JÓ 11-15 | Tesouros da Palavra de Deus: semana de 28 de março–3 de abril

NOSSA VIDA E MINISTÉRIO CRISTÃO — TEXTOS BÍBLICOS E REFERÊNCIAS

LER E OUVIR A BÍBLIA ON-LINE NO JW.ORG:



TESOUROS DA PALAVRA DE DEUS | JÓ 11-15


“JÓ TINHA CERTEZA DA RESSURREIÇÃO”: (10 MIN)


Jó mostrou que confiava na capacidade de Deus de ressuscitá-lo
Jó 14:7-9, 13-15
o Jó usou uma árvore, talvez uma oliveira, para mostrar que confiava na capacidade de Deus de ressuscitá-lo.
o As raízes da oliveira são compridas e profundas. Por causa disso, mesmo que o tronco seja destruído, a árvore pode brotar de novo se as raízes estiverem vivas.
o Quando começa a chover depois de uma grande seca, o toco ressecado pode brotar de novo das raízes, “como se fosse uma planta nova”.

Jó 14:1, 2 — Jó resumiu a situação atual da vida humana (w15 1/3 3; w10 1/5 5 § 2; w08 1/3 3 § 3)


Jó 14:1, 2 Tradução do Novo Mundo
14 “O homem, nascido de mulher,
Tem vida curta e está cheio de preocupação.
2 Ele brota como uma flor, e então murcha;
Ele passa como uma sombra e desaparece.
Por que precisamos ser salvos
“O homem, nascido de mulher, é de vida curta e está empanturrado de agitação. Como a flor, ele brota e é cortado, e foge como a sombra e não permanece em existência.” — Jó 14:1, 2.
Desde os tempos antigos, as pessoas sonham em ser jovens e saudáveis para sempre. Mas, infelizmente, a triste realidade é: nós morremos. Embora ditas há mais de 3 mil anos, as palavras de Jó citadas acima ainda são verdadeiras.
Todas as pessoas têm um forte desejo de viver para sempre. A Bíblia diz que Deus colocou em nosso coração o desejo de viver pela eternidade e de compreender o que isso significa. (Eclesiastes 3:11) Sendo assim, você acha que faria sentido um Deus amoroso colocar em nós um desejo impossível de ser realizado? Se você acha que isso não faz sentido, você tem razão. A Palavra de Deus chama a morte de “inimigo” e promete que ela “há de ser reduzida a nada”. — 1 Coríntios 15:26.
Realmente, a morte é um inimigo. Ninguém em sã consciência quer morrer. Por exemplo, diante de um perigo, tentamos nos desviar, nos esconder ou fugir. Quando ficamos doentes, procuramos tratamento. Fazemos tudo o que podemos para evitar a morte.
Há alguma razão para acreditar que esse velho inimigo será eliminado? Sim. Jeová Deus, o Criador, não fez os humanos para viver apenas alguns anos e depois morrer. A morte humana não fazia parte do propósito original de Deus. Ele queria que os humanos vivessem eternamente na Terra. E ele sempre cumpre os seus objetivos. — Isaías 55:11.
Então como a morte será eliminada? Ao longo de toda a História, o homem tem lutado para acabar com a morte. E essa luta ainda continua. Os cientistas desenvolveram vacinas e remédios que controlaram algumas doenças. Eles têm examinado a estrutura genética dos seres vivos. Em muitos lugares, a média de vida das pessoas é maior do que cem anos atrás. Mesmo assim, a morte está bem longe de ser vencida. Como a Bíblia diz, “todos . . . retornam ao pó”. — Eclesiastes 3:20.
A boa notícia é que não precisamos depender da capacidade do homem para resolver esse problema antigo. Jeová Deus já providenciou um meio para nos salvar ou resgatar da morte, e o personagem central dessa provisão é Jesus Cristo.
O que Deus está fazendo?
Não devemos subestimar os maus resultados dessa rebelião. A Bíblia diz: “Por intermédio de um só homem [Adão] entrou o pecado no mundo, e a morte por intermédio do pecado.” (Romanos 5:12) Além de trazer a morte, o pecado prejudicou nossa relação com o Criador e nos afetou em sentido físico, mental e emocional. Por isso, estamos numa situação parecida com a daquela casa em péssimo estado. O justo Jó resumiu de forma realista nossa condição quando descreveu o homem como alguém que “vive pouco tempo e passa por muitas dificuldades”. — Jó 14:1, Nova Versão Internacional.
A necessidade de um resgate
A maioria de nós nunca ficará preso no subsolo como aqueles nove mineradores, nem enfrentará a morte numa catástrofe. Mesmo assim, todos nós precisamos de resgate, pois não podemos escapar dos efeitos devastadores da doença, da velhice e, por fim, da morte. O fiel patriarca Jó disse: “O homem, nascido de mulher, é de vida curta e está empanturrado de agitação. Como a flor, ele brota e é cortado, e foge como a sombra e não permanece em existência.” (Jó 14:1, 2) Hoje, uns 3.500 anos depois, essas palavras ainda são verdadeiras, pois quem de nós pode escapar do fim que todos têm de enfrentar — a morte? Não importa onde vivamos ou quanto cuidamos de nossa saúde, precisamos ser resgatados das garras do sofrimento, da velhice e da morte.

Jó 14:13-15a — Jó sabia que Jeová nunca se esqueceria dele (w15 1/8 5; w14 1/1 7 § 4; w11 1/3 22 §§ 2-4)


Jó 14:13-15 Tradução do Novo Mundo
13 Quem dera que me escondesses na Sepultura,
Que me ocultasses até a tua ira passar,
Que estabelecesses um tempo e então te lembrasses de mim!
14 Quando um homem morre, pode ele viver novamente?
Esperarei todos os dias do meu serviço obrigatório,
Até vir o meu livramento.
15 Tu chamarás, e eu te responderei.
Terás saudades do trabalho das tuas mãos.
Há esperança para os mortos?
Os mortos podem voltar a viver?
A RESPOSTA DA BÍBLIA: “Vem a hora em que todos os que estão nos túmulos memoriais ouvirão a voz [de Jesus] e sairão.” — João 5:28, 29.
Com essas palavras, Jesus predisse que no futuro, sob seu Reino, a Sepultura seria esvaziada. “A primeira vez que li João 5:28, 29 fiquei impressionado”, lembra Fernando, mencionado no artigo anterior. “Esse texto me deu verdadeira esperança, e comecei a ficar otimista quanto ao futuro.”
O fiel Jó tinha a esperança de que, após sua morte, Deus o traria de volta à vida depois de um tempo. Jó perguntou: “Quando um homem morre, pode ele viver novamente?” Ele mesmo respondeu com confiança: “Esperarei todos os dias do meu serviço obrigatório [o tempo na Sepultura], até vir o meu livramento. Tu chamarás, e eu te responderei.” — Jó 14:14, 15.
A ressurreição não era uma ideia nova para Marta, irmã de Lázaro. Depois que Lázaro morreu, Jesus disse a ela: “Seu irmão se levantará.” Marta respondeu: “Sei que ele se levantará na ressurreição, no último dia.” Jesus lhe disse: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem exercer fé em mim, ainda que morra, voltará a viver.” (João 11:23-25) Então Jesus trouxe Lázaro de volta à vida na mesma hora. Esse emocionante relato nos dá uma ideia dos grandes acontecimentos que ocorrerão no futuro. Imagine ressurreições como essa ocorrendo no mundo todo!
Alguns mortos serão ressuscitados para viver no céu?
A RESPOSTA DA BÍBLIA: A Palavra de Deus mostra que a ressurreição de Jesus foi diferente das outras oito registradas na Bíblia. Aquelas pessoas voltaram a viver aqui na Terra. Mas, a respeito da ressurreição de Jesus, a Bíblia diz: “Jesus Cristo . . . está à direita de Deus, pois foi para o céu.” (1 Pedro 3:21, 22) Será que Jesus seria o único a ser ressuscitado para viver no céu? Certa vez, ele disse a seus apóstolos: “Depois que eu for embora e lhes preparar um lugar, virei novamente e os levarei comigo, para que, onde eu estiver, vocês também estejam.” — João 14:3.
Cristo foi para o céu e fez preparativos para a chegada de alguns de seus discípulos. Com o tempo, o número de pessoas ressuscitadas para viver no céu chegará a 144 mil. (Apocalipse 14:1, 3) Mas o que esses seguidores de Jesus farão lá?
A morte não é o fim de tudo
Jó respondeu sua própria pergunta, dizendo ao Deus Todo-Poderoso: “Chamarás, e eu te responderei; terás anelo pela criatura que as tuas mãos fizeram.” (Jó 14:15, NVI) O fiel Jó tinha certeza de que Jeová anelava, ou ansiava, o dia em que o ressuscitaria. Será que a esperança de Jó era apenas um sonho? De modo algum.
“Terás saudades”
Jó, um homem de notável fé, enfrentou severas provações — incluindo a perda de seus bens, a morte de todos os seus queridos filhos e uma doença dolorosa. Em extremo sofrimento, ele clamou a Deus, dizendo: “Quem dera que me escondesses no Seol [a sepultura comum da humanidade]!” (Versículo 13) Para Jó o Seol seria um alívio. Ali, como um tesouro escondido por Deus, ele ficaria livre das dificuldades e da dor.
Será que o Seol se tornaria o abrigo permanente de Jó? Jó não acreditava nisso. Ele continuou dizendo em sua oração: “Quem dera . . . que me fixasses um limite de tempo e te lembrasses de mim!” Jó tinha fé de que ficaria no Seol temporariamente e que Jeová não se esqueceria dele. Jó comparou o tempo que passaria no Seol a um “trabalho compulsório” — um período forçado de espera. Por quanto tempo? “Até vir a minha substituição”, disse ele. (Versículo 14) Essa substituição significaria libertação do Seol — em outras palavras, ressurreição dos mortos!
Por que Jó estava tão certo de que esse alívio viria? Porque ele sabia o que nosso amoroso Criador sente por seus adoradores fiéis que morrem. Jó disse: “Tu chamarás e eu mesmo te responderei. Terás saudades do trabalho das tuas mãos.” (Versículo 15) Jó reconheceu que ele era trabalho das mãos de Deus. O Dador da Vida, que foi o responsável pela formação de Jó no ventre, com certeza podia trazê-lo de volta à vida depois que ele morresse. — Jó 10:8, 9; 31:15.

