enganadores. — Provérbios 3:32; 6:16-19.
O apóstolo Paulo escreveu: “Não estejais mentindo uns aos outros. Desnudai-vos da velha personalidade com as suas práticas, e revesti-vos da nova personalidade.” (Colossenses 3:9, 10) Sim, aqueles que realmente falam a verdade em seu coração revestem-se da “nova personalidade”. É você totalmente honesto consigo mesmo e com outros, falando a verdade no seu coração? Em caso afirmativo, isso deve influir no que você diz a respeito de outros.
“Não caluniou com a sua língua”
Para satisfazer esse requisito de hóspede de Deus, jamais devemos falar maliciosamente sobre outros. (Salmo 15:3) O verbo hebraico traduzido por “caluniou” se deriva da palavra para “pé“ e significa “ir a pé”, e, assim, “andar por aí”. Ordenou-se aos israelitas: “Não deves estar andando entre o teu povo com o objetivo de caluniar. Não te deves pôr de pé contra o sangue do teu próximo. Eu sou Jeová.” (Levítico 19:16; 1 Timóteo 5:13) Se caluniamos alguém, privando-o de seu bom nome, não podemos ser amigos de Deus.
Davi declarou: “Quem às escondidas calunia seu companheiro, a este silencio.” (Salmo 101:5) Nós também podemos silenciar caluniadores por nos recusarmos a ouvi-los. E uma boa regra é nada dizer a respeito de uma pessoa pelas costas que não estaríamos dispostos a dizer face a face. É muito bom ter a nossa língua sob controle. Não obstante, quão importante é também controlar as nossas ações!
“Não fez nenhum mal ao seu companheiro”
São dignas de nota as palavras de Jesus: “Todas as coisas, portanto, que quereis que os homens vos façam, vós também tendes de fazer do mesmo modo a eles.” (Mateus 7:12) Para termos o favor de Deus, temos de refrear-nos de fazer o que é mau. O salmista disse: “Ó vós amantes de Jeová, odiai o que é mau. Ele guarda as almas dos que lhe são leais; livra-os da mão dos iníquos.” (Salmo 97:10) Portanto, se queremos a amizade e a ajuda de Deus, temos de aceitar os seus padrões.
Evitar o que é mau inclui não prejudicar a ninguém nos negócios, ou de qualquer outra maneira. Em palavras e ações, nada devemos fazer que prejudique o nosso companheiro, mas devemos, sim, fazer coisas boas para ele. Isto pode abranger todo aspecto da vida. Por exemplo, ao dirigir carro, podemos cortesmente ceder o direito de passagem a pedestres. Podemos ajudar os idosos, encorajar os desalentados, consolar os pesarosos. Neste respeito, Jeová dá o exemplo superlativo. Como Jesus disse, Deus “faz o seu sol levantar-se sobre iníquos e sobre bons, e faz chover sobre justos e sobre injustos”. (Mateus 5:43-48) Análogo a fazer o bem a outros é evitar o que o salmista menciona a seguir.
“E não levantou nenhum vitupério contra o seu conhecido íntimo”
Todos nós cometemos erros, e quão gratos somos quando amigos preferem desconsiderar esses pequenos erros! Ficaríamos aborrecidos se um amigo íntimo revelasse a outros as nossas pequenas, porém embaraçosas, fraquezas. Alguns fazem isso para desviar a atenção de suas próprias faltas, fazendo parecer com que sejam superiores aos outros. Mas, tais atitudes não são próprias para quem deseja ser amigo de Deus.
Vitupério
Difamação, degradação ou escárnio, quer por motivo justo, quer não. Comumente traduz o substantivo grego o•nei•di•smós (e ó•nei•dos) e o substantivo hebraico hher•páh. — Veja Gên 30:23; Sal 69:9; Lu 1:25; Ro 15:3.
Os motivos de vitupério, naturalmente, variam de acordo com as circunstâncias. Para o varão israelita, ser incircunciso durante a vigência do pacto da Lei era motivo de vitupério. (Veja Jz 14:3.) Assim, quando todos os varões nascidos durante a peregrinação no ermo foram finalmente circuncidados, pouco depois de cruzarem o rio Jordão, Jeová declarou: “Hoje rolei de cima de vós o vitupério do Egito.” (Jos 5:2-9) Uma vez que a evidência indica que os egípcios praticavam a circuncisão, isto pode significar que, dali em diante, os egípcios não teriam motivos de vituperar Israel por tantos de seus varões serem incircuncisos. (Je 9:25, 26; veja CIRCUNCISÃO.) Por outro lado, a circuncisão era “sinal do pacto” entre Jeová e a semente de Abraão. (Gên 17:9-11) Daí, por meio desta circuncisão da nova geração que crescera no ermo (tendo a geração mais velha morrido ali), a circuncisão podia indicar uma reafirmação da sua relação pactuada com Deus. Tendo terminado os 40 anos de peregrinação, Deus também mostrava-lhes seu favor; introduzira-os na Terra da Promessa e agora os habilitaria a conquistá-la. Portanto, quaisquer zombarias, ou vitupérios da parte dos egípcios, no passado, por causa do que talvez parecesse aos egípcios ser a incapacidade de Jeová de levar Israel a uma terra própria sua, mostraram-se agora falsos. Os cristãos sob o novo pacto, quer judeus quer gentios, não estavam sujeitos ao vitupério por causa da incircuncisão. — Ro 2:25-29; 3:28-30; 4:9-12; 1Co 7:18, 19.
No caso das mulheres hebréias, permanecerem solteiras ou viúvas (Is 4:1; 54:4), bem como a esterilidade (Gên 30:23; Lu 1:25), era encarado como um vitupério. A promessa de Deus quanto à semente de Abraão, e de esta se tornar como “os grãos de areia que há à beira do mar”, sem dúvida contribuía para este sentimento. (Gên 22:15-18; compare isso com Gên 24:59, 60.) Em contraste, o apóstolo Paulo recomendou o estado de não casado, tanto por parte de homens como de mulheres, quando o motivo é servir a Deus com indivisa atenção, e disse a respeito da viúva, que “ela será mais feliz . . . se permanecer assim com está, segundo a minha opinião”. — 1Co 7:25-28, 32-40; compare isso com Mt 19:10-12.
Transgressões tais como idolatria, adultério, roubo, e outros tipos de imoralidade, porém, eram constantemente motivo de vitupério, como era também toda deslealdade para com Deus. — 2Sa 13:13; Pr 6:32, 33; Ro 1:18-32; 2:17-24.
Os que buscam a aprovação de Deus não podem ficar difamando os outros. A respeito daquele que seria hóspede na tenda de Deus, o salmista declarou: “Não fez nenhum mal ao seu companheiro, e não levantou nenhum vitupério contra o seu conhecido íntimo”, isto é, ele não divulga informações difamatórias sobre seu conhecido íntimo. (Sal 15:1, 3) Alguém que defrauda o humilde ou caçoa dele realmente vitupera a Deus (Pr 14:31; 17:5), como o fazem aqueles que lançam vitupérios contra os servos de Deus. (Sal 74:18-23) Por fim, tal vitupério leva à calamidade os que se empenham nele. — Sof 2:8-10.

Sal 15:4, 5 — Devemos ser leais a Deus em tudo o que fazemos. (w06 15/5 19 § 1; w89 15/9 29-30; it-2 410 § 2)


Salmo 15:4, 5 Tradução do Novo Mundo
4 Ele rejeita aquele que é desprezível,
Mas honra os que temem a Jeová.
Não deixa de cumprir a sua promessa, mesmo com prejuízo para si.
5 Não empresta seu dinheiro com juros
E não aceita suborno contra o inocente.
Quem age assim nunca será abalado.
Destaques do livro primeiro dos Salmos
15:4. A menos que cheguemos à conclusão de que uma promessa que fizemos é antibíblica, devemos fazer todo o possível para cumprir nossa palavra, mesmo que seja muito difícil fazer isso.
w89 15/9 pp. 29-30 Quem pode ser amigo de Deus?
Josué não quebrou um pacto que fizera com os gibeonitas mesmo quando, mais tarde, veio a saber que eles o haviam induzido a fazê-lo através de engano. (Josué 9:16-19) Portanto, devemos ser homens, mulheres e jovens de palavra. Não façamos promessas a outros para depois deixá-los na mão caso surjam oportunidades mais atraentes para nós. Jesus disse: “Deixai simplesmente que a vossa palavra Sim signifique Sim, e o vosso Não, Não.” (Mateus 5:37) Especialmente aqueles que estão dedicados a Jeová devem estar determinados a viver à altura de sua promessa de servi-lo eternamente como Testemunhas suas. Além de cumprir o que prometemos, devemos mostrar consideração em assuntos financeiros, como Davi indica no Salmo 15, versículo 5.
“Não deu seu dinheiro a juros”
O dinheiro emprestado para fins comerciais pode corretamente ser reposto com juros. Mas, Davi referia-se aqui a ‘dar dinheiro’ ao necessitado. A Lei mosaica especificava: “Se emprestares dinheiro ao meu povo, ao atribulado ao teu lado, não deves tornar-te como agiota para ele. Não lhe deves impor juros.” (Êxodo 22:25; Levítico 25:35, 36) Quando Neemias soube que os pobres sofriam como vítimas de agiotas, ele acabou com tal exploração. — Neemias 5:1-13.
Para “juros” Davi usou uma palavra hebraica derivada de outra que significa “morder”. Isso sugere que agiotas gananciosos devoravam os pobres e o pouco que eles tinham. Obviamente, é muito melhor ajudar os afligidos pela pobreza sem esperar nada em troca. Jesus ressaltou isso, dizendo: “Quando ofereceres um almoço ou uma refeição noturna, . . . convida os pobres, os aleijados, os coxos, os cegos; e serás feliz, porque eles não têm nada com que te pagar de volta. Porque se te pagará de volta na ressurreição dos justos.” (Lucas 14:12-14) Quem deseja ser amigo e hóspede de Deus jamais tiraria indevida vantagem da pobreza de seu próximo, tampouco faria o que o salmista diz a seguir.
“E não aceitou suborno contra o inocente”
O suborno exerce uma influência corrompedora. Ordenou-se aos israelitas: “Não deves . . . aceitar suborno, pois o suborno cega os olhos dos sábios e deturpa as palavras dos justos.” (Deuteronômio 16:19) É especialmente mau aceitar suborno para prejudicar um “inocente”, talvez por falso testemunho em tribunal. Quão vil foi Judas Iscariotes em aceitar um suborno para trair o inocente Jesus! — Mateus 26:14-16.
Talvez nos consideremos inculpes nesse respeito. Mas, será que alguma vez já tentamos usar o dinheiro para nos safar de uma situação embaraçosa? O profeta Samuel jamais aceitou “peita”, ou suborno. (1 Samuel 12:3, 4) É assim que todos nós temos de nos comportar, se é que havemos de ser amigos e hóspedes de Deus.
“Quem fizer tais coisas, nunca será abalado”
Depois dessa descrição décupla de uma pessoa de retidão, o Salmo 15 conclui com as palavras acima. Elas bem que nos podem induzir a analisar a nossa religião. Se se trata da fé verdadeira, ela deve ensinar-nos a (1) andar inculpes e a praticar a justiça, (2) falar a verdade até mesmo no coração, (3) evitar caluniar outros e (4) evitar fazer qualquer coisa que seja má. A religião aceitável a Deus (5) evitará que aceitemos vitupérios contra nossos conhecidos de retidão e (6) fará que evitemos o companheirismo com pessoas desprezíveis. A verdadeira fé nos moverá a (7) honrar aqueles que temem a Jeová, (8) cumprir o que prometemos, se for correto,(9) dar aos pobres sem cobrar juros, e (10) jamais aceitar suborno contra um inocente.
Davi não diz que quem quer que leia, ouça, fale, ou mesmo creia nessas coisas “nunca será abalado”. Isto se dará apenas no caso da pessoa que “fizer tais coisas”. A fé sem obras para apoiá-la é morta, e não resulta na aprovação divina. (Tiago 2:26) Os praticantes das coisas mencionadas no Salmo 15 não serão abalados pois Jeová os protegerá e apoiará. — Salmo 55:22.
Naturalmente, há mais coisas relacionadas com a adoração pura do que os dez pontos mencionados no Salmo 15. Mais tarde, os seguidores de Jesus aprenderam outros detalhes a respeito de adorar a Deus “com espírito e verdade”. (João 4:23, 24) Você também pode aprender tais coisas, pois existem pessoas hoje que as praticam. A associação regular com essas Testemunhas de Jeová e o estudo da Bíblia edificarão esperança de vida num paraíso terrestre em que poderá ser hóspede e amigo de Deus para sempre.
Integridade
A integridade exige intransigente lealdade a Deus e apego à justiça, não apenas sob condições ou circunstâncias favoráveis, mas sob todas as condições e a toda hora. Depois de acentuar que apenas o íntegro, “que fala a verdade no seu coração”, é aceitável a Jeová, o salmista diz sobre tal indivíduo: “Jurou concernente àquilo que é mau para ele próprio, e ainda assim nada modifica”, isto é, mesmo que venha a ser aparentemente contra seus próprios interesses algo com que ele solenemente concordou, ainda assim se manterá fiel ao seu acordo. (Sal 15:1-5; contraste isso com Ro 1:31; 1Ti 1:10.) A integridade, portanto, torna-se bem evidente quando a devoção da pessoa é submetida à prova e ela é pressionada a abandonar seu proceder justo. Embora os opositores façam dela um motivo de riso (Jó 12:4; compare isso com Je 20:7), ou objeto de linguagem amarga (Sal 64:3, 4), de ódio e de violenta perseguição (Pr 29:10; Am 5:10), a pessoa, doente ou sofrendo aflitiva adversidade, tem de ‘apegar-se à sua integridade’, como fez Jó, não importa o custo. — Jó 2:3.

