PESQUISAR CONTEÚDO

Custom Search

JÓ 21-27 | Tesouros da Palavra de Deus: semana de 11-17 de abril

NOSSA VIDA E MINISTÉRIO CRISTÃO — TEXTOS BÍBLICOS E REFERÊNCIAS

LER E OUVIR A BÍBLIA ON-LINE NO JW.ORG:

TESOUROS DA PALAVRA DE DEUS | JÓ 21-27


“JÓ LUTOU CONTRA PENSAMENTOS ERRADOS”: (10 MIN)


Satanás usa mentiras para desanimar os servos de Jeová hoje. Veja a diferença entre as mentiras de Satanás e os verdadeiros sentimentos de Jeová pelos seus servos, como mostra o livro de Jó. Então escreva outros textos que provam que Jeová se importa com você.
MENTIRAS DE SATANÁS
Deus é tão exigente que nada que seus servos fazem é bom o bastante para ele. Não há nada no Universo que agrade a ele. (Jó 4:18; 25:5)
Os humanos não valem nada para Deus. (Jó 22:2)
Deus não se importa se você é justo ou não. (Jó 22:3)
OS VERDADEIROS SENTIMENTOS DE JEOVÁ
Jeová se agrada de qualquer esforço que fazemos para servi-lo. (Jó 36:5)
Jeová aceita e abençoa o serviço fiel que prestamos a ele. (Jó 33:26; 36:11)
Jeová sempre cuida dos justos. (Jó 36:7)

Jó 22:2-7 — Elifaz deu conselhos baseados em suposições e opinião pessoal. (w06 15/3 15 § 7; w05 15/9 26-27; w95 15/2 27 § 6)


Jó 22:2-7 Tradução do Novo Mundo
2 “Pode um homem ser útil para Deus?
Pode alguém com perspicácia ser de algum proveito para ele?
3 Será que o Todo-Poderoso se importa que você seja justo,
Ou será que ele ganha alguma coisa por você ser íntegro?
4 Por acaso ele o punirá
E entrará em juízo contra você por temer a ele?
5 Não é porque sua maldade é muito grande
E não há fim dos seus erros?
6 Pois você exige uma garantia dos seus irmãos sem nenhum motivo,
E fica com a roupa de outros, deixando-os nus.
7 Não dá água ao cansado
E nega pão ao faminto.
Destaques do livro de Jó
22:5-7. O conselho dado com base em acusações falsas que carecem de evidência sólida não tem valor e é prejudicial.
Rejeite pensamentos errados!
DURANTE o período em que sofria calamidades, o patriarca Jó recebeu a visita de três amigos: Elifaz, Bildade e Zofar. Eles vieram expressar-lhe solidariedade e consolo. (Jó 2:11) O mais influente dos três, e talvez o mais velho, era Elifaz. Foi o primeiro a falar e também o que mais falou. Que tipo de raciocínio Elifaz refletiu nos seus três pronunciamentos?
Lembrando-se de uma experiência sobrenatural que certa vez teve, Elifaz disse: “Um espírito passou sobre a minha face; o pêlo da minha carne começou a eriçar-se. Começou a parar, mas não reconheci seu aspecto; havia uma figura diante dos meus olhos; houve uma calmaria e eu ouvi então uma voz.” (Jó 4:15, 16) Que tipo de espírito havia influenciado o modo de pensar de Elifaz? O tom crítico das palavras que se seguiram indica que esse espírito certamente não era um dos anjos justos de Deus. (Jó 4:17, 18) Era uma criatura espiritual perversa. Se não fosse, por que Jeová repreenderia Elifaz e seus dois companheiros por terem mentido? (Jó 42:7) Sem dúvida, Elifaz estava sob influência demoníaca. Seus comentários refletiam um modo ímpio de pensar.
Que tipo de raciocínio se pode perceber nas declarações de Elifaz? Por que é importante se proteger contra pensamentos errados? E o que se pode fazer para rejeitá-los?
“Ele não tem fé nos seus servos”
Em seus três pronunciamentos, Elifaz passou a idéia de que Deus é tão exigente que nada que seus servos façam é suficiente para agradá-lo. “Ele não tem fé nos seus servos, e a seus anjos acusa de defeito”, Elifaz disse a Jó. (Jó 4:18, nota) Mais adiante, falou o seguinte sobre Deus: “[Ele] não confia nem nos seus santos, e os próprios céus não são realmente puros aos seus olhos.” (Jó 15:15) E perguntou: “É do agrado do Todo-poderoso que sejas justo?” (Jó 22:3) Bildade concordava com esse ponto de vista, pois disse: ‘Há mesmo a lua, e ela não é luminosa; e as próprias estrelas não se mostraram puras aos olhos de Deus.’ — Jó 25:5.
Devemos nos proteger contra a influência desse tipo de raciocínio. Ele pode nos fazer pensar que Deus exige demais de nós. Esse conceito prejudica nosso relacionamento com Jeová. Além disso, se cedêssemos a esse tipo de raciocínio, como reagiríamos em caso de necessária disciplina? Em vez de aceitá-la humildemente, talvez nosso coração ficasse “furioso com o próprio Jeová”, e até nos ressentíssemos dele. (Provérbios 19:3) Que desastre espiritual isso seria!
‘Pode um varão vigoroso ser útil para Deus?’
Outra idéia parecida com a de que Deus é exigente demais é a de que para ele os humanos são inúteis. No seu terceiro pronunciamento, Elifaz pergunta: “Pode um varão vigoroso ser de utilidade para o próprio Deus, que alguém com perspicácia lhe seja útil?” (Jó 22:2) Elifaz insinuava que o ser humano é inútil para Deus. Numa linha de raciocínio similar, Bildade perguntou: “Como pode o homem mortal ter razão diante de Deus, ou como pode ser puro aquele que nasceu de mulher?” (Jó 25:4) Segundo esse raciocínio, como Jó, um simples mortal, poderia sequer presumir ter uma posição justa perante Deus?
Muitos hoje sofrem de pensamentos negativos sobre si mesmos. O modo como a pessoa foi criada, as pressões da vida ou ter sido vítima de ódio racial ou étnico podem ter contribuído para isso. Mas Satanás e seus demônios gostam também de arrasar as pessoas. A pessoa que for influenciada por eles a crer que nada do que ela faz é suficientemente bom para o Deus todo-poderoso fica mais vulnerável ao desânimo. Com o tempo, ela talvez se afaste, ou até mesmo abandone, o Deus vivo. — Hebreus 2:1; 3:12.
A idade avançada e problemas de saúde podem impor-nos limitações. Nossa participação no serviço do Reino pode parecer bem pequena em comparação com a que tínhamos quando éramos mais jovens, mais sadios e mais fortes. É vital reconhecer que Satanás e seus demônios querem nos levar a crer que o que fazemos não é suficientemente bom para Deus! Temos de resistir a essa idéia.
Como repelir pensamentos negativos
Apesar do sofrimento que lhe foi causado por Satanás, o Diabo, Jó disse: “Até eu expirar não removerei de mim a minha integridade!” (Jó 27:5) Por amor a Deus, Jó estava decidido a ser íntegro independentemente do que acontecesse, e nada mudaria essa decisão. Essa é a chave para resistir a pensamentos negativos. Temos de entender bem o amor de Deus e cultivar apreço sincero por isso. É preciso também aprofundar nosso amor a ele. Isso se consegue por estudar regularmente a Palavra de Deus e meditar, com oração, no que aprendemos.
Por exemplo, João 3:16 diz: “Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito.” Jeová ama profundamente o mundo da humanidade, e seus tratos com os humanos ao longo do tempo comprovam isso. Meditar em exemplos do passado aumenta nosso apreço por Jeová e aprofunda nosso amor a ele, ajudando-nos assim a resistir a pensamentos errados ou negativos.
Veja como Jeová tratou com Abraão pouco antes da destruição de Sodoma e Gomorra. Abraão indagou oito vezes a Jeová a respeito de Seu julgamento. Em nenhum momento Jeová mostrou irritação ou frustração. Ao contrário, suas respostas convenceram e consolaram Abraão. (Gênesis 18:22-33) Depois, quando Deus salvou Ló e sua família de Sodoma, Ló pediu para fugir para uma cidade vizinha, em vez de para os montes. Jeová respondeu: “Também neste ponto tenho deveras consideração para contigo, não subvertendo a cidade de que falaste.” (Gênesis 19:18-22) Será que esses relatos retratam Jeová como ditador exigente, desamoroso e autoritário? Não. Eles mostram o que ele realmente é — um Soberano amoroso, bondoso, misericordioso e compreensivo.
Refutando a idéia de um Deus crítico, impossível de agradar, temos os exemplos de Arão, Davi e Manassés, do Israel antigo. Arão cometeu três erros graves. Fez o bezerro de ouro, apoiou sua irmã Miriã na crítica a Moisés, e não santificou e honrou a Deus em Meribá. Não obstante, Jeová viu boas qualidades nele e permitiu que continuasse no cargo de

Jó 25:4, 5 — Bildade apresentou ideias erradas. (w05 15/9 26-27)