Jó 14:15b — Jeová dá muito valor a seus adoradores fiéis (w15 1/8 7 § 3; w14 15/6 14 § 12; w11 1/3 22 §§ 3-6)


Jó 14:15 Tradução do Novo Mundo
15 Tu chamarás, e eu te responderei.
Terás saudades do trabalho das tuas mãos.
Existe esperança para os mortos — como você pode ter certeza?
Por que Jeová providenciou que os mortos sejam ressuscitados no futuro? Por causa de seu amor. “Quando um homem morre, pode ele viver novamente?”, perguntou Jó. “Tu chamarás, e eu te responderei. Terás saudades do trabalho das tuas mãos.” (Jó 14:14, 15) Jó estava convencido de que seu amoroso Pai celestial ficaria ansioso para ressuscitá-lo. Deus mudou? Ele garante: “Eu sou Jeová; eu não mudo.” (Malaquias 3:6) Deus ainda deseja muito ver os mortos voltarem à vida saudáveis e felizes. É exatamente isso que qualquer pai amoroso desejaria depois de perder um filho na morte. Mas a diferença é que Deus tem o poder para fazer o que deseja. — Salmo 135:6.
“Tens de amar a Jeová, teu Deus”
12 Deus nos dá a consoladora esperança da ressurreição. (Atos 24:15) Com certeza, a morte de alguém que amamos nos deixa muito tristes. Mas por causa da esperança da ressurreição ‘não ficamos pesarosos como os demais que não têm esperança’. (1 Tes. 4:13) Por amor, Jeová Deus anseia ressuscitar os mortos, principalmente os que foram fiéis, como o justo Jó. (Jó 14:15) Imagine a felicidade que haverá na Terra quando reencontrarmos pessoas queridas na ressurreição. Passaremos a amar ainda mais nosso Pai celestial, que nos dá essa maravilhosa esperança.
“Terás saudades”
Será que o Seol se tornaria o abrigo permanente de Jó? Jó não acreditava nisso. Ele continuou dizendo em sua oração: “Quem dera . . . que me fixasses um limite de tempo e te lembrasses de mim!” Jó tinha fé de que ficaria no Seol temporariamente e que Jeová não se esqueceria dele. Jó comparou o tempo que passaria no Seol a um “trabalho compulsório” — um período forçado de espera. Por quanto tempo? “Até vir a minha substituição”, disse ele. (Versículo 14) Essa substituição significaria libertação do Seol — em outras palavras, ressurreição dos mortos!
Por que Jó estava tão certo de que esse alívio viria? Porque ele sabia o que nosso amoroso Criador sente por seus adoradores fiéis que morrem. Jó disse: “Tu chamarás e eu mesmo te responderei. Terás saudades do trabalho das tuas mãos.” (Versículo 15) Jó reconheceu que ele era trabalho das mãos de Deus. O Dador da Vida, que foi o responsável pela formação de Jó no ventre, com certeza podia trazê-lo de volta à vida depois que ele morresse. — Jó 10:8, 9; 31:15.
As palavras de Jó nos ensinam uma lição consoladora sobre Jeová: Ele tem um carinho especial por aqueles que, como Jó, se colocam em Suas mãos, permitindo que ele os molde, transformando-os em pessoas desejáveis aos Seus olhos. (Isaías 64:8) Jeová preza muito seus adoradores fiéis. Ele tem “saudades” das pessoas leais que morreram. Assim, essa palavra hebraica é “inquestionavelmente uma das palavras mais fortes para expressar o sentimento de desejo intenso”, disse um erudito. De fato, Jeová não só se lembra de seus adoradores que morreram, mas também sente um desejo intenso de trazê-los de volta à vida.
Felizmente, no livro de Jó — um dos primeiros livros da Bíblia a serem escritos — Jeová achou por bem revelar seu propósito de ressuscitar os mortos. Ele deseja reunir novamente você e seus entes queridos que morreram. Esse pensamento pode fazer com que a perda seja menos difícil de suportar. Que acha de aprender mais sobre esse amoroso Deus? Você descobrirá como poderá ser moldado por ele para se tornar o tipo de pessoa que verá Seu propósito se tornar realidade.

ENCONTRE JOIAS ESPIRITUAIS: (8 MIN)


Jó 12:12 — Por que os cristãos mais velhos estão em melhor condição de ajudar os cristãos mais jovens? (g99 22/7 11, quadro)


Jó 12:12 Tradução do Novo Mundo
12 Não é a sabedoria encontrada entre os idosos,
E a vida longa, não traz entendimento?
Face
Esconder ou cobrir um humano ou um anjo a sua face pode expressar humildade, ou temor e respeito reverentes. (Êx 3:6; 1Rs 19:13; Is 6:2) Pode também ser sinal de luto. (2Sa 19:4) Em contraste, Elifaz falsamente deu a entender que a prosperidade de Jó o tornara arrogante, de modo que, na realidade, ‘cobria a sua face com a gordura’. (Jó 15:27) Como no caso de Hamã, cobrir outro a face da pessoa podia representar vergonha ou possivelmente condenação. — Est 7:8; compare isso com Sal 44:15; Je 51:51.

Jó 15:27 — O que Elifaz deu a entender quando disse que o rosto de Jó ‘estava coberto de gordura’? (it-2 99 § 6)