ENCONTRE JOIAS ESPIRITUAIS: (8 MIN)


Sal 11:3 — Qual é o significado desse salmo? (w06 15/5 18 § 2; w05 15/5 32 § 2)


Salmo 11:3 Tradução do Novo Mundo
3 Quando os alicerces são destruídos,
O que pode fazer o justo?”
Destaques do livro primeiro dos Salmos
11:3 — Que alicerces são derrubados? Esses são os próprios alicerces da sociedade humana — a lei, a ordem e a justiça. Quando estão em colapso, a desordem social prevalece e não há justiça. Sob tais condições, “o justo” deve confiar plenamente em Deus. — Salmo 11:4-7.
Sobre que alicerce você está construindo?
Por exemplo, o profeta Isaías refere-se a Jeová Deus como aquele que “lançou o alicerce da terra”. (Isaías 51:13) Esse alicerce consiste em imutáveis leis de Deus, que controlam o movimento da Terra e a mantêm no seu lugar. (Salmo 104:5) A Palavra de Deus, a Bíblia, fala também dos “alicerces” em que a sociedade humana se baseia. Estes são a justiça, a lei e a ordem. Quando esses são “derrubados”, ou minados, por meio de injustiça, corrupção e violência, a ordem social desmorona. — Salmo 11:2-⁠6; Provérbios 29:4.

Sal 16:10 — Como essa profecia se cumpriu em Jesus Cristo? (w11 15/8 16 § 19; w05 1/5 14 § 9)


Salmo 16:10 Tradução do Novo Mundo
10 Pois não me deixarás na Sepultura.
Não permitirás que o teu leal conheça a cova.
Eles acharam o Messias!
19. O que aconteceu em harmonia com as palavras proféticas do Salmo 16:10?
19 O Messias seria ressuscitado. Davi escreveu: ‘Jeová não deixará a minha alma no Seol.’ (Sal. 16:10) Imagine a surpresa das mulheres que foram ao local do sepultamento de Jesus. Elas se depararam com um anjo materializado, que lhes disse: “Parai de ficar atônitas. Vós estais procurando Jesus, o nazareno, que foi pregado numa estaca. Ele foi levantado, não está aqui. Eis o lugar onde o deitaram.” (Mar. 16:6) O apóstolo Pedro declarou à multidão em Jerusalém no Pentecostes de 33 EC: “[Davi] previu e falou a respeito da ressurreição do Cristo, que ele nem foi abandonado no Hades, nem viu a sua carne a corrupção.” (Atos 2:29-31) Deus não permitiu que o corpo de seu amado Filho entrasse em decomposição. Além disso, Jesus foi ressuscitado milagrosamente para a vida espiritual. — 1 Ped. 3:18.
Quem será ressuscitado?
9. (a) Como a Bíblia mostra que a palavra hebraica “Seol” e a grega “Hades” se referem ao mesmo lugar? (b) O que esperam os que estão no Seol ou Hades?
9 Séculos mais tarde, Davi tornou-se rei das 12 tribos de Israel. Ao morrer, “deitou-se então com os seus antepassados”. (1 Reis 2:10) Era no Seol que ele também estava? É interessante que, no dia do Pentecostes de 33 EC, o apóstolo Pedro referiu-se à morte de Davi e mencionou o Salmo 16:10: “Não deixarás a minha alma no Seol.” Depois de mencionar que Davi ainda estava no seu túmulo, Pedro aplicou essas palavras a Jesus e indicou que Davi “previu e falou a respeito da ressurreição do Cristo, que ele nem foi abandonado no Hades, nem viu a sua carne a corrupção. A este Jesus, Deus ressuscitou, fato de que todos nós somos testemunhas”. (Atos 2:29-32) Aqui, Pedro usou “Hades”, equivalente grego da palavra hebraica “Seol”. Portanto, os no Hades e os no Seol compartilham a mesma condição, ou seja, faz-se referência a estarem dormindo, aguardando a ressurreição.

O que a leitura da semana me ensinou sobre Jeová?


Que pontos da leitura posso usar no ministério?


SALMOS 11-18 | SUGESTÕES PARA SEUS COMENTÁRIOS PESSOAIS


(SALMO 11:3)
“Quando os próprios alicerces estão derrubados, Que tem de fazer o justo?””

w06 15/5 p. 18 Destaques do livro primeiro dos Salmos
11:3 — Que alicerces são derrubados? Esses são os próprios alicerces da sociedade humana — a lei, a ordem e a justiça. Quando estão em colapso, a desordem social prevalece e não há justiça. Sob tais condições, “o justo” deve confiar plenamente em Deus. — Salmo 11:4-7.

w05 15/5 p. 32 Sobre que alicerce você está construindo?
A Palavra de Deus, a Bíblia, fala também dos “alicerces” em que a sociedade humana se baseia. Estes são a justiça, a lei e a ordem. Quando esses são “derrubados”, ou minados, por meio de injustiça, corrupção e violência, a ordem social desmorona. — Salmo 11:2-6; Provérbios 29:4.

it-1 p. 86 Alicerce
Por outro lado, a injustiça e a desobediência à lei de Deus, com efeito, derrubam os alicerces que dão estabilidade ao solo, fazendo com que vacilem os alicerces da terra figurativa (o povo e seus sistemas estabelecidos). — Sal 82; 11:3; Pr 29:4.

(SALMO 11:4)
“Jeová está no seu santo templo. Jeová — nos céus está o seu trono. Seus próprios olhos observam, seus próprios olhos radiantes examinam os filhos dos homens.”

