Pesquisar conteúdo aqui

Custom Search

Recapitulação Maio - Junho 2013

Referências ao Recapitulação da Escola do Ministério Teocrático Maio - Junho 2013



Recapitulação da Escola do Ministério Teocrático


As seguintes perguntas serão consideradas na Escola do Ministério Teocrático na semana de 24 de junho de 2013. Incluem-se as datas de consideração de cada ponto para que se possa fazer a pesquisa ao preparar a escola toda semana.

1. O que Jesus quis dizer com as palavras registradas em João 3:14, 15: "Assim como Moisés ergueu a serpente no ermo, assim tem de ser erguido o Filho do homem"? [6 de mai., íf-3 p. 580]

(João 3:14, 15) 14 E assim como Moisés ergueu a serpente no ermo, assim tem de ser erguido o Filho do homem, 15 para que todo o que nele crer tenha vida eterna.

*** it-3 p. 580 Serpente de cobre ***
Jesus Cristo esclareceu o significado profético do incidente com a serpente de cobre no ermo, quando disse a Nicodemos: “Ademais, nenhum homem ascendeu ao céu, senão aquele que desceu do céu, o Filho do homem. E assim como Moisés ergueu a serpente no ermo, assim tem de ser erguido o Filho do homem, para que todo o que nele crer tenha vida eterna.” (Jo 3:13-15) O Filho de Deus, igual à serpente de cobre que Moisés pôs numa haste, no ermo, foi pregado ou fixado numa estaca, assim parecendo a muitos ser malfeitor e pecador, igual a uma serpente, na condição de alguém amaldiçoado. (De 21:22, 23; Gál 3:13; 1Pe 2:24) No ermo, quem tivesse sido mordido pelas serpentes venenosas enviadas por Jeová entre os israelitas evidentemente tinha de olhar com fé para a serpente de cobre. De modo similar, para se obter a vida eterna por meio de Cristo, é preciso exercer fé nele.

2. Quando é que os seguidores de Cristo recebem a vida em si mesmos ou en¬tram na plenitude da vida? (João 6:53) [13 de mai., w03 15/9 p. 31 § 3]

(João 6:53) 53 Concordemente, Jesus disse-lhes: “Digo-vos em toda a verdade: A menos que comais a carne do Filho do homem e bebais o seu sangue, não tendes vida em vós mesmos.

*** w03 15/9 pp. 30-31 Perguntas dos Leitores ***
Jesus falou aos seus ouvintes: “Digo-vos em toda a verdade: A menos que comais a carne do Filho do homem e bebais o seu sangue, não tendes vida em vós mesmos. Quem se alimenta de minha carne e bebe meu sangue tem vida eterna, e eu o hei de ressuscitar no último dia.” (João 6:53, 54) Jesus igualou aqui ter “vida em vós mesmos” com obter “vida eterna”. Expressões com a mesma estrutura gramatical, como ter “vida em vós mesmos”, encontram-se em outras partes das Escrituras Gregas. Dois exemplos são: “Tende sal em vós mesmos” e “recebendo em si mesmos a plena recompensa”. (Marcos 9:50; Romanos 1:27) Nesses casos, as frases não significam o poder de dar sal a outros ou de conferir a alguém uma recompensa. Antes, indica inteireza ou plenitude interior. De modo que a expressão “vida em vós mesmos”, usada em João 6:53, significa simplesmente obter a própria plenitude da vida.

3. Ilustre como Jesus revelou seu Pai a hu¬manos imperfeitos. (João 8:28) [20 de mai., wll 1/4 p. 7 § 2]

(João 8:28) 28 Portanto, Jesus disse: “Uma vez que tiverdes erguido o Filho do homem, então sabereis que sou eu e que não faço nada de minha própria iniciativa; mas assim como o Pai me ensinou, estas coisas eu falo.

*** w11 1/4 p. 7 Jesus — Como viveu ***
Quando estava na Terra como homem, Jesus voluntariamente revelou a personalidade de seu Pai, e fez isso com muito prazer. Ele falou e ensinou de uma perspectiva única; baseava-se em memórias de quando esteve no domínio espiritual, na presença enaltecida do Deus Altíssimo. — João 8:28.
O que Jesus fez para revelar a personalidade de seu Pai pode ser ilustrado com o que um transformador elétrico faz. Ele pode pegar eletricidade de alta voltagem e transformá-la em baixa voltagem, tornando-a apropriada para o uso de um consumidor comum. De modo similar, quando estava na Terra, Jesus pegava as informações que havia aprendido no céu sobre seu Pai e as transmitia de uma forma que simples humanos podiam facilmente entender e aplicar na vida.