Jó 15:27 Tradução do Novo Mundo
27 Seu rosto está coberto de gordura,
E seus quadris acumulam gordura.
Face
Em contraste, Jesus, na sua existência pré-humana, havia estado pessoalmente com seu Pai, e ele indicou que os anjos, filhos espirituais de Deus, também observam “o rosto” de Deus, ao servirem nas Suas cortes celestiais. (Jo 1:18; 8:57, 58; Mt 18:10; compare isso com Lu 1:19.) Assim, também os chamados para serem co-herdeiros de Cristo nos céus, no tempo devido, vêem a Jeová Deus. — 1Jo 3:1-3.
Comparando o entendimento que os da primitiva congregação cristã tinham do propósito de Deus com o entendimento mais pleno que obtêm ao receberem sua recompensa celestial e então chegarem a compreender o propósito divino na sua inteireza, ao passo que se cumprem as profecias, o apóstolo Paulo disse: “Pois, atualmente vemos em contorno indefinido por meio dum espelho de metal, mas então será face a face.” — 1Co 13:12; compare isso com 2Co 3:18; 4:6.
Dizer ou fazer algo ‘na face de alguém’ indica ação direta, um confronto aberto (De 7:10; Jó 21:31), e, em sentido desfavorável, pode dar a entender audácia e desrespeito. (Jó 1:11; Is 65:3) Uma expressão relacionada é ‘a censura da face’. — Sal 80:16.
‘Fixar ou voltar a face’ tem o sentido de se pretender alcançar certo alvo, objetivo ou desejo (Gên 31:21; 1Rs 2:15; 2Rs 12:17), e encerra a idéia duma forte intenção e determinação. (2Cr 20:3; Da 11:16-19; Lu 9:51-53) Daniel ‘pôs a sua face para Jeová’ no sentido de seriamente procurá-lo, recorrendo a Ele em busca de ajuda. (Da 9:3; compare isso com 2Co 1:11.) Uma forte determinação freqüentemente se reflete no semblante pela firmeza dos lábios e do queixo, bem como pelo olhar fixo. Isaías ‘fez a sua face como pederneira’ na sua determinação de não deixar que as tentativas inimigas o desviassem do seu ministério designado. (Is 50:7) Os rebeldes de Judá “endureceram as suas faces mais do que um rochedo” na sua obstinação e recusa de aceitar a correção. (Je 5:3) Por outro lado, ‘pôr Jeová sua face contra’ os violadores da sua justa lei significava serem rejeitados e condenados, resultando em calamidade ou morte. — Le 17:10; 20:3-6; Je 21:10; compare isso com 1Pe 3:12.
‘Esconder a face’ tem diversos sentidos, dependendo das circunstâncias. Esconder Jeová Deus a sua face muitas vezes significa a retirada do seu favor ou do seu poder sustentador. Isto pode ocorrer em conseqüência de desobediência da pessoa ou do grupo de pessoas envolvidas, tal como a nação de Israel. (Jó 34:29; Sal 30:5-8; Is 54:8; 59:2) Em alguns casos pode denotar que Jeová se refreia de se revelar por ação ou por resposta, aguardando o seu próprio tempo devido. (Sal 13:1-3) O pedido de Davi: “Esconde a tua face dos meus pecados”, solicitava a Deus o perdão ou relevamento de tais transgressões. — Sal 51:9; compare isso com Sal 10:11.
Esconder ou cobrir um humano ou um anjo a sua face pode expressar humildade, ou temor e respeito reverentes. (Êx 3:6; 1Rs 19:13; Is 6:2) Pode também ser sinal de luto. (2Sa 19:4) Em contraste, Elifaz falsamente deu a entender que a prosperidade de Jó o tornara arrogante, de modo que, na realidade, ‘cobria a sua face com a gordura’. (Jó 15:27) Como no caso de Hamã, cobrir outro a face da pessoa podia representar vergonha ou possivelmente condenação. — Est 7:8; compare isso com Sal 44:15; Je 51:51.
‘Afastar a face’ talvez demonstre indiferença insultante ou desprezo. (2Cr 29:6; Je 2:27; 32:33) Deus manifesta seu desdém por aqueles que rejeitam seu conselho por mostrar-lhes “as costas, e não a face”, no dia do desastre deles. — Je 18:17.
‘Cuspir na face [no rosto]’ de outro era um ato especialmente significativo de vitupério ou humilhação. — Núm 12:14; De 25:9; Is 50:6; Mt 26:67.
A Pessoa ou Presença de Alguém. Visto que a face, ou rosto, é a parte mais distintiva da pessoa, identificando-a mais do que qualquer outro aspecto do corpo, bem como sendo bem expressiva da sua personalidade, a palavra “face”, às vezes, era usada metonimicamente para significar a própria pessoa. Por exemplo, veja 2 Samuel 7:9; 17:11; e Atos 3:19, onde as expressões “diante de ti” (na frase “de diante de ti”), “tua própria pessoa” e “pessoa” vêm de palavras originais hebraica ou grega para “tua face” ou “face”. Em outros casos, face pode referir-se à presença da pessoa, como em Atos 3:13.
“Os pães da proposição” no tabernáculo são chamados literalmente de pães de faces, em hebraico (Êx 25:30), quer dizer, eram os pães da presença de Jeová. Esta expressão enfatizava sua proximidade do povo, conforme representada no santuário.
Outros Usos e Termos. O termo grego para “face” ou “rosto” (pró•so•pon) às vezes denota a “aparência externa” da pessoa, em razão de sua riqueza ou pobreza, de sua posição elevada ou humilde, e de coisas similares. — Mt 22:16; 2Co 5:12; Gál 2:6.
A palavra hebraica ʼaf (nariz; narinas) às vezes refere-se à região do nariz e assim é traduzida por “rosto”, usualmente no contexto de curvar-se. (Gên 3:19; 19:1; 48:12) A palavra hebraica ʽá•yin (olho) é usada ao se falar de Jeová ao aparecer ao seu povo, figurativamente, “face a face”. — Núm 14:14 n.

O que a leitura da semana me ensinou sobre Jeová?


Que pontos da leitura posso usar no ministério?


JÓ 11-15 | SUGESTÕES PARA SEUS COMENTÁRIOS PESSOAIS


(JÓ 12:11)
“Não faz o próprio ouvido a prova das palavras Assim como o paladar saboreia a comida?”

it-1 p. 372 Boca
O Palato. O palato, ou paladar, é o céu da boca, que separa a boca das fossas nasais; tem uma parte macia que forma uma cortina entre a boca e a faringe. Nas Escrituras, em alguns casos, “palato” é sinônimo de “boca”. — Pr 8:7; Os 8:1 n.
Tanto Jó como Eliú fazem uso comparativo da palavra paladar ao assemelharem a capacidade deste de distinguir o sabor, ao critério do homem quanto ao que é certo e sábio. (Jó 12:11; 34:3) Que o palato exerce uma função em sentir sabor não é errôneo, conforme às vezes se afirma. Isto se pode ver por observar o papel desempenhado pelo palato no engolir. O alimento é premido pela língua contra o palato e é espalhado ao passar para a faringe, a qual é um tubo cônico que conduz ao estômago e também tem ligação com as fossas nasais. Isto produz melhor difusão do aroma do alimento nas passagens nasais, o que contribui muito para o que se costuma chamar de sabor.

(JÓ 12:12)
“Não há sabedoria entre os idosos E entendimento [na] extensão dos dias?”

g99 22/7 p. 11 Viver mais e melhor
IDOSOS E MAIS SÁBIOS?
“Não há sabedoria entre os idosos e entendimento na extensão dos dias?”, pergunta a Bíblia. (Jó 12:12) Qual é a resposta? Pesquisadores estudaram um grupo de idosos para avaliar suas qualidades como “perspicácia, bom critério, perspectiva e a habilidade de avaliar valores conflitantes e apresentar boas estratégias de solução de problemas”. Segundo a revista U.S.News & World Report, os estudos mostraram que “os idosos sempre ganham dos mais jovens em todas as medições de sabedoria, oferecendo conselhos mais ponderados e mais sofisticados”. Os estudos também revelam que “embora muitas vezes os idosos demorem mais do que os jovens para tomar uma decisão, em geral é uma decisão melhor”. Assim, como o livro bíblico de Jó sugere, sabedoria e idade avançada andam de mãos dadas.

(JÓ 13:12)
“Vossas declarações memoráveis são provérbios de cinzas; Os umbigos dos vossos escudos são umbigos de barro.”

it-1 p. 507 Cinzas
Cinzas serviam também de figura de linguagem para indicar algo insignificante ou sem valor, sendo que Abraão, por exemplo, admitiu perante Jeová: “Eu [sou] pó e cinzas.” (Gên 18:27; veja também Is 44:20; Jó 30:19.) E Jó comparou as declarações dos seus falsos consoladores a “provérbios de cinzas”. — Jó 13:12.

(JÓ 13:14)
“Por que carrego a minha carne nos meus dentes E coloco a minha própria alma na palma da minha mão?”

it-2 p. 762 Mão
‘pôr a própria vida na palma da mão’, arriscar a vida (1Sa 19:5; Jó 13:14).

(JÓ 13:16)
“Ele seria também a minha salvação, Pois nenhum apóstata entrará diante dele.”

it-1 p. 158 Apostasia
Jó, mais tarde, achou necessário defender-se da acusação de apostasia feita pelos seus três supostos confortadores. (Jó 8:13; 15:34; 20:5) Em sua defesa, Jó mostrou que Deus não concede audiência ao apóstata (Jó 13:16), e mostrou também o estado de desesperança daquele que é cortado em apostasia. (Jó 27:8; veja também a declaração de Eliú em 34:30; 36:13.) Nestes casos, a palavra hebraica hha•néf é usada, significando “[alguém] alienado de Deus”, isto é, um apóstata. O verbo aparentado, hha•néf, significa “estar inclinado para longe da relação correta com Deus”, ou, “poluir, levar à apostasia”. — Lexicon in Veteris Testamenti Libros (Léxico dos Livros do Velho Testamento), de L. Koehler e W. Baumgartner, Leiden, 1958, p. 317.

(JÓ 14:1)
““O homem, nascido de mulher, É de vida curta e está empanturrado de agitação.”

w99 15/10 p. 3 Nossa busca da longevidade
“O homem, nascido de mulher, é de vida curta e está empanturrado de agitação. Como a flor, ele brota e é cortado, e foge como a sombra e não permanece em existência.” — Jó 14:1, 2.
MESMO hoje, poucos discordariam dessa reflexão sobre a brevidade da vida, embora ela tenha sido escrita há cerca de 3.500 anos. As pessoas sempre acharam frustrante experimentar brevemente o auge da vida e então envelhecer e morrer. Por isso, ao longo da História tem havido uma proliferação de métodos para prolongar a vida.
Nos dias de Jó, os egípcios comiam testículos de animais na tentativa inútil de recuperar a juventude. Um dos principais objetivos da alquimia medieval era produzir um elixir que pudesse prolongar a vida. Muitos alquimistas acreditavam que o ouro produzido artificialmente daria vida imortal e que comer em pratos de ouro prolongaria a vida. Os antigos taoístas chineses pensavam que, por meio de técnicas como meditação, exercícios respiratórios e dieta poderiam alterar a química do corpo e assim obter a imortalidade.
O explorador espanhol Juan Ponce de León ficou conhecido por sua ávida busca da fonte da juventude. Um médico do século 18 recomendou, em seu livro Hermippus Redivivus, que virgens jovens fossem mantidas num pequeno quarto durante a primavera e que o ar que elas expirassem fosse engarrafado e usado como poção para prolongar a vida. É desnecessário dizer que todos esses métodos fracassaram.
Hoje, uns 3.500 anos depois de Moisés ter registrado a declaração de Jó, o homem andou na Lua, inventou carros e computadores, e pesquisou o átomo e a célula. No entanto, apesar de todos esses avanços tecnológicos, nós ainda somos de ‘vida curta e empanturrados com agitação’. É verdade que no último século a expectativa de vida aumentou dramaticamente nos países desenvolvidos. Mas isso se deve principalmente à melhora nos cuidados com a saúde, às medidas de higiene mais eficientes e à melhor nutrição.