w08 15/10 pp. 3-7 Os “olhos radiantes” de Jeová examinam a todos
Os “olhos radiantes” de Jeová examinam a todos
‘Os olhos radiantes de Jeová examinam os filhos dos homens.’ — SAL. 11:4.
COMO você se sente quando outros mostram sincero interesse por você? Eles dão uma opinião franca quando você pede que o façam. Quando você precisa, eles o ajudam de modo generoso. Quando necessita de conselho, eles o dão com amor. (Sal. 141:5; Gál. 6:1) Não se sente atraído a esse tipo de pessoas? Na verdade, Jeová e seu Filho são exatamente assim. De fato, o interesse deles por você é maior do que o de qualquer humano, e sua motivação, inteiramente altruísta. Eles desejam ajudá-lo a ‘apegar-se firmemente à verdadeira vida’. — 1 Tim. 6:19; Rev. 3:19.
2 O salmista Davi expressou a profundidade do interesse de Jeová por nós ao dizer: ‘Os próprios olhos de Jeová observam, seus próprios olhos radiantes examinam os filhos dos homens.’ (Sal. 11:4) Sim, Deus não simplesmente olha para nós; ele nos examina. Davi disse também: “Provaste o meu coração; visitaste-me de noite; examinaste-me e nada achaste.” (Sal. 17:3, Almeida) É óbvio que Davi sabia o quanto Jeová se interessava por ele. Sabia também que magoaria a Jeová e mereceria Seu desfavor caso nutrisse pensamentos pecaminosos ou desenvolvesse um coração ardiloso. Será que Jeová é tão real para você como era para Davi?
Jeová vê o coração
3 O interesse principal de Jeová é o que a pessoa é no íntimo — o que de fato somos no coração. (Sal. 19:14; 26:2) Amorosamente, ele não se concentra em pequenas falhas. Por exemplo, quando Sara, esposa de Abraão, não falou a verdade para um anjo materializado, o anjo pelo visto percebeu que ela estava com medo e envergonhada, de modo que apenas lhe deu uma repreensão branda. (Gên. 18:12-15) Quando o patriarca Jó declarou “justa a sua própria alma em vez de a Deus”, Jeová não deixou de abençoá-lo, reconhecendo que Jó tinha sofrido muito às mãos de Satanás. (Jó 32:2; 42:12) De modo similar, Jeová não se ofendeu com as palavras francas que a viúva de Sarefá dirigiu ao profeta Elias. Deus reconheceu que ela estava muito triste pela perda de seu único filho. — 1 Reis 17:8-24.
4 Visto que Jeová examina o coração, ele tem consideração até mesmo pelos que não crêem nele. Veja como ele lidou com Abimeleque, rei da cidade filistéia de Gerar. Abimeleque, sem saber que Abraão e Sara eram casados, tomou Sara para ser sua esposa. No entanto, antes que Abimeleque levasse avante suas intenções, Jeová disse a ele num sonho: “Eu também sabia que fizeste isso na honestidade do teu coração, e também te refreei de pecar contra mim. É por isso que não te permiti tocar nela. Mas agora, restitui a esposa do homem, pois ele é profeta e fará intercessão por ti. Portanto, continua vivendo.” — Gên. 20:1-7.
5 Jeová com certeza poderia ter sido severo com Abimeleque, adorador de deuses falsos. Mas ele viu que Abimeleque não agiu de má-fé nessa ocasião. Bondosamente reconhecendo isso, Jeová disse ao rei como obter perdão e ‘continuar vivendo’. Não é esse o tipo de Deus que você deseja adorar?
6 Jesus imitou seu Pai com perfeição, concentrando-se no que havia de bom nos seus discípulos e perdoando prontamente seus erros. (Mar. 10:35-45; 14:66-72; Luc. 22:31, 32; João 15:15) A atitude de Jesus se harmonizava com suas palavras em João 3:17: “Deus enviou seu Filho ao mundo, não para julgar o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por intermédio dele.” Sim, o amor de Jeová e de Jesus por nós é profundo e constante. Prova disso é o desejo deles de nos dar a vida eterna. (Jó 14:15) Esse amor explica por que Jeová nos examina, como nos encara, e como reage diante do que vê. — Leia 1 João 4:8, 19.
Examinados através dos olhos do amor
7 Como seria errado, portanto, imaginar Jeová como um policial celestial que, lá do alto, fica nos olhando para ver se nos flagra num pecado! É Satanás quem sempre desconfia de nós e tenta nos incriminar. (Rev. 12:10) Ele até mesmo atribui más motivações onde elas não existem. (Jó 1:9-11; 2:4, 5) Sobre Deus, o salmista escreveu: “Se vigiasses os erros, ó Jah, ó Jeová, quem poderia ficar de pé?” (Sal. 130:3) A resposta óbvia é: ninguém. (Ecl. 7:20) Em vez disso, Jeová nos observa como que com os olhos misericordiosos e bondosos de um pai dedicado que deseja proteger do perigo seus amados filhos. Muitas vezes ele nos alerta contra as nossas imperfeições e fraquezas para que não nos prejudiquemos. — Sal. 103:10-14; Mat. 26:41.
8 O amor de Deus se manifesta através das instruções e da disciplina que recebemos por meio das Escrituras e do alimento espiritual fornecido pelo “escravo fiel e discreto”. (Mat. 24:45; Heb. 12:5, 6) Jeová também nos ajuda por meio da congregação cristã e das “dádivas em homens”. (Efé. 4:8) Além disso, Jeová observa como correspondemos ao seu treinamento paternal e procura nos dar ajuda adicional. O Salmo 32:8 diz: “Eu te farei ter perspicácia e te instruirei no caminho em que deves andar. Vou dar conselho com o meu olho fixo em ti.” Portanto, como é importante sempre dar ouvidos a Jeová! Temos de nos manter humildes perante ele, reconhecendo-o como o nosso amoroso Instrutor e Pai. — Leia Mateus 18:4.
9 Por outro lado, nunca fiquemos endurecidos pelo orgulho, pela falta de fé ou pelo “poder enganoso do pecado”. (Heb. 3:13; Tia. 4:6) Muitas vezes, essas características se desenvolvem quando a pessoa nutre pensamentos ou desejos errados. Ela talvez chegue até mesmo a rejeitar conselhos bíblicos oportunos. Pior ainda, pode ficar tão arraigada no comportamento errado a ponto de fazer de si mesma inimiga de Deus — uma situação realmente assustadora! (Pro. 1:22-31) Veja o exemplo de Caim, o primeiro filho de Adão e Eva.
Jeová vê tudo e age de acordo
10 Tanto Caim como Abel apresentaram uma oferta a Jeová. No entanto, Deus não estava interessado apenas nas dádivas, mas também no que motivou os dois irmãos a apresentá-las. De modo que Deus aprovou a oferta de Abel, feita com fé, mas não a de Caim, que, de algum modo, refletia falta de fé. (Gên. 4:4, 5; Heb. 11:4) Em vez de aprender do que aconteceu, Caim ficou cheio de ódio contra seu irmão. — Gên. 4:6.
11 Jeová observou a perigosa situação que se desenvolvia e, mostrando consideração, disse a Caim que, se ele praticasse o bem, teria causa para “enaltecimento”. Infelizmente, Caim desprezou o conselho do Criador e assassinou seu irmão. A má condição do coração de Caim ficou ainda mais óbvia na resposta insolente que ele deu à pergunta de Deus: “Onde está Abel, teu irmão?” Caim retrucou: “Não sei. Sou eu guardião de meu irmão?” (Gên. 4:7-9) O coração pode ser muito traiçoeiro — mesmo a ponto de desprezar um conselho direto dado por Deus! (Jer. 17:9) Portanto, aprendamos de relatos como esse e rejeitemos prontamente pensamentos e desejos errados. (Leia Tiago 1:14, 15.) Caso recebamos um conselho bíblico, sejamos gratos por ele e o encaremos como evidência do amor de Jeová.
Não existe pecado secreto
12 Alguns talvez achem que se não forem vistos praticando o mal, poderão escapar da punição. (Sal. 19:12) Em certo sentido, não existe tal coisa como pecado secreto. “Todas as coisas estão nuas e abertamente expostas aos olhos daquele com quem temos uma prestação de contas.” (Heb. 4:13) Jeová é um Juiz que examina nossas motivações mais profundas, e sua reação à transgressão reflete justiça perfeita. Ele é um “Deus misericordioso e clemente, vagaroso em irar-se e abundante em benevolência e em verdade”. Mas, no caso de um pecador não-arrependido, Deus ‘de modo algum o isenta de punição’ quando ele ‘pratica o pecado deliberadamente’ ou manifesta uma atitude enganosa ou ardilosa. (Êxo. 34:6, 7; Heb. 10:26) Vemos isso nos tratos de Jeová com Acã e com Ananias e Safira.
13 Desobedecendo a uma ordem direta de Deus, Acã se apropriou de despojo da cidade de Jericó e o escondeu na sua tenda, provavelmente com a cumplicidade de sua família. Quando seu pecado foi exposto, Acã mostrou que sabia da seriedade do que fizera, pois disse: “Pequei contra Jeová.” (Jos. 7:20) Assim como Caim, Acã havia desenvolvido um mau coração. Um dos fatores principais no caso de Acã foi a ganância, que contribuiu para que ele se tornasse um enganador. Visto que o despojo de Jericó pertencia a Jeová, Acã na verdade roubou de Deus, com enorme custo para si e sua família. — Jos. 7:25.
14 Ananias e sua esposa, Safira, eram membros da congregação cristã de Jerusalém no primeiro século. Depois do Pentecostes de 33 EC, foi criado um fundo para atender às necessidades materiais dos novos discípulos vindos de terras distantes e que ainda estavam em Jerusalém. Esse fundo era mantido por donativos. Ananias vendeu uma propriedade e doou parte do dinheiro ao fundo. No entanto, com pleno conhecimento de sua esposa, ele fingiu ter doado todo o valor. Sem dúvida, esse casal queria ser tratado com honra especial na congregação. Mas o que fizeram era uma fraude. De modo milagroso, Jeová revelou essa fraude ao apóstolo Pedro, que expôs a Ananias o seu erro. Com isso, Ananias caiu e morreu. Pouco depois, Safira também morreu. — Atos 5:1-11.
15 Ananias e Safira não foram vítimas de uma fraqueza momentânea. Eles armaram uma trama e mentiram na tentativa de enganar os apóstolos. Pior ainda, eles ‘trapacearam o espírito santo e a Deus’. A reação de Jeová demonstra sem sombra de dúvida que ele está preparado para proteger a congregação contra os hipócritas. Realmente, “coisa terrível é cair nas mãos do Deus vivente”! — Heb. 10:31.
Mantenha sempre a integridade
16 Satanás faz tudo o que pode para nos corromper e nos levar a perder a aprovação de Jeová. (Rev. 12:12, 17) As perversas intenções do Diabo se refletem claramente no mundo, obcecado por sexo imoral e violência. Hoje é possível acessar com facilidade a pornografia por meio de computadores e outros aparelhos eletrônicos. Que jamais sejamos vítimas dos ataques de Satanás! Em vez disso, que os nossos sentimentos sejam como os do salmista Davi, que escreveu: “Vou agir com discrição num caminho sem defeito. . . . Dentro da minha casa andarei na integridade de meu coração.” — Sal. 101:2.
17 Hoje, Jeová não revela milagrosamente pecados crassos e conduta enganosa como, às vezes, fazia no passado. Ainda assim, ele vê tudo e, no seu devido tempo e a seu próprio modo, traz à tona coisas ocultas. Paulo disse: “Os pecados de alguns homens manifestam-se publicamente, conduzindo diretamente ao julgamento, mas, quanto a outros homens, os pecados deles também se tornam manifestos mais tarde.” (1 Tim. 5:24) O motivo principal de Jeová tornar manifestas as más ações é o amor. Ele ama a congregação e deseja proteger sua pureza. Além disso, ele é misericordioso com os que foram vencidos pelo pecado, mas que sinceramente se arrependem. (Pro. 28:13) Portanto, esforcemo-nos em manter um coração pleno para com Deus e em rejeitar todas as influências corrompedoras.
Mantenha um coração pleno
18 O Rei Davi disse a seu filho Salomão: “Conhece o Deus de teu pai e serve-o de pleno coração e de alma agradável; porque Jeová sonda todos os corações e discerne toda inclinação dos pensamentos.” (1 Crô. 28:9) Davi não queria que seu filho simplesmente acreditasse em Deus. Ele queria que Salomão tivesse apreço pelo profundo interesse de Jeová em Seus servos. Você tem esse mesmo apreço por Jeová?
19 Jeová sabe que os que amam a justiça serão atraídos a ele, e que o conhecimento de Suas belas qualidades lhes alegrará o coração. Por isso, Jeová deseja que o conheçamos e nos familiarizemos com a sua maravilhosa personalidade. Como fazer isso? Por estudar a Sua Palavra e sentir Suas bênçãos na nossa vida. — Pro. 10:22; João 14:9.
20 Você lê a Palavra de Deus diariamente, com apreço e devoção? Reconhece o valor de aplicar os princípios bíblicos na vida? (Leia Salmo 19:7-11.) Em caso afirmativo, sua fé em Jeová e seu amor a ele continuarão a aumentar. E ele, por sua vez, se achegará cada vez mais a você, como que andando de mãos dadas com você. (Isa. 42:6; Tia. 4:8) Sim, Jeová provará seu amor por você por abençoá-lo e protegê-lo espiritualmente à medida que você caminha na apertada estrada da vida. — Sal. 91:1, 2; Mat. 7:13, 14.

(SALMO 11:5)
“O próprio Jeová examina tanto o justo como o iníquo, E Sua alma certamente odeia a quem ama a violência.”

lv cap. 7 p. 82 par. 19 Você valoriza a vida assim como Deus?
19 Os que valorizam a vida assim como Jeová e que desejam se manter no seu amor também evitam toda forma de violência. O Salmo 11:5 diz: “Sua alma [a de Jeová] certamente odeia a quem ama a violência.” Esse texto não fala apenas da personalidade de Deus; contém um princípio que deve orientar nossa vida. Motiva a quem ama a Deus a evitar todo tipo de diversão que promova um espírito violento.

w07 1/6 p. 6 Revelada a fonte do mal!
Você precisa também proteger seu coração contra o amor à violência, pois o Diabo sabe que “[Jeová] certamente odeia a quem ama a violência”. (Salmo 11:5) Satanás não precisa transformá-lo num vilão sanguinário para torná-lo inimigo de Deus; ele só precisa cultivar em você o amor à violência. Não é por acaso que a violência, muitas vezes com temas de ocultismo, satura a mídia. Os nefilins morreram e desapareceram há muito tempo, mas suas características e comportamento ainda persistem. Será que sua escolha de diversão mostra que você não se deixa enganar pelas estratégias de Satanás? — 2 Coríntios 2:11.

w05 15/9 p. 29 Perguntas dos Leitores
“O próprio Jeová examina tanto o justo como o iníquo, e Sua alma certamente odeia a quem ama a violência”, escreveu o Rei Davi, do Israel antigo. (Salmo 11:5) A palavra “odiar” no idioma original pode significar “ser inimigo”. Portanto, quem ama a violência faz-se inimigo de Deus. Assim, é preciso perguntar: Será que jogar certos jogos de computador pode desenvolver amor à violência?
Os jogos de computador violentos exaltam o uso de armas. Não raro treinam o usuário na arte da guerra. A revista The Economist disse: “O exército americano prefere cada vez mais os jogos de computador como instrumentos de adestramento. Alguns jogos que o exército usa podem ser encontrados nas prateleiras das lojas.”
É verdade que os que jogam jogos de computador violentos não ferem pessoas reais. Mas o que essa escolha de diversão indica quanto ao que pode estar acontecendo nos seus corações? (Mateus 5:21, 22; Lucas 6:45) Que impressão você teria de alguém que gosta de apunhalar, ferir, dar tiros e matar pessoas imaginárias? E se essa pessoa gasta muitas horas por semana alimentando tais fantasias violentas, quase se viciando nesses jogos? No mínimo você concluiria que ela está cultivando amor à violência, assim como a pessoa que vê pornografia cultiva desejos imorais. — Mateus 5:27-29.
Com que intensidade Jeová odeia alguém que ama a violência? Davi disse que Jeová “certamente odeia” tal pessoa. Nos dias de Noé, Jeová demonstrou a intensidade de seu ódio pelos que amam a violência. Ele disse a Noé: “Chegou o fim de toda a carne diante de mim, porque a terra está cheia de violência por causa deles; e eis que os arruíno juntamente com a terra.” (Gênesis 6:13) O Deus verdadeiro destruiu um inteiro mundo da humanidade por causa dos hábitos violentos das pessoas. Preservou apenas a Noé e sua família — oito pessoas que não amavam a violência. — 2 Pedro 2:5.

g97 22/5 p. 8 É possível encontrar entretenimento sadio
Na sua escolha de entretenimento, os cristãos desejarão ser guiados por princípios bíblicos. Por exemplo, o salmista Davi escreveu: “O próprio Jeová examina tanto o justo como o iníquo, e Sua alma certamente odeia a quem ama a violência.” (Salmo 11:5) E Paulo escreveu aos colossenses: “Amortecei, portanto, os membros do vosso corpo que estão na terra, com respeito a fornicação, impureza, apetite sexual, desejo nocivo e cobiça . . . afastai de vós a todas elas, o furor, a ira, a maldade, a linguagem ultrajante e a conversa obscena.” — Colossenses 3:5, 8.
Grande parte da oferta de entretenimento hoje viola abertamente esse conselho inspirado. ‘Mas eu jamais faria as coisas que vejo na tela’, alguns talvez objetem. Pode ser. Mas, mesmo que seu entretenimento não indique que tipo de pessoa você vai se tornar, pode revelar algo sobre que tipo de pessoa você já é. Pode, por exemplo, revelar se você é um dos que ‘amam a violência’ ou se sentem atraídos pela ‘fornicação, apetite sexual, cobiça e conversa obscena’, ou então se você é um dos que realmente ‘odeiam o que é mau’. — Salmo 97:10.