4. O que aprendemos de Jesus 'entregar- se ao choro' quando seu amigo Lázaro morreu? (João 11:35) [20 de mai., w08 1/5 p. 24 §§ 3-5]

(João 11:35) 35 Jesus entregava-se ao choro.

*** w08 1/5 p. 24 Ele entende a nossa dor ***
Note que, quando Jesus viu Maria e os que estavam com ela chorando, “gemeu” e “ficou aflito”. Na língua original, essas palavras indicam fortes emoções. Jesus ficou profundamente comovido com o que viu. Isso ficou evidente quando seus olhos se encheram de lágrimas. Sem dúvida, a dor de outras pessoas tocava o coração de Jesus. E você? Já chorou ao ver alguém que você gosta chorando? — Romanos 12:15.
A empatia de Jesus revela muito sobre as qualidades e o modo de agir de seu Pai, Jeová. Lembre-se de que Jesus refletiu com tanta perfeição as qualidades do Pai que pôde dizer: “Quem me tem visto, tem visto também o Pai.” (João 14:9) Assim, quando lemos que “Jesus entregava-se ao choro”, podemos ter plena certeza de que Jeová sente pessoalmente a dor que seus adoradores sentem. De fato, outros escritores bíblicos confirmam isso. (Isaías 63:9; Zacarias 2:8) Como Jeová é um Deus compassivo!

5. Que poderosa lição Jesus ensinou por lavar os pés de seus discípulos? (João 13:4, 5) [27 de mai., w99 1/3 p. 31 § 1]

(João 13:4-5) 4 levantou-se da refeição noturna e pôs de lado a sua roupagem exterior. E, tomando uma toalha, cingiu-se. 5 Depois pôs água numa bacia e principiou a lavar os pés dos discípulos e a enxugá-los com a toalha de que estava cingido. 6 E, assim chegou a Simão Pedro. Este lhe disse: “Senhor, estás lavando os meus pés?”

*** w99 1/3 p. 31 O maior homem realiza uma tarefa humilde ***
Ao lavar os pés dos apóstolos, Jesus deu uma grande lição de humildade. Na verdade, os cristãos não devem considerar-se tão importantes a ponto de achar que os outros sempre têm de servi-los, nem devem ficar tentando obter posições de honra e prestígio. Em vez disso, devem seguir o exemplo de Jesus, que “não veio para que se lhe ministrasse, mas para ministrar e dar a sua alma como resgate em troca de muitos”. (Mateus 20:28) A verdade é que os seguidores de Jesus devem estar dispostos a realizar as tarefas mais humildes em favor de seus irmãos.

6. Como o espírito de Deus pode servir como um guia seguro para nós? (João 14:26) [27 de mai., wll 15/12 pp. 14- 15 § 9]

(João 14:26) 26 Mas o ajudador, o espírito santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar todas as coisas que eu vos disse.

*** w11 15/12 pp. 14-15 par. 9 Por que ser guiado pelo espírito de Deus? ***
Jesus explicou a seus discípulos: “O ajudador, o espírito santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar todas as coisas que eu vos disse.” (João 14:26) Se estudarmos regularmente a Palavra de Deus com devoção, incluindo todas as declarações de Cristo, o espírito santo aumentará nossa compreensão da profunda sabedoria de Jeová, para podermos nos ajustar bem de perto à sua vontade. (1 Cor. 2:10) Além disso, em qualquer desvio inesperado na estrada que conduz à vida eterna, o espírito nos mostrará o caminho a seguir. Ele nos fará recordar princípios bíblicos que já conhecemos e nos ajudará a saber como eles se aplicam ao darmos o próximo passo.

7. Em João 21:15, a que a palavra "estes" se refere, e que lição podemos apren¬der? [3 de ¡un., w08 15/4 p. 32 § 11]

(João 21:15) 15 Então, depois de terem almoçado, Jesus disse a Simão Pedro: “Simão, filho de João, amas-me mais do que estes?” Ele lhe disse: “Sim, Senhor, tu sabes que tenho afeição por ti.” Disse-lhe ele: “Apascenta meus cordeiros.”