(JÓ 14:2)
“Como a flor, ele brota e é cortado, E foge como a sombra e não permanece em existência.”

w08 1/3 p. 3 A necessidade de um resgate
Como a flor, ele brota e é cortado, e foge como a sombra e não permanece em existência.” (Jó 14:1, 2)

w08 1/3 p. 3 A necessidade de um resgate
Quer concorde com os sentimentos de Jó sobre a vida e a morte, quer não, é inevitável que com o passar dos anos você também ‘fuja como a sombra’, para a morte, deixando seus amigos, sua família, sua casa e tudo o que realizou.

(JÓ 14:7)
“Pois até mesmo para uma árvore há esperança. Se for decepada, brotará novamente, E seu próprio rebento não deixará de existir.”

w00 15/5 pp. 27-28 Uma oliveira frondosa na casa de Deus
Como ilustrou Jó a sua convicção de que Deus o chamaria da sepultura? Por meio duma árvore, cuja descrição torna provável que se referisse à oliveira. “Até mesmo para uma árvore há esperança”, disse Jó. “Se for decepada, brotará novamente.” (Jó 14:7) A oliveira pode ser cortada, mas isso não a destrói. A árvore só morre se for desarraigada. Se as raízes ficarem intactas, a árvore brotará de novo com renovado vigor.
Mesmo quando uma prolongada seca murcha severamente uma velha oliveira, o toco enrugado pode reviver de novo. “Caso a sua raiz envelheça na terra e morra no pó o seu toco, ao cheiro da água florescerá, e certamente produzirá um ramo como planta nova.” (Jó 14:8, 9) Jó morava numa terra seca e poeirenta, onde provavelmente havia observado muitos tocos velhos de oliveira que pareciam secos e sem vida. No entanto, quando chovia, tal árvore ‘morta’ revivia e das suas raízes surgia como que uma “planta nova”. Esta robustez notável levou um horticultor tunisiano a observar: “Pode-se dizer que as oliveiras são imortais.”

(JÓ 14:13)
“Quem dera que me escondesses no Seol, Que me mantivesses secreto até que a tua ira recuasse, Que me fixasses um limite de tempo e te lembrasses de mim!”

w11 1/3 p. 22 “Terás saudades”
Jó, um homem de notável fé, enfrentou severas provações — incluindo a perda de seus bens, a morte de todos os seus queridos filhos e uma doença dolorosa. Em extremo sofrimento, ele clamou a Deus, dizendo: “Quem dera que me escondesses no Seol [a sepultura comum da humanidade]!” (Versículo 13) Para Jó o Seol seria um alívio. Ali, como um tesouro escondido por Deus, ele ficaria livre das dificuldades e da dor.
Será que o Seol se tornaria o abrigo permanente de Jó? Jó não acreditava nisso. Ele continuou dizendo em sua oração: “Quem dera . . . que me fixasses um limite de tempo e te lembrasses de mim!” Jó tinha fé de que ficaria no Seol temporariamente e que Jeová não se esqueceria dele.

w11 1/3 p. 22 “Terás saudades”
Uma obra de referência diz que as palavras de Jó “que me escondesses” podem significar guardar em segurança como um bem precioso. Outra fonte diz que essas palavras sugerem a ideia de esconder como um tesouro.

(JÓ 14:14)
“Morrendo o varão vigoroso, pode ele viver novamente? Esperarei todos os dias do meu trabalho compulsório, Até vir a minha substituição.”

w11 1/3 p. 22 “Terás saudades”
Jó comparou o tempo que passaria no Seol a um “trabalho compulsório” — um período forçado de espera. Por quanto tempo? “Até vir a minha substituição”, disse ele. (Versículo 14) Essa substituição significaria libertação do Seol — em outras palavras, ressurreição dos mortos!

w07 15/5 p. 27 par. 6 É a ressurreição algo real para você?
Por exemplo, considere as seguintes palavras inspiradas do fiel Jó: “Morrendo o varão vigoroso, pode ele viver novamente? Esperarei todos os dias do meu trabalho compulsório, até vir a minha substituição.

w07 15/5 p. 27 par. 6 É a ressurreição algo real para você?
Jó 14:14,

w07 15/5 p. 27 par. 7 É a ressurreição algo real para você?
7 Jó sabia que, depois de morrer, teria de esperar por um tempo no sono da morte. Ele encarava esse tempo como “trabalho compulsório”, um período de espera obrigatório até seu livramento. Ele tinha certeza desse livramento. Dava-se conta de que sua libertação viria. Por quê? Porque Jó conhecia os sentimentos de Jeová,

w06 15/3 p. 14 Destaques do livro de Jó
7:1; 14:14 — Qual o significado da expressão “trabalho compulsório” ou “serviço compulsório”? A aflição de Jó era tão grande que ele comparou a vida a trabalho compulsório, difícil e árduo. (Jó 10:17, nota) Da mesma forma, visto que o tempo que alguém permanece no Seol — desde a morte até a ressurreição — é um período que tem de ser cumprido, Jó comparou esse tempo a serviço compulsório.

w01 1/5 p. 22 O espiritismo e a busca da verdadeira espiritualidade
“Quando o homem está morto, vive sempre; findando-se os dias da minha existência terrestre, esperarei, porque a ela voltarei novamente.” — “Versão da Igreja Grega” de Jó 14:14, citada em O Evangelho Segundo o Espiritismo.
A edição revista e corrigida da tradução de João Ferreira de Almeida verte este versículo: “Morrendo o homem, porventura tornará a viver? Todos os dias de meu combate esperaria, até que viesse a minha mudança.” Leia o contexto deste versículo. Notará que os mortos aguardam na sepultura a sua “mudança”. (Jó 14 Versículo 13) Enquanto esperam, eles não existem. “O homem que morreu acabou completamente; e quando um mortal cai, ele não existe mais.” — Jó 14:10, Versão Septuaginta, de Bagster, em inglês.

w95 15/5 p. 5 Nossos antepassados voltarão a viver
Esperança da ressurreição
Visto que os viventes deixam de existir na morte, surge a questão crucial levantada por Jó: “Morrendo o varão vigoroso, pode ele viver novamente?” O próprio Jó deu a seguinte resposta: “Esperarei todos os dias do meu trabalho compulsório [o tempo passado na sepultura], até vir a minha substituição. Tu [Jeová] chamarás e eu mesmo te responderei. Terás saudades do trabalho das tuas mãos.” — Jó 14:14, 15.
Em outras palavras, embora Jó passasse para o estado de inexistência, Deus não se esqueceria dele. Jó tinha fé de que viria o tempo em que Jeová Deus o ‘chamaria’, dando-lhe vida de novo por meio da ressurreição.

pe cap. 14 p. 121 par. 5 Quem vai para o céu, e por quê?
5 Sofrendo, Jó orou a Deus: “Quem dera que me escondesses no Seol [a sepultura], que me mantivesses secreto até que a tua ira recuasse, que me fixasses um limite de tempo e te lembrasses de mim!” Jó esperava que, ao morrer, ficaria inconsciente na sepultura. Sabia que não iria para o céu. Mas, conforme explicou, tinha esperança: “Morrendo o varão vigoroso, pode ele viver novamente? Esperarei todos os dias do meu serviço compulsório [o tempo designado para estar na sepultura], até vir a minha substituição. Tu chamarás e eu mesmo te responderei.” — Jó 14:13-15.