(SALMO 11:6)
“Fará chover armadilhas, fogo e enxofre sobre os iníquos, Bem como um vento tórrido, como porção do seu copo.”

it-1 p. 188 Armadilha
Embora seja comum que maquinadores tentem enlaçar o inocente, Jeová pode inverter as coisas e ‘fazer chover armadilhas, fogo e enxofre sobre os iníquos’. (Sal 11:6) Ele pode capturá-los, cortando-lhes todos os meios de escape, e então executar o julgamento neles. — Veja 1Te 5:1-3.

(SALMO 12:CABEÇALHO)
“Ao regente, na oitava inferior. Uma melodia de Davi.”

it-1 pp. 76-77 Alamote
Em 1 Crônicas 15:21, no versículo que segue a citação acima, outra expressão musical é transliterada, a saber, shemi•níth, referindo-se a “harpas afinadas segundo Seminite”. Nos cabeçalhos dos Salmos 6 e 12, esta palavra é traduzida por “oitava inferior”. Embora os dois termos, Alamote e Seminite, não necessariamente sejam opostos em sentido, alguns peritos acham que se contrastam entre si. O conteúdo dos respectivos salmos também parece indicar isso: Ambos os salmos (6 e 12), que contêm shemi•níth nos seus cabeçalhos, são um tanto plangentes, portanto, viriam acompanhados por uma escala mais sombria, mais baixa; ao passo que o Salmo 46, que contém ‛ala•móhth no seu cabeçalho, é alegre e razoavelmente teria acompanhamento ou seria cantado numa escala mais elevada. — Veja HARPA; MÚSICA.

(SALMO 12:2)
“Estão falando a inveracidade um com o outro; Com lábio macio estão falando até mesmo com um coração dúplice.”

it-1 p. 555 Coração
Alguém pode também ter “coração dúplice” (literalmente: com um coração e um coração), tentando servir a dois amos, ou dizendo enganosamente uma coisa, ao passo que pensa outra. (1Cr 12:33; Sal 12:2 n.) Jesus denunciou fortemente tal hipocrisia dúplice. — Mt 15:7, 8.

it-2 p. 636 Lábio
Figurativamente, um “lábio macio” indica linguagem enganosa. (Sal 12:2, 3) Tais lábios, bem como os lábios duros ou mentirosos, podem ser prejudiciais — ferindo em profundidade como uma espada, ou envenenando como uma víbora. (Sal 59:7; 140:3; Ro 3:13)

(SALMO 12:3)
“Jeová decepará todos os lábios macios, A língua que fala grandes coisas,”

it-2 p. 636 Lábio
Figurativamente, um “lábio macio” indica linguagem enganosa. (Sal 12:2, 3) Tais lábios, bem como os lábios duros ou mentirosos, podem ser prejudiciais — ferindo em profundidade como uma espada, ou envenenando como uma víbora. (Sal 59:7; 140:3; Ro 3:13)

(SALMO 13:1)
“Até quando te esquecerás de mim, ó Jeová? Para sempre? Até quando esconderás de mim a tua face?”

it-2 p. 99 Face
‘Esconder a face’ tem diversos sentidos, dependendo das circunstâncias. Esconder Jeová Deus a sua face muitas vezes significa a retirada do seu favor ou do seu poder sustentador. Isto pode ocorrer em conseqüência de desobediência da pessoa ou do grupo de pessoas envolvidas, tal como a nação de Israel. (Jó 34:29; Sal 30:5-8; Is 54:8; 59:2) Em alguns casos pode denotar que Jeová se refreia de se revelar por ação ou por resposta, aguardando o seu próprio tempo devido. (Sal 13:1-3)

(SALMO 14:1)
“O insensato disse no seu coração: “Não há Jeová.” Agiram ruinosamente, agiram de modo detestável na [sua] ação. Não há quem faça o bem.”

w97 1/10 pp. 6-7 Conheça a Jeová Deus como pessoa
“O tolo” e Deus
“Jamais ocorreu a nenhum escritor do VT [Escrituras Hebraicas] provar ou argumentar a favor da existência de Deus”, diz o Dr. James Hastings em A Dictionary of the Bible (Dicionário da Bíblia). “Não é da índole do mundo antigo em geral negar a existência de Deus ou usar argumentos para provar sua existência. A crença em Deus era natural para a mente humana e comum a todos os homens.” Isso não significa, naturalmente, que todos os homens da época temiam a Deus. Longe disso. Tanto o Salmo 14:1 como o 53:1 mencionam “o insensato”, ou, conforme a A Bíblia na Linguagem de Hoje, ‘o tolo’, que diz no seu coração: “Não há Jeová.”
Que tipo de pessoa é esse tolo, o homem que nega a existência de Deus? Ele não é ignorante em sentido intelectual. Antes, a palavra hebraica na•vál indica deficiência moral. O professor S. R. Driver, em suas notas no The Parallel Psalter (O Saltério Paralelo), diz que a falha não está na “fraqueza de raciocínio, mas na insensibilidade moral e religiosa, na completa ausência de sensatez ou percepção”.
O salmista passa a descrever a decadência moral resultante de tal atitude: “Agiram ruinosamente, agiram de modo detestável na sua ação. Não há quem faça o bem.” (Salmo 14:1) O Dr. Hastings resume isso da seguinte forma: “Confiando nesta ausência de Deus do mundo e na impunidade, os homens se tornam corruptos e fazem coisas abomináveis.” Eles abraçam abertamente princípios contrários às leis divinas e desconsideram a pessoa de Deus, a quem não têm desejo nenhum de prestar contas. Mas tal modo de pensar é tão tolo e insensato hoje como era quando o salmista escreveu essas palavras há mais de 3.000 anos.

it-1 p. 815 Entendimento
Os que se desviam da Fonte. Quem se volta para a transgressão começa a desconsiderar a Deus como fator a tomar em consideração na hora de fazer decisões e planos. (Jó 34:27) Alguém assim permite que seu coração o cegue para com o erro dos seus caminhos e ele perde a perspicácia. (Sal 36:1-4) Mesmo afirmando que adora a Deus, ele coloca os preceitos dos homens acima dos de Deus; prefere-os. (Is 29:13, 14) Racionaliza e desculpa sua conduta desenfreada como mero “divertimento” (Pr 10:23), e torna-se pervertido, brutal, estúpido no seu raciocínio, a ponto de presumir que o Deus invisível não enxerga ou discerne a transgressão dele, como se os poderes de percepção de Deus tivessem falhado. (Sal 94:4-10; Is 29:15, 16; Je 10:21) Ele diz, na realidade, pelo seu proceder e pelas suas ações: “Não há Jeová” (Sal 14:1-3) e ‘não o leva em conta’. Não se guiando por princípios divinos, ele não consegue julgar as coisas corretamente, não enxerga as questões de modo claro, não avalia os fatores envolvidos e não chega a decisões certas. — Sal 28:5.

(SALMO 15:1)
“Ó Jeová, quem será hóspede na tua tenda? Quem residirá no teu santo monte?”

w14 15/2 p. 23 Jeová — nosso melhor Amigo
QUEM SERÁ ‘HÓSPEDE NA TENDA DE JEOVÁ’?
10 No entanto, para que Jeová seja nosso Amigo, precisamos preencher certos requisitos. No Salmo 15, Davi menciona o que Deus requer para que sejamos ‘hóspedes na Sua tenda’, isto é, para que sejamos amigos de Jeová. (Sal. 15:1)

w03 1/8 p. 13 par. 17 Jeová, o Deus da verdade
Para os judeus que cantavam essas palavras, a menção do santo monte de Jeová sem dúvida os fazia lembrar o monte Sião. Foi lá que Davi erigiu a tenda para onde levou a arca do pacto. (2 Samuel 6:12, 17) O monte e a tenda faziam lembrar o lugar em que Jeová residia simbolicamente. Nesse lugar, as pessoas podiam chegar-se a Deus para implorar seu favor.

w03 1/8 p. 13 par. 17 Jeová, o Deus da verdade
(Salmo 15:1,

w03 1/8 p. 13 par. 17 Jeová, o Deus da verdade
O salmista escreveu: “Ó Jeová, quem será hóspede na tua tenda? Quem residirá no teu santo monte?

(SALMO 15:2)
“Aquele que anda sem defeito e pratica a justiça, E fala a verdade no seu coração.”

g 11/13 p. 9 Valores morais que enriquecem a vida
Honestidade. Esse valor moral é fundamental para qualquer sociedade. A desonestidade gera medo, desconfiança e decadência social.
O que a Bíblia diz: “Quem será hóspede na tenda [de Deus]?” A resposta? “Aquele que anda sem defeito e . . . fala a verdade no seu coração.” (Salmo 15:1, 2) Sim, a verdadeira honestidade, assim como as outras qualidades que consideramos, não depende de circunstâncias ou conveniência, faz parte da personalidade da pessoa.

w03 1/8 p. 14 par. 18 Jeová, o Deus da verdade
18 Quem quiser ser amigo de Jeová tem de falar a verdade ‘no coração’, não apenas com os lábios. Os verdadeiros amigos de Deus precisam de um coração honesto e evidenciar ter “fé sem hipocrisia”, porque atos verazes vêm do coração. (1 Timóteo 1:5; Mateus 12:34, 35) Quem é amigo de Deus não é sinuoso ou enganoso, porque “Jeová detesta o homem . . . que engana”. (Salmo 5:6) As Testemunhas de Jeová, em toda a Terra, se empenham arduamente em ser verazes, imitando o seu Deus.

w03 1/8 p. 13 par. 17 Jeová, o Deus da verdade
Aquele que anda sem defeito e pratica a justiça, e fala a verdade no seu coração.” (Salmo 15:1, 2)

(SALMO 15:4)
“Aos seus olhos certamente é rejeitado o desprezível, Mas ele honra aos que temem a Jeová. Jurou concernente àquilo que é mau [para ele próprio], e ainda assim nada modifica.”

w06 15/5 p. 19 Destaques do livro primeiro dos Salmos
15:4. A menos que cheguemos à conclusão de que uma promessa que fizemos é antibíblica, devemos fazer todo o possível para cumprir nossa palavra, mesmo que seja muito difícil fazer isso.

g99 8/4 p. 19 O que levar em conta ao emprestar ou tomar emprestado
Mas e se alguém toma dinheiro emprestado e de repente não pode cumprir sua parte devido a circunstâncias além do seu controle? Será que isso cancela a dívida? Não necessariamente. O salmista diz que o justo “jurou concernente àquilo que é mau para ele próprio, e ainda assim nada modifica”. (Salmo 15:4) Nesse caso, a coisa amorosa e sensata a fazer é explicar imediatamente a situação àquele que emprestou. Daí, poderão chegar a um acordo alternativo. Isso ajudará a manter a paz e alegrará a Jeová Deus. — Salmo 133:1; 2 Coríntios 13:11.

w95 1/5 p. 29 Ter um negócio tem o seu preço
Mantenha a palavra
Mas e se o negócio passar a dar prejuízo? O Salmo 15:4 elogia a pessoa que mantém seus acordos mesmo quando não lucra com isso: “Jurou concernente àquilo que é mau para ele próprio, e ainda assim nada modifica.” É fácil manter a palavra quando os negócios vão bem. Mas é um teste de integridade quando estão envolvidas perdas financeiras.
Lembre-se de um exemplo bíblico do tempo de Josué. Os gibeonitas usaram um estratagema para que os maiorais de Israel fizessem um pacto com eles e não os destruíssem. Acontece que eles faziam parte de uma nação que Israel considerava como ameaça. Quando foi descoberto o ardil, “os filhos de Israel não os golpearam, visto que os maiorais da assembléia lhes haviam jurado por Jeová”. (Josué 9:18) Muito embora esse grupo fizesse parte dos inimigos de Israel, os maiorais acharam importante manter a palavra. Eventos posteriores mostraram que isso agradou a Jeová.
— Josué 10:6-11.
Você cumprirá seus acordos e contratos comerciais mesmo que as coisas não saiam conforme esperava? Cumpri-los o tornará mais semelhante a Jeová, que sempre mantém a sua palavra. — Isaías 55:11.

it-2 p. 410 Integridade
A integridade exige intransigente lealdade a Deus e apego à justiça, não apenas sob condições ou circunstâncias favoráveis, mas sob todas as condições e a toda hora. Depois de acentuar que apenas o íntegro, “que fala a verdade no seu coração”, é aceitável a Jeová, o salmista diz sobre tal indivíduo: “Jurou concernente àquilo que é mau para ele próprio, e ainda assim nada modifica”, isto é, mesmo que venha a ser aparentemente contra seus próprios interesses algo com que ele solenemente concordou, ainda assim se manterá fiel ao seu acordo. (Sal 15:1-5; contraste isso com Ro 1:31; 1Ti 1:10.)