Jó 25:4, 5 Tradução do Novo Mundo
4 Então, como pode o homem mortal ser justo perante Deus,
Ou como pode alguém que nasceu de uma mulher ser inocente?
5 Nem mesmo a lua tem brilho,
E as estrelas não são puras aos seus olhos,
Rejeite pensamentos errados!
DURANTE o período em que sofria calamidades, o patriarca Jó recebeu a visita de três amigos: Elifaz, Bildade e Zofar. Eles vieram expressar-lhe solidariedade e consolo. (Jó 2:11) O mais influente dos três, e talvez o mais velho, era Elifaz. Foi o primeiro a falar e também o que mais falou. Que tipo de raciocínio Elifaz refletiu nos seus três pronunciamentos?
Lembrando-se de uma experiência sobrenatural que certa vez teve, Elifaz disse: “Um espírito passou sobre a minha face; o pêlo da minha carne começou a eriçar-se. Começou a parar, mas não reconheci seu aspecto; havia uma figura diante dos meus olhos; houve uma calmaria e eu ouvi então uma voz.” (Jó 4:15, 16) Que tipo de espírito havia influenciado o modo de pensar de Elifaz? O tom crítico das palavras que se seguiram indica que esse espírito certamente não era um dos anjos justos de Deus. (Jó 4:17, 18) Era uma criatura espiritual perversa. Se não fosse, por que Jeová repreenderia Elifaz e seus dois companheiros por terem mentido? (Jó 42:7) Sem dúvida, Elifaz estava sob influência demoníaca. Seus comentários refletiam um modo ímpio de pensar.
Que tipo de raciocínio se pode perceber nas declarações de Elifaz? Por que é importante se proteger contra pensamentos errados? E o que se pode fazer para rejeitá-los?
“Ele não tem fé nos seus servos”
Em seus três pronunciamentos, Elifaz passou a idéia de que Deus é tão exigente que nada que seus servos façam é suficiente para agradá-lo. “Ele não tem fé nos seus servos, e a seus anjos acusa de defeito”, Elifaz disse a Jó. (Jó 4:18, nota) Mais adiante, falou o seguinte sobre Deus: “[Ele] não confia nem nos seus santos, e os próprios céus não são realmente puros aos seus olhos.” (Jó 15:15) E perguntou: “É do agrado do Todo-poderoso que sejas justo?” (Jó 22:3) Bildade concordava com esse ponto de vista, pois disse: ‘Há mesmo a lua, e ela não é luminosa; e as próprias estrelas não se mostraram puras aos olhos de Deus.’ — Jó 25:5.
Devemos nos proteger contra a influência desse tipo de raciocínio. Ele pode nos fazer pensar que Deus exige demais de nós. Esse conceito prejudica nosso relacionamento com Jeová. Além disso, se cedêssemos a esse tipo de raciocínio, como reagiríamos em caso de necessária disciplina? Em vez de aceitá-la humildemente, talvez nosso coração ficasse “furioso com o próprio Jeová”, e até nos ressentíssemos dele. (Provérbios 19:3) Que desastre espiritual isso seria!
‘Pode um varão vigoroso ser útil para Deus?’
Outra idéia parecida com a de que Deus é exigente demais é a de que para ele os humanos são inúteis. No seu terceiro pronunciamento, Elifaz pergunta: “Pode um varão vigoroso ser de utilidade para o próprio Deus, que alguém com perspicácia lhe seja útil?” (Jó 22:2) Elifaz insinuava que o ser humano é inútil para Deus. Numa linha de raciocínio similar, Bildade perguntou: “Como pode o homem mortal ter razão diante de Deus, ou como pode ser puro aquele que nasceu de mulher?” (Jó 25:4) Segundo esse raciocínio, como Jó, um simples mortal, poderia sequer presumir ter uma posição justa perante Deus?
Muitos hoje sofrem de pensamentos negativos sobre si mesmos. O modo como a pessoa foi criada, as pressões da vida ou ter sido vítima de ódio racial ou étnico podem ter contribuído para isso. Mas Satanás e seus demônios gostam também de arrasar as pessoas. A pessoa que for influenciada por eles a crer que nada do que ela faz é suficientemente bom para o Deus todo-poderoso fica mais vulnerável ao desânimo. Com o tempo, ela talvez se afaste, ou até mesmo abandone, o Deus vivo. — Hebreus 2:1; 3:12.
A idade avançada e problemas de saúde podem impor-nos limitações. Nossa participação no serviço do Reino pode parecer bem pequena em comparação com a que tínhamos quando éramos mais jovens, mais sadios e mais fortes. É vital reconhecer que Satanás e seus demônios querem nos levar a crer que o que fazemos não é suficientemente bom para Deus! Temos de resistir a essa idéia.
Como repelir pensamentos negativos
Apesar do sofrimento que lhe foi causado por Satanás, o Diabo, Jó disse: “Até eu expirar não removerei de mim a minha integridade!” (Jó 27:5) Por amor a Deus, Jó estava decidido a ser íntegro independentemente do que acontecesse, e nada mudaria essa decisão. Essa é a chave para resistir a pensamentos negativos. Temos de entender bem o amor de Deus e cultivar apreço sincero por isso. É preciso também aprofundar nosso amor a ele. Isso se consegue por estudar regularmente a Palavra de Deus e meditar, com oração, no que aprendemos.
Por exemplo, João 3:16 diz: “Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito.” Jeová ama profundamente o mundo da humanidade, e seus tratos com os humanos ao longo do tempo comprovam isso. Meditar em exemplos do passado aumenta nosso apreço por Jeová e aprofunda nosso amor a ele, ajudando-nos assim a resistir a pensamentos errados ou negativos.
Veja como Jeová tratou com Abraão pouco antes da destruição de Sodoma e Gomorra. Abraão indagou oito vezes a Jeová a respeito de Seu julgamento. Em nenhum momento Jeová mostrou irritação ou frustração. Ao contrário, suas respostas convenceram e consolaram Abraão. (Gênesis 18:22-33) Depois, quando Deus salvou Ló e sua família de Sodoma, Ló pediu para fugir para uma cidade vizinha, em vez de para os montes. Jeová respondeu: “Também neste ponto tenho deveras consideração para contigo, não subvertendo a cidade de que falaste.” (Gênesis 19:18-22) Será que esses relatos retratam Jeová como ditador exigente, desamoroso e autoritário? Não. Eles mostram o que ele realmente é — um Soberano amoroso, bondoso, misericordioso e compreensivo.
Refutando a idéia de um Deus crítico, impossível de agradar, temos os exemplos de Arão, Davi e Manassés, do Israel antigo. Arão cometeu três erros graves. Fez o bezerro de ouro, apoiou sua irmã Miriã na crítica a Moisés, e não santificou e honrou a Deus em Meribá. Não obstante, Jeová viu boas qualidades nele e permitiu que continuasse no cargo de

Jó 27:5, 6 — Jó não permitiu que seus três companheiros o fizessem pensar que ele tinha sido desleal a Deus. (w09 15/8 4 § 8; w06 15/3 15 § 9)


Jó 27:5, 6 Tradução do Novo Mundo
5 Eu nunca os declararia justos!
Até eu morrer não renunciarei à minha integridade!
6 Insistirei na minha retidão e nunca a deixarei;
Enquanto eu viver, meu coração não me condenará.
Vida eterna na Terra — uma esperança que Deus nos oferece
8, 9. Por que o livro de Jó não é um simples relato sobre as provações de um único homem?
8 No período entre os dias de José (bisneto de Abraão) e os dias do profeta Moisés, viveu um homem chamado Jó. O livro bíblico de Jó, provavelmente escrito por Moisés, explica por que Jeová permitiu que Jó sofresse e o que por fim lhe aconteceu. No entanto, esse livro não é um simples relato das provações que Jó enfrentou; focaliza questões de importância universal. O livro lança luz sobre como Jeová exerce a sua soberania com justiça. Revela também que a questão levantada no Éden envolve a integridade e a perspectiva de vida de todos os servos terrestres de Deus. Embora Jó não tenha entendido essa questão, ele não permitiu que seus três companheiros o levassem a pensar que ele tinha falhado em manter a integridade. (Jó 27:5) Isso deve fortalecer a nossa fé e nos ajudar a entender que podemos manter a integridade e defender a soberania de Jeová.
Destaques do livro de Jó
27:5. Apenas Jó poderia remover sua integridade, porque ela depende do amor que a pessoa tem por Deus. Devemos, portanto, desenvolver um forte amor por Jeová.

ENCONTRE JOIAS ESPIRITUAIS: (8 MIN)


Jó 24:2 — Por que mudar um ‘marco divisório’ de lugar era um erro grave? (it-2 767)

Jó 24:2 Tradução do Novo Mundo
2 Há homens que mudam de lugar os marcos divisórios;
Apoderam-se de rebanhos e os levam aos seus pastos.
Marco divisório
Quando os israelitas ocuparam Canaã, cada família recebeu um lote de terra, e essas propriedades eram demarcadas por divisas, ou marcos divisórios. Estes não são descritos na Bíblia, mas podem ter sido postes, pedras ou mesmo sulcos no solo. A palavra hebraica para “marco divisório” (gevúl) é a mesma que a para “termo” e “território”. (Gên 10:19; 47:21) Pelo menos alguns marcos divisórios na Palestina tinham inscrições identificadoras. Inscrições aprimoradas deveras aparecem em algumas divisas, ou marcos divisórios, no Egito e na Mesopotâmia. Por exemplo, descobriu-se em Nipur um marco divisório inscrito de Nabucodonosor I.
A lei de Jeová proibia recuar marcos divisórios. (De 19:14; veja também Pr 22:28.) Na realidade, quem recuasse “o marco divisório de seu próximo” era maldito. (De 27:17) Visto que os donos de terras geralmente dependiam das safras produzidas pelos seus terrenos, recuar o marco divisório significaria privar o próximo de parte dos seus meios de subsistência. Isto equivalia a furto e era assim encarado nos tempos antigos. (Jó 24:2) Mas, havia pessoas inescrupulosas que eram culpadas de tais abusos, e príncipes de Judá, no tempo de Oséias, foram comparados aos que recuavam um marco divisório. — Os 5:10.
Jeová tem consideração com as viúvas e os órfãos de pai. Neste respeito, diz-se que ele derrubará a casa dos que se enaltecem, “mas ele fixará o termo da viúva”. (Pr 15:25) Também, Provérbios 23:10, 11, declara: “Não recues o termo existente há muito tempo e não entres no campo de meninos órfãos de pai. Porque o Redentor deles é forte; ele mesmo pleiteará contigo a causa deles.”
[Foto na página 767]
Marco divisório de Susa, com símbolos de deuses babilônios.