(JÓ 14:15)
“Tu chamarás e eu mesmo te responderei. Terás saudades do trabalho das tuas mãos.”

w14 1/1 p. 7 A morte não é o fim de tudo
Jó respondeu sua própria pergunta, dizendo ao Deus Todo-Poderoso: “Chamarás, e eu te responderei; terás anelo pela criatura que as tuas mãos fizeram.” (Jó 14:15, NVI) O fiel Jó tinha certeza de que Jeová anelava, ou ansiava, o dia em que o ressuscitaria. Será que a esperança de Jó era apenas um sonho? De modo algum.

w11 1/3 p. 22 “Terás saudades”
Por que Jó estava tão certo de que esse alívio viria? Porque ele sabia o que nosso amoroso Criador sente por seus adoradores fiéis que morrem. Jó disse: “Tu chamarás e eu mesmo te responderei. Terás saudades do trabalho das tuas mãos.” (Versículo 15) Jó reconheceu que ele era trabalho das mãos de Deus. O Dador da Vida, que foi o responsável pela formação de Jó no ventre, com certeza podia trazê-lo de volta à vida depois que ele morresse. — Jó 10:8, 9; 31:15.
As palavras de Jó nos ensinam uma lição consoladora sobre Jeová: Ele tem um carinho especial por aqueles que, como Jó, se colocam em Suas mãos, permitindo que ele os molde, transformando-os em pessoas desejáveis aos Seus olhos. (Isaías 64:8) Jeová preza muito seus adoradores fiéis. Ele tem “saudades” das pessoas leais que morreram. Assim, essa palavra hebraica é “inquestionavelmente uma das palavras mais fortes para expressar o sentimento de desejo intenso”, disse um erudito. De fato, Jeová não só se lembra de seus adoradores que morreram, mas também sente um desejo intenso de trazê-los de volta à vida.

w07 15/5 p. 27 pars. 6-7 É a ressurreição algo real para você?
6 Jeová anseia realizar a ressurreição. A Bíblia deixa claro os sentimentos de Jeová nesse respeito. Por exemplo, considere as seguintes palavras inspiradas do fiel Jó: “Morrendo o varão vigoroso, pode ele viver novamente? Esperarei todos os dias do meu trabalho compulsório, até vir a minha substituição. Tu chamarás e eu mesmo te responderei. Terás saudades do trabalho das tuas mãos.” (Jó 14:14, 15) Qual é o significado dessas palavras?
7 Jó sabia que, depois de morrer, teria de esperar por um tempo no sono da morte. Ele encarava esse tempo como “trabalho compulsório”, um período de espera obrigatório até seu livramento. Ele tinha certeza desse livramento. Dava-se conta de que sua libertação viria. Por quê? Porque Jó conhecia os sentimentos de Jeová, que ‘teria saudades’ de rever seu servo fiel. Sim, Jeová anseia trazer de volta à vida todos os justos. Ele também dará a outros a oportunidade de viver para sempre no Paraíso na Terra. (Lucas 23:43; João 5:28, 29) Visto que essa é a vontade de Deus, quem pode impedi-lo?

w05 1/5 p. 12 par. 17 Ressurreição — um ensino que interessa a você
Dirigindo-se ao seu Deus, Jeová, ele reconheceu: “Tu chamarás e eu mesmo te responderei.” Referindo-se aos sentimentos do amoroso Criador, Jó observou: “Terás saudades do trabalho das tuas mãos.” (Jó 14:14, 15) Jeová espera ansiosamente o tempo em que todos os fiéis voltarão a viver. Que isso nos atraia mais a ele, ao meditarmos no amor e na benignidade imerecida que ele tem para conosco, embora sejamos imperfeitos! — Romanos 5:21; Tiago 4:8.

we p. 30 Uma esperança certa para os mortos
Acerca da disposição do próprio Jeová de realizar a ressurreição, o fiel homem Jó disse: “Morrendo o varão vigoroso, pode ele viver novamente? . . . Tu chamarás e eu mesmo te responderei. Terás saudades do trabalho das tuas mãos.” (Jó 14:14, 15) A palavra na língua original traduzida aqui “terás saudades” denota o sincero anelo e desejo da parte de Deus. (Gênesis 31:30; Salmo 84:2) É evidente que Jeová deve estar intensamente interessado na ressurreição.

w98 1/7 p. 13 par. 2 “Os mortos serão levantados”
O justo homem Jó perguntou: “Morrendo o varão vigoroso, pode ele viver novamente?” Depois ele deu esta resposta tranqüilizadora: “Tu chamarás e eu mesmo te responderei. Terás saudades do trabalho das tuas mãos.” (Jó 14:14, 15) A palavra “saudades” indica um sério anseio ou desejo. (Note Salmo 84:2.) Deveras, Jeová aguarda vivamente a ressurreição — tem saudade de ver de novo os fiéis que faleceram, que vivem na sua memória. — Mateus 22:31, 32.

w97 15/2 p. 12 par. 19 Qual é o objetivo da sua vida?
O fiel Jó disse: “Tu [Jeová] chamarás e eu mesmo te responderei. Terás saudades do trabalho das tuas mãos.” (Jó 14:15) Imagine só! Nosso Criador tem “saudades” dos seus servos fiéis que morreram! (“Desejarias rever a obra de tuas mãos.” — A Bíblia de Jerusalém.)

w95 15/5 p. 5 Nossos antepassados voltarão a viver
Esperança da ressurreição
Visto que os viventes deixam de existir na morte, surge a questão crucial levantada por Jó: “Morrendo o varão vigoroso, pode ele viver novamente?” O próprio Jó deu a seguinte resposta: “Esperarei todos os dias do meu trabalho compulsório [o tempo passado na sepultura], até vir a minha substituição. Tu [Jeová] chamarás e eu mesmo te responderei. Terás saudades do trabalho das tuas mãos.” — Jó 14:14, 15.
Em outras palavras, embora Jó passasse para o estado de inexistência, Deus não se esqueceria dele. Jó tinha fé de que viria o tempo em que Jeová Deus o ‘chamaria’, dando-lhe vida de novo por meio da ressurreição.

(JÓ 15:2)
““Responderá o próprio sábio com conhecimento ventoso, Ou encherá seu ventre com o vento oriental?”

it-2 p. 692 Leste
Na Palestina, o vento L era um vento quente que soprava das terras desérticas ao L, sendo destrutivo para a vegetação. (Ez 19:12) Esta é a base da expressão ‘encher o ventre com o vento oriental’. — Jó 15:2.

(JÓ 15:10)
“Conosco estão tanto o grisalho como o idoso, Aquele que é maior em dias do que teu pai.”

it-1 p. 387 Cabelo
As cãs mereciam respeito (Pr 16:31; 20:29), e eram usadas às vezes qual sinônimo de idade avançada e de sabedoria. (Jó 15:9, 10; veja CÃS.)

(JÓ 15:11)
“Não te bastam as consolações de Deus Ou a palavra [falada] suavemente contigo?”

it-2 pp. 796-797 Meiguice, suavidade
Falsa Suavidade. Suavidade no tom e nas maneiras, tal como falar com voz macia, nem sempre é prova de verdadeira suavidade. Ela é uma qualidade que, para ser cabalmente genuína, tem de proceder do coração. Enquanto Jó, servo de Deus, sofria às mãos de Satanás, numa prova da sua integridade a Deus, ele foi verbalmente atacado por três companheiros. Eles acusaram Jó de pecado secreto, iniqüidade e obstinação, dando também a entender que ele era apóstata, e que os filhos dele sofreram a morte às mãos de Deus por serem iníquos. Ainda assim, um dos três, Elifaz, disse a Jó: “Não te bastam as consolações de Deus ou a palavra falada suavemente contigo?” (Jó 15:11) De modo que pelo menos parte da conversa deles talvez fosse em tom brando, mas era dura no conteúdo, portanto, não genuinamente suave.

(JÓ 15:14)
“Que é o homem mortal, que seja puro, Ou que alguém nascido de mulher tenha razão?”

w10 15/2 p. 20 Resista à propaganda satânica
Homem “que bebe injustiça como água”
“Que é o homem mortal, que seja puro, ou que alguém nascido de mulher tenha razão?”, perguntou Elifaz. Ele mesmo respondeu: “[Deus] não confia nem nos seus santos, e os próprios céus não são realmente puros aos seus olhos. Quanto menos ainda quando alguém é detestável e corrupto, um homem que bebe injustiça como água!” (Jó 15:14-16) Elifaz dizia a Jó que, para Jeová, nenhum humano é justo. O Diabo também explora o pensamento negativo. Ele quer que nos sintamos aflitos por causa de nossos erros do passado, que nos tornemos excessivamente autocríticos, achando que nunca seremos perdoados. Ele quer também que superestimemos o que Jeová espera de nós e que subestimemos Sua compaixão, perdão e apoio.
Naturalmente, todos nós ‘pecamos e não atingimos a glória de Deus’. Nenhum humano imperfeito pode viver cem por cento à altura dos padrões perfeitos de Jeová. (Rom. 3:23; 7:21-23) Mas isso não significa que não temos nenhum mérito perante ele. Jeová sabe que é “a serpente original, o chamado Diabo e Satanás”, que explora a nossa pecaminosidade. (Rev. 12:9, 10) Ciente de que “somos pó”, Deus nos faz concessões e não “ralhará para sempre” conosco. — Sal. 103:8, 9, 14.
Se abandonarmos um mau proceder e nos dirigirmos a Jeová de coração triste e espírito arrependido, ele nos “perdoará amplamente”. (Isa. 55:7; Sal. 51:17) Mesmo que nossos pecados sejam “como escarlate, serão tornados brancos como a neve”, diz a Bíblia. (Isa. 1:18) Portanto, nunca desistamos de procurar fazer a vontade de Deus.
Na nossa condição pecaminosa, jamais poderíamos ganhar uma posição justa perante Deus. Adão e Eva perderam a perfeição e a perspectiva de vida eterna não apenas para si mesmos, mas para todos nós. (Rom. 6:23) No entanto, por causa de seu grande amor pela humanidade, Jeová providenciou o perdão de nossos pecados se exercermos fé no sacrifício de resgate de seu Filho, Jesus Cristo. (Mat. 20:28; João 3:16) Que maravilhosa expressão da “benignidade imerecida” de Deus! (Tito 2:11) Podemos ser perdoados! Por que, então, permitir que Satanás nos faça pensar que não podemos?