(SALMO 16:5)
“Jeová é a porção do meu quinhão e do meu copo. Tu seguras a minha sorte.”

w14 15/2 p. 29 Contemple “a afabilidade de Jeová”
Num de seus salmos, Davi cantou a Jeová: “Tu és o meu refúgio, meu quinhão [ou herança] na terra dos viventes.” (Sal. 142:5) Ele estava agradecido por Jeová ser seu “quinhão”, ou seja, por ter um bom relacionamento com Deus e por ter o privilégio de servi-lo. Assim como Davi, somos muito abençoados em sentido espiritual, mesmo quando enfrentamos dificuldades.

(SALMO 16:6)
“As próprias cordas para medir caíram para mim em lugares aprazíveis. Realmente, [minha própria] possessão mostrou-se agradável para mim.”

it-1 p. 561 Cordel de medir
Davi considerava a sua relação com Jeová como seu quinhão na vida. Esta era uma herança muito satisfatória, induzindo-o a dizer: “As próprias cordas para medir caíram para mim em lugares aprazíveis.” — Sal 16:5, 6; compare isso com Núm 18:20.

(SALMO 16:7)
“Bendirei a Jeová que me aconselhou. Realmente, durante as noites me corrigiram os meus rins.”

w04 1/12 p. 14 par. 9 Andemos no caminho da integridade
Davi cantou: “Bendirei a Jeová que me aconselhou. Realmente, durante as noites me corrigiram os meus rins.” (Salmo 16:7) O que significa isso? Significa que os conselhos divinos atingiram as partes mais profundas da pessoa de Davi e ficaram gravados ali, corrigindo suas emoções e pensamentos mais íntimos. O mesmo pode acontecer no nosso caso, se refletirmos com apreço nos conselhos da Palavra de Deus, de seus representantes e de Sua organização, e permitirmos que esses conselhos fiquem gravados no nosso íntimo.

(SALMO 16:8)
“Pus constantemente a Jeová diante de mim. Porque [ele] está à minha direita, nunca serei abalado.”

w08 15/2 p. 3 pars. 2-3 Mantenhamos a Jeová constantemente diante de nós
Meditar nas narrativas bíblicas pode nos ajudar a agir em harmonia com as palavras do salmista: “Pus constantemente a Jeová diante de mim. Porque ele está à minha direita, nunca serei abalado.” (Sal. 16:8) O que significam essas palavras?
3 Um soldado costumava usar a espada na mão direita, deixando esse lado sem a proteção do escudo, que era segurado na mão esquerda. No entanto, ele estaria protegido caso um companheiro lutasse perto dele à sua direita. Se levarmos a Jeová em conta e fizermos Sua vontade, ele nos protegerá.

w06 1/10 p. 30 par. 19 Espere em Jeová e seja corajoso
“Pus constantemente a Jeová diante de mim. Porque ele está à minha direita, nunca serei abalado.” (Salmo 16:8) Como mantemos Jeová à nossa “direita”? Fazemos isso de pelo menos dois modos. Primeiro, por deixar sua Palavra nos guiar em todos os aspectos de nossa vida e, segundo, por não perdermos de vista o prêmio glorioso que Jeová nos oferece. O salmista Asafe cantou: “Estou constantemente contigo; seguraste-me a mão direita. Tu me guiarás com o teu conselho, e depois me levarás à própria glória.” (Salmo 73:23, 24) Com essa garantia, podemos realmente encarar o futuro com confiança.

it-2 p. 763 Mão
Usualmente, a mão direita dum guerreiro era a que segurava a espada, e não era protegida pelo escudo na mão esquerda. Portanto, o amigo que ficasse ou lutasse à mão direita dele o defendia e protegia. Esta situação foi usada de forma metafórica com respeito à ajuda e proteção que Deus dá aos que o servem. — Sal 16:8; 109:30, 31; 110:5; 121:5.

(SALMO 16:10)
“Porque não deixarás a minha alma no Seol. Não permitirás que aquele que te é leal veja a cova.”

w11 15/8 p. 16 par. 19 Eles acharam o Messias!
19 O Messias seria ressuscitado. Davi escreveu: ‘Jeová não deixará a minha alma no Seol.’ (Sal. 16:10) Imagine a surpresa das mulheres que foram ao local do sepultamento de Jesus. Elas se depararam com um anjo materializado, que lhes disse: “Parai de ficar atônitas. Vós estais procurando Jesus, o nazareno, que foi pregado numa estaca. Ele foi levantado, não está aqui. Eis o lugar onde o deitaram.” (Mar. 16:6) O apóstolo Pedro declarou à multidão em Jerusalém no Pentecostes de 33 EC: “[Davi] previu e falou a respeito da ressurreição do Cristo, que ele nem foi abandonado no Hades, nem viu a sua carne a corrupção.” (Atos 2:29-31) Deus não permitiu que o corpo de seu amado Filho entrasse em decomposição. Além disso, Jesus foi ressuscitado milagrosamente para a vida espiritual. — 1 Ped. 3:18.

w05 1/5 pp. 14-15 par. 9 Quem será ressuscitado?
9 Séculos mais tarde, Davi tornou-se rei das 12 tribos de Israel. Ao morrer, “deitou-se então com os seus antepassados”. (1 Reis 2:10) Era no Seol que ele também estava? É interessante que, no dia do Pentecostes de 33 EC, o apóstolo Pedro referiu-se à morte de Davi e mencionou o Salmo 16:10: “Não deixarás a minha alma no Seol.” Depois de mencionar que Davi ainda estava no seu túmulo, Pedro aplicou essas palavras a Jesus e indicou que Davi “previu e falou a respeito da ressurreição do Cristo, que ele nem foi abandonado no Hades, nem viu a sua carne a corrupção. A este Jesus, Deus ressuscitou, fato de que todos nós somos testemunhas”. (Atos 2:29-32) Aqui, Pedro usou “Hades”, equivalente grego da palavra hebraica “Seol”. Portanto, os no Hades e os no Seol compartilham a mesma condição, ou seja, faz-se referência a estarem dormindo, aguardando a ressurreição.

w95 15/5 p. 11 par. 6 Lampejos de luz no tempo dos apóstolos
6 Foi também no dia de Pentecostes que os discípulos entenderam pela primeira vez que as palavras do Salmo 16:10 se aplicavam ao ressuscitado Jesus Cristo. O salmista dissera: “[Tu, Jeová Deus,] não deixarás a minha alma no Seol. Não permitirás que aquele que te é leal veja a cova.” Os discípulos deram-se conta de que essas palavras não se poderiam ter aplicado ao Rei Davi, porque o seu túmulo ainda estava entre eles. Não é de admirar que cerca de 3.000 daqueles que ouviram explicada esta nova luz ficassem tão convencidos, que foram batizados naquele mesmo dia! — Atos 2:14-41.

pe cap. 9 p. 82 par. 4 O “inferno” — existe realmente?
4 Referindo-se ao lugar aonde vão os humanos quando morrem, a Bíblia usa a palavra “Seol” nas Escrituras Hebraicas e “Hades” nas Escrituras Gregas. Que estas palavras significam a mesma coisa pode ser visto pelo exame do Salmo 16:10 e de Atos 2:31, versículos estes que poderá ver na próxima página. Note que Atos 2:31 usa Hades ao citar o Salmo 16:10, onde ocorre Seol. Alguns afirmam que o Hades é um lugar de tormento eterno. Mas deverá notar que Jesus Cristo esteve no Hades. Devemos crer que Deus atormentou a Cristo num “inferno” de fogo? Claro que não! Quando Jesus morreu, ele foi simplesmente para a sepultura.

pe cap. 9 p. 83 O “inferno” — existe realmente?
[Quadro na página 83]
A palavra hebraica “Seol [ou ‘Xeol’]” e a palavra grega “Hades” significam a mesma coisa.
A Bíblia de Jerusalém
Salmo 16(15):10
frente sem cessar, com ele à minha direita eu nunca vacilo.
9Por isso meu coração se alegra, minhas entranhasg exultam e minha carne repousa em segurança;
10pois não abandonarás minha vida no Xeol, nem deixarás que teu fiel veja a cova!h
11Ensinar-me-ás o caminho da vida, cheio de alegria em tua presença e
Atos 2:31
nósv até o presente dia. 30Ora, na qualidade de profeta, sabia ele que Deus lhe havia assegurado com juramento assentar em seu trono um descendente de seu sangue. 31Pelo que previu e prenunciou a ressurreição de Cristo que, de fato, não foi abandonado ao Hades, nem a sua carne experimentou a corrupção. 32Ora bem, este mesmo Jesus ressuscitou-o Deus; e disto somos

it-2 p. 668 Lealdade
Jesus Cristo. Jesus Cristo, quando estava na terra, foi grandemente fortalecido por saber que Deus fizera com que fosse predito a seu respeito que, como principal servo “leal” de Deus, sua alma não seria abandonada no Seol. (Sal 16:10) No Pentecostes de 33 EC, o apóstolo Pedro aplicou aquela profecia a Jesus, afirmando: “[Davi] previu e falou a respeito da ressurreição do Cristo, que ele nem foi abandonado no Hades, nem viu a sua carne a corrupção. A este Jesus, Deus ressuscitou, fato de que todos nós somos testemunhas.” (At 2:25-28, 31, 32; compare isso com At 13:32-37.) The Expositor’s Greek Testament (Testamento Grego do Expositor), num comentário sobre Atos 2:27, diz que a palavra hebraica hha•sídh (usada no Salmo 16:10) “denota, não apenas alguém que é piedoso e devoto, mas também alguém que é objeto da benevolência de Jeová”. — Editado por W. R. Nicoll, 1967, Vol. II.

(SALMO 17:5)
“Firmem-se os meus passos nos teus trilhos [Em que] certamente não se farão vacilar as minhas pisadas.”

w99 1/6 p. 11 par. 10 “Dádivas em homens” para cuidar das ovelhas de Jeová
O reajustamento de outros não envolve apenas corrigir os que adotam um proceder errado, mas também ajudar os fiéis a continuar no rumo certo.

w99 1/6 p. 11 “Dádivas em homens” para cuidar das ovelhas de Jeová
Na versão da Septuaginta grega, este mesmo verbo, traduzido “reajustar”, foi usado no Salmo 17[16]:5, em que o fiel Davi orou pedindo que seus passos seguissem firmes nos trilhos de Jeová.