Jó 26:7 — Por que a descrição que Jó fez da Terra é impressionante? (w15 1/6 5 § 4; w11 1/7 26 §§ 2-5)


Jó 26:7 Tradução do Novo Mundo
7 Ele estende os céus do norte sobre o vazio,
Suspende a terra sobre o nada;
O impacto da ciência em sua vida
o A Bíblia descreve a Terra como suspensa “sobre o nada”. (Jó 26:7) Ela não diz que nosso planeta está nos ombros de um gigante ou nas costas de elefantes em cima de uma tartaruga, como alguns mitos populares dos tempos antigos diziam. Em vez disso, a Bíblia deixou o assunto em aberto para que a ciência descobrisse mais. Séculos depois, Nicolau Copérnico e Johannes Kepler afirmaram que os planetas se moviam ao redor do Sol por meio de uma força invisível. Isaac Newton mais tarde demonstrou como a gravidade controlava o movimento de todos os objetos no espaço.
Quem criou as leis que governam o Universo?
Para Aristóteles, o Universo era compacto. Ele achava que a Terra e sua atmosfera se compunham de quatro elementos — terra, água, ar e fogo. O restante do Universo estava repleto de esferas cristalinas, todas compostas de uma substância eterna que ele chamou de éter. Os corpos celestes estavam fixos nessas esferas invisíveis. A ideia de Aristóteles agradava a maioria dos homens da ciência porque parecia concordar com um conceito básico da época: qualquer objeto precisa estar sobre algo ou fixo em algo, senão cai.
E o que a Bíblia diz? Ela registra as palavras de um homem fiel chamado Jó, que disse o seguinte sobre Jeová: “Ele . . . suspende a terra sobre o nada.” (Jó 26:7) Com certeza, para Aristóteles essa ideia pareceria absurda.
No século 17 EC, uns 3 mil anos depois dos dias de Jó, a teoria científica prevalecente defendia que o Universo estava cheio, não de esferas cristalinas, mas de um tipo de fluido. No entanto, mais tarde naquele mesmo século, o físico Sir Isaac Newton propôs uma ideia completamente diferente. Ele disse que a gravidade causava uma atração entre os corpos celestes. Newton chegou um passo mais perto de entender que a Terra e os outros corpos celestes realmente estão suspensos no espaço vazio, o que aos olhos dos humanos pareceria “o nada”.
A teoria de Newton sobre a gravidade enfrentou bastante oposição. Para muitos homens com mentalidade científica era difícil imaginar que não havia algo palpável mantendo as estrelas e os outros corpos celestes no lugar. Como poderia a nossa Terra maciça e os outros corpos celestes simplesmente estarem suspensos no espaço? Para alguns, essa ideia era sobrenatural. Desde a época de Aristóteles, a maioria dos homens da ciência acreditava que o espaço precisa estar preenchido com alguma coisa.

O que a leitura da semana me ensinou sobre Jeová?


Que pontos da leitura posso usar no ministério?


JÓ 21-27 | SUGESTÕES PARA SEUS COMENTÁRIOS PESSOAIS

(JÓ 22:2)
““Pode um varão vigoroso ser de utilidade para o próprio Deus, Que alguém com perspicácia lhe seja útil?”

*** w05 15/9 p. 27 Rejeite pensamentos errados! ***
‘Pode um varão vigoroso ser útil para Deus?’
Outra idéia parecida com a de que Deus é exigente demais é a de que para ele os humanos são inúteis. No seu terceiro pronunciamento, Elifaz pergunta: “Pode um varão vigoroso ser de utilidade para o próprio Deus, que alguém com perspicácia lhe seja útil?” (Jó 22:2) Elifaz insinuava que o ser humano é inútil para Deus. Numa linha de raciocínio similar, Bildade perguntou: “Como pode o homem mortal ter razão diante de Deus, ou como pode ser puro aquele que nasceu de mulher?” (Jó 25:4) Segundo esse raciocínio, como Jó, um simples mortal, poderia sequer presumir ter uma posição justa perante Deus?
Muitos hoje sofrem de pensamentos negativos sobre si mesmos. O modo como a pessoa foi criada, as pressões da vida ou ter sido vítima de ódio racial ou étnico podem ter contribuído para isso. Mas Satanás e seus demônios gostam também de arrasar as pessoas. A pessoa que for influenciada por eles a crer que nada do que ela faz é suficientemente bom para o Deus todo-poderoso fica mais vulnerável ao desânimo. Com o tempo, ela talvez se afaste, ou até mesmo abandone, o Deus vivo. — Hebreus 2:1; 3:12.
A idade avançada e problemas de saúde podem impor-nos limitações. Nossa participação no serviço do Reino pode parecer bem pequena em comparação com a que tínhamos quando éramos mais jovens, mais sadios e mais fortes. É vital reconhecer que Satanás e seus demônios querem nos levar a crer que o que fazemos não é suficientemente bom para Deus! Temos de resistir a essa idéia.

*** w95 15/2 p. 27 Uma lição sobre como lidar com problemas ***
Os três companheiros de Jó o desanimaram ainda mais por expressar idéias pessoais, em vez de sabedoria divina. Elifaz chegou a dizer que ‘Deus não tem fé nos seus servos’ e que na verdade não fazia diferença para Ele se Jó era justo ou não. (Jó 4:18; 22:2, 3) É difícil imaginar um comentário mais desanimador — ou mais inveraz — do que esse. Não é de admirar que depois Jeová censurasse a Elifaz e seus companheiros por essa blasfêmia. “Não falastes a verdade a meu respeito”, disse ele. (Jó 42:7)

(JÓ 22:3)
“É do agrado do Todo-poderoso que sejas justo, Ou tem ele lucro em que faças teu caminho ser imaculado?”

*** w05 15/9 p. 26 Rejeite pensamentos errados! ***
E perguntou: “É do agrado do Todo-poderoso que sejas justo?” (Jó 22:3) Bildade concordava com esse ponto de vista, pois disse: ‘Há mesmo a lua, e ela não é luminosa; e as próprias estrelas não se mostraram puras aos olhos de Deus.’ — Jó 25:5.
Devemos nos proteger contra a influência desse tipo de raciocínio. Ele pode nos fazer pensar que Deus exige demais de nós. Esse conceito prejudica nosso relacionamento com Jeová. Além disso, se cedêssemos a esse tipo de raciocínio, como reagiríamos em caso de necessária disciplina? Em vez de aceitá-la humildemente, talvez nosso coração ficasse “furioso com o próprio Jeová”, e até nos ressentíssemos dele. (Provérbios 19:3) Que desastre espiritual isso seria!

*** w95 15/2 p. 27 Uma lição sobre como lidar com problemas ***
Os três companheiros de Jó o desanimaram ainda mais por expressar idéias pessoais, em vez de sabedoria divina. Elifaz chegou a dizer que ‘Deus não tem fé nos seus servos’ e que na verdade não fazia diferença para Ele se Jó era justo ou não. (Jó 4:18; 22:2, 3) É difícil imaginar um comentário mais desanimador — ou mais inveraz — do que esse. Não é de admirar que depois Jeová censurasse a Elifaz e seus companheiros por essa blasfêmia. “Não falastes a verdade a meu respeito”, disse ele. (Jó 42:7)

(JÓ 24:2)
“Há os que recuam os marcos divisórios; Arrebataram uma grei, a fim de [a] apascentarem.”

*** it-2 p. 767 Marco divisório ***
A lei de Jeová proibia recuar marcos divisórios. (De 19:14; veja também Pr 22:28.) Na realidade, quem recuasse “o marco divisório de seu próximo” era maldito. (De 27:17) Visto que os donos de terras geralmente dependiam das safras produzidas pelos seus terrenos, recuar o marco divisório significaria privar o próximo de parte dos seus meios de subsistência. Isto equivalia a furto e era assim encarado nos tempos antigos. (Jó 24:2)

(JÓ 26:6)
“O Seol está nu diante dele, E [o lugar de] destruição não tem cobertura.”

*** it-1 p. 10 Abadon ***
No hebraico, a palavra ʼavad•dóhn significa “destruição” e pode também referir-se ao “lugar de destruição”. Aparece no texto hebraico original no total de cinco vezes, e em quatro das ocorrências é usada em paralelo com “sepultura”, “Seol” e “morte”. (Sal 88:11; Jó 26:6; 28:22; Pr 15:11) A palavra ʼavad•dóhn, nestes textos, evidentemente refere-se aos processos destrutivos que resultam da morte humana, e estes textos indicam que a decomposição ou destruição ocorre no Seol, a sepultura comum da humanidade.

*** it-1 p. 687 Destruição ***
Será que todos os destruídos por Deus no passado permanecerão mortos para sempre?
A Bíblia indica que nem toda destruição é eterna. Isto é demonstrado pelo fato de que a palavra hebraica ʼavad•dhón (destruição) é usada duas vezes em paralelo com “Seol”. (Jó 26:6; Pr 15:11) O profeta Sofonias falou da destruição da Assíria, ao passo que Ezequiel disse que os assírios desceriam ao Seol. (Sof 2:13; Ez 32:21, 22) Moisés, ao falar da destruição dos rebeldes Datã e Abirão, escreveu que desceram “vivos ao Seol”. (Núm 16:31, 33) Visto que Seol, na Bíblia, denota a sepultura comum da humanidade, da qual haverá uma ressurreição, é evidente que nem toda a destruição — nem mesmo toda a destruição às mãos de Deus — necessariamente é eterna.

(JÓ 26:7)
“Ele estende o norte sobre o vazio, Suspende a terra sobre o nada;”

*** w11 1/7 pp. 26-27 Quem criou as leis que governam o Universo? ***
2. O que mantém os corpos celestes no lugar?
Para Aristóteles, o Universo era compacto. Ele achava que a Terra e sua atmosfera se compunham de quatro elementos — terra, água, ar e fogo. O restante do Universo estava repleto de esferas cristalinas, todas compostas de uma substância eterna que ele chamou de éter. Os corpos celestes estavam fixos nessas esferas invisíveis. A ideia de Aristóteles agradava a maioria dos homens da ciência porque parecia concordar com um conceito básico da época: qualquer objeto precisa estar sobre algo ou fixo em algo, senão cai.
E o que a Bíblia diz? Ela registra as palavras de um homem fiel chamado Jó, que disse o seguinte sobre Jeová: “Ele . . . suspende a terra sobre o nada.” (Jó 26:7) Com certeza, para Aristóteles essa ideia pareceria absurda.
No século 17 EC, uns 3 mil anos depois dos dias de Jó, a teoria científica prevalecente defendia que o Universo estava cheio, não de esferas cristalinas, mas de um tipo de fluido. No entanto, mais tarde naquele mesmo século, o físico Sir Isaac Newton propôs uma ideia completamente diferente. Ele disse que a gravidade causava uma atração entre os corpos celestes. Newton chegou um passo mais perto de entender que a Terra e os outros corpos celestes realmente estão suspensos no espaço vazio, o que aos olhos dos humanos pareceria “o nada”.
A teoria de Newton sobre a gravidade enfrentou bastante oposição. Para muitos homens com mentalidade científica era difícil imaginar que não havia algo palpável mantendo as estrelas e os outros corpos celestes no lugar. Como poderia a nossa Terra maciça e os outros corpos celestes simplesmente estarem suspensos no espaço? Para alguns, essa ideia era sobrenatural. Desde a época de Aristóteles, a maioria dos homens da ciência acreditava que o espaço precisa estar preenchido com alguma coisa.
É claro que Jó desconhecia os meios invisíveis que permitem que a Terra se mantenha numa órbita constante em volta do Sol. Então, o que o levou a dizer que o nosso planeta está suspenso “sobre o nada”?