(JÓ 15:15)
“Eis que não confia nem nos seus santos, E os próprios céus não são realmente puros aos seus olhos.”

w10 15/2 p. 20 Resista à propaganda satânica
Homem “que bebe injustiça como água”
“Que é o homem mortal, que seja puro, ou que alguém nascido de mulher tenha razão?”, perguntou Elifaz. Ele mesmo respondeu: “[Deus] não confia nem nos seus santos, e os próprios céus não são realmente puros aos seus olhos. Quanto menos ainda quando alguém é detestável e corrupto, um homem que bebe injustiça como água!” (Jó 15:14-16) Elifaz dizia a Jó que, para Jeová, nenhum humano é justo. O Diabo também explora o pensamento negativo. Ele quer que nos sintamos aflitos por causa de nossos erros do passado, que nos tornemos excessivamente autocríticos, achando que nunca seremos perdoados. Ele quer também que superestimemos o que Jeová espera de nós e que subestimemos Sua compaixão, perdão e apoio.
Naturalmente, todos nós ‘pecamos e não atingimos a glória de Deus’. Nenhum humano imperfeito pode viver cem por cento à altura dos padrões perfeitos de Jeová. (Rom. 3:23; 7:21-23) Mas isso não significa que não temos nenhum mérito perante ele. Jeová sabe que é “a serpente original, o chamado Diabo e Satanás”, que explora a nossa pecaminosidade. (Rev. 12:9, 10) Ciente de que “somos pó”, Deus nos faz concessões e não “ralhará para sempre” conosco. — Sal. 103:8, 9, 14.
Se abandonarmos um mau proceder e nos dirigirmos a Jeová de coração triste e espírito arrependido, ele nos “perdoará amplamente”. (Isa. 55:7; Sal. 51:17) Mesmo que nossos pecados sejam “como escarlate, serão tornados brancos como a neve”, diz a Bíblia. (Isa. 1:18) Portanto, nunca desistamos de procurar fazer a vontade de Deus.
Na nossa condição pecaminosa, jamais poderíamos ganhar uma posição justa perante Deus. Adão e Eva perderam a perfeição e a perspectiva de vida eterna não apenas para si mesmos, mas para todos nós. (Rom. 6:23) No entanto, por causa de seu grande amor pela humanidade, Jeová providenciou o perdão de nossos pecados se exercermos fé no sacrifício de resgate de seu Filho, Jesus Cristo. (Mat. 20:28; João 3:16) Que maravilhosa expressão da “benignidade imerecida” de Deus! (Tito 2:11) Podemos ser perdoados! Por que, então, permitir que Satanás nos faça pensar que não podemos?

w05 15/9 p. 26 Rejeite pensamentos errados!
Mais adiante, falou o seguinte sobre Deus: “[Ele] não confia nem nos seus santos, e os próprios céus não são realmente puros aos seus olhos.” (Jó 15:15) E perguntou: “É do agrado do Todo-poderoso que sejas justo?” (Jó 22:3) Bildade concordava com esse ponto de vista, pois disse: ‘Há mesmo a lua, e ela não é luminosa; e as próprias estrelas não se mostraram puras aos olhos de Deus.’ — Jó 25:5.
Devemos nos proteger contra a influência desse tipo de raciocínio. Ele pode nos fazer pensar que Deus exige demais de nós. Esse conceito prejudica nosso relacionamento com Jeová. Além disso, se cedêssemos a esse tipo de raciocínio, como reagiríamos em caso de necessária disciplina? Em vez de aceitá-la humildemente, talvez nosso coração ficasse “furioso com o próprio Jeová”, e até nos ressentíssemos dele. (Provérbios 19:3) Que desastre espiritual isso seria!

it-1 p. 490 Céu, I
Permanência dos Céus Físicos. Elifaz, o temanita, disse a respeito de Deus: “Eis que não confia nem nos seus santos, e os próprios céus não são realmente puros aos seus olhos.” Todavia, Jeová disse a Elifaz que este e seus dois companheiros ‘não falaram a verdade a meu respeito assim como fez meu servo Jó’. (Jó 15:1, 15; 42:7) Em contraste, Êxodo 24:10 refere-se aos céus como representando pureza. De modo que, na Bíblia, não se menciona nenhum motivo para Deus destruir os céus físicos.

(JÓ 15:16)
“Quanto menos ainda quando alguém é detestável e corrupto, Um homem que bebe injustiça como água!”

w10 15/2 p. 20 Resista à propaganda satânica
Homem “que bebe injustiça como água”
“Que é o homem mortal, que seja puro, ou que alguém nascido de mulher tenha razão?”, perguntou Elifaz. Ele mesmo respondeu: “[Deus] não confia nem nos seus santos, e os próprios céus não são realmente puros aos seus olhos. Quanto menos ainda quando alguém é detestável e corrupto, um homem que bebe injustiça como água!” (Jó 15:14-16) Elifaz dizia a Jó que, para Jeová, nenhum humano é justo. O Diabo também explora o pensamento negativo. Ele quer que nos sintamos aflitos por causa de nossos erros do passado, que nos tornemos excessivamente autocríticos, achando que nunca seremos perdoados. Ele quer também que superestimemos o que Jeová espera de nós e que subestimemos Sua compaixão, perdão e apoio.
Naturalmente, todos nós ‘pecamos e não atingimos a glória de Deus’. Nenhum humano imperfeito pode viver cem por cento à altura dos padrões perfeitos de Jeová. (Rom. 3:23; 7:21-23) Mas isso não significa que não temos nenhum mérito perante ele. Jeová sabe que é “a serpente original, o chamado Diabo e Satanás”, que explora a nossa pecaminosidade. (Rev. 12:9, 10) Ciente de que “somos pó”, Deus nos faz concessões e não “ralhará para sempre” conosco. — Sal. 103:8, 9, 14.
Se abandonarmos um mau proceder e nos dirigirmos a Jeová de coração triste e espírito arrependido, ele nos “perdoará amplamente”. (Isa. 55:7; Sal. 51:17) Mesmo que nossos pecados sejam “como escarlate, serão tornados brancos como a neve”, diz a Bíblia. (Isa. 1:18) Portanto, nunca desistamos de procurar fazer a vontade de Deus.
Na nossa condição pecaminosa, jamais poderíamos ganhar uma posição justa perante Deus. Adão e Eva perderam a perfeição e a perspectiva de vida eterna não apenas para si mesmos, mas para todos nós. (Rom. 6:23) No entanto, por causa de seu grande amor pela humanidade, Jeová providenciou o perdão de nossos pecados se exercermos fé no sacrifício de resgate de seu Filho, Jesus Cristo. (Mat. 20:28; João 3:16) Que maravilhosa expressão da “benignidade imerecida” de Deus! (Tito 2:11) Podemos ser perdoados! Por que, então, permitir que Satanás nos faça pensar que não podemos?

(JÓ 15:26)
“[Porque] corre contra ele com nuca dura, Com os umbigos grossos dos seus escudos;”

it-1 p. 190 Armas, armadura
O escudo de couro costumava ser adornado com um pesado umbigo central (uma protuberância arredondada, ou bossa) de metal, que aumentava a proteção. — Jó 15:26.

(JÓ 15:27)
“Pois, realmente cobre a sua face com a sua gordura E desenvolve gordura sobre os seus lombos,”

it-2 p. 99 Face
Em contraste, Elifaz falsamente deu a entender que a prosperidade de Jó o tornara arrogante, de modo que, na realidade, ‘cobria a sua face com a gordura’. (Jó 15:27)

LEITURA DA BÍBLIA: JÓ 14:1-22 (4 MIN OU MENOS)


Jó 14:1-22 Tradução do Novo Mundo
14 “O homem, nascido de mulher,
Tem vida curta e está cheio de preocupação.
2 Ele brota como uma flor, e então murcha;
Ele passa como uma sombra e desaparece.
3 Tu fixas nele o teu olhar,
E o levas a julgamento contra ti.
4 Quem pode produzir alguém puro de alguém impuro?
Ninguém pode!
5 Se os dias dele estão determinados,
O número dos seus meses está sob o teu controle.
Fixaste para ele um limite que ele não pode ultrapassar.
6 Desvia dele o teu olhar, para que ele descanse,
Até que ele cumpra o seu dia, assim como um trabalhador contratado.
7 Pois até mesmo para uma árvore há esperança.
Se ela for cortada, brotará novamente
E seus raminhos continuarão a crescer.
8 Caso sua raiz envelheça na terra
E seu toco morra no solo,
9 Ao cheiro da água brotará,
E produzirá ramos, como se fosse uma planta nova.
10 Mas o homem morre e não pode fazer nada;
Quando um humano dá o último suspiro, para onde ele vai?
11 As águas desaparecem do mar,
E o rio escoa e seca.
12 Assim também o homem se deita e não se levanta.
Não acordará até que não exista mais céu,
Nem será despertado do seu sono.
13 Quem dera que me escondesses na Sepultura,
Que me ocultasses até a tua ira passar,
Que estabelecesses um tempo e então te lembrasses de mim!
14 Quando um homem morre, pode ele viver novamente?
Esperarei todos os dias do meu serviço obrigatório,
Até vir o meu livramento.
15 Tu chamarás, e eu te responderei.
Terás saudades do trabalho das tuas mãos.
16 Mas agora, estás contando cada um dos meus passos;
Procuras apenas o meu pecado.
17 Minha transgressão está numa bolsa selada,
E selas meu erro com cola.
18 Assim como uma montanha desmorona e se desintegra,
E uma rocha sai do lugar,
19 Assim como a água desgasta as pedras
E suas torrentes levam embora o solo,
Da mesma maneira tu destróis a esperança do homem mortal.
20 Tu prevaleces sobre ele até ele morrer;
Mudas a aparência dele e o mandas embora.
21 Seus filhos são honrados, mas ele não sabe disso;
Tornam-se insignificantes, mas ele não percebe.
22 Ele só sente a dor do seu próprio corpo;
Ele só chora enquanto está vivo.”