(SALMO 17:8)
“Guarda-me como a menina do olho, Que tu me escondas na sombra das tuas asas,”

it-2 pp. 803-804 Menina do olho
A palavra hebraica ʼi•shóhn (De 32:10; Pr 7:2), quando usada junto com ʽá•yin (olho), significa literalmente “homenzinho do olho”; de modo similar, em Lamentações 2:18 usa-se bath (filha) com a idéia de “filha do olho”, ambas as expressões referindo-se à menina do olho, ou pupila. As duas expressões são juntadas para ênfase no Salmo 17:8 (ʼi•shóhn bath ʽá•yin), significando literalmente “homenzinho, filha do olho” (“menina do olho”, NM). Evidentemente, isto faz referência à pequeníssima imagem de si mesma que a pessoa pode ver refletida naquela parte do olho de outrem.
O olho é extremamente delicado e sensível; até mesmo um cabelinho ou uma partícula de poeira entre a pálpebra e o globo ocular é prontamente notado. A parte transparente do olho (a córnea) que cobre a menina do olho tem de ser protegida e cuidada, porque, se esta parte for lesada ou se tornar enuviada devido a uma doença, poderá resultar numa visão distorcida, ou em cegueira. A Bíblia usa com força, e ainda assim com delicadeza, a expressão “a menina dos teus olhos” ao falar daquilo que mais precisa ser protegido. A lei de Deus deve ser tratada assim. (Pr 7:2) Deuteronômio 32:10, mencionando o cuidado paterno de Deus para com Israel, diz que Ele resguardava esta nação “como a menina do seu olho”. Davi orou pedindo ser protegido e cuidado por Deus como “a menina do olho”. (Sal 17:8) Ele queria que Jeová agisse prontamente a seu favor quando sofresse um ataque inimigo. (Veja Za 2:8, onde se usa a palavra hebraica ba•váh, “globo [do olho]”.) — Veja OLHO.

(SALMO 17:14)
“Dos homens, [pela] tua mão, ó Jeová, Dos homens [deste] sistema de coisas, cujo quinhão está [nesta] vida E cujo ventre enches com o teu tesouro escondido, Que se fartaram de filhos E que guardam deveras para suas crianças o que deixam sobrar.”

w11 15/9 p. 12 par. 6 Está fazendo de Jeová a sua herança?
Como “homens deste sistema de coisas, cujo quinhão está nesta vida”, pessoas do mundo tendem a priorizar interesses pessoais. (Leia Salmo 17:1, 13-15.) Sem se importar com o Criador, muitos se dedicam a buscar uma vida confortável, criar uma família e deixar uma herança. O seu quinhão, ou recompensa, está apenas nesta vida.

w06 15/5 p. 19 Destaques do livro primeiro dos Salmos
17:14, 15. Os “homens deste sistema” se empenham em ter um alto padrão de vida, criar filhos e deixar uma herança. O objetivo principal na vida de Davi era fazer um bom nome perante Deus, a fim de ‘contemplar sua face’, ou ter seu favor. Ao “acordar” para as promessas e garantias de Jeová, Davi se sentiria ‘satisfeito ao ver Sua figura’, quer dizer, se alegraria com a presença de Jeová. Não concorda que devemos fazer dos tesouros espirituais o ponto focal das nossas afeições, assim como Davi fez?

(SALMO 17:15)
“Quanto a mim, contemplarei a tua face em justiça; Vou ficar satisfeito quando acordar [para ver] a tua figura.”

w06 15/5 p. 19 Destaques do livro primeiro dos Salmos
17:14, 15. Os “homens deste sistema” se empenham em ter um alto padrão de vida, criar filhos e deixar uma herança. O objetivo principal na vida de Davi era fazer um bom nome perante Deus, a fim de ‘contemplar sua face’, ou ter seu favor. Ao “acordar” para as promessas e garantias de Jeová, Davi se sentiria ‘satisfeito ao ver Sua figura’, quer dizer, se alegraria com a presença de Jeová. Não concorda que devemos fazer dos tesouros espirituais o ponto focal das nossas afeições, assim como Davi fez?

(SALMO 18:2)
“Jeová é meu rochedo, e minha fortaleza, e Aquele que me põe a salvo. Meu Deus é minha rocha. Nele me refugiarei, Meu escudo e meu chifre de salvação, minha altura protetora.”

w09 1/5 p. 14 Quadros mentais na Bíblia — Você consegue entendê-los?
A Bíblia também compara Jeová a coisas inanimadas. Ele é descrito como “a Rocha de Israel”, um “rochedo” e uma “fortaleza”. (2 Samuel 23:3; Salmo 18:2; Deuteronômio 32:4) Qual é o ponto de similaridade? Assim como uma grande rocha é firme e inabalável, Jeová Deus pode ser uma Fonte sólida de segurança para você.

w95 15/1 pp. 10-11 pars. 1-2 O regozijo de Jeová é o nosso baluarte
JEOVÁ é um baluarte incomparável. E o que é um baluarte? É um lugar fortificado, de segurança ou de sobrevivência. Davi, do antigo Israel, considerava a Deus como seu baluarte. Por exemplo, considere o cântico que Davi dirigiu ao Altíssimo “no dia em que Jeová o livrara da palma da mão de todos os seus inimigos e da mão de Saul”, rei de Israel. — Salmo 18, cabeçalho.
2 Davi iniciou este tocante cântico com as palavras: “Terei afeição por ti, ó Jeová, minha força. Jeová é meu rochedo, e minha fortaleza, e Aquele que me põe a salvo. Meu Deus é minha rocha. Nele me refugiarei, meu escudo e meu chifre de salvação, minha altura protetora.” (Salmo 18:1, 2) Injustamente proscrito e perseguido pelo Rei Saul, o reto Davi refugiou-se em Jeová, assim como alguém talvez fuja para um lugar fortificado para sobreviver a uma calamidade.

it-2 p. 374 Ilustrações
Freqüentemente, os profetas usaram uma palavra ou uma expressão ao falarem de uma pessoa ou de um grupo, visando conferir as características delas ao indivíduo ou ao grupo, isto é, metaforicamente. Por exemplo, Jeová é descrito como “a Rocha de Israel”, como “rochedo” e como “fortaleza”, transmitindo assim a idéia de que Deus é uma sólida fonte de segurança. (2Sa 23:3; Sal 18:2)

(SALMO 18:4)
“Cercaram-me as cordas da morte; Também me apavoravam enxurradas de [homens] imprestáveis.”

it-1 pp. 560-561 Cordão, corda
Davi, referindo-se a um tempo em que a morte violenta parecia iminente e parecia certo que o Seol o aguardava, disse que “cercaram-me as cordas da morte” e “rodearam-me as próprias cordas do Seol”. Evidentemente, ele se sentia como se tivesse sido envolto por cordas que o puxavam para a sepultura, levando-o à morte e ao Seol. — Sal 18:4, 5.

(SALMO 18:5)
“Rodearam-me as próprias cordas do Seol; Confrontaram-me os laços da morte.”

it-1 pp. 560-561 Cordão, corda
Davi, referindo-se a um tempo em que a morte violenta parecia iminente e parecia certo que o Seol o aguardava, disse que “cercaram-me as cordas da morte” e “rodearam-me as próprias cordas do Seol”. Evidentemente, ele se sentia como se tivesse sido envolto por cordas que o puxavam para a sepultura, levando-o à morte e ao Seol. — Sal 18:4, 5.

(SALMO 18:10)
“E veio montado num querubim e veio voando, E veio arremetendo nas asas dum espírito.”

it-2 p. 834 Milhafre
É incerto o significado original do nome hebraico da•ʼáh, mas, tem-se sugerido que indica um “vôo de mergulho e dardejante”, como na expressão “veio arremetendo [do hebr.: da•ʼáh] nas asas dum espírito” (Sal 18:10), e com referência à ‘arremetida’ da águia. (De 28:49; Je 48:40; 49:22)

(SALMO 18:11)
“Ele fez então da escuridão o seu esconderijo Em volta de si, como sua barraca, Águas escuras, nuvens espessas.”

it-1 p. 310 Barraca
Jeová se representa como morando numa barraca de nuvens, quando desce temporariamente do céu para a terra. Ali a majestosa onipotência se oculta, e dali provêm os estrondos do trovão. (Sal 18:9, 11; 2Sa 22:10, 12; Jó 36:29)

(SALMO 18:19)
“E ele passou a levar-me para fora a um lugar espaçoso; Socorria-me porque se agradara de mim.”

w93 1/6 p. 24 A Escola de Gileade — tem 50 anos e continua firme!
O próximo orador, Ralph E. Walls, escolheu o fascinante tema: “Como podemos escapar para a segurança dum ‘lugar espaçoso’?” O que é este “lugar espaçoso”? (Salmo 18:19) “Uma condição de libertação que dá paz mental e segurança no coração”, explicou o orador. De que precisamos ser libertos? ‘De você mesmo — das suas falhas.’ Acrescentou: ‘Também de circunstâncias externas instigadas por Satanás.’ (Salmo 118:5) Como podemos escapar para a segurança dum lugar espaçoso? ‘Por buscar as ordens de Jeová em tudo o que fazemos e por suplicar a Jeová com fé referente a todas as nossas preocupações.’

(SALMO 18:28)
“Pois tu mesmo acenderás a minha lâmpada, ó Jeová; Meu próprio Deus fará resplandecer a minha escuridão.”

it-2 p. 659 Lâmpada
Jeová Como Lâmpada e Fonte de Luz. Jeová é a suprema Fonte de luz e de orientação. Davi, depois de ser liberto das mãos de seus inimigos e de Saul, disse: “Tu és a minha lâmpada, ó Jeová, e é Jeová quem faz resplandecer a minha escuridão.” (2Sa 22:29) Nos Salmos, emprega-se uma expressão ligeiramente diferente: “Tu mesmo acenderás a minha lâmpada, ó Jeová”, representando-se ali a Jeová como aquele que acendia a lâmpada que Davi carregava para iluminar seu caminho. — Sal 18:28.

(SALMO 18:30)
“Quanto ao [verdadeiro] Deus, perfeito é o seu caminho; A declaração de Jeová é refinada. Escudo é ele para todos os que se refugiam nele.”

w05 1/9 p. 28 Deixe que a “declaração” de Jeová o proteja
O povo de Deus continua se saindo vitorioso, mas não em suas próprias forças. Todo o crédito vai para Jeová, que os protege e os instrui, como declarado no Salmo 18:30: “A declaração de Jeová é refinada. Escudo é ele para todos os que se refugiam nele.”
Por meio da sua “declaração” pura contida nas Escrituras Sagradas, Jeová protege seus servos leais contra danos espirituais. (Salmo 19:7-11; 119:93) Salomão escreveu sobre a sabedoria expressa na Palavra de Deus: “Não a abandones, e ela te guardará. Ama-a, e ela te resguardará.” (Provérbios 4:6; Eclesiastes 7:12)

(SALMO 18:35)
“E tu me darás o teu escudo de salvação, E a tua própria direita me amparará, E a tua própria humildade me engrandecerá.”

cl cap. 20 p. 201 par. 5 “Sábio de coração”, mas humilde
5 O Rei Davi cantou a Jeová: “Tu me darás o teu escudo de salvação, e a tua própria direita me amparará, e a tua própria humildade me engrandecerá.” (Salmo 18:35) Jeová como que se curvou para lidar com esse mero humano imperfeito, protegendo-o e amparando-o dia após dia. Davi entendia que era só por causa da disposição de Deus de humilhar-se desse modo que ele podia esperar receber a salvação e chegar a ter certa medida de grandeza como rei. De fato, quem de nós poderia ter esperança de salvação se Jeová não fosse humilde, se ele não estivesse disposto a se rebaixar para lidar conosco como um Pai bondoso e amoroso?

w04 1/8 pp. 8-9 Jeová revela sua glória aos humildes
Humildade — uma qualidade divina
5 Alguns talvez se surpreendam de que Jeová Deus, o mais sublime e glorioso personagem do Universo, seja também o exemplo superlativo de humildade. O Rei Davi disse a Jeová: “Tu me darás o teu escudo de salvação, e a tua própria direita me amparará, e a tua própria humildade me engrandecerá.” (Salmo 18:35) Ao falar da humildade de Jeová, Davi usou uma palavra cuja raiz em hebraico significa “ser curvado”. Além de “humildade”, há outras palavras ligadas à mesma raiz, tais como “mansidão” e “condescendência”. Portanto, Jeová mostrou humildade quando se “rebaixou” para tratar com o imperfeito Davi e usá-lo como seu rei representante. Como mostra o cabeçalho do Salmo 18, Jeová protegeu e apoiou Davi, livrando-o “da palma da mão de todos os seus inimigos e da mão de Saul”. Davi, por sua vez, sabia que qualquer grandeza ou glória que conseguisse como rei dependeria de Jeová agir humildemente em favor dele. Saber disso ajudou Davi a permanecer humilde.

