Israel | Origens e história

Map of the Levant circa 830 BCE (Richardprins)

O Reino de Israel ocuparam a terra com o mar Mediterrâneo, correspondendo ao estado de Israel dos tempos modernos. A região era conhecida, historicamente, como Canaã, como Phonecia e, mais tarde, como Palestina. Nomeado após o patriarca hebreu Jacob (também conhecido como Yisrae'el, 'perseverar com Deus') e, por extensão, sua nação, Israel foi, em primeiro lugar, a região conquistada pelo Joshua Hebraico geral, alegadamente por volta de 1250 A.C.. O livro bíblico do êxodo conta a história do líder Hebraico Egyptianized Moses e como ele liderou seu povo da escravidão no Egito para a "terra prometida" de Canaã.
De acordo com a história, Moses foi incapaz de entrar na terra se devido a um desentendimento com Deus e passaram a sua liderança para seu segundo em comando, Joshua, que liderou os israelitas à vitória sobre os povos indígenas. Esta versão da história, deve ser observado, é encontrada somente na Bíblia hebraica e, enquanto evidências arqueológicas na região conhecida como Canaã oferece suporte a convulsão generalizada de uma conquista, disse provas não se encaixam perfeitamente com a narrativa bíblica. Se houve tal um Joshua nomeado geral e se os hebreus, na verdade, conquistar os cananeus é uma questão de crença na narrativa bíblica. Estabeleceu, no entanto, que uma coisa de momento ocorreu cerca de 1250-1200 A.C., que resultou em um deslocamento de povos indígenas, não só em Canaã, mas em outros lugares em toda a região.
Os reinados de Saul, David e Salomão tem tradicionalmente caracterizados como uma 'era dourada' da unidade e da prosperidade.
Israel tornou-se um Reino Unido sob a liderança do rei David (c.1000-960 A.C.) que consolidou as diversas tribos sob o seu governo único (tendo retomado do primeiro rei de Israel, Saul, que governou por volta de 1020 A.C.). David escolheu a cidade canaanita de Jerusalém como sua capital e é dito ter tido a Arca da Aliança se mudou para lá. Como a arca foi pensada para conter a presença viva de Deus, trazendo-a para Jerusalém teria feito a cidade ambos um centro político e religioso de importância considerável. David pretende construir um grande templo para abrigar a arca, mas essa tarefa caiu para seu filho, Salomão (cerca de 960-920 A.C.), cujo reinado corresponde à altura da grandeza israelita. Salomão consolidado tratados com os vizinhos reinos tais como pneus para a norte, Egito, Sabá e patrocinou a construção de projetos que fez de Jerusalém uma cidade grande e opulenta (incluindo, claro, o primeiro templo). Os reinados de Saul, David e Solomon (mas especialmente os dois últimos) têm tradicionalmente caracterizados como uma 'era dourada' da unidade e da prosperidade.
O Reino de Israel, culturalmente, parece que foram caracterizados por uma forte crença em um Deus feroz do deserto (a mesma que alegou ter inspirado Moses para liderar os israelitas do Egito) chamado Yahweh quem foi considerado o único 'verdadeiro Deus' e o criador, senhor do universo. David e Salomão, especialmente, parecem ter usado essa crença em seu benefício em unificar o povo, mas, após a morte do rei Salomão (cerca de 920 A.C.) o reino dividido ao meio, ocupando a região norte com a capital em Samaria e o Reino de Judá ao sul, com Jerusalém como capital de Israel. Os dois reinos aliar-se-ia às vezes e às vezes guerra mas nunca iria alcançar novamente a força e a riqueza do Reino sob as regras de David e Salomão. O Reino de Judá prosperou sob os reinados dos reis Omri (c.876-869 ou 872-884 A.C.) e Ahab (c.876-853 A.C.) e, mais tarde, dinastia de Jehu (842-746 A.C.), de acordo com evidências arqueológicas e a narrativa bíblica, mas parece muitas vezes caracterizadas pela instabilidade.
Incapaz de alcançar uma aliança duradoura, significativa com os outros, Israel caiu ao Império Neo-Assírio em 721 A.C. e a população foi deportada (substituído por assentamentos assírios) e, em 587 A.C., o rei babilônico Nebuchadnezzar II derrotou Judá, saquearam Jerusalém (destruindo o templo) e deportado a aristocracia, escribas e artesãos hábeis para Babylon (conhecido como cativeiro babilônico). Após o saque de Samaria, a destruição de Jerusalém e a diáspora, Israel deixou de existir até a criação do moderno estado de Israel em 1947-1948 CE pelas Nações Unidas. Esta ligação entre o antigo Reino de Israel e o estado moderno de mesmo nome tem sido muito disputada ao longo dos anos e continua a ser um assunto controverso debate.
Artigo aportado pela equipe de colaboradores.