*** w08 15/4 p. 32 Destaques do livro de João ***
Perguntou-se a Pedro se ele amava mais a Jesus do que a “estes”, ou seja, os peixes diante deles. Com isso Jesus salientou a necessidade de Pedro escolher seguir a ele por tempo integral, em vez de seguir a carreira de pescador. Depois desse estudo dos Evangelhos, estejamos decididos a fortalecer nossa determinação de amar a Jesus mais do que a qualquer outra coisa que nos possa atrair. Sim, continuemos a segui-lo de todo o coração!

8. De acordo com Atos 2:44-47 e Atos 4:34, 35, que espirito os cristãos fazem bem em imitar? [10 de jun., w08 15/5 p. 30 § 5]

(Atos 2:44-47) 44 Todos os que se tornavam crentes estavam unidos em terem todas as coisas em comum, 45 e foram vender as suas propriedades e bens, e distribuir a [receita] entre todos, conforme alguém tivesse necessidade. 46 E dia após dia assistiam constantemente no templo, de comum acordo, tomando as suas refeições em lares particulares e participando do alimento com grande júbilo e sinceridade de coração, 47 louvando a Deus e achando favor [diante] de todo o povo. Ao mesmo tempo, Jeová continuava a ajuntar-lhes diariamente os que estavam sendo salvos.
(Atos 4:34, 35) 34 De fato, não havia nem mesmo um só necessitado entre eles; porque todos os que eram proprietários de campos ou de casas vendiam-nos, e traziam os valores das coisas vendidas 35 e os depositavam aos pés dos apóstolos. Por sua vez, fazia-se distribuição a cada um, conforme tivesse necessidade.

*** w08 15/5 p. 30 Destaques do livro de Atos ***
Por que alguns cristãos venderam seus bens e distribuíram o dinheiro arrecadado? Muitos que aceitaram a verdade sobre Jesus tinham vindo de longe. Eles desejavam ficar em Jerusalém por mais tempo a fim de aumentar seu conhecimento sobre a nova fé e dar testemunho a outros, mas não tinham provisões suficientes para isso. Com o objetivo de ajudá-los, alguns cristãos venderam seus bens, e os recursos foram distribuídos aos necessitados.

9. Será que Estêvão estava orando a Jesus no relato de Atos 7:59? [17 de jun., w08 15/5 p. 31 § 2]

(Atos 7:59) 59 E atiravam pedras em Estêvão, enquanto ele fazia apelo e dizia: “Senhor Jesus, recebe meu espírito.”

*** w08 15/5 p. 31 Destaques do livro de Atos ***
Estêvão estava orando a Jesus? Não. A adoração da pessoa, o que inclui suas orações, deve ser dirigida apenas a Jeová Deus. (Luc. 4:8; 6:12) Em circunstâncias normais, Estêvão suplicaria a Jeová em nome de Jesus. (João 15:16) Nesse caso, porém, Estêvão teve uma visão do “Filho do homem em pé à direita de Deus”. (Atos 7:56) Com pleno conhecimento de que Jesus tinha recebido poder para ressuscitar pessoas, Estêvão falou, mas não orou, diretamente a Jesus, pedindo-lhe que protegesse seu espírito. — João 5:27-29.

10. Como podemos imitar o bom exemplo de Barnabé, e como seremos benefi¬ciados por fazer isso? (Atos 9:26, 27) [24 de jun., bt p. 65 § 19]

(Atos 9:26-27) 26 Chegando a Jerusalém, fez esforços para se juntar aos discípulos; mas todos eles estavam com medo dele, porque não acreditavam que fosse discípulo. 27 Barnabé veio, assim, em seu auxílio e o conduziu aos apóstolos, e ele lhes contou em pormenores como tinha visto o Senhor na estrada e que este lhe tinha falado, e como em Damasco falara denodadamente no nome de Jesus.

*** bt cap. 8 p. 65 par. 19 A congregação “entrou . . . num período de paz” ***
Observe que Barnabé tomou a iniciativa de ajudar Saulo. Sem dúvida, essa atitude bondosa ajudou a promover a cordial amizade que se desenvolveu entre esses servos zelosos de Jeová. Você, assim como Barnabé, ajuda de coração os novos na congregação, trabalhando com eles no serviço de campo e ajudando-os a fazer progresso espiritual? Você será ricamente recompensado se fizer isso. Se você é um novo publicador das boas novas, aceita, assim como Saulo, a ajuda que lhe é oferecida? Por trabalhar com publicadores mais experientes, você vai aprimorar sua habilidade no ministério, ser mais feliz e formar laços de amizade que podem durar para sempre.