it-2 p. 354 Humildade
Uma Qualidade de Deus. O próprio Jeová Deus possui entre as suas qualidades a humildade. Não que haja qualquer inferioridade da sua parte, ou alguma submissão a outros. Antes, ele mostra humildade por exercer misericórdia e grande compaixão para com pecadores humildes. Só o fato de lidar ele até mesmo com pecadores e providenciar seu Filho como sacrifício pelos pecados da humanidade já é uma expressão de humildade. Jeová Deus tem permitido o que é mau por uns 6.000 anos e tem deixado surgir a humanidade, embora o pai dela, Adão, tivesse pecado. Por meio da benignidade imerecida, mostrou-se assim misericórdia com os descendentes de Adão, dando-lhes a oportunidade de obter vida eterna. (Ro 8:20, 21) Tudo isto, junto com outras qualidades excelentes de Deus, demonstra a Sua humildade.
O Rei Davi entendia e apreciava esta qualidade expressa na benignidade imerecida de Deus para com ele. Depois de Jeová o ter livrado da mão de todos os seus inimigos, ele cantou: “Tu me darás o teu escudo de salvação, e é a tua humildade que me engrandece.” (2Sa 22:36; Sal 18:35) Embora ele, na sua grande dignidade, esteja sentado no seu lugar exaltado no mais alto dos céus, ainda assim se pode dizer a respeito de Jeová: “Quem é semelhante a Jeová, nosso Deus, Aquele que faz a sua morada no alto? Ele condescende em olhar para o céu e para a terra, levantando o de condição humilde do próprio pó; ele ergue o pobre da própria cova de cinzas, para fazê-lo sentar-se com os nobres, com os nobres do seu povo.” — Sal 113:5-8.

(SALMO 18:40)
“E quanto aos meus inimigos, certamente me darás a [sua] cerviz; E quanto aos que me odeiam intensamente, eu os silenciarei.”

it-1 p. 271 Atitudes, posturas e gestos
Mão ou pé sobre a nuca ou cerviz dum inimigo descreve figurativamente a derrota do inimigo, ser ele desbaratado e posto em fuga, sendo perseguido e apanhado. — Gên 49:8; Jos 10:24; 2Sa 22:41; Sal 18:40.

LEITURA DA BÍBLIA: (4 MIN OU MENOS) SAL 18:1-19


Salmo 18:1-19 Tradução do Novo Mundo
18 Eu te amo, ó Jeová, minha força.
2 Jeová é meu rochedo, minha fortaleza e meu libertador.
Meu Deus é minha rocha, em quem me refugio;
Ele é meu escudo e meu poderoso salvador, meu refúgio seguro.
3 Invoco a Jeová, que é digno de louvor,
E serei salvo dos meus inimigos.
4 Cercaram-me as cordas da morte;
Enxurradas de homens imprestáveis me apavoraram.
5 As cordas da Sepultura me envolveram;
Os laços da morte me confrontaram.
6 Na minha aflição eu invoquei a Jeová,
Clamei ao meu Deus por ajuda.
Do seu templo ele ouviu a minha voz,
E meu clamor por ajuda chegou aos seus ouvidos.
7 Então a terra começou a balançar e a tremer;
Os alicerces dos montes se abalaram
E estremeceram, porque ele se tinha irado.
8 Das suas narinas subiu fumaça,
E da sua boca saiu um fogo consumidor;
Dele saíram brasas vivas.
9 Ele fez o céu se inclinar e desceu;
Havia densas trevas debaixo dos seus pés.
10 Ele veio voando, montado num querubim;
Veio velozmente nas asas de um espírito.
11 Então ele se cobriu de escuridão;
Em todo o seu redor, como um abrigo,
Havia águas escuras e nuvens carregadas.
12 Do resplendor diante dele,
Granizo e brasas de fogo irromperam em meio às nuvens.
13 Então Jeová começou a trovejar nos céus;
O Altíssimo fez ouvir a sua voz
Com pedras de granizo e brasas ardentes.
14 Ele atirou as suas flechas e os dispersou;
Lançou seus relâmpagos e os pôs em confusão.
15 Os leitos dos rios se tornaram visíveis;
Os alicerces da terra foram expostos pela tua censura, ó Jeová,
Pelo forte sopro que sai das tuas narinas.
16 Das alturas ele estendeu a mão;
Ele me segurou e me tirou de águas profundas.
17 Ele me livrou do meu forte inimigo,
Dos que me odiavam, que eram mais fortes do que eu.
18 Eles me enfrentaram no dia do meu desastre,
Mas Jeová foi o meu apoio.
19 Ele me levou para um lugar seguro;
Ele me livrou porque se agradava de mim.

FAÇA SEU MELHOR NO MINISTÉRIO


Primeira visita: (2 min ou menos) wp16.3 16 — Leia um texto bíblico num dispositivo eletrônico.


O Que a Bíblia Diz?
Deus tem nome?
ALGUNS DIZEM que não, outros dizem que seu nome é “Deus” ou “Senhor”, e ainda outros dizem que ele tem vários nomes. O que você acha?
O QUE A BÍBLIA DIZ
“Tu, cujo nome é Jeová, somente tu és o Altíssimo sobre toda a terra.” — Salmo 83:18.
O QUE MAIS PODEMOS APRENDER DA BÍBLIA?
• Embora Deus tenha muitos títulos, ele deu a si mesmo apenas um nome. — Êxodo 3:15.
• Deus não é um mistério; ele quer que o conheçamos. — Atos 17:27.
• Saber o nome de Deus pode ser o primeiro passo para nos tornarmos amigos dele. — Tiago 4:8.
É errado usar o nome de Deus?
O QUE VOCÊ DIRIA?
• Sim
• Não
• Depende
O QUE A BÍBLIA DIZ
“Não use o nome de Jeová, seu Deus, em vão.” (Êxodo 20:7) Podemos usar o nome de Deus, mas é errado fazer isso de modo desrespeitoso. — Jeremias 29:9.
O QUE MAIS PODEMOS APRENDER DA BÍBLIA?
• Jesus conhecia e usava o nome de Deus. — João 17:25, 26.
• Deus quer que usemos o seu nome. — Salmo 105:1.
• Os inimigos de Deus tentam fazer as pessoas esquecer o nome dele. — Jeremias 23:27.
Para mais informações, veja o capítulo 1 deste livro, O Que a Bíblia Realmente Ensina?, publicado pelas Testemunhas de Jeová.
Também disponível em www.jw.org

Revisita: (4 min ou menos) wp16.3 16 — Use o JW Library para mostrar textos a um morador que fala outro idioma. Mostre os textos no idioma dele.


O Que a Bíblia Diz?
Deus tem nome?
ALGUNS DIZEM que não, outros dizem que seu nome é “Deus” ou “Senhor”, e ainda outros dizem que ele tem vários nomes. O que você acha?
O QUE A BÍBLIA DIZ
“Tu, cujo nome é Jeová, somente tu és o Altíssimo sobre toda a terra.” — Salmo 83:18.
O QUE MAIS PODEMOS APRENDER DA BÍBLIA?
• Embora Deus tenha muitos títulos, ele deu a si mesmo apenas um nome. — Êxodo 3:15.
• Deus não é um mistério; ele quer que o conheçamos. — Atos 17:27.
• Saber o nome de Deus pode ser o primeiro passo para nos tornarmos amigos dele. — Tiago 4:8.
É errado usar o nome de Deus?
O QUE VOCÊ DIRIA?
• Sim
• Não
• Depende
O QUE A BÍBLIA DIZ
“Não use o nome de Jeová, seu Deus, em vão.” (Êxodo 20:7) Podemos usar o nome de Deus, mas é errado fazer isso de modo desrespeitoso. — Jeremias 29:9.
O QUE MAIS PODEMOS APRENDER DA BÍBLIA?
• Jesus conhecia e usava o nome de Deus. — João 17:25, 26.
• Deus quer que usemos o seu nome. — Salmo 105:1.
• Os inimigos de Deus tentam fazer as pessoas esquecer o nome dele. — Jeremias 23:27.
Para mais informações, veja o capítulo 1 deste livro, O Que a Bíblia Realmente Ensina?, publicado pelas Testemunhas de Jeová.
Também disponível em www.jw.org

Estudo bíblico: (6 min ou menos) bh 100-101 §§ 10-11 — Mostre brevemente ao seu estudante como ele pode usar o JW Library para pesquisar sobre uma pergunta que ele fez.


Criaturas espirituais — como nos afetam?
10. O que é ocultismo?
10 Para enganar as pessoas, os demônios usam o ocultismo. O ocultismo envolve contato com os demônios, tanto de modo direto como por meio de alguém que invoca espíritos. A Bíblia condena o ocultismo e nos alerta que evitemos qualquer coisa relacionada com ele. (Gálatas 5:19-21) Os demônios usam o ocultismo assim como os pescadores usam a isca. O pescador usa diferentes iscas para pegar diferentes tipos de peixe. Do mesmo modo, os espíritos maus usam diferentes formas de ocultismo para trazer todo tipo de pessoas sob sua influência.
11. O que é adivinhação, e por que devemos evitá-la?
11 Um tipo de isca que os demônios usam é a adivinhação. O que é adivinhação? É uma tentativa de saber alguma coisa a respeito do futuro ou de algo desconhecido. Existem várias formas de adivinhação, como astrologia, uso de cartas de tarô ou de bolas de cristal, quiromancia e busca de presságios, ou sinais, misteriosos nos sonhos. Embora muitos pensem que praticar a adivinhação é inofensivo, a Bíblia mostra que os adivinhos e os espíritos maus trabalham juntos. Por exemplo, Atos 16:16-18 menciona “um demônio de adivinhação” que capacitava uma jovem a praticar adivinhação. Mas ela perdeu essa capacidade quando o demônio foi expulso dela.

NOSSA VIDA CRISTÃ


“Como usar o JW Library” — Parte 1: (15 min)


Como usar o JW Library
PARA ESTUDAR:
• Ler a Bíblia e o texto diário.
• Ler o Anuário, as revistas e outras publicações. Coloque marcadores no texto para saber onde você parou.
• Preparar-se para as reuniões e marcar as respostas.
• Ver vídeos.
NAS REUNIÕES:
• Encontrar um texto citado pelo orador. Use o histórico para voltar a um texto que já foi lido.
• Em vez de levar diversas publicações impressas para o Salão, use o seu dispositivo eletrônico para acompanhar as partes da reunião e cantar os cânticos. Os novos cânticos que ainda não estão no cancioneiro impresso já estão disponíveis no JW Library.
NA PREGAÇÃO:
• Mostrar um assunto no JW Library para uma pessoa interessada e ajudá-la a baixar o aplicativo e publicações no dispositivo dela.
• Usar o recurso de busca para encontrar um texto bíblico. Se uma expressão não aparece na Tradução do Novo Mundo revisada, mude para a Bíblia com Referências e procure de novo.
• Mostrar um vídeo. Se a pessoa tiver filhos, mostre um dos vídeos da série Torne-se Amigo de Jeová. Para incentivar uma pessoa a estudar a Bíblia, mostre o vídeo Por Que Estudar a Bíblia?. Se encontrar alguém que fala outra língua, mostre um vídeo no idioma dele.
• Mostrar textos aos moradores que falam outro idioma, usando uma tradução que você já baixou. Vá até o texto e toque no versículo. Depois toque no ícone de versões paralelas para mostrar o mesmo trecho no idioma dele.

Consideração. Mostre os vídeos Usar e Organizar Marcadores e Como Usar o Histórico e faça uma breve consideração deles com a assistência. Depois considere os dois primeiros subtítulos. Convide os irmãos a comentar de que outras maneiras eles têm usado o JW Library para o estudo pessoal e reuniões congregacionais.