FAÇA SEU MELHOR NO MINISTÉRIO


Primeira visita: fg lição 13 § 1 —

Deixe um assunto para considerar na revisita. (2 min ou menos)


O que acontecerá com as religiões?
Há pessoas sinceras em todas as religiões. Saber que Deus vê todas essas pessoas e se preocupa com elas com certeza é uma boa notícia. Mas, infelizmente, a religião tem sido usada para o mal. (2 Coríntios 4:3, 4; 11:13-15) De acordo com os noticiários, algumas religiões estão até mesmo envolvidas em terrorismo, genocídio, guerras e abuso de crianças. Como isso entristece pessoas sinceras que acreditam em Deus! — Leia Mateus 24:3-5, 11, 12.

Revisita: fg lição 13 § 2 —

Deixe um assunto para considerar na revisita. (4 min ou menos)


O que acontecerá com as religiões?
Ao passo que a religião verdadeira glorifica a Deus, a religião falsa o desagrada. Ela ensina ideias que não estão na Bíblia, incluindo ensinos falsos sobre Deus e sobre os mortos. Mas Jeová quer que as pessoas saibam a verdade sobre ele. — Leia Ezequiel 18:4; 1 Timóteo 2:3-5.

Estudo bíblico: fg lição 13 §§ 3-4

(6 min ou menos)


O que acontecerá com as religiões?
Deus não se deixa enganar pelas religiões que afirmam amá-lo, mas que na realidade amam o mundo de Satanás. (Tiago 4:4) A Palavra de Deus refere-se a todas as religiões falsas como “Babilônia, a Grande”. Babilônia era a antiga cidade onde a religião falsa começou, após o Dilúvio dos dias de Noé. Em breve, Deus trará um fim repentino às religiões que enganam e oprimem a humanidade. — Leia Apocalipse 17:1, 2, 5, 16, 17; 18:8.
As boas notícias não param por aí. Jeová não se esquece das pessoas sinceras que estão espalhadas nas religiões falsas em todo o mundo. Ele está ensinando a verdade a essas pessoas, ajudando-as a sair da religião falsa. — Leia Miqueias 4:2, 5.

NOSSA VIDA CRISTÃ

Necessidades locais: (5 min)


“A ressurreição é possível por causa do resgate”:

(10 min) Consideração. Conclua mostrando o vídeo que foi apresentado no Congresso Regional de 2014, “Continue a Buscar Primeiro o Reino”.


A ressurreição é possível por causa do resgate
A Celebração é uma ótima oportunidade para pensar nas bênçãos que vamos receber por causa do resgate. A ressurreição é uma delas. Jeová nunca quis que nós morrêssemos. É por isso que, quando alguém que amamos morre, sentimos uma das maiores tristezas da nossa vida. (1Co 15:26) Jesus sentiu essa tristeza quando viu seus discípulos sofrendo pela morte de Lázaro. (João 11:33-35) Jesus e Jeová pensam do mesmo jeito. Por isso, temos certeza de que Jeová também fica muito triste quando nos vê sofrendo pela morte de alguém amado. (João 14:7) Jeová não vê a hora de ressuscitar os mortos! E com certeza nós também estamos ansiosos pela ressurreição. — Jó 14:14, 15.
Jeová é um Deus de ordem. Por isso, podemos concluir que a ressurreição acontecerá de forma organizada. (1Co 14:33, 40) Em vez de ir a funerais, imagine ir a sessões de boas-vindas para os ressuscitados! É muito bom pensar sobre a ressurreição, ainda mais quando você está triste com a morte de alguém. (2Co 4:17, 18) Você também pode agradecer a Jeová por ele nos dar o resgate e nos dizer na Bíblia que os mortos vão voltar a viver. — Col 3:15.
o Quem dos seus amigos e parentes você não vê a hora de encontrar de novo?
o Com quais personagens bíblicos você mais quer conversar?

ESTUDO BÍBLICO DE CONGREGAÇÃO: IA CAP. 12 §§ 1-12 (30 MIN)


REFERÊNCIAS E TEXTOS BÍBLICOS PARA O ESTUDO


CAPÍTULO DOZE
Ele foi consolado pelo seu Deus

parágrafo 1 1 Reis 18:46 E a mão de Jeová veio sobre Elias; então ele prendeu sua veste na cintura e correu na frente de Acabe até Jezreel.
Ou: “cingiu”.
parágrafo 4 Tia. 5:17 Elias era um homem com sentimentos iguais aos nossos; contudo, quando ele orou com fervor para que não chovesse, não choveu naquela terra por três anos e seis meses.
parágrafo 5 1 Reis 19:1 Acabe contou então a Jezabel tudo o que Elias tinha feito e como ele tinha matado todos os profetas à espada.
parágrafo 6 1 Reis 19:2 Em vista disso, Jezabel enviou um mensageiro a Elias para dizer-lhe: “Que os deuses me castiguem, e que o façam severamente, se amanhã, até esta hora, eu não fizer com você o mesmo que você fez com cada um daqueles profetas!”
Ou: “não fizer com a sua alma o mesmo que você fez com a alma de cada um”.
parágrafo 7 1 Reis 18:4 e, quando Jezabel estava eliminando os profetas de Jeová, Obadias levou cem profetas e os manteve escondidos em cavernas, em grupos de 50, e os sustentou com pão e água.)
Lit.: “decepando”.
parágrafo 7 1 Reis 19:3 Então ele ficou com medo. Por isso, fugiu imediatamente para salvar a sua vida. Ele chegou a Berseba, que fica em Judá, e deixou o seu ajudante ali.
Ou: “alma”.
parágrafo 8 Mat. 14:30 Mas, ao olhar para o vendaval, ficou com medo. Quando começou a afundar, gritou: “Senhor, salve-me!”
parágrafo 9 1 Reis 19:4 Em seguida, entrou no deserto e caminhou durante um dia. Ao encontrar uma giesta-das-vassouras, sentou-se debaixo dela e pediu para morrer. Ele disse: “Já chega! Agora, ó Jeová, tira a minha vida, pois não sou melhor do que os meus antepassados.”
Ou: “para a sua alma morrer”.
Ou: “alma”.
parágrafo 10 Ecl. 9:10 Tudo o que a sua mão achar para fazer, faça-o com toda a sua força, pois não há trabalho, nem planejamento, nem conhecimento, nem sabedoria na Sepultura, o lugar para onde você vai.
Ou: “no Seol”, isto é, a sepultura comum da humanidade. Veja o Glossário.
parágrafo 11 Gên. 25:22 E os filhos dentro dela começaram a lutar entre si, de modo que ela disse: “Se é assim, de que adianta eu continuar vivendo?” Então ela consultou a Jeová.
parágrafo 11 Gên. 37:35 Todos os seus filhos e todas as suas filhas tentavam consolá-lo, mas ele se recusava a ser consolado e dizia: “Descerei para a Sepultura chorando pelo meu filho!” E ele continuava a chorar por seu filho.
Ou: “o Seol”, isto é, a sepultura comum da humanidade. Veja o Glossário.
parágrafo 11 Núm. 11:13-15 Onde encontrarei carne para dar a todo este povo? Pois continuam a chorar diante de mim, dizendo: ‘Dê-nos carne para comer!’ 14 Sozinho eu não consigo suportar todo este povo; isso é demais para mim. 15 Se é assim que vais continuar a me tratar, por favor, mata-me agora mesmo. Se achei favor aos teus olhos, não me faças ver mais nenhuma calamidade.”
parágrafo 11 Jó 14:13 Quem dera que me escondesses na Sepultura, Que me ocultasses até a tua ira passar, Que estabelecesses um tempo e então te lembrasses de mim!
Ou: “no Seol”, isto é, a sepultura comum da humanidade. Veja o Glossário.
parágrafo 12 2 Tim. 3:1 Mas saiba que nos últimos dias haverá tempos críticos, difíceis de suportar.
parágrafo 12 2 Cor. 1:3, 4 Louvado seja o Deus e Pai do nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai de ternas misericórdias e o Deus de todo o consolo, 4 que nos consola em todas as nossas provações, para que, com o consolo que recebemos de Deus, possamos consolar outros em qualquer tipo de provação.
Ou: “encoraja”.
Ou: “tribulações”.
Ou: “tribulação”.