*** ba pp. 19-20 Harmoniza-se esse livro com a ciência? ***
O que sustenta a Terra?
Na antiguidade, outras perguntas a respeito do cosmos aturdiam os homens: Sobre o que a Terra repousa? O que sustenta o Sol, a Lua e as estrelas? Eles desconheciam a lei da gravitação universal, formulada por Isaac Newton e publicada em 1687. A idéia de que os corpos celestes estão, na realidade, suspensos sobre o nada no espaço vazio lhes era desconhecida. Assim, muitas de suas explicações diziam que objetos ou substâncias tangíveis mantinham suspensos a Terra e outros corpos celestes.
Por exemplo, uma teoria antiga, talvez criada por habitantes de uma ilha, dizia que a Terra estava cercada de água e flutuava nela. Os hindus imaginavam uma Terra com várias sustentações, uma em cima da outra. Ela repousava sobre quatro elefantes, os elefantes sobre uma enorme tartaruga, a tartaruga sobre uma imensa serpente e a serpente enrolada flutuava em águas universais. Empédocles, filósofo grego do quinto século AEC, cria que a Terra repousava sobre um redemoinho de vento, sendo este a causa do movimento dos corpos celestes.
Entre os conceitos mais influentes estavam os de Aristóteles. Embora teorizasse que a Terra é uma esfera, ele negava que pudesse estar suspensa no espaço vazio. Em seu tratado Sobre o Céu, ao refutar a idéia de que a Terra repousa sobre água, ele disse: “Não é característico da água, tampouco do solo, permanecer em pleno ar: eles precisam ter algo sobre o que repousar.”4 Sobre o que, então, “repousa” a Terra? Aristóteles ensinou que o Sol, a Lua e as estrelas estavam fixos à superfície de esferas sólidas e transparentes. Uma esfera aninhava-se dentro de outra, com a Terra — imobilizada — no centro. À medida que as esferas giravam uma dentro da outra, os objetos nelas contidos — o Sol, a Lua e os planetas — percorriam o céu.
A explicação de Aristóteles parecia lógica. Se os corpos celestes não estivessem firmemente presos a algo, como poderiam flutuar no espaço? Os conceitos do reverenciado Aristóteles foram aceitos como fatos por cerca de 2.000 anos. Segundo a The New Encyclopædia Britannica, nos séculos 16 e 17 seus ensinamentos “elevaram-se à condição de dogma religioso” aos olhos da Igreja.5
Com a invenção do telescópio, os astrônomos passaram a questionar a teoria de Aristóteles. Ainda assim, a resposta lhes fugia, até que Sir Isaac Newton explicou que os planetas estão suspensos no espaço vazio, mantidos em suas órbitas por uma força invisível: a gravidade. Parecia inacreditável, e alguns colegas de Newton acharam difícil crer que o espaço pudesse ser um vazio, largamente desprovido de alguma substância.6
O que diz a Bíblia sobre essa questão? Uns 3.500 anos atrás, ela disse, com extraordinária clareza, que a Terra está suspensa “sobre o nada”. (Jó 26:7) No hebraico original, a palavra para “nada” (beli-máh) usada aqui literalmente significa “sem nada”.7 A tradução do Pontifício Instituto Bíblico usa a expressão “suspensa no vácuo”.
Um planeta suspenso no “vácuo” não era de forma alguma o que a maioria das pessoas naqueles dias concebia a respeito da Terra. Todavia, bem adiante de seu tempo, o escritor bíblico registrou uma declaração cientificamente correta.

*** kl cap. 2 p. 17 par. 14 O livro que revela o conhecimento de Deus ***
Ademais, Jó 26:7 — escrito mais de 3.000 anos atrás — diz que Deus “suspende a terra sobre o nada”. Disse certo erudito bíblico: “Como é que Jó sabia da verdade, demonstrada pela astronomia, de que a Terra paira no espaço vazio sem sustentação visível, é uma questão não facilmente solucionada por aqueles que negam a inspiração da Escritura Sagrada.”

*** pr seção 3 pp. 11-12 pars. 9-12 Fonte única de sabedoria superior ***
9 Como a Terra é sustentada no espaço. Na antiguidade, quando se escreveu a Bíblia, havia muita especulação sobre como a Terra era sustentada no espaço. Alguns acreditavam que ela era sustentada por quatro elefantes em pé sobre uma grande tartaruga-do-mar. Aristóteles, filósofo e cientista grego do quarto século AEC, ensinava que a Terra jamais poderia estar suspensa no espaço vazio. Antes, ele ensinava que os corpos celestes se achavam fixados na superfície de esferas sólidas, transparentes, cada uma encaixada dentro da outra. A Terra supostamente se achava na esfera mais interna, e a esfera mais externa sustentava as estrelas.
10 A Bíblia, porém, em vez de refletir os conceitos fantasiosos, anticientíficos, prevalecentes na época em que foi escrita, simplesmente declarara (por volta do ano 1473 AEC): “[Deus] suspende a terra sobre o nada.” (Jó 26:7) No hebraico original, a palavra para “nada” usada aqui significa “nenhuma coisa”, e essa é a única vez em que ela ocorre na Bíblia. O quadro que ela apresenta, da Terra cercada por espaço vazio, é reconhecido pelos eruditos como uma notável visão para a sua época. O Theological Wordbook of the Old Testament (Glossário Teológico do Antigo Testamento) diz: “Jó 26:7 apresenta de forma notável o mundo então conhecido como suspenso no espaço, desse modo antecipando essa futura descoberta científica.”
11 Essa declaração exata da Bíblia foi feita mais de 1.100 anos antes de Aristóteles. No entanto, o conceito de Aristóteles continuou a ser ensinado como fato por mais uns 2 mil anos após a sua morte! Por fim, em 1687, Sir Isaac Newton publicou suas descobertas de que a Terra era sustentada no espaço em relação a outros objetos celestes por atração mútua, isto é, pela gravitação. Mas isso foi cerca de 3.200 anos depois de a Bíblia declarar de forma clara que a Terra estava suspensa “sobre o nada”.
12 Sim, foi há quase 3.500 anos que a Bíblia observou corretamente que a Terra não tem apoio visível, fato que está em harmonia com as mais recentemente compreendidas leis da gravitação e do movimento. “Como é que Jó sabia da verdade”, disse outro erudito, “é uma questão não facilmente solucionada por aqueles que negam a inspiração da Escritura Sagrada”.

*** si p. 95 par. 3 Livro bíblico número 18 — Jó ***
Prova poderosa da inspiração do livro é sua surpreendente harmonia com os fatos provados das ciências. Como se poderia saber que Jeová “suspende a terra sobre o nada”, quando os antigos tinham os conceitos mais fantásticos sobre como a terra era sustentada? (Jó 26:7) Um conceito que se tinha na antiguidade era que a terra se apoiava em elefantes que estavam em pé sobre uma grande tartaruga-marinha. Por que não reflete o livro de Jó tal tolice? Obviamente porque Jeová, o Criador, forneceu a verdade mediante inspiração.

*** gm cap. 8 p. 99 A ciência: refuta ela a Bíblia? ***
Nosso Planeta Terra
2 Tome, por exemplo, o que a Bíblia diz sobre o nosso planeta, a Terra. No livro de Jó lemos: “[Deus] estende o norte sobre o vazio, suspende a terra sobre o nada.” (Jó 26:7) Compare isso com a declaração de Isaías, que diz: “Há Um que mora acima do círculo da terra.” (Isaías 40:22) O quadro apresentado, de uma Terra redonda, ‘suspensa sobre o nada’, no “vazio”, lembra-nos fortemente as fotografias do globo terrestre suspenso no espaço, tiradas por astronautas.

*** it-1 p. 86 Alicerce ***
Embora a terra esteja suspensa sobre o nada, ela possui, por assim dizer, alicerces duráveis que não serão abalados, pois as leis imutáveis que governam o universo a sustentam firmemente em seu lugar, e o propósito de Deus para com a terra permanece imutável. (Jó 26:7; 38:33; Sal 104:5; Mal 3:6)

(JÓ 26:8)
“Embrulha as águas nas suas nuvens, Para que a massa de nuvens não se parta debaixo delas;”

*** w93 15/6 pp. 9-10 par. 7 A criação diz: “eles são inescusáveis” ***
As nuvens flutuam enquanto são como névoa: “Prende as águas nas suas nuvens — as névoas não se partem sob o seu peso.” Ou conforme diz outra tradução: “Prende as águas nas suas nuvens, e as nuvens não se rasgam sob o seu peso.” — Jó 26:8, The New English Bible; Missionários Capuchinhos.

(JÓ 26:14)
“Eis que estas são as beiradas dos seus caminhos, E que sussurro sobre o assunto se tem ouvido dele! Mas quem pode mostrar ter entendimento do seu poderoso trovão?””

*** it-1 p. 815 Entendimento ***
Aquilo que os homens podem compreender do seu estudo da criação material apenas se aproxima ‘das beiradas dos caminhos de Deus’, e é apenas um “sussurro” em comparação com um “poderoso trovão”. Isto se aplica ainda mais às obras de julgamento e de salvação de Deus, visto que seus pensamentos são profundos demais para pessoas ímpias compreenderem. (Jó 26:7-14; Sal 92:5, 6)

(JÓ 27:5)
“É inconcebível da minha parte declarar-vos justos! Até eu expirar não removerei de mim a minha integridade!”

*** w09 15/8 p. 4 par. 8 Vida eterna na Terra — uma esperança que Deus nos oferece ***
Embora Jó não tenha entendido essa questão, ele não permitiu que seus três companheiros o levassem a pensar que ele tinha falhado em manter a integridade. (Jó 27:5) Isso deve fortalecer a nossa fé e nos ajudar a entender que podemos manter a integridade e defender a soberania de Jeová.

*** w06 15/3 p. 15 Destaques do livro de Jó ***
27:5. Apenas Jó poderia remover sua integridade, porque ela depende do amor que a pessoa tem por Deus. Devemos, portanto, desenvolver um forte amor por Jeová.

*** w02 15/8 p. 28 Você manteria a integridade? ***
Em vez disso, Jó insistiu: “Até eu expirar não removerei de mim a minha integridade!” (Jó 27:5) Ele não disse, ‘eu não vou permitir que vocês removam a minha integridade’. Jó sabia que sua integridade dependia dele e de seu amor a Jeová.

*** w94 15/11 p. 16 par. 4 A recompensa de Jó é motivo de esperança ***
4 Tendo certeza da sua inocência, Jó declarou: “Até eu expirar não removerei de mim a minha integridade!” (Jó 27:5) Contrário às acusações falsas lançadas contra ele, não fizera nada para merecer aquilo que lhe sobreviera. Jó sabia que Jeová não ouve as orações de apóstatas, mas recompensa os mantenedores da integridade. Isto deve lembrar-nos que em breve a tormenta do Armagedom arrancará os iníquos do seu lugar de poder e que eles não escaparão da severa mão de Deus. Até então, o povo de Jeová andará na sua integridade. — Jó 27:11-23.

