PESQUISAR CONTEÚDO

Custom Search

Biografia de Honoré Daumier

A coragem da sátira

26 de fevereiro de 1808
10 de fevereiro de 1879
A queda de Charles X marca, para a França, o fim da restauração do absolutismo monárquico e cedo, com Louis Philippe, Duque d'Orleães, redenção do liberalismo burguês. Mas o processo de emancipação de francês sociedade está apenas começando, porque durante o reinado de Luís Filipe, começou a espiar uma nova consciência social, uma das classes mais populares, de pessoas que sempre fizeram as revoluções por conta de outrem e agora, em vez disso, começa a amadurecer, para ser mais preciso, uma consciência de classe. Entre os primeiros a expressar e divulgar, através da sua arte, estes sentimentos, Honoré Daumier.
Pintor, litógrafo, gravador, ilustrador e escultor, Daumier nasceu em Marselha em 26 de janeiro de 1808 por Jean Baptiste Louis, artesão-poeta multifacetado e Cécile Catherine Philip. Com sua produção artística numerosos que se esforça por descrever a realidade de forma isolada e asséptica, Honoré Daumier vai para grandes comprimentos, junto com Gustave Courbet e Jean Francoise Millet, entre os pais do realismo, movimento cultural-herdeiro do positivismo-nasceu na França por volta de 1840. A tarefa que ele anunciou é caricaturista: durante os anos de 1830 a 1835 publica no jornal de oposição "litografias de La caricatura por trazem difícil sócio-político e sarcasmo" anti-burguesa, prosseguindo, a partir de 1835, na "Charivari", produzindo um total de cerca de 4.000 vinhetas criadas com a técnica de litografia.
Dentre as caricaturas mais famosas é "Gargantua", dedicado a Louis-Philippe: a profanação do rei, a beira insulto, custou-lhe seis meses de prisão e uma multa. Mas o governante permanecerá mesmo após o objeto amado de sua sátira. O aperto das regras sobre a liberdade de imprensa, quem subam à censura, contudo, induziu-na mudar o estilo, dando aos seus conteúdos culturais vinheta só: nesta fase Honoré Daumier colabora em "Chronique de Paris", jornal do grande Honoré de Balzac e a noiva, em 1846, Marie-Alexandrine Vinicius. Na segunda metade dos anos 40, começa a dedicar-se à pintura, ainda mais a amizade com o pintor romântico Eugene Delacroix. Depois aperte excelentes relações com Charles-François Daubigny, Jean-Baptiste Camille Corot e Jean-François Millet, artistas que enriquecem-lo tanto em espírito como expressão artística.
Assunto nesta área inspirar-se na realidade quotidiana, mas a novidade óbvia é representada por sua pintura faz de uma artista de nicho: passar seus últimos anos na pobreza e solidão, com o conforto de alguns amigos que continuam a considerá-lo como um mestre, em especial por Corot que suporta economicamente. Agora 71 anos de idade e quase completamente privada visão, Honoré Daumier, 10 de fevereiro de 1879 que morreu em Valmondois, com a idade de 70 anos. Para a contundência e o poder inovador de sua arte, ocupa a posição entre os maiores artistas do século XIX e entre os precursores do impressionismo.
Artigo aportado pela equipe de colaboradores.

PESQUISAR CONTEÚDO

Custom Search

LINKS PATROCINADOS

ADDTHIS