Biografia de Michele Cucuzza

Córrego estelar

14 de novembro de 1952
Nascido em Catânia, em 14 de novembro de 1952, jornalista e apresentador, Michele Cucuzza é o pai de dois adolescentes que gosta muito, Carlotta e Matilde. Ele graduou-se em literatura, jornalista profissional desde 1979, estreou em Milão em popular radialista, histórico milanês. Ele se juntou a Rai em 1985, onde ele fez mais de mil serviços de noticiários de rede. Enquadrado na história do TG2 elaboração, realiza continuamente serviços e viver ligações sobre os acontecimentos atuais na Itália e no exterior, incluindo, memoravelmente, o funeral do funeral de princesa Diana e da Madre Teresa de Calcutá. Mais cedo, no entanto, tinha já realizado serviços na Europa Oriental durante a queda do muro de Berlim (Polónia, Hungria, antiga Tchecoslováquia), na Arábia Saudita após a invasão do Kuwait e os Estados Unidos na época da primeira campanha eleitoral que terminou com a vitória de Clinton. Em Paris ele cobriu vários eventos em diversas ocasiões: o bicentenário da revolução de 89 político-diplomática-líder na época da crise do Golfo, a cimeira do G7, as eleições presidenciais de ' 96.
Por muitos anos, portanto, Michele Cucuzza foi um dos protagonistas do noticiário, conduzido com profissionalismo impecável, mais tarde juntou-se também a conduta do livro em profundidade "Pegasus". Então há alguns anos, o ponto de viragem. Sua participação no show de comédia "La Posta del cuore" marca sua estréia no mundo do show business. Aqui pelo autor e apresentador da transmissão Cucuzza com suporte necessário, Sabina Guzzanti, concorda com o papel de si mesmo, agindo fora de vez em quando "mordaça" baseada sobre a suposta separação de sua relação com a namorada imaginária Cynthia Padgett. A ironia de seu discurso ilude executivos Rai que recrutam para realizar diariamente o programa da tarde "La vita em diretta" extensivamente. Desde outubro de 1998, o jornalista é, portanto, vinculado ao fita dupla com o nome de esta difusão, inicialmente prevalentes em RaiDue, então promovido em RaiUno o mais importante. Rotogravura, o jornalista sedutores e uma equipe forte por trás, acontece que para a amostra de peças.
Em maio de 1999 lidera em RaiUno, juntamente com Katia Ricciarelli e Gianfranco D'Angelo, o programa de entretenimento nocturno "segredos e mentiras...", por Raffaella Carrà, Sergio Japino, Giovanni Benincasa e Fabio Di Iorio. A 25 de dezembro de 1999 em vez disso leva uma edição especial de "viver a vida", projetada para celebrar o Natal com seu público. Em 2000 ainda agora o registro, o show, a diversão com "La vita em diretta", precisamente em RaiUno. Agora o seu papel em fazer o show vai all-out. Incansável na leva de dezembro de 2000, com Luisa Corna, o show "Sanremo nasceu". Particularmente sensível ao compromisso social, Michele Cucuzza é testemunho da Associação "Attivecomeprima", que trabalha para apoiar as mulheres afectadas por cancro. Muito estreita e sensível ao Teleton, liderada por três anos consecutivos a notícia informativa e desempenhou um papel ativo no Teleton. Em setembro de 2001, presidiu a Comitê Técnico de Miss Itália. Na mesmo mês começa a liderar a edição de 2001-2002 "viver a vida".
Em 2002 a edição do Miss Itália é novamente o Presidente do júri; e em setembro do mesmo ano 2002-2003 edição de volta para ajudar o seu programa de escolha, da qual ele é o verdadeiro vencedor. O formato agora tem um número notável de "aficionados", devido à sua fórmula cativante que mistura diversos elementos e argumentos sempre em contato direto com a notícia. "Viver a vida" tem a capacidade de Mesclar registro, notícias, pesquisas e grandes eventos, mas também de fofoca, fofoca, encontros com personagens da televisão, cinema, música e esportes. Em 2007 "realiza" dez anos de realização de "La vita em diretta"; em junho do mesmo ano foi eleito cidadão honorário de Grammichele (CT), o berço da sua mãe. Em outubro, ele publicou "abaixo dos 40. Histórias de jovens em um país do antigo "(David).
Artigo aportado pela equipe de colaboradores.