*** it-2 p. 409 Integridade ***
Depois disso, atacado por uma dolorosa e consumidora doença, e submetido à tentativa de dissuasão por parte de sua própria esposa, bem como à desdenhosa crítica e censura de companheiros que deturpavam as normas e os propósitos de Deus (Jó 2:6-13; 22:1, 5-11), a reação de Jó foi que ele não negaria ter sido um homem de integridade. “Até eu expirar não removerei de mim a minha integridade! Agarrarei a minha justeza e não a largarei; meu coração não escarnecerá de mim por qualquer dos meus dias.” (Jó 27:5, 6)

*** it-2 p. 563 Jó, Livro de ***
Importância. O livro de Jó é essencial, em conjunto com Gênesis 3:1-6 e outros textos, para revelar a grande questão da justiça de Deus no exercício da Sua soberania, bem como no modo em que a integridade dos servos terrestres de Deus está envolvida nesta questão. Jó não entendia esta questão, mas, apesar disso, não permitiu que seus três companheiros o fizessem duvidar de que ele tinha sido homem de integridade. (Jó 27:5)

(JÓ 27:6)
“Agarrei a minha justeza e não a largarei; Meu coração não escarnecerá [de mim] por qualquer dos meus dias.”

*** lv cap. 2 p. 16 par. 5 Como ter uma boa consciência? ***
5 Diferentemente de Adão e Eva, muitos humanos imperfeitos escutam sua consciência. Por exemplo, o fiel Jó pôde dizer “agarrei a minha justeza e não a largarei; meu coração não escarnecerá de mim por qualquer dos meus dias”. (Jó 27:6) Jó fazia questão de ouvir sua consciência, permitindo que ela guiasse suas ações e decisões. Assim, ele podia dizer com orgulho que sua consciência não escarnecia dele, ou não o atormentava com sentimentos de vergonha e culpa.

(JÓ 27:23)
“Bater-se-ão palmas contra ele E assobiar-se-á contra ele do seu lugar.”

*** it-1 p. 270 Atitudes, posturas e gestos ***
Bater palmas podia ser apenas um gesto para atrair atenção, como em Josué 15:18. Na maioria das vezes, porém, era sinal de ira (Núm 24:10), de desprezo ou escárnio (Jó 27:23; La 2:15), de pesar (Ez 6:11), ou de animosidade, ao se alegrar com o mal que sobreveio a um rival, a um inimigo odiado ou a um opressor; às vezes era acompanhado por se bater com os pés no chão. — Ez 25:6; Na 3:19.

LEITURA DA BÍBLIA: JÓ 27:1-23 (4 MIN OU MENOS)


Jó 27:1-23 Tradução do Novo Mundo
27 Jó continuou seu discurso, dizendo:
2 “Tão certo como vive Deus, que me negou a justiça,
Assim como vive o Todo-Poderoso, que me deixou amargurado,
3 Enquanto o meu fôlego estiver em mim
E o espírito que procede de Deus estiver nas minhas narinas,
4 Meus lábios não falarão coisas injustas,
Nem minha língua murmurará mentiras!
5 Eu nunca os declararia justos!
Até eu morrer não renunciarei à minha integridade!
6 Insistirei na minha retidão e nunca a deixarei;
Enquanto eu viver, meu coração não me condenará.
7 Que o meu inimigo acabe como alguém mau,
E aqueles que me atacam, como os injustos.
8 Pois que esperança o ímpio tem quando é destruído,
Quando Deus lhe tira a vida?
9 Será que Deus ouvirá seu clamor,
Quando lhe sobrevier a aflição?
10 Ou será que ele terá prazer no Todo-Poderoso?
Invocará a Deus o tempo todo?
11 Eu os instruirei sobre o poder de Deus,
Não ocultarei nada sobre o Todo-Poderoso.
12 Ora, se todos vocês tiveram visões,
Por que suas palavras são completamente vazias?
13 Esta é a porção que Deus reserva àquele que é mau,
A herança que os tiranos recebem do Todo-Poderoso:
14 Se os seus filhos se tornarem muitos, eles cairão pela espada,
E os seus descendentes não terão alimento suficiente;
15 Os que restarem serão enterrados por causa da praga,
E as suas viúvas não chorarão por eles.
16 Mesmo que ele amontoe prata como se fosse pó
E acumule roupas finas como se fossem barro,
17 Mesmo que ele as ajunte,
O justo é quem as usará,
E o inocente repartirá a prata.
18 A casa que ele constrói é tão frágil como o casulo de uma traça,
Como um abrigo feito por um vigia.
19 Ele se deitará rico, mas não colherá nada;
Quando abrir os olhos, não haverá nada.
20 O terror o alcança como uma enxurrada;
À noite um vendaval o leva embora.
21 O vento leste o levará para longe, e ele desaparecerá;
Ele o varrerá do seu lugar.
22 Virá sobre ele sem compaixão,
Enquanto ele desesperadamente tenta escapar da sua força.
23 Bate palmas contra ele,
E, do lugar onde está, assobia para ele.

FAÇA SEU MELHOR NO MINISTÉRIO


Primeira visita: g16.2 capa — Deixe um assunto para considerar na revisita. (2 min ou menos)


Revisita: g16.2 capa — Deixe um assunto para considerar na próxima visita. (4 min ou menos)


Estudo bíblico: bh 145 §§ 3-4 (6 min ou menos)


A adoração que Deus aprova
3. De acordo com Jesus, o que temos de fazer para ter a aprovação de Deus?
3 É importante que adoremos a Jeová do modo que ele aprova. Muitos acham que todas as religiões agradam a Deus, mas a Bíblia não ensina isso. Também não basta apenas afirmar ser cristão. Jesus disse: “Nem todo o que me disser: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos céus, mas apenas aquele que fizer a vontade do meu Pai, que está nos céus.” Portanto, para termos a aprovação de Deus, temos de aprender o que ele exige de nós e pôr isso em prática. Jesus chamou os que não fazem a vontade de Deus de pessoas “que fazem o que é contra a lei”. (Mateus 7:21-23) Como dinheiro falso, a religião falsa não tem valor verdadeiro. Pior ainda, esse tipo de religião é realmente prejudicial.
4. O que significam as palavras de Jesus a respeito das duas estradas, e ao que cada uma delas conduz?
4 Jeová dá a todos na Terra a oportunidade de ganhar a vida eterna. Mas, a fim de viver para sempre no Paraíso, temos de adorar a Deus da maneira correta e viver agora de um modo aceitável a ele. É lamentável que muitos se recusem a fazer isso. Por isso, Jesus disse: “Entrem pelo portão estreito, porque largo é o portão e espaçosa é a estrada que conduz à destruição, e muitos entram por ele; ao passo que estreito é o portão e apertada a estrada que conduz à vida, e poucos a acham.” (Mateus 7:13, 14) A religião verdadeira conduz à vida eterna. A religião falsa leva à destruição. Jeová não deseja que nenhum humano seja destruído, motivo pelo qual ele está dando a pessoas em toda a parte a oportunidade de aprender a seu respeito. (2 Pedro 3:9) Realmente, pois, o modo como adoramos a Deus significará vida ou morte para nós.

NOSSA VIDA CRISTÃ


Como Enfrentar o Bullying sem Partir para a Briga: (15 min) Consideração.

Mostre o vídeo Como Enfrentar o Bullying sem Partir para a Briga. (Acesse jw.org, ENSINOS BÍBLICOS > ADOLESCENTES.) Depois considere com a assistência as seguintes perguntas: Por que alguns podem sofrer bullying? Quais são algumas consequências negativas do bullying? Como você pode enfrentar o bullying ou até evitá-lo? Se você sofrer bullying, para quem deve contar? Mencione que há mais informações sobre isso no livro Os Jovens Perguntam, Volume 2, capítulo 14.


