PESQUISAR CONTEÚDO

Custom Search

Biografia de Karen Blixen

ADS BY GOOGLE

A senhora veio do frio 17 de abril de 1885
7 de setembro de 1962

Quem é Karen Blixen


Karen Blixen, cujo verdadeiro nome era Karen Christence Dinesen, nasceu em 17 de abril de 1885 em Rungstedlund, Dinamarca. Filha de um fazendeiro viciado para política (em seguida, cometeu suicídio), viveu por muito tempo na campanha que o pai dele primeiro comprado e restaurado mais tarde a expensas próprias. Além da rotina plácida da paisagem dinamarquesa Karen conheceu, pelo menos para a primeira parte de sua vida, o conforto, a fofoca e a suavidade dos ambientes da vizinha "importantes" moderno e Copenhaga.

Em 1913 fica noiva ao primo sueco, Barão Bror von Blixen-Finecke, e ele decide ir para a África com a idéia de comprar uma fazenda. A vida "civil" não parece adequada para o personagem rebelde e talvez um pouco do futuro escritor romântico.

Entediado em profundamente, quase a sentir que a vida escapa das mãos sem tentar reais e emoções reais. Levantou-se, embora não exatamente esses personagens, o epílogo desta espécie (pelo menos aos olhos das pessoas que rodeiam os dois) consiste no casamento que formaliza-los como marido e mulher, celebrado em Mombaça, em 1914. Uma vez que se juntou e em conformidade com a lei, por acordo mútuo, se moverá para uma grande plantação perto de Nairobi.

Infelizmente a inicial alguns romance anos cai por terra. O que parecia uma grande história de amor com paixões e interesses comuns é revelada em uma realidade de prisão difícil de suportar. A 1921 é o ano do divórcio doloroso. Bror deixa África como Karen vidas sobre a plantação de café, agora é sua razão para viver, fazendo-a crescer e realizando com inteligência e tenacidade por dezessete anos.

Mas mesmo este procedimento trabalhoso será encerrado.

A súbita crise veio em 1931, quando o mercado de café desmorona e Karen Blixen é forçado a fechar a actividade de plantação após vários anos de sobrevivência atrofiado. Neste momento mais do que razões sentimentais a força você a deixar a África e retornando para a casa da família, onde se dedicou intensamente à escrita.

Entre as muitas histórias que ele escreve um em especial destina-se a evocar seus anos na África. Este tipo de diário íntimo, considerado sua obra-prima, é ninguém menos que o famoso "out of Africa", um título que vai sair apenas em 1937.

A primeira publicação, mas vê o mercado é "sete góticos tales", publicados na Inglaterra e na América, em 1934.

Apesar do abrasador saudade para o Quênia, nostalgia que tem todos os traços de um verdadeiro "mal d'Africa", ela passará o resto de seus dias na Dinamarca, que era atormentado por problemas de saúde e vacilantes, talvez atribuível a algumas reconstruções uma doença venérea que a dor iria contratar por seu marido durante o primeiro ano de casamento.

Nos últimos anos por isso estou particularmente triste e delicado. Minado pela doença implacável que deixa o adiamento de um momento não, passa longos períodos no hospital, às vezes não é possível nem para escrever ou para assumir uma posição sentada. Para dar forma à sua criatividade conta com o fiel depositário e Secretário trascrittirce cuidado de seus débil ditados.

O fim chega em 7 de setembro de 1962 quando Karen Blixen passou os anos setenta.

Uma peculiaridade desse autor é que, ao longo de sua carreira ele entes queridos para trás inúmeros pseudônimos: Isak Dinesen para Tania Blixen até chegar o mascaramento andrógino com publicações em nome de Pierre Andrézel. Esta atitude estranha e um pouco incompreensível, ela atraiu um grande número de boatos, nem no que se refere a originalidade de seus escritos. O fato é que Hemingway, no momento do Prêmio Nobel, deu a entender que o prêmio deveria ter classificado para a grande dama também veio do Norte.

PESQUISAR CONTEÚDO

Custom Search

ADD THIS