Recapitulação da reunião e visão geral da próxima semana (3 min)


ESTUDO DE "A SENTINELA" | SEMANA DE 28 DE MARÇO DE 2016–3 DE ABRIL DE 2016
Cooperar com Deus dá alegria


REFERÊNCIAS E TEXTOS BÍBLICOS PARA O ESTUDO


w16 janeiro pp. 1-2 | A Sentinela (Estudo) (2016)
SEMANA DE 28 DE MARÇO DE 2016–3 DE ABRIL DE 2016
28 Cooperar com Deus dá alegria


Desde o início, Jeová convida outros a trabalhar com ele para realizar seu propósito. Seu propósito é que seja dado testemunho em toda a Terra, e ele nos convida a participar nessa obra de testemunho. Esse artigo considera as bênçãos que recebemos por ser colaboradores de Deus.

“Cooperando com ele, também exortamos vocês a não aceitar a bondade imerecida de Deus e perder de vista o objetivo dela.” — 2 COR. 6:1.
CÂNTICOS: 75, 74

POR QUE PODEMOS DIZER QUE A PREGAÇÃO . . .
traz felicidade?
nos achega mais a Deus e a outros?
serve de proteção?

2 Cor. 6:1 Cooperando com ele, também exortamos vocês a não aceitar a bondade imerecida de Deus e perder de vista o objetivo dela.
parágrafo 1 Jó 42:2 “Agora sei que és capaz de fazer todas as coisas E que nada que tens em mente é impossível para ti.
parágrafo 2 João 1:1-3 No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com Deus, e a Palavra era um deus. 2 Ele estava no princípio com Deus. 3 Todas as coisas vieram a existir por meio dele, e sem ele nem mesmo uma só coisa veio a existir. O que veio a existir
Ou: “era divina”.
parágrafo 2 João 1:18 Nenhum homem jamais viu a Deus; o deus unigênito, que está ao lado do Pai, é quem O revelou.
Ou: “na posição junto ao seio do Pai”. Isso se refere a uma posição de favor especial.
parágrafo 2 Col. 1:15-17 Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; 16 pois por meio dele foram criadas todas as outras coisas nos céus e na terra, as coisas visíveis e as coisas invisíveis, quer sejam tronos, quer domínios, quer governos, quer autoridades. Todas as outras coisas foram criadas por meio dele e para ele. 17 Também, ele já existia antes de todas as outras coisas, e por meio dele todas as outras coisas vieram a existir.
parágrafo 3 Gên. 2:19, 20 Jeová Deus tinha formado do solo todo animal selvagem e toda criatura voadora dos céus, e ele começou a levá-los ao homem para ver como este chamaria a cada um deles; e como o homem chamava a cada criatura vivente, esse se tornava o seu nome. 20 Assim o homem deu nome a todos os animais domésticos, às criaturas voadoras dos céus e a todo animal selvagem; mas, para o homem, não havia nenhuma ajudadora para o complementar.
Lit.: “toda criatura vivente do campo”.
Ou: “alma”.
parágrafo 3 Gên. 1:27, 28 E Deus criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. 28 Além disso, Deus os abençoou e Deus lhes disse: “Tenham filhos e tornem-se muitos; encham e dominem a terra; tenham domínio sobre os peixes do mar, sobre as criaturas voadoras dos céus e sobre toda criatura vivente que se move sobre a terra.”
parágrafo 3 Gên. 3:17-19 E a Adão ele disse: “Visto que você escutou a voz da sua esposa e comeu da árvore a respeito da qual lhe dei a ordem: ‘Não coma dela’, maldito é o solo por sua causa. Em dor você comerá dos produtos dele todos os dias da sua vida. 18 Ele produzirá para você espinhos e abrolhos, e você terá de comer a vegetação do campo. 19 No suor do seu rosto comerá pão, até que você volte ao solo, pois dele foi tirado. Porque você é pó e ao pó voltará.”
Que significa “homem terreno; humanidade”.
Ou: “alimento”.
parágrafo 3 Gên. 3:23 Com isso, Jeová Deus o expulsou do jardim do Éden para cultivar o solo de que tinha sido tirado.
parágrafo 5 Luc. 19:37-40 Assim que chegou perto da estrada que desce do monte das Oliveiras, toda a multidão dos discípulos começou a se alegrar e a louvar a Deus em alta voz por todas as obras poderosas que tinham visto, 38 dizendo: “Bendito é aquele que vem como Rei em nome de Jeová! Paz no céu e glória nas maiores alturas!” 39 No entanto, alguns dos fariseus que estavam no meio da multidão lhe disseram: “Instrutor, censure os seus discípulos.” 40 Mas ele disse em resposta: “Eu lhes digo que, se eles ficassem calados, as pedras clamariam.”
Veja Ap. A5.
parágrafo 5 1 Cor. 3:9 Pois somos colaboradores de Deus. Vocês são lavoura de Deus, edifício de Deus.
parágrafo 5 2 Cor. 6:1 Cooperando com ele, também exortamos vocês a não aceitar a bondade imerecida de Deus e perder de vista o objetivo dela.
parágrafo 6 Pro. 8:22 Jeová me produziu como o princípio do seu caminho, A primeira das suas realizações mais antigas.
parágrafo 6 Pro. 8:30 Eu estava ao seu lado como trabalhador perito. Eu era a sua maior alegria dia após dia, Alegrava-me diante dele todo o tempo.
Ou: “era aquele de quem ele gostava especialmente”.
parágrafo 7 Atos 20:35 Em tudo eu lhes mostrei que, trabalhando arduamente assim, vocês devem ajudar os fracos e ter em mente as palavras do Senhor Jesus, que disse: ‘Há mais felicidade em dar do que em receber.’”
parágrafo 7 2 Cor. 5:20 Somos, portanto, embaixadores, substituindo a Cristo, como se Deus fizesse um apelo por nosso intermédio. Suplicamos, como substitutos de Cristo: “Sejam reconciliados com Deus.”
parágrafo 8 1 Cor. 15:58 Portanto, meus amados irmãos, sejam firmes, inabaláveis, e tenham sempre bastante para fazer na obra do Senhor, sabendo que o seu trabalho árduo no Senhor não é em vão.
parágrafo 9 João 10:30 Eu e o Pai somos um.”
Ou: “estamos em união”.
parágrafo 10 João 17:11 “Não estou mais no mundo, mas eles estão no mundo, e eu vou para ti. Santo Pai, vigia sobre eles por causa do teu nome, o nome que me deste, para que sejam um, assim como nós somos um.
Ou: “estejam em união”.
Ou: “estamos em união”.
parágrafo 10 Tia. 4:8 Acheguem-se a Deus, e ele se achegará a vocês. Limpem as mãos, ó pecadores, e purifiquem o coração, ó indecisos.
parágrafo 11 Sal. 145:16 Tu abres a mão E satisfazes o desejo de todos os seres vivos.
parágrafo 12 Fil. 4:8 Por fim, irmãos, tudo que é verdadeiro, tudo que é de séria preocupação, tudo que é justo, tudo que é casto, tudo que é amável, tudo de que se fala bem, tudo que é virtuoso e tudo que é digno de louvor, continuem a considerar essas coisas.
Ou: “puro”.
Ou: “pensar em; meditar em”.
parágrafo 12 Efé. 6:14-17 Portanto, mantenham-se firmes, usando o cinturão da verdade, vestindo a couraça da justiça 15 e tendo os pés calçados com a prontidão para declarar as boas novas de paz. 16 Além de tudo isso, usem o grande escudo da fé, com o qual poderão apagar todas as flechas ardentes do Maligno. 17 Aceitem também o capacete da salvação e a espada do espírito, isto é, a palavra de Deus,
Ou: “os projéteis; os dardos”.
parágrafo 15 Isa. 55:11 Assim será a palavra que sai da minha boca. Não voltará a mim sem resultados, Mas certamente realizará o que for do meu agrado, E sem falta cumprirá o objetivo para o qual a enviei.
Ou: “mostrará ser”.
Ou: “da minha vontade”.
parágrafo 16 1 Tim. 2:4 que deseja que todo tipo de pessoas sejam salvas e venham a ter um conhecimento exato da verdade.
parágrafo 16 Mat. 22:37-39 Ele lhe disse: “‘Ame a Jeová, seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma e de toda a sua mente.’ 38 Esse é o maior e primeiro mandamento. 39 O segundo, semelhante a esse, é: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo.’
Veja Ap. A5.
Veja o Glossário.
parágrafo 16 Atos 10:42 Também, ele ordenou que pregássemos ao povo e déssemos um testemunho cabal de que é ele o designado por Deus para ser juiz dos vivos e dos mortos.

Clique na imagem para Baixar informações completas em arquivos digitais para Computador desktop, Laptop, Tablet, celular e Smartphone

Baixar informações para o estúdio pessoal para Computador desktop, Laptop, Tablet, celular e Smartphone

Baixar informações para o estúdio pessoal para Computador desktop, Laptop, Tablet, celular e Smartphone