Como posso me proteger na escola?
Capítulo 14
Como posso me proteger na escola?
Verdadeiro ou falso?
1. Um incidente só é classificado como intimidação quando há danos físicos.
□ Verdadeiro
□ Falso
2. Assédio sexual sempre inclui contato físico.
□ Verdadeiro
□ Falso
3. Mulheres também podem intimidar ou assediar outras pessoas.
□ Verdadeiro
□ Falso
4. Se você tem sido vítima de intimidação ou assédio sexual, não há nada que possa fazer.
□ Verdadeiro
□ Falso
O MEDO faz parte do dia a dia de milhões de jovens que são vítimas de intimidações na escola. “A viagem de 15 minutos, de ônibus, parecia durar horas, à medida que meus atormentadores passaram dos xingamentos para os maus-tratos físicos”, diz um jovem chamado Raul. Outros jovens são vítimas de assédio sexual. “Um rapaz muito popular me cercou no corredor e começou a me tocar de forma imprópria”, diz a jovem Anita. “Não adiantou pedir com jeito que ele tirasse as mãos de mim. Ele achou que eu não estava falando sério.”
Alguns jovens sofrem intimidações por parte de seus colegas de escola até pela internet. Você é vítima de maus-tratos na escola? Em caso afirmativo, o que pode fazer para lidar com essa situação difícil? Muita coisa! Mas primeiro vamos separar os mitos dos fatos, analisando as afirmações feitas no começo deste capítulo.
1. Falso. A maioria das pessoas que intimidam outras usam palavras, não a força física. Ameaças, insultos, zombarias e ridicularizações podem ser formas de intimidação.
2. Falso. Mesmo um “elogio” com insinuações sexuais, uma piada obscena ou um olhar insinuante podem ser considerados assédio sexual.
3. Verdadeiro. Tanto homens como mulheres podem intimidar ou assediar alguém.
4. Falso. Você pode tomar medidas para acabar com os maus-tratos. Vejamos como.
Acabe com as intimidações — sem usar a força física
Alguns agressores querem provocar você apenas para ver como você vai reagir. Mas a Bíblia dá o seguinte conselho sábio: “Não te precipites no teu espírito em ficar ofendido.” (Eclesiastes 7:9) A verdade é que ‘retribuir mal por mal’ pode ser como jogar combustível no fogo, causando mais problemas. (Romanos 12:17) Então, como você pode acabar com as intimidações sem usar a força física?
Não leve tão a sério. Se a provocação for apenas uma tentativa de dizer algo engraçado, procure levar isso na esportiva em vez de ficar ofendido. “Às vezes, é só não levar as provocações muito a sério”, diz um jovem chamado Eliú. Se a pessoa notar que as palavras dela tiveram pouco efeito, é provável que pare de provocá-lo.
Seja brando. A Bíblia diz: “Uma resposta, quando branda, faz recuar o furor.” (Provérbios 15:1) Uma resposta branda é o que o agressor menos espera e isso pode acalmar uma situação tensa. É verdade que manter a cabeça fria ao ser provocado exige autodomínio. Mas essa é sempre a melhor coisa a fazer. Provérbios 29:11 diz: “Todo o seu espírito é o que o estúpido deixa sair, mas aquele que é sábio o mantém calmo até o último.” A brandura é sinal de força. A pessoa branda não perde o equilíbrio com facilidade. Por outro lado, o agressor geralmente é inseguro, frustrado ou até mesmo desesperado. Não é para menos que a Bíblia diz: “Melhor é o vagaroso em irar-se do que o homem poderoso.” — Provérbios 16:32.
Proteja-se. Se a situação parecer fora de controle, você talvez precise encontrar uma ‘via de escape’. Provérbios 17:14 diz: “Retira-te antes de estourar a altercação.” Portanto, se achar que a situação está prestes a se tornar violenta, simplesmente saia ou corra. Se isso não for possível e houver violência, proteja-se como puder.
Relate o assunto. Seus pais têm o direito de saber o que está acontecendo. Eles também podem lhe dar conselhos práticos. Por exemplo, eles talvez aconselhem você a falar com um funcionário da escola, como um orientador educacional, sobre o assunto. Esteja certo de que seus pais e os funcionários da escola podem lidar com o assunto de forma discreta a fim de não envolvê-lo em mais problemas.
Em resumo: o agressor não vai vencer se você não entrar no jogo dele. Não aceite a provocação. Em vez disso, assuma o controle da situação, colocando em prática as sugestões que acabamos de considerar.
Como lidar com o assédio sexual
Se estiver sendo assediado sexualmente, é natural ficar com raiva. A pergunta é: O que fazer? Pode-se fazer muita coisa! Veja algumas sugestões.
Diga “não” com firmeza. Um “não” dito sem firmeza pode ser interpretado por seus agressores como um “sim” — ou pelo menos como um “talvez” —, a menos que você os convença do contrário. Então, que o seu “não” signifique “não”. (Mateus 5:37) Se você rir ou fizer charminho, mesmo que seja por se sentir constrangido, isso poderá transmitir uma mensagem errada à pessoa que o está assediando. Seja firme e direto. Essa é sua melhor defesa!
Faça um escândalo. A jovem Anita falou a respeito de seu agressor: “Tive de envergonhá-lo na frente de seus amigos dizendo em voz alta que ele NÃO me tocasse daquele jeito!” O resultado? “Todos os seus amigos riram dele. Ele ficou muito frio comigo por algum tempo, mas, alguns dias depois, pediu desculpas por seu comportamento e mais tarde até me defendeu quando alguém tentou me incomodar.”
Se palavras não funcionarem, saia do local. Melhor ainda, corra. E, caso não seja possível escapar, você tem o direito de se defender. (Deuteronômio 22:25-27) Uma jovem cristã diz: “Quando um rapaz tentou me agarrar, dei um soco nele com toda a minha força e saí correndo!”
Conte a alguém. “Foi o que acabei tendo de fazer”, admite Adriana, de 16 anos. “Pedi conselho a meus pais quando um rapaz, que eu pensava ser apenas um bom amigo, simplesmente não me deixava mais em paz. Quanto mais eu expressava meu desagrado, mais insistente ele ficava, quase como se fosse um jogo.” Os pais de Adriana lhe deram conselhos práticos que a ajudaram a lidar com o problema. Sem dúvida, seus pais também podem ajudar você.
Ter de lidar com intimidações ou assédio sexual não é fácil. Mas lembre-se sempre: os jovens cristãos não precisam ser vítimas indefesas de agressores, nem devem tolerar as investidas de alguém que os assedia ou se deixar envolver por elas. Por seguir os conselhos mencionados, você poderá lidar com esses desafios.
LEIA MAIS SOBRE ESTE ASSUNTO NO VOLUME 1, CAPÍTULO 18
NO PRÓXIMO CAPÍTULO
A pressão dos colegas é uma das influências mais fortes com a qual você tem de lidar. Aprenda a enfrentá-la com confiança.
TEXTO-CHAVE
“Se possível, no que depender de vós, sede pacíficos para com todos os homens.” — Romanos 12:18.
SUGESTÃO
Se você for alvo de intimidações, seja firme, mas não agressivo. Com firmeza, diga à pessoa que pare. Afaste-se com calma. Se as provocações continuarem, relate o assunto.
VOCÊ SABIA . . . ?
Usar roupas de certas marcas ou com as cores de alguma gangue pode tornar você um alvo de ataque. Um ex-membro de uma gangue diz: “Se alguém se vestisse como um de nós, sem ser um de nós, era mais provável que se tornasse um alvo. Ou ele se juntava à nossa gangue ou saía machucado.”
PLANO DE AÇÃO!
Se alguém tentar me insultar ou me provocar, eu vou ․․․․․
Para evitar problemas, eu vou ․․․․․
Eu gostaria de perguntar aos meus pais o seguinte sobre esse assunto: ․․․․․
COMO RESPONDERIA?
● Como você pode demonstrar mais confiança e calma, diminuindo assim a probabilidade de ser o alvo de intimidações?
● O que você pode fazer caso sofra assédio sexual? (Pense em que situações isso poderia acontecer e como poderia reagir.)
● Por que você deve levar a sério a questão do assédio sexual?
[Destaque na página 123]
“Se você ficar sabendo que vai ter briga, não se envolva e vá para casa. Alguns ficam por perto, e é aí que eles se metem em confusão.” — Jairo
[Quadro na página 125]
Como evitar o assédio sexual
Não flerte. Isso é um claro convite para o assédio. A Bíblia faz a seguinte pergunta: “Será que você pode carregar fogo no colo sem queimar a roupa?” (Provérbios 6:27, Bíblia na Linguagem de Hoje) A verdade é que flertar é brincar com fogo.
Cuidado com quem você se associa. As pessoas vão achar que você tem valores morais iguais aos dos seus amigos. Uma jovem chamada Carla diz: “Se andar com pessoas que aceitam os comentários ou gostam da atenção que recebem, você também será assediada.” — 1 Coríntios 15:33.
Tome cuidado com o modo de se vestir. Roupas imodestas são uma clara demonstração de que você está procurando chamar a atenção do sexo oposto. É isso que vai acontecer. — Gálatas 6:7.
Não esconda sua identidade cristã. Se esconder, ninguém vai ter motivos para esperar que você viva de acordo com os padrões cristãos. — Mateus 5:15, 16.
[Foto na página 124]
Irar-se com um agressor é como jogar combustível no fogo
[Foto na página 127]
Diga para o agressor sexual se afastar!

ESTUDO BÍBLICO DE CONGREGAÇÃO: IA CAP. 13 §§ 1-12 (30 MIN)


CAPÍTULO TREZE
Ele aprendeu de seus erros
parágrafo 4 2 Reis 14:25 Ele restabeleceu os limites do território de Israel, desde Lebo-Hamate até o mar do Arabá, segundo a palavra que Jeová, o Deus de Israel, havia falado por meio do seu servo Jonas, filho de Amitai e profeta de Gate-Héfer.
Ou: “a entrada de Hamate”.
Isto é, o mar Salgado, ou mar Morto.
parágrafo 4 2 Reis 14:24 Ele fazia o que era mau aos olhos de Jeová. Não se desviou de todos os pecados que Jeroboão, filho de Nebate, tinha levado Israel a cometer.
parágrafo 6 Jonas 1:2 “Vá agora a Nínive, a grande cidade, e profira uma sentença contra ela, pois tomei conhecimento da maldade deles.”
parágrafo 6 Naum 3:1 Ai da cidade de derramamento de sangue! Ela está repleta de falsidade e de roubo. Ela nunca fica sem presa.
parágrafo 6 Naum 3:7 Todos que virem você fugirão e dirão: ‘Nínive foi devastada! Quem terá compaixão dela?’ Onde encontrarei consoladores para você?
parágrafo 7 Jonas 1:3 Mas Jonas resolveu fugir de Jeová e ir para Társis; ele desceu a Jope e encontrou um navio que ia para Társis. Pagou então a passagem e embarcou, a fim de ir com os que estavam no navio para Társis, para longe de Jeová.
parágrafo 8 Sal. 51:5 Na verdade, já nasci culpado de erro, E minha mãe me concebeu em pecado.
Ou: “E sou pecador desde o momento em que minha mãe me concebeu”.
parágrafo 9 Mat. 24:14 E estas boas novas do Reino serão pregadas em toda a terra habitada, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim.
parágrafo 9 Mar. 10:27 Jesus olhou diretamente para eles e disse: “Para os homens é impossível, mas não é assim para Deus, pois para Deus todas as coisas são possíveis.”
parágrafo 11 Lev. 19:4 Não recorram a deuses que nada valem, nem façam para vocês deuses de metal fundido. Eu sou Jeová, seu Deus.
parágrafo 11 Jonas 1:4 Então Jeová lançou um forte vento sobre o mar, e houve uma tempestade tão violenta no mar que o navio estava prestes a naufragar.
parágrafo 12 Jonas 1:5-7 Os marinheiros ficaram com tanto medo que cada um começou a clamar ao seu deus por socorro. E começaram a jogar no mar os objetos que havia no navio, para deixá-lo mais leve. Mas Jonas tinha descido ao porão do navio, onde se deitou e dormiu profundamente. 6 O capitão do navio se aproximou dele e disse: “Por que você está dormindo? Levante-se, clame ao seu deus! Talvez o verdadeiro Deus mostre que se importa conosco, e não morreremos.” 7 Então disseram uns aos outros: “Venham, vamos lançar sortes para descobrir quem é o culpado por esta calamidade.” Assim lançaram sortes, e a sorte caiu para Jonas.
Ou: “navio com convés”.

Recapitulação da reunião e visão geral da próxima semana (3 min)


ESTUDO DE "A SENTINELA" | SEMANA DE 11-17 DE ABRIL DE 2016
Imite os amigos de Jeová


REFERÊNCIAS E TEXTOS BÍBLICOS PARA O ESTUDO


w16 fevereiro pp. 1-2 | A Sentinela (Estudo) (2016)
SEMANA DE 11-17 DE ABRIL DE 2016
13 Imite os amigos de Jeová


Esses artigos vão nos ajudar a ter uma forte amizade com Jeová Deus. O primeiro vai destacar o exemplo de Abraão. O segundo vai analisar os exemplos de Rute, Ezequias e Maria, mãe de Jesus.

