PESQUISAR CONTEÚDO

Custom Search

Biografia de Luca Coscioni

Nós liberamos os genes

16 de julho de 1967
20 de fevereiro de 2006
Luca Coscioni nasceu em 16 de julho de 1967 em Orvieto. É precisamente a partir de sua cidade natal, que deixa seu engajamento político, quando em 1995 foi eleito membro do Conselho municipal. No mesmo ano, ele fica doente de esclerose amiotrófica lateral (também conhecida como doença de Lou Gehrig) e decide demitir-se. Ele passou vários anos movendo de um hospital para outro, de um abrigo para outro, da esperança ao desespero, até que ele finalmente foi confirmado o diagnóstico inicial. Em 1999, ele decide se candidatar a eleições locais. Este é o momento quando ele realmente começa a reagir à doença e renovar a paixão pela política que já não tinha poder. Em julho do mesmo ano, navegar na internet, ela descobriu o site dos radicais, www.radicali.it e começa a interessar-se em iniciativas e a história desta festa com grande interesse e atenção.
Em abril de 2000 é candidato da lista Bonino nas eleições regionais em Umbria. Em agosto de 2000, os radicais lançamento on-line eleições para eleger 25 novos membros do Comitê de coordenação dos radicais. Assim começou sua aventura política com Marco Pannella e Emma Bonino. Em Dezembro do mesmo ano, ele foi eleito para o Comité e em fevereiro de 2001 intervém pela primeira vez com seu controlador falando durante os trabalhos do Comité em Chianciano. Ao final da reunião, a Comissão adota uma moção que compromete o movimento na batalha pela liberdade de investigação científica. Em 13 de fevereiro de 2001, Luca Coscioni intervém na audiência convocada pela Comissão temporária em genética humana e biotecnologia do Parlamento Europeu, realizada a fim de recolher as opiniões das pessoas afectadas por doenças genéticas.
Seu discurso afeta grandemente os comissários e os parlamentares, levantando o debate europeu sobre clonagem terapêutica e o uso de células-tronco de embriões. Na última eleição geral Pannella e a direção dos radicais oferecem para Luca Coscioni sendo o líder Emma Bonino em listas proporcionais. Enquanto isso o Comité radical por unanimidade ele elege Presidente. Durante os meses de campanha 48 prêmios de Nobel e mais de 500 cientistas e pesquisadores de todo o mundo apoiar sua candidatura trazendo a atenção do público a comparação secular sobre questões até então nunca levada a sério por qualquer força política. Luca Coscioni morreu em 20 de fevereiro de 2006: a triste notícia foi dada ao vivo na rádio radical por Marco Pannella.
Artigo aportado pela equipe de colaboradores.

PESQUISAR CONTEÚDO

Custom Search

LINKS PATROCINADOS

ADDTHIS