ESTUDO BÍBLICO DE CONGREGAÇÃO: (30 MIN) IA CAP. 15 §§ 15-26, RECAPITULAÇÃO NA P. 134
Recapitulação da reunião e visão geral da próxima semana (3 min)


CAPÍTULO QUINZE
Ela defendeu o povo de Deus


parágrafo 15 Ester 2:15 Quando chegou a sua vez de se apresentar ao rei, Ester — filha de Abiail, tio de Mordecai, que a tinha tomado como filha — não solicitou nada além do que foi recomendado por Hegai, eunuco do rei e responsável pelas mulheres. (Durante todo aquele tempo, Ester ganhava o favor de todos os que a viam.)
parágrafo 16 Ester 2:17 E o rei amou Ester mais do que a todas as outras mulheres, e ela ganhou seu favor e sua aprovação mais do que qualquer outra das virgens. Então ele colocou o turbante real na cabeça dela e a fez rainha no lugar de Vasti.
Ou: “seu amor leal”.
Ou: “toucado”.
parágrafo 17 Ester 2:20-23 Ester não falava nada sobre seus parentes e seu povo, conforme Mordecai havia lhe orientado. Ester continuava a obedecer às instruções de Mordecai, assim como fazia quando estava aos cuidados dele. 21 Naquele tempo, quando Mordecai se sentava no portão do rei, Bigtã e Teres, dois oficiais da corte do rei, porteiros, ficaram furiosos e planejaram matar o rei Assuero. 22 Mas Mordecai soube da trama e imediatamente informou a rainha Ester. Ela então contou isso ao rei em nome de Mordecai.23 O assunto foi investigado e comprovado, de modo que os dois homens foram pendurados num madeiro, e tudo isso foi escrito perante o rei no livro dos registros históricos.
Lit.: “deitar mão no”.
parágrafo 18 Ester 3:1-4 Algum tempo depois, o rei Assuero promoveu Hamã, filho de Hamedata, o agagita, e o engrandeceu, colocando-o numa posição mais elevada do que a de todos os outros príncipes. 2 E todos os servos do rei que estavam no portão do rei se curvavam e se prostravam diante de Hamã, assim como o rei havia ordenado. Mas Mordecai se recusava a curvar-se e prostrar-se diante dele. 3 Então os servos do rei que estavam no portão do rei perguntaram a Mordecai: “Por que você não obedece à ordem do rei?”4 Eles perguntavam isso dia após dia, mas ele não lhes dava ouvidos. Então informaram Hamã para ver se a conduta de Mordecai seria tolerada, pois lhes tinha dito que era judeu.
Ou: “colocando seu trono mais alto do que”.
parágrafo 18 1 Sam. 15:33 No entanto, Samuel disse: “Assim como a sua espada deixou muitas mulheres sem filhos, sua mãe também ficará sem filhos.” Em seguida Samuel cortou Agague em pedaços perante Jeová em Gilgal.
parágrafo 18 Deu. 25:19 Quando Jeová, seu Deus, lhe tiver dado descanso de todos os inimigos ao seu redor, na terra que Jeová, seu Deus, lhe dá como herança para tomar posse dela, você deve apagar a lembrança de Amaleque de debaixo dos céus. Não se esqueça.
parágrafo 18 Atos 5:29 Pedro e os outros apóstolos responderam: “Temos de obedecer a Deus como governante em vez de a homens.
parágrafo 19 Ester 3:5-10 Quando Hamã viu que Mordecai se recusava a curvar-se e prostrar-se diante dele, ficou muito furioso.6 Mas ele achava pouco matar apenas Mordecai, pois tinha sido informado sobre o povo de Mordecai. Assim, Hamã procurou uma forma de exterminar o povo de Mordecai, isto é, todos os judeus em todo o reino de Assuero. 7 No décimo segundo ano do rei Assuero, no primeiro mês, o mês de nisã, lançou-se “pur” (isto é, a sorte) diante de Hamã, para se determinar o dia e o mês, e a sorte caiu no décimo segundo mês, o mês de adar. 8 Então Hamã disse ao rei Assuero: “Há um povo espalhado e disperso entre os povos de todas as províncias do seu reino. Suas leis são diferentes das de todos os outros povos, e eles não obedecem às leis do rei. Não convém aos interesses do rei tolerá-los. 9 Se for do agrado do rei, seja emitido um decreto ordenando a destruição deles. Eu pagarei 10.000 talentos de prata aos oficiais, que os depositarão no tesouro real.” 10 O rei tirou então o anel de selar que usava na mão e o deu a Hamã, inimigo dos judeus, filho de Hamedata, o agagita.
Lit.: “deitar mão em”.
Veja Ap. B15.
Isto é, para Hamã executar seu plano.
Veja Ap. B15.
Ou: “todos os distritos jurisdicionais”.
Um talento equivalia a 34,2 kg. Veja Ap. B14.
Ou, possivelmente: “Eu pagarei 10.000 talentos ao tesouro real para aqueles que executarem esse serviço.”
parágrafo 20 Ester 3:12-4:1 Assim, no dia 13 do primeiro mês, os secretários do rei foram convocados. Eles escreveram tudo o que Hamã ordenou aos sátrapas do rei, aos governadores das províncias e aos príncipes dos diversos povos, na escrita de cada província e na língua de cada povo. As cartas foram escritas em nome do rei Assuero e seladas com o anel de selar do rei. 13 As cartas foram enviadas por meio de mensageiros a todas as províncias do rei, com a ordem de exterminar, matar e destruir todos os judeus — jovens e idosos, mulheres e crianças — num só dia, o dia 13 do décimo segundo mês, isto é, o mês de adar, e de tomar os seus bens. 14 O texto do decreto deveria ser proclamado como lei em cada província e anunciado a todos os povos, a fim de que se preparassem para aquele dia. 15 Os mensageiros saíram velozmente por ordem do rei; o decreto foi proclamado na fortaleza de Susã. Então o rei e Hamã se sentaram para beber, mas a cidade de Susã estava em confusão.
4 Quando Mordecai soube de tudo o que havia acontecido, rasgou a roupa, vestiu-se com pano de saco e cobriu-se de cinzas; então saiu pela cidade clamando amargamente.
Ou: “A cópia”.
Ou: “na cidadela; no palácio”.
Ou: “Susa”.
Ou: “Susa”.
parágrafo 21 Ester 4:4-8 Quando as criadas e os eunucos da rainha Ester foram lhe contar sobre a situação, ela ficou muito aflita. Então enviou roupas para que Mordecai tirasse o pano de saco e as vestisse, mas ele não as aceitou. 5 Em vista disso, Ester mandou chamar Hataque, um dos eunucos do rei designados por ele para servi-la, e ordenou-lhe que perguntasse a Mordecai por que ele estava agindo assim e o que estava acontecendo. 6 Portanto, Hataque foi falar com Mordecai na praça da cidade que ficava em frente ao portão do rei. 7 Mordecai lhe contou tudo o que tinha acontecido com ele e disse a quantia exata que Hamã havia prometido pagar ao tesouro do rei para destruir os judeus. 8 Entregou-lhe também uma cópia do decreto proclamado em Susã que determinava o extermínio deles. Ele devia mostrá-lo e explicá-lo a Ester, e dizer a ela que comparecesse perante o rei para implorar o favor dele e interceder pessoalmente pelo seu povo.
Ou: “Susa”.
parágrafo 22 Ester 4:9-11 Hataque voltou e contou a Ester o que Mordecai tinha dito. 10 Ester mandou Hataque dar a seguinte resposta a Mordecai: 11 “Todos os servos do rei e o povo das províncias do rei sabem que, se algum homem ou mulher se apresentar ao rei no pátio interno sem ter sido convocado, há uma só lei que se aplica: a pessoa deve ser morta. Ela só continuará viva se o rei lhe estender o cetro de ouro. E já faz 30 dias que não sou convocada à presença do rei.”
parágrafo 23 Jos. 23:14 “Vejam, estou para morrer, e vocês bem sabem, de todo o seu coração e de toda a sua alma, que não falhou nem sequer uma palavra de todas as boas promessas que Jeová, seu Deus, lhes fez. Todas elas se cumpriram para vocês. Nem sequer uma delas falhou.
Lit.: “estou indo hoje no caminho de toda a terra”.
Veja o Glossário.
parágrafo 23 Ester 4:12-14 Quando Mordecai foi informado do que Ester disse, 13 ele mandou responder a Ester: “Não pense que, só por estar na casa do rei, você terá mais chance de escapar do que todos os outros judeus. 14 Se você ficar calada agora, o alívio e o livramento para os judeus virão de outra parte, mas você e os da casa do seu pai morrerão. E quem sabe se não foi para uma ocasião como essa que você se tornou rainha?”
parágrafo 23 Pro. 3:5, 6 Confie em Jeová de todo o seu coração; Não confie no seu próprio entendimento. 6 Lembre-se dele em todos os seus caminhos, E ele endireitará as suas veredas.
Lit.: “Não se apoie”.
parágrafo 24 Ester 4:15-17 Então Ester mandou responder a Mordecai: 16 “Vá, reúna todos os judeus que estão em Susã e jejuem por mim. Não comam nem bebam nada durante três dias, dia e noite, e eu e as minhas criadas também jejuaremos. Eu me apresentarei ao rei, apesar de isso ser contra a lei. E, se eu tiver de morrer, morrerei.”17 Então Mordecai foi e cumpriu todas as instruções de Ester.
Ou: “Susa”.
parágrafo 25 Ester 5:1, 2 No terceiro dia, Ester vestiu seus trajes reais, foi ao pátio interno da casa do rei e ficou esperando em frente à casa do rei. O rei estava na casa real, sentado no seu trono real, de frente para a entrada. 2 Assim que o rei viu a rainha Ester parada no pátio, ela achou favor aos seus olhos, de modo que o rei estendeu a Ester o cetro de ouro que tinha na mão. Ester então se aproximou e tocou a ponta do cetro.
Ou: “do palácio”.
parágrafo 26 João 13:34, 35 Eu lhes dou um novo mandamento: Amem uns aos outros; assim como eu amei vocês, amem também uns aos outros. 35 Por meio disto todos saberão que vocês são meus discípulos: se tiverem amor entre si.”
1 Crô. 4:43 Eles mataram o restante dos amalequitas, os que tinham escapado, e estão morando ali até hoje.

parágrafo 18 Hamã talvez estivesse entre os últimos amalequitas, já que “o restante” deles havia sido destruído nos dias do Rei Ezequias. — 1 Crô. 4:43.
parágrafo 19 Hamã ofereceu 10 mil talentos de prata, o que equivaleria hoje a centenas de milhões de dólares. Se Assuero era Xerxes I, essa oferta de Hamã deve ter sido ainda mais interessante. Xerxes precisava de uma grande quantia de dinheiro para a guerra que estava planejando contra a Grécia havia muito tempo. Essa guerra por fim seria um fracasso.
parágrafo 22 Xerxes I era conhecido como temperamental e violento. O historiador grego Heródoto registrou alguns exemplos da guerra de Xerxes contra a Grécia. O rei ordenou que se montasse uma ponte flutuante no estreito de Helesponto. Quando uma tempestade destruiu a ponte, Xerxes mandou decapitar os engenheiros e até ordenou que seus homens “punissem” o Helesponto por açoitar a água enquanto uma proclamação ofensiva era lida em voz alta. Na mesma campanha, quando um homem rico suplicou que seu filho fosse eximido do exército, Xerxes mandou o rapaz ser cortado em dois e expôs o cadáver como aviso.

PARA VOCÊ PENSAR . . .
• Como Ester mostrou que era humilde e obediente?
• Como Mordecai ajudou Ester a agir com fé?
• Que ações revelam a coragem de Ester?
• De que maneiras você gostaria de imitar a fé de Ester?

Clique na imagem para Baixar informações completas em arquivos digitais para Computador desktop, Laptop, Tablet, celular e Smartphone

Baixar informações para o estúdio pessoal para Computador desktop, Laptop, Tablet, celular e Smartphone

Baixar informações para o estúdio pessoal para Computador desktop, Laptop, Tablet, celular e Smartphone


PESQUISAR CONTEÚDO

Custom Search

LINKS PATROCINADOS

ADDTHIS