“A amizade íntima com Jeová pertence aos que o temem.” — SAL. 25:14.

CÂNTICOS: 106, 118

COMO RESPONDERIA?

• O que podemos aprender da amizade de Rute com Deus?
• Por que podemos dizer que o rei Ezequias foi amigo de Jeová?
• Que qualidades ajudaram Maria a ser amiga de Jeová Deus?

Sal. 25:14 A amizade íntima com Jeová pertence aos que o temem, E ele lhes dá a conhecer o seu pacto.
parágrafo 1 2 Crô. 20:7 Ó nosso Deus, não expulsaste os habitantes desta terra de diante do teu povo Israel, e não a deste como propriedade permanente à descendência do teu amigo Abraão?
Lit.: “semente”.
parágrafo 1 Isa. 41:8 “Mas você, ó Israel, é meu servo; Você, ó Jacó, descendente do meu amigo Abraão, É você quem eu escolhi,
Lit.: “semente”.
parágrafo 1 Tia. 2:23 e cumpriu-se a passagem das Escrituras que diz: “Abraão depositou fé em Jeová, e isso lhe foi creditado como justiça”, e ele veio a ser chamado amigo de Jeová.
Veja Ap. A5.
Veja Ap. A5.
parágrafo 2 Sal. 25:14 A amizade íntima com Jeová pertence aos que o temem, E ele lhes dá a conhecer o seu pacto.
parágrafo 2 Heb. 12:1 Portanto, visto que estamos rodeados de uma nuvem tão grande de testemunhas, livremo-nos também de todo peso e do pecado que facilmente nos envolve, e corramos com perseverança a corrida apresentada a nós,
Ou: “enlaça”.
parágrafo 4 Rute 1:1-8 Nos dias em que os juízes administravam a justiça, houve uma fome no país. E um homem partiu de Belém, em Judá, para ir morar como estrangeiro nos campos de Moabe, ele com a esposa e os dois filhos. 2 O nome do homem era Elimeleque, o nome da sua esposa era Noemi, e os nomes dos seus dois filhos eram Malom e Quiliom. Eles eram efratitas de Belém de Judá. Chegaram aos campos de Moabe e ficaram morando lá. 3 Algum tempo depois morreu Elimeleque, marido de Noemi, e ficaram ela e os dois filhos. 4 Mais tarde, os homens se casaram com mulheres moabitas: uma se chamava Orpa e a outra se chamava Rute. Eles ficaram morando lá por cerca de dez anos. 5 Depois morreram também os dois filhos, Malom e Quiliom, e Noemi ficou sem os dois filhos e sem o marido. 6 Então ela e as suas noras partiram dos campos de Moabe, pois ela tinha ouvido falar em Moabe que Jeová havia voltado a atenção para seu povo, dando-lhes pão. 7 Ela deixou o lugar onde morava com as suas duas noras. Enquanto caminhavam pela estrada para voltar à terra de Judá, 8 Noemi disse às suas noras: “Voltem, cada uma à casa da sua mãe. Que Jeová lhes demonstre amor leal, assim como vocês fizeram aos seus maridos que morreram e a mim.
Ou: “governavam”.
Ou: “na região”.
Que significa “meu Deus é rei”.
Que significa “minha agradabilidade; minha doçura”.
Possivelmente derivado de uma palavra hebraica que significa “enfraquecer; adoecer”.
Que significa “aquele que falha; aquele que chega ao fim”.
Ou: “alimento”.
parágrafo 4 Rute 1:14 Elas choraram alto de novo, e depois Orpa beijou sua sogra e partiu. Mas Rute insistiu em ficar com ela.
parágrafo 5 Rute 1:9-15 Que Jeová permita que cada uma de vocês encontre segurança no lar de um marido.” Então as beijou, e elas começaram a chorar alto.10 E elas lhe diziam: “Não! Nós iremos com a senhora para o seu povo.” 11 Mas Noemi disse: “Voltem, minhas filhas. Por que vocês deveriam ir comigo? Será que ainda posso dar à luz filhos que se tornariam seus maridos? 12 Voltem, minhas filhas. Voltem, pois estou velha demais para me casar. Mesmo que eu tivesse esperança de encontrar um marido hoje à noite e pudesse ter filhos, 13 vocês ficariam esperando por eles até que crescessem? Ficariam sem se casar à espera deles? Não, minhas filhas. Estou muito amargurada de ver vocês nesta situação, pois a mão de Jeová se voltou contra mim.”14 Elas choraram alto de novo, e depois Orpa beijou sua sogra e partiu. Mas Rute insistiu em ficar com ela. 15 Assim, Noemi disse: “Veja, a sua cunhada voltou ao seu povo e aos seus deuses. Volte com a sua cunhada.”
Ou: “conceda a dádiva de”.
Lit.: “um lugar de descanso”.
Ou: “cunhada enviuvada”.
parágrafo 6 Rute 1:16 Mas Rute disse: “Não insista comigo para abandoná-la, para deixar de acompanhá-la; pois, aonde a senhora for, eu irei, e onde a senhora passar a noite, eu passarei a noite. Seu povo será o meu povo, e seu Deus será o meu Deus.
parágrafo 6 Rute 2:12 Que Jeová a recompense pelo que você tem feito e que haja para você um salário perfeito da parte de Jeová, o Deus de Israel, debaixo das asas de quem você veio buscar refúgio.”
Ou: “uma plena recompensa”.
parágrafo 6 Sal. 36:7 Como é precioso teu amor leal, ó Deus! Os filhos dos homens se refugiam Na sombra das tuas asas.
parágrafo 6 Sal. 91:1-4 Quem morar no lugar secreto do Altíssimo Encontrará abrigo na sombra do Todo-Poderoso. 2 Vou dizer a Jeová: “Tu és meu refúgio e minha fortaleza; Meu Deus, em quem confio.” 3 Pois ele livrará você da armadilha do passarinheiro, Da peste destrutiva. 4 Ele o cobrirá com as Suas plumas, E você se refugiará debaixo das Suas asas. A fidelidade dele será um escudo grande e um muro protetor.
Ou: “impedirá o acesso a você”.
Ou: “um baluarte”.
parágrafo 7 Jos. 24:15 Agora, se vocês não acham bom servir a Jeová, escolham hoje a quem servirão, se aos deuses a quem serviram os seus antepassados que estavam do outro lado do rio Eufrates, ou aos deuses dos amorreus em cuja terra vocês estão morando. Mas, quanto a mim e aos da minha casa, serviremos a Jeová.”
Lit.: “do Rio”.
parágrafo 8 2 Reis 16:2-4 Acaz tinha 20 anos de idade quando se tornou rei, e reinou por 16 anos em Jerusalém. Ele não fez o que era certo aos olhos de Jeová, seu Deus, como Davi, seu antepassado, tinha feito. 3 Em vez disso, ele andou no caminho dos reis de Israel e até mesmo queimou o seu próprio filho no fogo, imitando as práticas detestáveis das nações que Jeová tinha expulsado de diante dos israelitas. 4 Além disso, oferecia sacrifícios e fazia fumaça sacrificial nos altos sagrados, nas colinas e debaixo de toda árvore frondosa.
Lit.: “fez seu filho passar pelo fogo”.
parágrafo 8 2 Reis 16:10-17 O rei Acaz foi então a Damasco, ao encontro de Tiglate-Pileser, rei da Assíria. Quando viu o altar que havia em Damasco, o rei Acaz enviou a Urias, o sacerdote, um projeto do altar, que mostrava como ele era e como tinha sido feito. 11 Urias, o sacerdote, construiu o altar de acordo com todas as orientações que o rei Acaz tinha enviado de Damasco. Urias, o sacerdote, terminou de construir o altar antes de o rei Acaz voltar de Damasco. 12 Quando o rei voltou de Damasco e viu o altar, aproximou-se do altar e fez ofertas nele. 13 E ele fez fumegar no altar suas ofertas queimadas e suas ofertas de cereais; também derramou suas ofertas de bebida e aspergiu no altar o sangue dos seus sacrifícios de participação em comum. 14 Então ele pegou o altar de cobre que estava perante Jeová, na frente da casa, entre o seu próprio altar e a casa de Jeová, e o colocou no lado norte do seu próprio altar. 15 O rei Acaz ordenou a Urias, o sacerdote: “Faça fumegar no grande altar a oferta queimada da manhã e a oferta de cereais do anoitecer, também a oferta queimada do rei e a oferta de cereais dele, bem como as ofertas queimadas, as ofertas de cereais e as ofertas de bebida de todo o povo. Você também deve aspergir no altar todo o sangue das ofertas queimadas e todo o sangue dos outros sacrifícios. Quanto ao altar de cobre, vou decidir o que fazer com ele.” 16 E Urias, o sacerdote, fez tudo o que o rei Acaz tinha ordenado.17 Além disso, o rei Acaz cortou em pedaços os painéis laterais dos carrinhos e retirou deles as bacias; também tirou o Mar de cima dos touros de cobre que o sustentavam e o colocou num pavimento de pedra.
parágrafo 8 2 Crô. 28:1-3 Acaz tinha 20 anos de idade quando se tornou rei, e reinou por 16 anos em Jerusalém. Ele não fez o que era certo aos olhos de Jeová, como Davi, seu antepassado, tinha feito. 2 Em vez disso, ele andou no caminho dos reis de Israel e até mesmo fez estátuas de metal dos baalins. 3 Também fez fumaça sacrificial no vale do Filho de Hinom e queimou seus filhos no fogo, imitando as práticas detestáveis das nações que Jeová tinha expulsado de diante dos israelitas.
Ou: “estátuas fundidas”.
Veja o Glossário, “Geena”.
parágrafo 9 Pro. 19:3 É a tolice do homem que distorce o seu caminho, E o seu coração fica furioso com Jeová.
parágrafo 9 Eze. 18:2, 3 “O que significa este provérbio que vocês citam na terra de Israel: ‘Os pais comeram uvas azedas, mas foram os filhos que ficaram com o gosto azedo na boca’? 3 “‘Tão certo como eu vivo’, diz o Soberano Senhor Jeová, ‘vocês não citarão mais esse provérbio em Israel.
Lit.: “mas os dentes dos filhos ficaram embotados”.
parágrafo 10 Jó 34:10 Por isso escutem-me, homens de entendimento: O verdadeiro Deus jamais faria o que é mau, O Todo-Poderoso nunca faria o que é errado!
Lit.: “coração”.
parágrafo 10 Pro. 22:6 Eduque a criança no caminho em que ela deve andar; Mesmo quando ela envelhecer, não se desviará dele.
Ou: “o menino; o jovem”.
parágrafo 10 Col. 3:21 Pais, não irritem os seus filhos, para que eles não desanimem.
Ou: “não provoquem; não exasperem”.
Ou: “não fiquem desencorajados”.
parágrafo 10 Deu. 30:19 Tomo hoje os céus e a terra como testemunhas contra vocês de que pus diante de você a vida e a morte, a bênção e a maldição. Escolha a vida para continuar vivo, você e seus descendentes,
parágrafo 11 2 Reis 18:5, 6 Ezequias confiou em Jeová, o Deus de Israel; não houve ninguém igual a ele entre todos os reis de Judá, nem antes nem depois dele. 6 Ele se apegava a Jeová e não deixou de segui-lo. Ele continuou a guardar os mandamentos que Jeová tinha dado a Moisés.
parágrafo 11 2 Crô. 29:18-24 Depois compareceram perante o rei Ezequias e disseram: “Purificamos toda a casa de Jeová, o altar da oferta queimada e todos os seus utensílios, e a mesa dos pães da proposição e todos os seus utensílios. 19 E aprontamos e santificamos todos os utensílios que o rei Acaz removeu durante o seu reinado, quando agiu de modo infiel, e eles estão diante do altar de Jeová.” 20 Então o rei Ezequias se levantou cedo e reuniu os príncipes da cidade, e eles subiram à casa de Jeová. 21 Eles trouxeram sete novilhos, sete carneiros, sete cordeiros e sete bodes como oferta pelo pecado, em benefício do reino, do santuário e de Judá. Então ele disse aos sacerdotes, os descendentes de Arão, que os oferecessem no altar de Jeová. 22 Assim, abateram os novilhos, e os sacerdotes pegaram o sangue e o aspergiram no altar; depois abateram os carneiros e aspergiram o sangue no altar; e abateram os cordeiros e aspergiram o sangue no altar. 23 Depois trouxeram os bodes da oferta pelo pecado perante o rei e a congregação, e puseram as mãos sobre eles.24 Os sacerdotes os abateram e com o seu sangue fizeram no altar uma oferta pelo pecado, para fazer expiação por todo o Israel, porque o rei tinha dito que a oferta queimada e a oferta pelo pecado deviam ser feitas em benefício de todo o Israel.
Ou: “pães arrumados em pilhas”.
parágrafo 11 2 Crô. 31:1 Depois de tudo isso, todos os israelitas que estavam presentes foram às cidades de Judá e despedaçaram as colunas sagradas, derrubaram os postes sagrados e demoliram os altos sagrados e os altares em todo o Judá e Benjamim, também em Efraim e Manassés, até que tinham destruído tudo. Depois todos os israelitas voltaram para as suas cidades, cada um para a sua propriedade.
Veja o Glossário.
parágrafo 11 2 Crô. 32:7, 8 “Sejam corajosos e fortes. Não tenham medo nem fiquem apavorados por causa do rei da Assíria e de toda a multidão que está com ele, pois os que estão conosco são mais numerosos do que os que estão com ele. 8 Do lado dele está um braço de carne, mas do nosso lado está Jeová, nosso Deus, para nos ajudar e para travar as nossas batalhas.” E o povo foi fortalecido pelas palavras de Ezequias, rei de Judá.
Ou: “a força humana”.
parágrafo 11 2 Crô. 32:24-26 Naqueles dias Ezequias ficou doente e estava à beira da morte. Assim, ele orou a Jeová, que lhe respondeu e lhe deu um sinal. 25 Mas Ezequias não demonstrou apreço pelo bem que lhe foi feito, pois o seu coração ficou arrogante, resultando em indignação contra ele e contra Judá e Jerusalém. 26 Contudo, Ezequias humilhou-se e abandonou a arrogância do seu coração, ele e os habitantes de Jerusalém, e a indignação de Jeová não veio sobre eles nos dias de Ezequias.
Ou: “portento”.
parágrafo 12 2 Tim. 3:1-5 Mas saiba que nos últimos dias haverá tempos críticos, difíceis de suportar. 2 Pois os homens só amarão a si mesmos, amarão o dinheiro, serão presunçosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, desleais, 3 desnaturados, não estarão dispostos a acordos, serão caluniadores, sem autodomínio, ferozes, sem amor ao que é bom, 4 traidores, teimosos, cheios de orgulho, amarão os prazeres em vez de a Deus 5 e manterão uma aparência de devoção a Deus, mas rejeitarão o poder dessa devoção. Desses, afaste-se.
parágrafo 15 Gál. 5:22 Por outro lado, o fruto do espírito é: amor, alegria, paz, paciência, bondade, benignidade, fé,
Ou: “longanimidade”.
parágrafo 15 Efé. 2:8 Graças a essa bondade imerecida vocês foram salvos por meio da fé, e isso não se deve a vocês; na verdade, é dádiva de Deus.
parágrafo 16 Tia. 1:19 Tenham isto em mente, meus amados irmãos: todos devem ser prontos para ouvir, mas devem demorar para falar e demorar para ficar irados;
parágrafo 16 Luc. 2:16-19 E foram depressa e acharam Maria, bem como José, e o bebê deitado na manjedoura. 17 Quando viram isso, contaram o que lhes havia sido dito a respeito da criancinha. 18 E todos os que ouviram ficaram muito admirados com as coisas que os pastores lhes contaram. 19 Maria, porém, começou a guardar todas essas declarações, tirando conclusões no coração.
parágrafo 16 Luc. 2:49 Mas ele lhes disse: “Por que estavam procurando por mim? Não sabiam que eu devia estar na casa do meu Pai?”
parágrafo 16 Luc. 2:51 Então ele desceu com eles e voltou a Nazaré, e continuou a estar sujeito a eles. Também, sua mãe guardava cuidadosamente todas essas declarações no coração.
Ou: “continuou obediente”.
parágrafo 17 Luc. 1:46-55 Maria disse: “Minha alma magnifica a Jeová 47 e meu espírito não pode deixar de estar cheio de alegria por Deus, meu Salvador, 48 porque ele olhou para a condição humilde da sua escrava. Sim, de agora em diante todas as gerações me proclamarão feliz, 49 porque o Poderoso fez grandes ações por mim, e santo é o seu nome, 50 e de geração em geração sua misericórdia está sobre os que o temem. 51 Ele agiu poderosamente com o seu braço; dispersou os que têm planos arrogantes no coração. 52 Derrubou de tronos homens poderosos e enalteceu humildes;53 saciou plenamente de coisas boas os famintos e mandou embora, de mãos vazias, os que tinham riqueza. 54 Ele veio em socorro de Israel, seu servo, lembrando-se da sua misericórdia eterna 55 a favor de Abraão e da sua descendência, assim como tinha prometido aos nossos antepassados.”
Ou: “Todo o meu ser”. Veja o Glossário, “Alma”.
Veja Ap. A5.
Lit.: “semente”.
parágrafo 17 1 Sam. 2:1-10 Então Ana disse em oração: “Meu coração se alegra em Jeová; Em Jeová minha força aumenta. Minha boca se abre contra os meus inimigos, Pois me alegro nos teus atos de salvação. 2 Ninguém é santo como Jeová; Não há outro além de ti, E não há rocha igual ao nosso Deus. 3 Não continuem a falar de modo orgulhoso; Não saiam da sua boca palavras arrogantes, Porque Jeová é um Deus de conhecimento, E ele avalia corretamente as ações. 4 Os arcos dos fortes são quebrados, Mas os que tropeçam são fortalecidos. 5 Os que estavam saciados têm de trabalhar pelo pão, Mas os que estavam famintos não passam mais fome. A estéril deu à luz sete filhos, Mas aquela que tinha muitos filhos ficou desolada. 6 Jeová tira a vida e preserva a vida; Ele faz descer à Sepultura e dela faz subir. 7 Jeová faz empobrecer e faz enriquecer; Ele rebaixa, e ele exalta. 8 Ele levanta do pó o de condição humilde; Do monte de cinzas ergue o pobre, Para fazê-los se sentar com os príncipes, Dando-lhes um lugar de honra. A Jeová pertencem os alicerces da terra, E sobre eles ele põe o solo produtivo. 9 Ele protege os passos dos que lhe são leais, Mas os maus serão silenciados na escuridão, Pois o homem não vence pela sua própria força. 10 Jeová destruirá os que lutam contra ele; Trovejará contra eles desde os céus. Jeová julgará até os confins da terra, Dará poder ao seu rei E aumentará a força do seu ungido.”
Lit.: “meu chifre é exaltado”. Veja o Glossário, “Chifre”.
Lit.: “definhou”.
Ou: “traz à vida”.
Ou: “ao Seol”, isto é, a sepultura comum da humanidade. Veja o Glossário.
Ou, possivelmente: “depósito de lixo”.
Ou, possivelmente: “Os que contendem com Jeová ficarão apavorados”.
Lit.: “o chifre”. Veja o Glossário, “Chifre”.
parágrafo 18 Sal. 77:11, 12 Eu me lembrarei das obras de Jah; Eu me lembrarei dos teus feitos maravilhosos de muito tempo atrás. 12 Meditarei em todos os teus atos E refletirei nas tuas ações.
parágrafo 18 Luc. 8:18 Portanto, prestem atenção a como escutam; pois àquele que tem, mais será dado, mas daquele que não tem, até mesmo o que imagina ter será tirado.”
parágrafo 18 Rom. 10:15 Por sua vez, como pregarão, a menos que tenham sido enviados? Assim como está escrito: “Como são lindos os pés daqueles que declaram boas novas de coisas boas!”
parágrafo 19 Heb. 6:11, 12 Mas desejamos que cada um de vocês mostre essa mesma diligência, para ter a plena certeza da esperança até o fim, 12 de modo que não se tornem preguiçosos, mas sejam imitadores daqueles que pela fé e pela paciência herdam as promessas.

Clique na imagem para Baixar informações completas em arquivos digitais para Computador desktop, Laptop, Tablet, celular e Smartphone

Baixar informações para o estúdio pessoal para Computador desktop, Laptop, Tablet, celular e Smartphone

Baixar informações para o estúdio pessoal para Computador desktop, Laptop, Tablet, celular e Smartphone


PESQUISAR CONTEÚDO

Custom Search

LINKS PATROCINADOS

ADDTHIS